segunda-feira, 19 de abril de 2021

Colégio Estadual Indígena Cacique Otavio dos Santos de Turvo, realiza Semana Cultural Indígena em formato online


A cultura indígena, cada vez mais tem se mostrado presente na atualidade, um fator importantíssimo para contribuir na desconstrução de que o indígena é isso ou aquilo. Temos consciência de que há muito ainda que se fazer para que haja maior valorização da tão rica cultura e tradição desse povo que desde muito vem influenciando nos costumes tradições da sociedade.

Sabemos que há uma grande diversidade linguística e cultural entre os povos indígenas e cada povo tem costumes e tradições diferentes um do outro, e estes vão se transformando ao longo dos tempos. Sendo assim, transmitir esses conhecimentos é de grande valia para a desconstrução de preconceito e de que o que é diferente não é melhor, mas apenas diferente, pois ter costumes ou tradições diferentes dos antepassados não significa que se perdeu, apenas que se transformou, sendo assim, o “índio” não deixa de ser índio por ter um celular ou um automóvel, continuam fazendo parte da mesma cultura.

Para contribuir na divulgação do conhecimento da tradição e cultura indígena, o Colégio Estadual Indígena Cacique Otavio dos Santos vem produzindo todos os anos a “Semana Cultural Indígena” na comunidade Marrecas em Turvo-PR. O evento conta com exposições de trabalhos elaborados pelos alunos, professores e comunidade, como exposição de chás e plantas medicinais, artesanatos, comidas típicas, pintura corporal, jogos tradicionais indígenas, música e dança, caminhada ecológica e narrativas indígenas transmitidas pelos indígenas locais. Este ano será a 9ª edição, mas devido à pandemia do coronavírus não será possível a realização do evento de forma presencial, no entanto, considerando a importância e a divulgação desses conhecimentos, nós professores, alunos, direção, equipe pedagógica e funcionários do Colégio em parceria com a comunidade elaboramos uma Semana Cultural online que inicia dia 19/04/2021 e se encerra no dia 23/04/2021.

A importância desse evento propicia um resgate da identidade e também uma reconstrução de valores que com a evolução da humanidade foram se perdendo. É importante que esses resgates ocorram primeiramente ali, dentro da comunidade, empreendendo a história indígena do passado e do presente oportunizando ao branco que conheça sua própria história buscando uma valorização antes do “ser Índio,“ como ser humano, e que sua vivência vai sofrendo transformações com o passar dos anos, mas que os traços da cultura estarão sempre presentes na vivência de cada um.


Fonte: Colégio Estadual Indígena Cacique Otávio dos Santos EI.E.FM


DIA DA LUTA INDÍGENA

De um lado, escolas brasileiras festejam o "Dia do Índio", celebrado no dia 19 de abril, por meio de uma imagem estereotipada, racista e limitada do índio, coberto por pinturas e empunhando flechas. Do outro, violência, invasões, assassinatos e 521 anos de resistência.
Desde muito novos, aprendemos na escola que a invasão portuguesa do Brasil impactou a vidas dos povos originários que aqui já viviam, mas pouco sabemos sobre como as etnias que resistiram ao massacre, que teve início em 1500, vivem hoje. Em pouco mais de cinco séculos, a população indígena, que era estimada em 5 milhões na época, é agora estimada em cerca de um milhão de pessoas distribuídas em aproximadamente 250 etnias em todo território brasileiro.
Neste Dia da Luta Indígena, o Brasil de Fato relembra a importância dos povos originários brasileiro e cobra o direito a terra e a vida.


Fonte: Facebook Página Brasil de Fato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade