sábado, 28 de março de 2020

Guarapuava: Gaeco investiga mulher suspeita de divulgar fake news sobre a morte de médico por coronavírus


O Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) investiga uma mulher suspeita de divulgar fake news sobre a morte de um médico causada pelo novo coronavírus em Guarapuava, na região central do Paraná.

A mulher foi interrogada. Ela assinou um termo circunstanciado por contravenção penal, na sexta-feira (24), e foi liberada.

Post no Facebook

De acordo com o Ministério Público do Paraná (MP-PR), ela postou a notícia falsa em um grupo do Facebook, com 260 mil participantes.


Na publicação, feita na terça-feira (24), ela escreveu que um médico de um hospital de Guarapuava morreu da Covid-19.


Uma audiência será realizada no Juizado Especial Criminal da cidade por desrespeito à Lei de Contravenções Penais. Não foi informado quando vai ser a audiência. Ainda não houve aplicação de pena.

Pena prevista

O caso se caracteriza com o artigo 41 da lei: "provocar alarme, anunciando desastre ou perigo inexistente, ou praticar qualquer ato capaz de produzir pânico ou tumulto".

A pena prevista, como informou o MP-PR, é de prisão simples de 15 dias a seis meses de multa.

A mulher, segundo o MP-PR, confessou ter publicado a fake news. Ela disse estar arrependida, conforme o MP-PR.

Outro caso

Em Paranavaí, no noroeste do Paraná, uma mulher foi obrigada a fazer uma postagem se retratando nas redes sociais após divulgar notícias falsas de que pessoas tinham morrido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município, em decorrência do coronavírus.

Coronavírus no Paraná

O Paraná tem 125 casos confirmados do novo coronavírus, segundo o último boletim da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), que foi divulgado na sexta-feira.

Duas mortes causadas pelo novo coronavírus foram registradas no estado – em Maringá, no norte.

Há 1.078 possíveis casos em investigação em todo o estado.

Fonte: G1 - PR

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade