segunda-feira, 13 de setembro de 2021

Paraná confirma mais 1.924 casos de Covid-19 e 44 óbitos



A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta segunda-feira (13) mais 1.924 casos confirmados e 44 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os números são referentes a meses ou semanas anteriores e não representam as notificações das últimas 24 horas.

Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma agora 1.473.335 casos confirmados e 37.896 mortos pela doença.

Os casos confirmados divulgados nesta segunda são de setembro (1.491), agosto (259), julho (32), junho (97), maio (44) e abril (1) de 2021.

INTERNADOS – O boletim relata que há 816 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 internados. São 582 em leitos SUS (340 em UTIs e 242 em enfermarias) e 234 em leitos da rede particular (139 em UTIs e 95s em enfermaria).

Há outros 1.420 pacientes também internados, 768 em leitos de UTI e 652 em enfermarias, que aguardam resultados de exames. Eles estão nas redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

ÓBITOS – A Secretaria da Saúde informa que das 44 pessoas que faleceram 19 são mulheres e 25 homens, com idades que variam de 26 a 99 anos. Os óbitos ocorreram entre 9 de abril a 13 de setembro de 2021.

Os pacientes que foram a óbito residiam em Curitiba (12), Pinhais (3), Londrina (3), Cascavel (3), São José dos Pinhais (2), Colombo (2), Campo Largo (2), União da Vitória (1), Sengés (1), Pérola (1), Prudentópolis (1), Primeiro de Maio (1), Porto Amazonas (1), Paranaguá (1), Palmeira (1), Nova Fátima (1), Nova Aurora (1), Marechal Cândido Rondon (1), Irati (1), Foz do Iguaçu (1), Fazenda Rio Grande (1), Candói (1), Bela Vista do Paraíso (1) e Apucarana (1).

FORA DO PARANÁ – O monitoramento registra 6.335 casos de residentes de fora do Estado, sendo que 220 pessoas foram a óbito.


Polícia Civil alerta população sobre golpe do delivery e pagamentos em máquinas


A Polícia Civil do Paraná (PCPR) alerta a população sobre golpes que estão sendo aplicados por "entregadores", ou falsos entregadores, de aplicativos de comida. Ao fazer o pagamento pela máquina de cartão, o golpista registra o débito de um valor muito superior ao da compra. Para não ser uma vítima, a pessoa precisa tomar cuidados, como desconfiar de histórias mal contadas e fazer o pagamento preferencialmente pelos aplicativos.

A modalidade de estelionato ocorre com golpistas que se cadastram como entregadores nas plataformas, utilizando documentos falsos para dar credibilidade, com intuito de burlar uma atividade que é essencialmente legal.

Segundo a PCPR, um falso atendente faz uma ligação telefônica para a vítima comunicando que o “entregador” teve um problema e que a entrega pode atrasar muito, por exemplo. A seguir, o estelionatário oferece a opção de “troca de entregador”, porém, para isso solicita o pagamento de uma nova taxa de entrega diretamente ao entregador, em um valor baixo e quebrado, para forçar o pagamento em cartão.

No ato da entrega da comida, ao invés de cobrar a suposta taxa de R$ 4,90, o criminoso debita R$ 4.900. Isso é possível porque os golpistas danificam o visor da máquina de cartão para impedir que a vítima veja o valor realmente digitado. Os valores debitados indevidamente vão para contas de laranjas e são imediatamente sacados.

A PCPR alerta sobre os cuidados para não ser vítima do golpe:

• Aplicativos de delivery não realizam cobranças extras para que sejam feitas as entregas.

• Desconfiar de histórias mal contadas e, na dúvida, entrar em contato com o atendimento do aplicativo.

• Uma ligação para tratar de uma suposta substituição do entregador provavelmente se trata de golpe.

• Prefira fazer o pagamento sempre diretamente pelo aplicativo.

• Ao pagar qualquer compra em máquinas de cartão, é preciso conferir sempre o valor digitado e exigir o comprovante impresso da operação realizada.

Sessão da Câmara Municipal de Turvo


Acompanhe ao vivo a sessão da Câmara Municipal de Turvo:

Com 303 mil novas vacinas, Paraná retoma aplicação com 1ª dose; distribuição começa nesta terça


O Paraná recebeu nesta segunda-feira (13) mais 303.030 vacinas contra a Covid-19 da Pfizer/BioNTech, todas destinas, exclusivamente, à primeira dose. O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, acompanhou a chegada do novo lote e enfatizou a importância deste envio.

“Havia uma ansiedade muito grande pela chegada dessas vacinas, principalmente porque são todas para primeira dose e possibilitarão que aqueles municípios que tiveram que interromper a vacinação por falta de imunizante, possam retomar as atividades”, afirmou.

