terça-feira, 27 de agosto de 2019

Prisões em operações de repressão qualificada crescem 216%


A Polícia Civil do Paraná (PCPR) promoveu 183% mais operações de repressão qualificada no primeiro semestre deste ano na comparação com o mesmo período do ano anterior. O crescimento no número de prisões nessas ações foi ainda mais expressivo – um salto de 216% no primeiro semestre de 2019.

Operações de repressão qualificada são as que envolvem técnicas especializadas, intenso trabalho de investigação e normalmente geram vários mandados de prisão. Nos seis primeiros meses de 2019, foram deflagradas 133 ações do gênero em todo Paraná, contra 47 de janeiro a junho de 2018. O número de prisões subiu de 325 no ano passado para 1028 prisões neste ano.

Os resultados são decorrentes do planejamento estratégico executado pela atual gestão da cúpula da segurança pública. Atualmente o Paraná conta com trabalho integrado e frequentes melhorias que possibilitam a intensificação dos resultados no que diz respeito à PCPR.

O secretário estadual da Segurança Pública, Rômulo Soares Marinho, “destaca o trabalho de integração, inteligência e planejamento. “No caso específico da Polícia Civil, é importante ressaltar o aumento na investigação criminal. A intenção é que as nossas polícias atuem cada vez mais em prol do cidadão, gerando resultados positivos como este, tornando o Paraná um estado com menos criminalidade””, disse.

Para o delegado-geral da Polícia Civil do Paraná, Silvio Jacob Rockembach, o aumento significativo de operações de repressão qualificada e de prisões decorrentes dessas ações especializadas da PCPR devem-se a uma nova concepção de trabalho que está em implementação desde o início deste ano.

““Hoje, todos os trabalhos Polícia Civil do Paraná no nível operacional são sustentados por três pilares básicos: inteligência oportuna, planejamento detalhado e atuação sistêmica e integrada de todas as unidades operacionais da instituição””, completa o delegado-geral.

REPRESSÃO QUALIFICADA –- “Essas operações de repressão qualificada são ações cirúrgicas que têm como foco principal a desestruturação e desarticulação de organizações criminosas atuantes no Estado”, ressaltou o delegado-geral. ““São ações que, ao lado de outras atividades que vêm sendo desenvolvidas por outras forças de segurança pública, têm contribuído significativamente para a redução dos índices de criminalidade no nosso Estado””, afirma Rockembach.

Fonte: AEN 

Emater ajuda produtor de feijão e milho a aumentar produtividade



Produtores paranaenses se preparam para o início do plantio de mais uma safra de verão. Por isso, nesta semana, técnicos e pesquisadores do projeto Grãos Centro-Sul de Feijão e Milho se reúnem em Ponta Grossa para definir as ações que devem ser realizadas com cerca de 2 mil famílias de agricultores, em cerca de 40 municípios nas regiões de Curitiba, Ponta Grossa, Ivaiporã, Guarapuava, Irati e União da Vitória.

O projeto Grãos de Feijão e Milho para o Centro-Sul do Estado é desenvolvido pela Emater há 20 anos, em parceria com o Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Instituto Agronômico de Campinas (IAC), empresa Syngenta e prefeituras.

O trabalho tem como objetivo levar tecnologias capazes de ajudar as famílias atendidas a aumentar a produtividade das culturas de milho e feijão, cuidando do meio ambiente, ganhando mais dinheiro e melhorando a condição de vida delas na propriedade.

Os dados obtidos na safra 2017/2018 ilustram bem os resultados positivos da ação realizada pela Emater e seus parceiros. No caso da cultura do feijão, a produtividade média obtida nas lavouras consideradas referências do projeto foi de 37,5 sacas por hectare, com índice máximo de 60,7 sacas por hectare, enquanto que, no mesmo ano, a média estadual chegou a 24,5 sacas por hectare e no Brasil em apenas 16,3 sacas de feijão por hectare.

Na cultura do milho o sucesso se repete. Se a produtividade média nacional da safra 2017/2018 ficou em 80,9 sacas por hectare e no Paraná 81,3 sacas, as unidades demonstrativas orientadas pelo projeto Centro-Sul de Feijão e Milho atingiram a marca média de 155,1 sacas de milho por hectare, com a produtividade máxima de 225 sacas por hectare.

O coordenador estadual desta ação, o engenheiro agrônomo Germano Kusdra, da Emater de Ipiranga, destaca que a transferência dessas tecnologias que ajudam os produtores a conquistarem os bons resultados agronômicos, econômicos, sociais e ambientais é feita com a colaboração de outras 120 famílias.

“Esses produtores cedem as suas propriedades para os técnicos da Emater instalarem o que nós definimos como unidades demonstrativas. Não são campos de experimentos, são áreas que o agricultor toca do jeito que sempre faz, apenas aplicando os protocolos que o projeto recomenda”, explica Kusdra.

As tecnologias, apresentadas como solução para os produtores participantes do projeto, primeiro levam em conta a necessidade de cuidar bem do solo, o que inclui uma correta avaliação das condições de fertilidade, visando a recomendação racional dos corretivos e adubos, e a promoção da rotação de culturas e do plantio direto na palha.

