sábado, 3 de dezembro de 2016

Neste domingo, o Hospital Bom Pastor promove venda de churrasco


Richa anuncia R$ 300 milhões a fundo perdido para pequenos municípios


O governador Beto Richa anunciou nesta sexta-feira (02), durante evento com prefeitos eleitos, em Foz do Iguaçu, a liberação de R$ 300 milhões a fundo perdido para os municípios paranaenses com menos de 50 mil habitantes. Os recursos são do Plano de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios (PAM) e serão aplicado em projetos definidos pela população em audiências públicas. 

Ao todo, em 2017, o Estado disponibilizará R$ 1,5 bilhão aos municípios, somados recursos a fundo perdido e linhas de financiamentos. “Ampliamos os recursos aos municípios porque fizemos a lição de casa e estamos com as contas em dia. Queremos atender o maior número possível de municípios para que tenham condições de fazer obras que melhorem a vida dos moradores”, afirmou o governador. 

Os recursos serão aplicados em mais diferentes projetos, desde pavimentação de ruas, barracões industriais, aquisição de caminhões-caçamba, ambulâncias e micro-ônibus, construção de capelas mortuárias. Cerca de 367 municípios do Paraná podem se habilitar a receber os recursos do PAM. “Quero reafirmar aqui o caráter municipalista da nossa gestão. Contem com o nosso governo para auxiliar na administração municipal”, disse Richa. 

SITUAÇÃO FINANCEIRA - O governador falou sobre a situação financeira do Estado e ressaltou que o Paraná é um dos poucos estados que estão com as contas em dia. “O Paraná tem hoje a melhor situação fiscal do Brasil. Isso, porque fizemos o dever de casa com o ajuste fiscal”, disse. 

NOVOS PREFEITOS – Com 28 mil habitantes, o prefeito eleito de Itaperuçu, Hélio Guimarães, na Região Metropolitana de Curitiba, disse que o recurso repassado a fundo perdido pelo Estado será fundamental para ajudar a prefeitura nesse momento de dificuldades. “Os pequenos municípios passam por um momento complicado e o apoio do governo estadual é muito importante. Itaperuçu depende muito do Estado”, afirmou. Ele disse que fará uma audiência pública para definir a obra e destacou que a prioridade é asfalto. 

José Nunes, prefeito reeleito de Santa Mariana (Norte), agradeceu o apoio do Estado e disse que seu município já recebeu recursos do PAM em anos anteriores para pavimentação de uma importante avenida. “É muito bom saber que poderei contar com o programa na nova gestão. Vamos usar para asfaltar alguns bairros da cidade”, disse. Ele elogiou a decisão do governador de fazer um ajuste nas contas. “Com isso, o Paraná tem hoje uma situação financeira boa e pode ajudar as prefeituras.”

Fonte: www.aen.pr.gov.br

TCE investiga se pedágio da BR-277 custa mais do que deveria



Um relatório do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) aponta que os valores cobrados nas praças de pedágio da empresa Ecocataratas levanta dúvidas quanto aos valores cobrados pela concessionária. A suspeita é de que o preço do pedágio não condiz com a as obras executadas no trecho oeste da BR-277, entre Guarapuava e Foz do Iguaçu.

De acordo com o documento editado pelo conselheiro Nestor Baptista, a Ecocataratas está cobrando cerca de 35% a mais do que deveria, conforme o contrato firmado com o governo estadual.

Embora a BR-277 seja uma rodovia federal, a responsabilidade por ela foi cedida ao governo estadual, que, por sua vez, fez um processo de privatização. Com isso, a estrada, que corta o Paraná de leste a oeste, tem pedágios em toda a extensão. Cada trecho é responsabilidade de uma empresa diferente. Em troca da concessão, as empresas se comprometeram a manter e realizar obras na estrada, como a duplicação, por exemplo.

O processo que gerou o relatório de Nestor Baptista corre no TCE-PR desde 2011. O assessor jurídico do TCE-PR, Cláudio Henrique de Castro, conta que, em 2013, um relatório preliminar já dava conta de que a Ecocataratas teria recebido cerca de R$ 1 bilhão a mais do que deveria.

O conselheiro determinou que a Agência Reguladora do Paraná (Agepar) apresente novos documentos, como planilhas de custos e o cronograma de obras para o trecho concedido à Ecocataratas, além de uma análise do valor da tarifa.

O TCE-PR também quer que a Agepar aumento o rigor da fiscalização sobre as obras das rodovias pedagiadas no estado. "O Tribunal chegou à conclusão de que a Agepar vai ter que tomar uma série de medidas para justamente apertar esse cerco com a fiscalização, no que diz respeito aos investimentos das concessionárias nas estradas e essa parametrização de custos que dizem respeito aos contratos dos pedágios", explica Castro.

A Ecocataratas e a Agepar terão um prazo para se posicionarem sobre a determinação do TCE-PR. Os responsáveis podem ser multados e o processo pode ser encaminhado ao Ministério Público.

Procuradas, a Ecocataratas e a Agepar informaram que ainda não foram notificadas e que não vão se manifestar. Veja mais...

Fonte: G1 PR

Candói: Capotamento deixa um morto e três feridos



Um capotamento deixou uma vítima fatal e três feridos no final da tarde dessa sexta feira (02) na BR 373, em Candói.

O acidente foi registrado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) às 17h50, no KM 407 da rodovia. No local, a condutora de um Fiat Uno, com placas de Foz do Jordão, perdeu o controle do veículo, saiu da pista, capotou e colidiu contra uma árvore. Os quatro ocupantes ficaram preso às ferragens e foi necessário o uso do desencarcerador pelo Corpo de Bombeiros para liberar as vítimas. Elvira Alves Millrath, de 78 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu no local do acidente. Rute Alves Millrath Barbosa, de 44 anos, foi socorrida em estado grave e G.G.M., de 13 anos, e Helizabeth Bruger, de 58 anos, tiveram ferimentos leves. Todos os feridos foram encaminhados para o Hospital Santa Clara, em Candói.

De acordo com a PRF, o veículo derrapou em uma carga de pedra brita que estava esparramada sobre a rodovia, o que fez a condutora perder o controle do carro.

O corpo de Elivira Millrath foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Guarapuava.

Foto Josenei Graffiti