As vacinas foram enviadas pelo governo federal em três voos e desembarcaram no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, a partir das 13h55. Os imunizantes foram enviados ao Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar) onde serão conferidos e armazenados até que sejam distribuídos para as 22 Regionais de Saúde, nesta terça-feira (14).

Segundo os dados do Vacinômetro nacional, o Paraná já aplicou 11.729.836 primeiras doses (D1), sendo 7.673.102 da primeira dose; 321.649 doses únicas (DU) e 3.735.085 segundas doses (D2). Entre D1 e DU, o Estado já atingiu 91,6% da população adulta estimada em 8.720.953 pessoas com, pelo menos, uma dose. Já considerando D2 e DU, 46,5% dos paranaenses com mais de 18 anos estão completamente imunizados com a doença.

“Essas vacinas darão continuidade ao grande avanço na vacinação que temos no Paraná e pedimos, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, que os municípios sigam o Plano Nacional e o Estadual, principalmente nesta reta final, para que possamos chegar juntos e finalizar a imunização da população adulta”, afirmou o secretário de Saúde de Mangueirinha e presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Paraná (Cosems), Ivoliciano Leonarchik.

Ele ressaltou que nos últimos dias, os municípios observaram aumento na procura da vacina por faixas etárias que já foram atendidas. “Muitas pessoas estão procurando a chamada repescagem. Alguns não acreditavam ou tinham medo da imunização e agora que estamos nos aproximando de finalizar este grupo, essas pessoas têm buscado a vacinação”, explicou.

SEGUNDA DOSE – O secretário Beto Preto enfatizou a importância da procura por D2. “Hoje temos de 3% a 5% de faltosos na segunda dose e é importante ressaltar que a segunda aplicação é tão importante quanto a primeira, porque é ela que garante a imunização contra a doença. Quem tomou a primeira dose deve ficar atento ao calendário de imunização e retornar para a segunda aplicação”, disse.

SEM ATRASO – Sobre a falta de doses para D2 observada nos outros estados, Beto Preto reafirmou que não houve atraso por parte do Ministério da Saúde e da Secretaria estadual da Saúde.

“Não há nenhum atraso de repasse de doses para D2 no Paraná. Se houver algum município com doses faltando, certamente houve a aplicação de D2 como D1 ou até mesmo aplicação em residentes de outras cidades. O Ministério da Saúde tem cumprido com os prazos e logo que as doses chegam ao Estado, já são descentralizadas para os municípios”, explicou.

Motorista morre após ser atingido por peça que se soltou de caminhão


Um homem morreu após ser atingido por uma peça que se soltou de um caminhão na BR-163, nesta segunda-feira (13), em Cascavel, no oeste do Paraná, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Conforme a polícia, a vítima dirigia uma caminhonete quando a peça do freio de um caminhão, que seguia no sentido oposto, se soltou, quebrou o para-brisa da caminhonete e atingiu o motorista na cabeça.

O motorista estava sozinho no veículo e morreu na hora.

De acordo com a PRF, o motorista do caminhão não percebeu o acidente na hora. Na sequência, ele foi avisado por outros motoristas e voltou ao local.

Até a publicação desta reportagem, segundo a polícia, a vítima não tinha sido identificada. A placa da caminhonete era de Cascavel.

O corpo será levado ao Instituto Médico-Legal (IML) de Cascavel.


Foto: Portal Sot/Imagem cedida
Fonte: G1 - PR / RPC Cascavel

“Um Brasil que se alimenta e outro que não”

Famílias que nada tem e sofrem para sobreviver em meio à pandemia com o desemprego e a alta nos preços dos alimentos



A fome no Brasil aumentou mais ainda com o agravamento da pandemia do novo coronavírus. São 116,8 milhões de pessoas vivendo em situação de insegurança alimentar no país, número equivalente a duas vezes a população da Argentina.

O percentual de lares em insegurança alimentar grave (fome) nas regiões brasileiras corresponde a 18,01% no Norte; 13,8%, no Nordeste; 6,9% no Centro-Oeste; e 6% no Sul e no Sudeste; além disso, 11,1% dos lares chefiados por mulheres enfrentam a fome. Os dados são do Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil, desenvolvido pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar (Rede PENSSAN).

A pandemia também contribuiu para o aumento dos índices de desemprego, atingindo a marca de 14,1 milhões de pessoas desempregadas, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgada em dezembro de 2020. Outra preocupação que tem tirado o sono das famílias brasileiras, principalmente as mais vulneráveis, é a alta nos preços dos alimentos.

Milhares de pessoas não têm o que comer: falta-lhes o alimento básico. Por isso, além de todo o trabalho que realiza ao longo do ano, a Legião da Boa Vontade também promove a sua tradicional campanha Natal Permanente da LBV — Jesus, o Pão Nosso de cada dia!, com o objetivo de fortalecer esse espírito de Solidariedade e angariar doações em prol de quem mais precisa.

Sob o lema “um Brasil que se alimenta e outro que não”, a campanha da LBV está mobilizando doações para entregar, no mês de dezembro, 50 mil cestas de alimentos não perecíveis em 226 cidades brasileiras, as quais vão beneficiar famílias em vulnerabilidade social e em risco alimentar atendidas nos serviços e programas socioeducacionais da Instituição e também famílias assistidas por organizações que são assessoradas e atuam em parceria com a Legião da Boa Vontade. O objetivo é proporcionar a elas um Natal digno e sem fome.

Celebar o Natal é também ajudar quem mais precisa

Doe itens que compõem a cesta: arroz, feijão, óleo, açúcar, café, leite em pó, macarrão, farinha de mandioca, fubá, farinha de milho, mistura para mingau, extrato de tomate, biscoito de maisena, canjiquinha, sardinha enlatada e sal.

Doe o valor da cesta e a quantidade que puder: acesse o site www.lbv.org.br.

Faça doações via transferência bancária pelo PIX: e-mail: pix@lbv.org.br.

Leve sua doação na LBV: consulte www.lbv.org/enderecos.

Informe-se pelo telefone: 0800 055 50 99.

Acompanhe as ações realizadas pela Legião da Boa Vontade nas redes sociais, pelo endereço @LBVBrasil no Facebook e no Instagram.

Paraná tem alerta de temporais e ventos de 80 km/h a partir desta segunda-feira (13)


Uma nova frente fria associada a um ciclone extratropical avança no início da semana sobre a Região Sul e acende novamente o alerta para temporais no Paraná, de acordo com o Climatempo. Apesar da previsão de temperaturas elevadas, com termômetros ultrapassando os 30º C em diversas cidades, o tempo começa a virar no estado nesta segunda-feira (13).

Hoje, o risco maior para transtornos é no Rio Grande do Sul, com chance para vendaval. As rajadas podem alcançar os 120km/h, além de alta atividade elétrica, granizo e volumes elevados de chuvas, que podem provocar transbordamento dos rios e deslizamento de encostas, segundo o Climatempo.

Na terça-feira (14) é a vez de Santa Catarina e do Paraná receberem chuva bem significativa, com ventos entre 60 e 80km/h acompanhados por raios. Além da chuva, mais uma vez há indicativo de potencial queda de granizo.

Durante o fim da manhã e a tarde de hoje faz calor em todo o estado. Em Curitiba, a temperatura máxima prevista é de 30º C, 35º C em Foz do Iguaçu e 37º C em Londrina e Maringá.

Existe a possibilidade de pancadas de chuva isoladas, com risco de tempestades a partir do período da noite, principalmente nas regiões Oeste, Sudoeste e Sul do Paraná.

Turvo vacina pessoas que receberam a 1ª dose da vacina Pfizer

 

Corpo de Bombeiros salva homem perdido há seis dias no Pico Paraná


O Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Paraná resgatou com vida o homem que estava perdido há seis dias, na região do Pico Paraná, após mais de 120 horas de operação. O resgate de Maicon Willian Batista, 28 anos, desaparecido desde o feriado do dia 7 de setembro, aconteceu neste domingo (12). Foi mobilizada uma grande estrutura para busca e resgate da vítima por meio do Grupo de Operações de Socorro Tático (Gost). Houve ainda atuação do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA), no suporte com buscas aéreas.

O Pico Paraná fica entre os municípios de Antonina (Litoral) e Campina Grande do Sul (Região Metropolitana de Curitiba), no conjunto de serra Ibitiraquire. As equipes percorreram vários quilômetros a pé na mata. Após a localização, ele foi resgatado de aeronave da montanha e encaminhado ao Hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul.

A retirada do jovem emocionou todos os bombeiros, voluntários e integrantes do BPMOA que participaram da operação. Segundo o capitão Alexis Iverson Martins, comandante do GOST, o trabalho foi um grande sucesso já que houve perseverança e ele foi localizado vivo.

"Graças à persistência e esperança de todos conseguimos encontrar a vítima. É uma ocorrência que marca a história da nossa unidade, pois encontrar este rapaz com vida depois de seis dias é um verdadeiro presente de Deus", afirmou. Mesmo fraco, Maicon não deixou de agradecer aos bombeiros por não terem desistido de procurá-lo. "São heróis. A alegria ao ver o pessoal foi algo incrível e sou muito grato", relatou às equipes enquanto recebia os cuidados.

OPERAÇÃO - A operação de resgate durou mais de 120 horas. Um planejamento foi feito pelos bombeiros, que articularam perímetros de busca na mata e outras estratégias, como monitoramento das trilhas principais e acessórias, atividades georreferenciadas, contando com apoio dos voluntários do Cosmo (Corpo de Socorro em Montanha), da Fepam (Federação Paranaense de Montanhismo) e do BPMOA.

Mais de 80 pessoas participaram dos trabalhos, passando dias na mata, caminhando por horas a fio. "Fizemos uma busca minuciosa em toda a extensão da trilha, avançando para os picos adjacentes. As equipes ainda percorreram trilhas em que a vítima poderia estar", explica o capitão Martins. Para agilizar a comunicação, foram instalados repetidores móveis, ampliando a cobertura de sinal de rádio entre os profissionais.

"Durante o período, o BPMOA auxiliou no transporte dos bombeiros da base até o local de buscas. Foram 25 profissionais transportados ao Pico Paraná, o que possibilitou diminuir o cansaço das equipes durante o trabalho. Foram mais de 11 horas de voo entre buscas e transporte de tropa", explicou o tenente Henrique Arendt Neto, do BPMOA.

RESGATE FINAL - A vítima foi localizada pelo Gost na manhã de domingo (12), debilitado e com vários ferimentos. Depois disso, iniciou-se a operação de resgate final que acabou no fim do dia. "Uma guarnição entrou no vale do Cacatu no sábado de manhã e pernoitou no local. As buscas foram reiniciadas na manhã de domingo, quando os bombeiros fizeram uma pausa e chamaram pelo nome do rapaz, o qual respondeu com os pedidos de ajuda. A equipe chegou até ele, fez os curativos e, após hidratá-lo e alimentá-lo, iniciou a remoção", detalhou o capitão. Do local encontrado, no vale do Cacatu, até o acampamento 2, onde o BPMOA poderia chegar para fazer o resgate, foram quatro horas de caminhada.

PERDIDO - Informações repassadas aos bombeiros apontam que ele integrava um grupo que subiu o Morro do Getúlio na segunda-feira (06), mas depois de completar a subida teria se separado dos demais para ir sozinho ao Pico Paraná. Ele concluiu a subida e teria feito comunicação com o grupo por volta de 17 horas e avisou que programou a descida para as 18h do mesmo dia. "Por questões ainda a serem levantadas, acabou perdido e sem contato com os demais amigos e familiares", explicou o capitão Iverson.

ORIENTAÇÕES - Para evitar situações como a vivida por Maicon, o Corpo de Bombeiros orienta que a preparação para fazer uma trilha ou uma escalada vai além de boa vontade e condicionamento físico. A primeira dica é que antes de sair para praticar alguma atividade deste tipo, a pessoa deve buscar o máximo de informações possível sobre o local pretendido, principalmente sobre as condições climáticas, pontos de risco e nível de dificuldade.

Morros e outros pontos da Serra que podem ser frequentados geralmente possuem placas e demarcações nas trilhas para as pessoas seguirem o caminho correto, evitando pontos perigosos. Seguir essas marcações é muito importante. O interessante é estar com alguém mais experiente e seguir pela trilha demarcada. Se aventurar por caminhos e paredes não conhecidos aumenta o risco acidentes graves que podem resultar até a morte.

Acidente com ônibus tira a vida de Airton Machado do Garotos de Ouro


Um gravíssimo acidente ocorrido na madrugada desta última segunda(13) tirou a vida do vocalista e um dos fundadores da banda Garotos de Ouro Airton Machado. O Acidente ocorreu por volta da 1h30min da manhã no km 44 entre os município de Aguas Mornas e rancho Queimado após o ônibus perder freios em um trecho de descida e colidir contra uma paredão pedras.

No ônibus, chamado de Garotão, viajavam apenas Airton Machado (de motorista) e a sua esposa Renata Machado, já que o restante do Grupo se deslocava em carros próprios. Airton não resistiu aos ferimentos e morreu. Já a sua esposa teve ferimentos na cabeça durante o acidente.

Airton e sua esposa Renata Machado

Airton fez o seu último show no Over Beer e no Clube Astréa, em São Joaquim, neste último sábado em um live denominado de Bailezito 6 em mais de 04 horas de show. Ele fundou os Garotos de Ouro, juntamente com o seu irmão Ivonir Machado em 1976 e completaria 63 anos de idade nesta quarta 15 de setembro, mas esta inesperada fatalidade acabou tirando a vida desta grande músico do tradicionalismo gaúcho.

Fonte e foto: São Joaquim Online
Publicidade