terça-feira, 27 de julho de 2021

Informe semanal da dengue registra 404 novos casos no Paraná


O Informe da dengue publicado nesta terça-feira (27) pela Secretaria de Estado da Saúde confirma mais 404 casos da doença no Paraná. O período epidemiológico, com início em 1º de agosto de 2020, soma 27.574 casos da doença, em 288 municípios paranaenses abrangidos pelas 22 Regionais de Saúde do Estado.

Do total de casos, 24.415 são autóctones e confirmam que a dengue foi contraída no município de residência. São 92.376 casos notificados, um aumento de 1.096 registros em relação à semana anterior. As notificações estão em 361 municípios.

“Os números confirmam que o vírus da dengue está circulando no Paraná. Reforçamos que a eliminação dos criadouros do mosquito transmissor da doença é a medida de prevenção mais efetiva para o controle da dengue, zika e chikungunya”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Ele reforça que o mosquito Aedes aegypti busca os pontos que acumulam água parada para a proliferação. "Por isso, é fundamental que estes recipientes e locais sejam eliminados dos quintais e ambientes internos das residências e também das áreas públicas”, afirmou o secretário.

CRIADOUROS – Segundo levantamento entomológico da Vigilância Ambiental da Sesa, entre 24 de abril a 30 de junho de 2021, a maior porcentagem de criadouros está em locais passíveis de remoção, como lixo com garrafas e latas descartadas sem as tampas, sucatas em pátios de ferros-velhos e entulhos de construção.

O levantamento destaca ainda que os vasos de plantas com prato, os recipientes de degelo dos refrigeradores, pequenas fontes ornamentais e bebedouros estão entre os principais criadouros do mosquito da dengue.

Ainda da tempo de aproveitar o Arraial de ofertas do Atacadão


Como é de se esperar, todo arraial tem pescaria, e no Atacadão é uma pescaria de descontos: na compra de materiais de pintura, e tintas você pode pescar descontos de até 20%. Além do mais, o Arraial tem tintas da Coral 18L a partir de R$199,90, e tintas Akollux de 16L a partir de R$99,90.

E não para por aí, cimento por R$28,90, forro de PVC e vários outros materiais na promoção que finaliza com o mês de julho.

Pra fechar com chave de ouro, esta quarta, 28/07, e sábado, 31/07, tem guloseimas de Festa Julina na loja, aproveita você também.

Confira nas fotos abaixo o Arraial de descontos do Atacadão.









Corpo de sexta vítima que desapareceu no Rio Ivaí após barco virar é encontrado pelos bombeiros


O corpo da sexta vítima que desapareceu após um barco virar no Rio Ivaí, em São João do Ivaí, no norte do Paraná, foi encontrado após dez dias de buscas, na tarde desta terça-feira (27).

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o corpo de Nicolas Pacagnan Fernandes, de 8 anos, foi encontrado boiando a cerca de 15 quilômetros de distância de onde aconteceu o acidente.

A vítima estava desaparecida desde 18 de julho.

Na semana passada, foram encontrados cinco corpos. Quatro deles foram velados e enterrados em Maringá e Ivaiporã no dia 22 de julho.

Morreram após o acidente as vítimas Adalberto Fernandes Galice, de 42 anos, Patrícia Miranda da Silva, de 33 anos, e as filha deles, Sophia Pacagnan Fernandes, de quatro anos, que moravam em Maringá.

Também faleceram Alberony Menegassi de Souza, de 41 anos, e os filhos dele, Heloísa Menegassi de Souza, de três anos, e Nicolas, que moravam em Ivaiporã.

Acidente

Nove pessoas estavam na embarcação, no dia do acidente. Um casal e uma criança de três anos conseguiram nadar até a margem e foram socorridos com vida.

As vítimas disseram aos bombeiros que o motor do barco falhou. Em seguida, alguns dos ocupantes pularam na água para evitar que a embarcação chegasse a um salto. Mas, o barco virou.

O local onde aconteceu o acidente é conhecido como Três Pousos. Na região, o rio se divide em três quedas d'água.

Fonte: G1 - PR

Paraná registra mais 2.255 casos e 193 mortes pela Covid-19


A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta terça-feira (27) mais 2.255 casos confirmados e 193 mortes pela Covid-19 no Paraná. Os números são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas.

Os dados acumulados do monitoramento da doença mostram que o Estado soma 1.361.940 casos confirmados e 34.507 óbitos. Há ajustes ao final do texto.

Os casos confirmados divulgados nesta data são de maio (1), junho (1), julho (1), agosto (3), setembro (4), outubro (3), novembro (18) e dezembro (9) de 2020 e janeiro (19), fevereiro (6), março (30), abril (171), maio (48), junho (122) e julho (1.819) de 2021.

