terça-feira, 30 de outubro de 2018

PRF prende homem com quase 4,5 mil munições no Paraná

VÍDEO:


A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu 4.492 munições na tarde desta terça-feira (30) em Santa Lúcia, município da região oeste do Paraná.

As munições estavam escondidas no compartimento do motor de uma caminhonete Chevrolet S10, que transitava pela BR-163.

Todos os projéteis apreendidos são de calibre 9 milímetros, de uso restrito às forças de segurança pública.

Esta é a maior apreensão de munições realizada este ano pela PRF no estado. Até então, a maior havia sido registrada em Terra Roxa, no último mês de março, quando 4.250 munições foram apreendidas.

O motorista da S10, de 37 anos de idade, foi preso em flagrante. Proprietário da caminhonete, ele demonstrou nervosismo durante a abordagem policial, o que acabou por motivar uma fiscalização minuciosa do veículo.

Aos policiais rodoviários federais, o homem disse que saiu de Guaíra (PR) e que teria como destino Francisco Beltrão (PR).

A PRF encaminhou a ocorrência para a Delegacia da Polícia Civil em Capitão Leônidas Marques (PR).



Texto: Fernando Oliveira / Agência PRF

Horário de verão começa neste fim de semana


A 44ª edição do horário de verão brasileiro começa no próximo fim de semana, dia 4 novembro, quando os relógios devem ser adiantados em uma hora na virada de sábado para domingo. A medida tem como objetivo reduzir a demanda por energia no sistema elétrico durante horário de pico, entre 18h e 21h. A Copel estima conseguir alívio de carga de 4,5% no consumo simultâneo de energia nesse horário.

O horário de verão é adotado no Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal. A mudança nesta edição acontece até 16 de fevereiro de 2019.

Com dias mais longos do verão, o horário adiantado faz com que a rotina da população e das empresas não coincida com o acionamento da iluminação pública, aliviando a demanda por energia no fim da tarde, começo da noite.

A distribuição da demanda por energia no período alivia o funcionamento de usinas geradoras, subestações e linhas de transmissão. Com isso, embora aconteça uma diminuição do consumo de energia – em torno de 0,5%, equivalente apenas à redução na utilização de lâmpadas no início da noite – o objetivo principal do horário de verão é proporcionar alívio de carga no sistema elétrico.

Ao prevenir sobrecargas no sistema essa diluição do pico de consumo no fim da tarde também evita o acionamento de usinas térmicas, que são mais caras, além de mais poluentes.

USO EFICIENTE – Ainda que o horário de verão alivie a demanda por energia entre 18h e 21h, outro horário de pico vem sendo registrado nos últimos anos entre 14h e 15h. “Diversos fatores contribuem para esse comportamento. Um deles é o uso do ar-condicionado. Por isso, é importante manter sempre em dia os hábitos de consumo consciente desses equipamentos durante o verão”, orienta o gerente de Gestão da Inovação da Copel, Gustavo Klinguelfus.

Entre os cuidados a serem tomados estão a limpeza regular dos filtros, a manutenção das portas fechadas no ambiente e o controle das horas de uso. Aproveitar melhor a iluminação natural dos dias mais longos também é outra estratégia favorável nessa época para economizar energia.

Principais dúvidas sobre o Horário de Verão

Qual a finalidade do horário de verão para a Copel?
Não apenas para a Copel, mas em todo o mundo, a finalidade do horário de verão é a mesma: evitar sobrecargas no final da tarde, quando existe muita demanda por energia. As pessoas que chegam em casa e usam geladeira e chuveiro; a indústria e comércio ainda estão funcionando; e a iluminação pública começa a ser acionada. É o chamado horário de pico, período em que há uma coincidência de consumo de energia por diferentes segmentos de consumidores, o que pode sobrecarregar o sistema elétrico.

Então, como o horário de verão ajuda a evitar essas sobrecargas?

Como no verão os dias são mais longos nas regiões tropicais, o horário de verão permite adiantar a rotina das pessoas. Elas acordam mais cedo e chegam mais cedo em casa, usando equipamentos elétricos antes do acionamento da iluminação pública. O mesmo ocorre com o comércio e a indústria, que interrompem suas atividades antes do acionamento da iluminação pública.

Quais os benefícios desta mudança?

Ao evitar consumo de muitas classes no fim da tarde, entre 18h e 21h, o pico do consumo se reduz em cerca de 4,5%, conforme a média dos últimos anos. Não se pode chamar isso de economia, já que o consumo das diferentes classes continua existindo, mas em horários diferentes: em casa, mais cedo, na iluminação pública mais tarde.

Ao prevenir sobrecargas no sistema, essa diluição do pico de consumo no fim da tarde também evita o acionamento de usinas térmicas, que são mais caras – além de mais poluentes. Este custo é pago pelos consumidores, seja por meio das bandeiras tarifárias, definidas a cada mês, seja por meio do reajuste tarifário anual das distribuidoras.

Há de fato uma redução de gastos de energia neste período?

Uma economia de energia existe, mas ela é pequena, de cerca de 0,5%, e decorre simplesmente do menor uso de lâmpadas, o que já é típico dos meses de verão em que os dias são mais longos.

No longo prazo existem ganhos indiretos. Além de evitar o custo financeiro com o acionamento de usinas térmicas no fim da tarde, o horário de verão também permite que as hidrelétricas funcionem em regime normal, utilizando o fluxo dos rios, preservando a água que está em seus reservatórios. Esta reserva de água é uma economia de energia que se faz nos meses de chuva para ser usada nos meses secos. É sempre preferível utilizar a energia das hidrelétricas do que das térmicas, por conta do seu custo de operação.

Quais os principais impactos desta ação no Paraná?

O maior impacto, no Paraná como em todo o Brasil, é preservar o sistema elétrico no fim da tarde. Mas é importante mencionar que, com o uso cada vez mais comum de ar-condicionado, passou a existir um horário crítico de consumo também no início da tarde, quando o calor é mais forte. Sobre este fenômeno o Horário de Verão não tem efeito. Uma saída para reduzir o consumo é aproveitar melhor a iluminação natural, evitando o acionamento de lâmpadas e, principalmente, utilizar o aparelho de ar-condicionado de maneira eficiente: limpar regularmente os filtros e manter as portas fechadas quando ele estiver ligado. São medidas simples que além de preservar o sistema também reduzem a conta de luz.

Fonte: AEN

Homem morre em acidente após carro cair de viaduto na Rodovia do Xisto


Um homem morreu após o carro que dirigia cair de um viaduto na BR-476, a Rodovia do Xisto, em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, na manhã desta terça-feira (30).

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a vítima conduzia o veículo pela rodovia quando foi atingido na traseira por outro veículo e caiu do viaduto de ponta-cabeça.

Um homem de 46 anos, que era o único ocupante do automóvel, morreu no local. A PRF não tem informações sobre o outro carro envolvido no acidente.

Fonte: G1 - PR

Polícia Ambiental de Salto Segredo orienta quanto a pesca no período da Piracema


No dia 1º de novembro, inicia o período da Piracema (reprodução natural dos peixes) e, consequentemente, o período da proibição da pesca de espécies nativas nos rios da região da bacia do Rio Iguaçu e reservatórios das Usinas hidrelétricas da COPEL, além de outros rios da bacia do Rio Paraná, que se estenderá até o dia 28 de fevereiro de 2019. 

A Polícia Ambiental alerta para as restrições, além de outros locais constantes na Instrução Normativa nº 25 do IBAMA, de 01/09/2009 e Portaria nº 206 do IAP de 31/10/2016. Também a Portaria do IAP nº 135 de 26/06/2018 que trata especificamente da bacia do Rio Ivaí.

Nos locais onde a pesca não é totalmente proibida, como nos reservatórios (alagados do Iguaçu) das Usinas Hidrelétricas da Copel, a legislação permite apenas a captura de espécimes exóticas, como tilápia, peixe-rei, carpa, Black-bass e bagre africano. 

Vale lembrar que, ao infrator flagrado cometendo o crime de pesca predatória nessa época será aplicada a multa que varia de setecentos a cem mil reais e ainda responderá criminalmente conforme a Lei de Crimes Ambientais ( Art. 34 da Lei 9.605/98) que prevê a pena de um a três anos de detenção. 

A colaboração da população é imprescindível para a preservação da biodiversidade aquática dos rios da nossa região, tanto no respeito às leis quanto na realização de denúncias que podem ser protocoladas através dos telefones 181 ou 3675-1390 (Segredo), 3621-7900 (Guarapuava).




Fonte e fotos: 1º Sgt Aliomar - Comandante do 5º Pelotão de Polícia Ambiental.


AVM participa de solenidade de aniversário de 54 anos do BPRV


A AVM participou da solenidade de aniversário de 54 anos do Batalhão de Polícia Rodoviária, realizada na sexta-feira (26), no Departamento de Estradas de Rodagem (DER), em Curitiba. A Associação foi representada pelo presidente, Coronel Washington Alves da Rosa, os diretores Coronel Betes e Coronel Santos, e o prefeito Sargento Sidney Alcântara.

Como parte das comemorações foi realizada a entrega da Medalha de Mérito Rodoviário para pessoas que prestaram relevantes serviços no BPRV, contribuindo para a segurança nas rodovias estaduais do Paraná. Entre os condecorados estava o associado, Tenente Fábio Zarpelon, que declarou: “O reconhecimento é a melhor forma de motivação. Tenho muito orgulho de fazer parte desse Batalhão. Orgulho por contribuir com a segurança no trânsito, evitando acidentes e preservando vidas”.

O Batalhão de Polícia Rodoviária da Polícia Militar do Paraná tem sua origem da antiga “Polícia de Estradas”, criada em 1946 junto ao DER, a qual em 1951 tomou a denominação de Polícia Rodoviária. Em 27 de outubro de 1964, o referido corpo foi concebido como Unidade Orgânica da Polícia Militar do Paraná, em caráter definitivo, através do decreto nº 16.316. Atualmente o BPRv tem à frente do comando o Tenente-coronel Erich Wagner Osternack e possui 64 Postos de Policiamento Rodoviário, distribuídos em pontos estratégicos por todo o Estado do Paraná.




Fonte e fotos: avmpmpr.com.br

Veículo de jovem morto no distrito Entre Rios é encontrado queimado em Campina do Simão


veículo do jovem Ciro Felipe Ribeiro, que foi morto no distrito de Entre Rios, em Guarapuava, foi encontrado queimado em uma fazenda no interior do município de Campina do Simão. 

O carro foi localizado por um funcionário da fazenda, que estava trabalhando com um trator na localidade de Passo da Moura. O veículo, em GM Celta, estava completamente destruído pelo fogo.

A Polícia Militar de Campina do Simão foi acionada e comunicou o fato ao Copom 16º Batalhão de Policia Militar. O carro deve passar por perícia.

O caso continua sendo investigado pela polícia.

Fonte: GRmais

Faleceu na Cachoeira dos Turcos Miquelina Lima de Ramos


Faleceu na noite dessa segunda-feira (29), a senhora Miquelina Lima de Ramos com 88 anos. Seu corpo está sendo velado em sua residência, na Cachoeiras dos Turcos. O sepultamento será hoje, em horário a ser designado. 

Informações repassadas pela Funerária SerLuto de Turvo