quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Primeiro caso de feminicídio levado a júri popular e resulta em condenação do réu a 20 anos e 3 meses de reclusão


O Tribunal do Júri de Iporã, no Noroeste paranaense, condenou nesta terça-feira, 11 de setembro, a 20 anos e 3 meses de reclusão um homem acusado da prática de homicídio com quatro circunstâncias qualificadoras (feminicídio, motivo fútil, emprego de meio cruel e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima). Segundo as investigações, a vítima foi assassinada pelo simples fato de falar com outra pessoa no celular no momento do ataque.

O crime ocorreu em 13 de março de 2017, na zona rural de Iporã. O homicida, companheiro da vítima na época, utilizou um pedaço de madeira para atingir a cabeça da vítima, que recebeu vários golpes. No entendimento do Ministério Público, que atuou no júri por meio da Promotoria de Justiça da Comarca, o crime foi praticado por “razões da condição do sexo feminino, com violência de gênero”. A tese do MP foi acolhida pelos jurados.

Fonte: Ministério Público do Paraná

Criança de 1 ano e 8 meses morre afogada em manilha


Uma criança de 1 ano e 8 meses morreu afogada em uma manilha em Castro, na região dos Campos Gerais.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o fato foi registrado na rua Juvenal Ribas, por volta das 14h30 de terça-feira (11), naquela cidade.

A mãe informou que deixou seu filho de um ano e oito meses sozinho por alguns minutos e foi ligar a TV do quarto para a outra criança. Ao procurar pelo filho não o localizou.

Minutos depois um vizinho disse que foi buscar água em uma manilha próxima da residência e encontrou a criança afogada.

A equipe ao chegar retirou a criança de dentro da água e iniciou os primeiros socorros até a chegada do Siate. Foi constatado o óbito da criança e os órgãos competentes foram acionados para os procedimentos de praxe.

O Caso será apurado pela Criminalística.

Fonte: Agora1.info

Caixa irá liberar FGTS para trabalhadores atingidos pela chuva de granizo em Turvo


Agência móvel da caixa já está em Turvo, instalando sistemas para iniciar a liberação do FGTS aos trabalhadores atingidos pela chuva de granizo.

O atendimento terá início a partir de segunda feira, dia 17/09.
Na sexta-feira (14/09), a prefeitura vai divulgar o calendário de atendimento, horários, locais e os documentos necessários para se habilitar ao benefício.

QUEM PODE ACESSAR O BENEFÍCIO

Todo trabalhador brasileiro com contrato de trabalho formal, regido pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT); moradores das áreas atingidas cadastradas junto ao sistema da defesa civil.

Fonte: Prefeitura de Turvo

A Loja Estação da Moda está com muitas novidades esperando por você


Na Loja Estação da Moda em Turvo, está sob nova geração e está com muitas novidades esperando por você na linha de confecções, calçados adulto e infantil, masculino e feminino. 

Lá você encontra tudo em cama mesa e banho. Cobertores, lindas colchas, mantas e edredons em geral. 

Também tem material escolar, brinquedos, capas para celulares e películas.

Faça suas compras e parcele no cartão em até 4 x no preço à vista. Ou no dinheiro com 10% de desconto. 

A Estação da Moda fica na Avenida 12 de Maio, em frente à Igreja Matriz, ao lado da Gabi Móveis, centro de Turvo. Fones (42) 3642-1065 ou 9 9134-4262.






PRF faz leilão com mais de 800 veículos


A Polícia Rodoviária Federal (PRF) vai leiloar 860 veículos apreendidos na próxima segunda (17) e terça-feira (18). O leilão será realizado em Curitiba, mas os participantes podem dar lances presencialmente ou pela internet.

Os lances iniciais variam entre R$ 10 mil e R$ 50 mil. Confira o edital.

Para participar do leilão via internet, os interessados precisam se cadastrar previamente no site da empresa responsável.

Segundo a PRF, 397 veículos que vão ser levados à leilão estão em condições de rodar, sem restrições. O leilão desses veículos ocorre no primeiro dia, segunda-feira.

No segundo dia, terça-feira, serão leiloados os lotes classificados como sucatas, que podem ser utilizados para reaproveitamento de peças e partes metálicas.

Nos dois dias, o leilão começa às 9 horas e será realizado na empresa Nakakogue Leilões, que fica na Rua Senador Accioly Filho, 1625, Cidade Industrial.

Fonte: G1 - PR

V Caminhada Internacional na Natureza é remarcada para o dia 04 de novembro em Turvo


A caminhada ocorreria no dia 26 de agosto, mas foi adiada devido a chuva de granizo que atingiu o município no dia (24). 

Na sua última edição, a caminhada contou com 1.200 participantes inscritos. Este ano o trajeto será ao contrário, iniciando no CTG Rincão do Pinhal; 
Avenida Moacir Julio silvestre; Casas Holandesas; Cachoeira Vale do Sol; Cachoeira Bernardo Hackvoorth; Cachoeira Cristiano Rickli; Cachoeira Sítio Beira Rio; Pinguela Rio Cachoeira; Igreja São José na comunidade Pachecos; Cachoeira Riva e retorno ao CTG Rincão do Pinhal para almoço. 

Café e almoço será servido pelo Hospital Bom Pastor nos valores de R$ 10,00 e 25,00 respectivamente. 

Dicas para uma boa caminhada: Usar roupas leves, calçado adequado, chapéu ou boné, protetor solar e levar água. 

Faça sua inscrição pelo site: www.ecobooking.com.br






Beto Richa e Fernanda passam a noite em Batalhão da PM; habeas corpus ainda não foi julgado


O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) determinou a transferência do ex-governador do Paraná Beto Richa, candidato ao Senado pelo PSDB, e da mulher e ex-secretária estadual Fernanda Richa do Complexo Médico-Penal (CMP), em Pinhais, na Região de Curitiba, para o Regimento da Polícia Montada, no bairro Tarumã, em Curitiba.

Os dois foram transferidos por volta das 22 horas, logo após a decisão do desembargador Laertes Ferreira Gomes, da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR). O habeas corpus para o casal deve ser julgado nas próximas horas. Beto e Fernanda estão com a prisão temporária, que tem duração de cinco dias. O casal ainda não prestou depoimento.

Beto foi alvo de duas operações: uma realizada pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR), pela qual foi preso, e outra da Polícia Federal (PF), na 53ª fase da Lava Jato, na qual a casa dele passou por busca e apreensão.

Beto Richa e seu aliado Deonilson Roldo, ex-secretário, são alvos de duas operações: uma do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná, e outra da Operação Lava Jato, do Ministério Público Federal.

Beto Richa e Deonilson Roldo foram presos pelo Gaeco. O ex-governador foi alvo de mandado de busca e apreensão da Lava Jato.

Segundo a Lava Jato, o empresário Jorge Atherino usa suas empresas “para movimentação expressiva de valores sem origem identificada”. Além disso, constatou-se o emprego de sofisticados métodos de lavagem de dinheiro, envolvendo contas no Brasil e no exterior. Portanto, a liberdade dos réus coloca em risco a ordem pública.

A Lava Jato afirma que apura o envolvimento do ex-governador do Paraná Beto Richa nos fatos, mormente em relação à utilização de empresas em nome de familiares para movimentação de valores cuja origem se intenta apurar.

O Gaeco investiga irregularidades no programa Patrulha do Campo, que faz manutenção em estradas rurais. Já a Lava Jato mira em crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e fraude à licitação referentes à duplicação da PR-323, favorecendo a empresa Odebrecht.

São alvos da Lava Jato, além de Beto Richa, Jorge Theodócio Atherino, empresário apontado como operador financeiro do ex-governador, e Tiago Correia Adriano Rocha, indicado como braço direito de Jorge e responsável por diversas transações financeiras dos empreendimentos do executivo.

Em nota, a Lava Jato informou que empresários do grupo Odebrecht realizaram, no primeiro semestre de 2014, um acerto de subornos com Deonilson Roldo, para que ele limitasse a concorrência da licitação para duplicação da PR-323, entre os municípios de Francisco Alves e Maringá. Em contrapartida, a Odebrecht pagaria R$ 4 milhões a Roldo e ao seu grupo.

Segundo a Lava Jato, a corrupção foi ajustada em três reuniões entre Roldo e representantes da empreiteira. As evidências mostraram que, no final de janeiro de 2014, executivos da Odebrecht procuraram o então chefe de gabinete do governador e solicitaram apoio para afastar eventuais concorrentes interessados na licitação da parceria público-privada (PPP) para exploração e duplicação da PR-323.

“As provas indicaram ainda que, após uma primeira reunião, Roldo voltou a se encontrar com executivos da empresa, informando que a ajudaria ilegalmente na licitação, mas para isso contava com o auxílio da empresa na campanha do governador daquele ano de 2014 Desta maneira, segundo as evidências, ele solicitou propinas para vender atos praticados no exercício de sua função pública, com o pretexto de que supostamente elas seriam usadas em campanha”, afirma a Lava Jato.

A denúncia

A força-tarefa Lava Jato apresentou em 5 de setembro uma denúncia sobre parte dos fatos e agentes investigados pela operação deflagrada nesta terça-feira. Onze investigados foram acusados dos crimes de corrupção (ativa e passiva) e lavagem de dinheiro.

A denúncia foi aceita pela 13ª Vara Federal Criminal e viraram réus o empresário Jorge Theodócio Atherino, apontado como “operador” (intermediário que gerenciava as propinas) do ex-governador Carlos Alberto Richa (Beto Richa); o ex-chefe de gabinete deste último, Deonilson Roldo; Adolpho Julio da Silva Mello Neto; Benedicto Barbosa da Silva Junior; Fernando Migliacchio da Silva; Luciano Riberiro Pizzatto; Luiz Antônio Bueno Junior; Luiz Eduardo Soares; Maria Lucia Tavares; Olívio Rodrigues Junior e Álvaro José Galliez Novis.

As investigações e a denúncia são também frutos da colaboração da empresa Odebrecht e de seus executivos e colaboradores. Informações e provas sobre crimes praticados por todo o País foram distribuídas pelo STF para diferentes jurisdições, mantendo-se naquela Corte e no Superior Tribunal de Justiça os fatos relacionados a pessoas que gozam de foro privilegiado.

Defesas

A defesa do ex-governador Beto Richa afirma que “até agora não sabe qual a razão das ordens judiciais proferidas”. A defesa diz que “ainda não teve acesso à investigação”.

O governo do Estado do Paraná disse, em nota, que “está colaborando com todas as investigações em curso. A governadora Cida Borghetti ressalta que não aceita nenhum tipo de desvio de conduta dos seus funcionários e que criou a Divisão de Combate à Corrupção para reforçar o combate à esse tipo de crime. Hoje a divisão esta fazendo buscas e apreensão em uma operação que combate fraudes a licitação. O Governo do Estado vai aguardar a divulgação de mais informações a respeito dessa fase da Operação Lava Jato para tomar outras providências”.

O advogado Roberto Brzezinski Neto, que defende Deonilson Roldo, afirmou que está analisando os autos e vai se pronunciar.

A reportagem está tentando contato com a defesa de outros citados. O espaço está aberto para as manifestações. 

Fonte: www.bandab.com.br

Ocorrências policiais em Pitanga e Palmital



PITANGA AMEAÇA: Após solicitação do Copom a equipe deslocou até o endereço acima citado, no local em contato com o Solicitante, o qual nos relatou que seu primo, que mora em uma casa no mesmo pátio de sua residência, o ameaçou se utilizando de uma faca, dizendo que iria o matar e atear fogo na casa. Relatou ainda que o fato vem ocorrendo com frequência já a um certo tempo. Diante do fato, e com o interesse em representação, as partes foram encaminhadas até 3° Cia/PM para confecção de termo circunstanciado. 

PALMITALACHADO DE OBJETO: No dia 11 de setembro de 2018, por volta das 13h30min, a equipe policial foi acionada por solicitação de um senhor, o qual relatou que encontrou alguns objetos no terreno que faz divisa com o seu. No local, a equipe constatou o fato, encontrando 2 colchões pretos nos fundos do terreno e uma televisão marca Philco de 21"", preta, na parte lateral. Ressalta-se que os objetos encontrados possam ter relação com um homicídio, ocorrido em data anterior, visto que, no dia do crime, uma televisão e colchões foram roubados da residência da vitima. Salienta-se que o Solicitante relatou que quem dispensou os objetos foi à avó, quem dispensou os objetos foi à avó do vizinho dos fundos do terreno no qual os objetos foram encontrados. Os objetos foram encaminhados até a delegacia de polícia de palmital para os procedimentos cabíveis.

Fonte: Polícia Militar