INTERNADOS – O informe relata que 1.215 pacientes com diagnóstico confirmado estão internados. São 955 pacientes em leitos SUS (548 em UTIs e 407 em enfermarias) e 260 em leitos da rede particular (149 em UTIs e 111 em enfermarias).

Há outros 1.612 pacientes internados, 817 em leitos de UTI e 795 em enfermarias, que aguardam resultados de exames. Eles estão nas redes pública e particular e são considerados casos suspeitos.

ÓBITOS – A Secretaria da Saúde informa a morte de mais 193 pacientes. São 79 mulheres e 114 homens, com idades que variam de 8 a 108 anos. Os óbitos ocorreram de 18 de junho de 2020 a 27 de julho de 2021.

Os pacientes que morreram residiam em Curitiba (28), Londrina (25), Colombo (14), São José dos Pinhais (8), Ponta Grossa (7), Paranaguá (5), Jaguariaíva (5), Campo Mourão (5), Almirante Tamandaré (5), Sarandi (4), Pinhais (4), Foz do Iguaçu (4), Cascavel (4), Araucária (4), Arapongas (4), Umuarama (3), Toledo (3), Pato Branco (3), Paranavaí (3), Campo Largo (3), Apucarana (3), Ubiratã (2), Terra Boa (2), Prudentópolis (2), Pinhão (2), Nova Olímpia (2), Ibaiti (2), Guarapuava (2), Goioerê (2), Francisco Beltrão (2), Fazenda Rio Grande (2), Campina Grande do Sul (2), Cambará (2) e Barbosa Ferraz (2).

A Sesa registra ainda a morte de uma pessoa que residia em cada um dos seguintes municípios: Verê, Terra Roxa, Telêmaco Borba, Tamarana, São Pedro do Iguaçu, São Jorge d'Oeste, Santa Mariana, Santa Isabel do Ivaí, Santa Helena, Rio Branco do Sul, Ribeirão Claro, Rancho Alegre D'Oeste, Primeiro de Maio, Pontal do Paraná, Paiçandu, Morretes, Maringá, Itambé, Formosa do Oeste, Floresta, Cornélio Procópio, Capitão Leônidas Marques e Cambé.

FORA DO PARANÁ – O monitoramento registra 6.550 casos de residentes de fora do Estado, sendo que 188 pessoas morreram.

Turvo vacinou 55% da população contra a Covid-19


Nesta semana Turvo chegou a marca de 55% da população vacinada, são 7265 turvenses que receberam a primeira dose ou vacina de dose única.


Com prioridade aos mais vulneráveis, Estado reforça apoio aos municípios na luta contra o frio


O Governo do Estado e a Associação dos Municípios do Paraná (AMP) acertaram nesta terça-feira (27) as diretrizes de atuação preventiva para amenizar os efeitos sobre a população da massa de ar polar prevista para chegar à Região Sul do País na madrugada desta quarta-feira (28). Entre as ações, ficou estabelecida que uma nota técnica, em conjunto, será emitida até o fim do dia para orientar as prefeituras.

O encontro, realizado de maneira virtual, contou com a participação do secretário-chefe da Casa Civil, Guto Silva; do presidente da AMP e prefeito de Jesuítas, Júnior Weiller; além de representantes das 19 associações regionais de municípios do Paraná e 29 prefeitos.

“O Governo está mobilizado para dar uma resposta rápida para a população. Mas, reforço, não há motivo para pânico. A orientação do governo Ratinho Junior é trabalhar ações preventivas e cuidar especialmente daqueles mais vulneráveis”, afirmou o chefe da Casa Civil.

Guto Silva destacou que o Paraná reforçou os canais de atendimento e diálogo com os municípios para responder prontamente às necessidades de cada região do Estado. “A desinformação, espalhada muitas vezes pela internet, só atrapalha. Teremos frio, mas nada diferente do padrão do inverno paranaense. Nada de -25ºC, -15ºC ou -10ºC”, ressaltou.

O trabalho envolverá várias secretarias e órgãos da administração pública, sob coordenação da Defesa Civil do Paraná. O plano de ação foi dividido em nove tópicos: monitoramento e acompanhamento; atendimento à população vulnerável; ajuda humanitária; saúde; agricultura; animais; prevenção de incêndios; comunicação social e a tendimento a comunidades tradicionais.

“Estamos atentos. Informações erradas levam pânico à população. Teremos sim momentos mais frios, com geada, mas nada de temperaturas extremas. O Estado está alerta e o acompanhamento da Defesa Civil é diário”, afirmou o coordenador estadual da Defesa Civil, coronel Fernando Schunig.