“Além de facilitar o desenvolvimento do sistema radicular das plantas, a absorção mais eficientes dos nutrientes disponíveis, também contribui com a melhor retenção das águas das chuvas, diminuindo o processo erosivo e os prejuízos provocados por eventuais períodos de estiagem”, relata Germano.

Depois, vem a escolha de cultivares melhoradas geneticamente, a maioria delas desenvolvidas pelo Iapar, IAC, Syngenta e Embrapa, instituições parceiras do projeto. “Na condução das plantações, ainda temos o cuidado de usar as ferramentas químicas, como os inseticidas e fungicidas, apenas quando realmente é necessário e, mesmo nesses casos, fazendo a opção por produtos mais seletivos e de menor impacto sobre o meio ambiente”, explica Kusdra.

Segundo o engenheiro agrônomo, há sempre o cuidado de empregar uma boa tecnologia de aplicação, evitando derivas para outras lavouras, e assegurando que o produto aplicado de fato atinja seu alvo e traga o resultado esperado pelo produtor e o técnico responsável pela orientação.

Fonte: AEN

Faleceu em Turvo, Eva Antunes Souza


Faleceu na manhã dessa terça-feira (27) a senhora Eva Antunes Souza, com 79 anos. Seu corpo está sendo velado em sua residência, no Alto do Turvo. 

O sepultamento será nesta quarta-feira, ás 08h30. 

Informou Funerária Nossa Senhora Aparecida de Turvo.

Felino é atropelado e morre às margens da rodovia PRC-466, em Turvo


Na manhã dessa terça-feira (27), o leitor do Blog do Elói, Maxmiliano Quadros, trafegava pela PRC-466, quando se deparou com um felino atropelado e morto ás margens da rodovia na localidade do Rio Bonito, em Turvo. Ele nos enviou as fotos e fomos lá conferir, mas chegando lá, o felino não estava mais no local.

Nas redes sociais, internautas comentam que seria uma onça, outros dizem que é jaguatirica.

Segundo nos informou o diretor do departamento de meio ambiente de Turvo, Vilmar Ribeiro, estão sendo constantes atropelamentos de felinos na PRC-466, em Turvo. 

Felinos como a Onça Pintada, Gato Maracajá e Jaguatirica, causam confusão por serem parecidos. O gato Maracajá é grande e tem pintas e listras na cabeça. A Jaguatirica é menor e com pintas parecendo filhote de onça. Já a onça pintada é um felino grande e de difícil avistamento, sem registro fotográfico em Turvo. 

Ambas as espécies são protegidas por leis e em Turvo podem ser protegidas nas Unidades de Conservação. Porém, é importante que motoristas tenham atenção ao trafegar na PRC-466. Até o momento o departamento de meio ambiente não tem registros de onça pintada.


Homem é preso por desobediência, dano qualificado e resistência em Santa Maria do Oeste


DANO QUALIFICADO / DESOBEDIÊNCIA/ RESISTÊNCIA: No dia 26 agosto, às 15h20min, a equipe policial militar do Destacamento de Santa Maria do Oeste, deslocou até a estrada do Rio do Tigre, o solicitante relatou que seu filho estaria dirigindo sem CNH, e de maneira perigosa na localidade do Rio do Tigre. 

A equipe fez o primeiro contato com o cidadão, 29 anos, em frente ao estabelecimento de ensino, e este de forma agressiva não obedecia as ordens da equipe e adentrou ao local. 

A equipe conseguiu localizá-lo no banheiro, momento em que este investiu contra os policiais, sendo necessário contê-lo. O funcionário informou que o abordado já estaria a algum tempo ali, tentando entrar no colégio, forçando o portão, tentando pular. 

Após efetuar a prisão, este dentro do camburão começou a dar chutes, socos e cabeçadas, danificando o compartimento da viatura. Sendo o autor encaminhado até a DP de Pitanga para os demais procedimentos cabíveis.

Fonte: 16º BPM

PM de Turvo recupera motocicleta com alerta de furto


No dia 26 agosto, por volta das 11h30min, a equipe policial do Destacamento de Turvo, estava em patrulhamento pela Av. Moacir Júlio Silvestre esquina com a Rua XV de Novembro, quando abordou uma motocicleta Yamaha de cor prata e Placa ANE-5548, para a qual constava alerta de Furto/Roubo, o condutor não possuía CNH. Foram encaminhados condutor e motocicleta até a 14ª SDP para os procedimentos cabíveis.

Fonte: PM

Mais de 40 presos fogem da cadeia de Ibiporã


Mais de 40 presos fugiram da cadeia da Delegacia de Ibiporã, na região norte do Paraná, na madrugada desta terça-feira (27), de acordo com a Polícia Civil do Paraná.

De acordo com o delegado Vitor Dutra, os presos fizeram um buraco no teto da delegacia para fugir. Até as 7h30, uma pessoa tinha sido recapturada pela polícia.

Os policiais fazem buscas pela região para tentar encontrar outros presos.

Segundo a polícia, o local foi projetado para manter 35 presos, mas estava com 193 detentos. A delegacia passa por uma obra

De acordo com o delegado, os agentes da polícia ainda fazem a contagem dos presos para saber exatamente quantas pessoas fugiram.

Fonte: G1 - PR