A maior preocupação, alertou ele, é para com a população mais vulnerável, como moradores de rua, ribeirinhas, quilombolas e indígenas, entre outros. Para isso, o Estado prevê o acionamento de estruturas de abrigos previstas nos Planos de Contingência Municipais; distribuição de alimentação quente; reforço na atuação das secretarias municipais de assistência social; e mobilização de igrejas e grupos de voluntários para atendimento aos moradores de rua.

“O monitoramento será forte para que a população não seja pega de surpresa”, disse o coordenador.

Segundo o presidente da AMP, Júnior Weiller, essa reunião do governo com as associações revela um grande nível de sensibilidade do Estado para amenizar o sofrimento dos paranaenses. “As prefeituras estão todas engajadas”, acrescentou.

AQUECE PARANÁ – Também como forma de amenizar a dificuldade da população, a Superintendência de Ação Social do Estado vai antecipar a entrega de 40 mil peças arrecadadas dentro da campanha Aquece Paraná. O material começará a ser distribuído nesta quarta-feira (28), com prioridades para as regiões mais frias, como o Centro-Sul.

O lote com agasalhos, cobertores e demais acessórios de frio encorpa outras duas remessas, também de 40 mil peças no total, já destinadas à população. “E já estamos prevendo uma nova remessa com doação para a próxima semana”, afirmou a coordenadora de projetos da Superintendência de Ação Social, Camilla Guimarães.

TEMPERATURA – De acordo com o Simepar (Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná), a onda seguirá o padrão local, caracterizado por um clima frio e seco e temperaturas mínimas variando entre -1 °C e -5 °C.

Apenas nos pontos de maior altitude, como no alto de montanhas, o frio pode ser mais intenso.

O serviço social autônomo, vinculado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e Turismo (Sedest), aponta que o frio será entre os dias 28 e 30 de julho, especialmente nas regiões Sudoeste, Sul, Central e Campos Gerais.

Já na Região Metropolitana de Curitiba, Norte e Oeste há previsão de valores oscilando entre 0°C e -3°C. No Litoral deve chegar a 5ºC. Nesse período há indicativo para ocorrência de geadas fortes e generalizadas em todo o Paraná.

Veja como serão as temperaturas mínimas em algumas das cidades mais frias do Paraná nos próximos dias:

Curitiba

quarta-feira – 2ºC

quinta-feira – 0oC

sexta-feira – 0oC

sábado – 3oC

Palmas

quarta-feira – -3oC

quinta-feira – -3oC

sexta-feira – -2oC

sábado – 0oC

General Carneiro

quarta-feira – -3oC

quinta-feira – -4oC

sexta-feira – -3oC

sábado – -2oC

Pato Branco

quarta-feira – -1oC

quinta-feira – -1oC

sexta-feira – -1oC

sábado – 2oC

Francisco Beltrão

quarta-feira – -1oC

quinta-feira – -2oC

sexta-feira – 0oC

sábado – 3oC

Guarapuava

quarta-feira – -3oC

quinta-feira – -4oC

sexta-feira – -1oC

sábado – 1oC

União da Vitória

quarta-feira – -2oC

quinta-feira – -3oC

sexta-feira – -3oC

sábado – -1oC

Lapa

quarta-feira – -1oC

quinta-feira – -3oC

sexta-feira – -2oC

sábado – 1oC

Irati

quarta-feira – -1oC

quinta-feira – -2oC

sexta-feira – -2oC

sábado – 0oC

Inácio Martins

quarta-feira – -3oC

quinta-feira – -4oC

sexta-feira – -2oC

sábado – -1oC

Bituruna

quarta-feira -3oC

quinta-feira -3oC

sexta-feira -3oC

sábado -2oC.







 

Colisão entre moto e carro deixa motociclista ferido em Turvo


Na manhã desta terça-feira (27), a Polícia Militar foi chamada para prestar atendimento em um acidente de trânsito na Rodovia Municipal João Maria de Jesus.

O condutor do veículo GM/Monza deslocava no sentido Ibema/Turvo, quando no km 9 da referida rodovia, a motocicleta Honda /CG 125 Fan que transitava no sentido Turvo/Ibema, realizou uma ultrapassagem, vindo a colidir frontalmente contra o veículo.

O condutor da motocicleta Gilmar Lopes sofreu fratura exposta na perna esquerda, foi socorrido pela ambulância de Turvo e encaminhado ao Hospital Bom Pastor. Posteriormente foi transferido para o hospital Santa Tereza, em Guarapuava.

IDR-Paraná e Simepar alertam agronegócio para risco de geadas no Estado


O Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná-Iapar-Emater (IDR-PR) e o Simepar – Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná alertam que há previsão da chegada de uma forte massa de ar polar que deve provocar frio intenso em todo o Estado, no período de 27 de julho a 01 de agosto. Estão previstas geadas nas madrugadas de quarta (28), quinta (29) e sexta-feira (30), principalmente nas regiões Sudoeste, Sul, Central e Campos Gerais.

As temperaturas baixas previstas poderão causar impactos negativos em culturas como hortaliças, tomate, milho, café, pastagem e frutíferas tropicais, entre outras. Porém, alguns cuidados podem ser adotados pelos agricultores para reduzir os efeitos.

CAFÉ – A recomendação para os plantios novos de café, com até seis meses de campo, é enterrar as mudas. Viveiros devem ser protegidos com várias camadas de cobertura plástica ou aquecimento, com a opção de utilizar as duas práticas simultaneamente. Nos dois casos — lavouras novas e viveiros — a proteção deve ser retirada logo que a massa de ar frio se afaste e cessar o risco imediato de geada.

Nas lavouras com idade entre seis meses e dois anos, a recomendação aos produtores é amontoar terra no tronco das plantas até o primeiro par de folhas. Essa proteção deve ser mantida até meados setembro, e depois retirada com as mãos.

MILHO – Segundo coordenador de Grãos do IDR-Paraná, Edivan Possamai, a proteção não é viável no caso do milho por tratar-se de uma cultura de verão. A dica é que o agricultor mantenha sempre sua lavoura assegurada e que verifique o zoneamento de risco climático, para que o plantio seja feito na época certa e, assim, não corra o risco de perder o seguro.

GADO – Na pecuária de corte um dos principais problemas está na falta de pasto para alimentar os animais. A coordenadora de Pecuária de Corte do IDR-Paraná, Kátia Gobbi, informa que na região Norte e Noroeste, por exemplo, os pastos já acabaram por causa das secas e, também, das geadas.

A opção seria a suplementação com volumosos conservados (silagem, feno) e concentrada (milho, farelo de soja, etc). Mas o produtor precisa se organizar com antecedência, e é fundamental calcular a viabilidade econômica do sistema produtivo, já que são ações com maior custo em relação ao pasto. Nas regiões mais frias do Estado há, também, a opção das gramíneas de inverno, mais tolerantes ao frio.

FRUTAS – O coordenador de Fruticultura do IDR-Paraná, Eduardo Augustinho, explica que nas plantações de frutas os cuidados podem ser evitar o uso de Dormex, utilizar fumaça para aquecimento, a irrigação e manter as áreas limpas.

OLERICULTURA – Umas das culturas mais sensíveis às geadas, as folhagens precisam de muita proteção nestes dias mais frios. De acordo com Paulo Hidalgo, coordenador estadual de Olericultura do IDR-Paraná, algumas ações podem ajudar: cultivo protegido, que consiste em fechar o entorno das estufas; suspender a irrigação alguns dias antes, para evitar a formação de gelos nas folhas; aquecer as estufas usando o carvão e monitorar este aquecimento durante toda a noite e madrugada.

Em campo aberto a proteção é um pouco mais complexa, mas algumas medidas podem ajudar. Entre elas, cobrir os canteiros de folhagem com TNT e fazer o aquecimento com fumaça. Outra prática que pode contribuir para proteção de olericultura em campo aberto é a pulverização folear com sal, sistema que, se aplicado com antecedência, pode diminuir o ponto de congelamento das folhas.

SERVIÇO – O Alerta Geada é um serviço que funciona de maio a setembro com o objetivo de auxiliar os produtores a adotarem técnicas para proteção de cafezais.

Durante o período de operação do sistema, os pesquisadores acompanham as condições meteorológicas na região cafeeira do Estado e publicam diariamente um boletim informativo.

Além do informe diário, se houver aproximação de massas de ar frio com potencial de causar danos às lavouras de café, um alerta é emitido e amplamente divulgado com 48 horas de antecedência.

O boletim diário e os alertas de geada podem ser obtidos no aplicativo Iapar Clima, disponível gratuitamente na App Store e no Google Play. Também é possível receber os avisos pelo WhatsApp. Basta salvar nos contatos o número (43) 3376-2248 e enviar a mensagem "quero receber o Alerta Geada".

Há, ainda, informações sobre o serviço Alerta Geada e proteção de cafeeiros sites do IDR-Paraná e do Simepar, ou pelo disque-geada (43) 3391-4500.


Publicidade