sexta-feira, 16 de março de 2018

Neste sábado acontece as semifinais do Campeonato Regional de Futsal da Piquiri Papéis


Neste sábado (17), acontece semifinal do Campeonato Regional de Futsal no ginásio de esportes da empresa Piquiri Papéis em Campina do Simão – PR. Na categoria livre masculino, são 16 equipes participando, 08 feminino e 06 no veterano masculino. Sendo elas de 13 municípios da região. A premiação das três categorias é de R$ 12.000,00.

Confira abaixo:


Com informações de Cristiano Oliveira

Apoio: Vereador João Luis Rosa

Marido é preso suspeito de esfaquear mulher grávida, diz polícia; bebê morreu


Um jovem de 24 anos foi preso suspeito de esfaquear a mulher grávida de sete meses, segundo a Polícia Civil. O bebê não resistiu e morreu.

O crime foi praticado na madrugada desta sexta-feira (16) em Santa Terezinha de Itaipu, no oeste do Paraná.

O marido da vítima estava foragido e foi encontrado à tarde na casa da mãe.

A mulher, de 26 anos, foi socorrida e encaminhada ao Hospital Municipal de Foz do Iguaçu, onde permanece internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em estado grave.

Um menino de seis anos, filho da mulher esfaqueada, presenciou o crime.

Fonte: G1 - PR

Agropecuária cresceu 11,5%, melhor resultado em quatro anos



A agropecuária do Paraná teve em 2017 o melhor desempenho em quatro anos. A safra recorde de grãos e o bom resultado da pecuária fizeram o Produto Interno Bruto (PIB) do setor crescer 11,5% no ano passado. Sozinha, a agropecuária adicionou R$ 35,9 bilhões à economia do Estado, de acordo com dados do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes).

O setor foi um dos principais responsáveis pelo fim da recessão no Paraná. A agropecuária respondeu por 9,8% do PIB do Estado em 2017. No Brasil, o setor primário respondeu por 5,3%.

Desde 2013, quando cresceu 18%, a agropecuária não registrava um avanço acima de dois dígitos no Estado. Maior produtor de carne e segundo maior produtor de grãos do País, o Paraná respondeu por 12% da produção agropecuária brasileira. No ano anterior, a participação havia sido de 11,8%.

“Tivemos a maior e melhor safra da história do Paraná, e a produção de frango, suínos e peixes, além de madeira e leite, continuou a ter um papel importante na cadeia da agropecuária” diz o secretário da Agricultura, Norberto Ortigara.

DESTAQUE NACIONAL - O Paraná se destacou nas principais culturas em 2017, de acordo com números do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Respondeu por 17,2% da produção de soja, 18,4% de milho, 52,2% de trigo, 21,7% de feijão, 57,9% de cevada, 71,4% de centeio, 21,7% de aveia e 1,3% de arroz.

Na pecuária, se consolidou como o maior produtor do País, resultado puxado, principalmente, pelo frango (30,9% do total de toneladas produzidas do Brasil) e de suínos (21%).

Maior produtor de madeira do Brasil, o Estado também aumentou sua participação na silvicultura nacional. Em 2017, respondeu por 24,6% da produção de madeira em tora do País. Em 2015, essa participação havia sido de 22,2%.

“O Paraná se sobressai na produção agropecuária nacional mesmo tendo apenas 2,3% do território nacional e sem ter mais espaço para onde expandir a área de plantio, ao contrário dos estados do Centro-Oeste. É graças, principalmente, às elevadas produtividades que o Paraná consegue expandir a produção”, diz Julio Suzuki Júnior, diretor-presidente do Ipardes.

RECORDE - Em 2017, além das novas tecnologias aplicadas no campo, o clima colaborou no recorde de produção de grãos. “O clima ajudou muito durante o desenvolvimento dos cultivos. Nas fases cruciais do plantio deu tudo certo. Com isso, o Paraná registrou produtividades muito acima das médias históricas em várias culturas”, afirma Francisco Simioni, diretor-geral do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento.

Ele lembra que o milho rendeu 9,5 mil quilos por hectare, contra uma média de 8,7 mil quilos. A soja registrou produtividade de até 4 mil quilos por hectare, sendo a média de 3,6 mil. A safra de verão, principal do Estado, somou o recorde de 25,3 milhões de toneladas.

PROJEÇÕES POSITIVAS - Para 2018, embora a produção deva voltar para patamares históricos - em torno de 22,7 milhões de toneladas, as projeções são positivas. “Os preços internacionais melhoraram e estão sustentados. A demanda maior da China, a quebra da safra da Argentina e a redução dos estoques mundiais de soja e milho devem manter as cotações em patamares mais elevados” diz Simioni.

Na safra 2017/2018, o produtor, de olho nos preços, plantar soja ao invés do milho, que rende menos por hectare. A área destinada à produção de milho da primeira safra foi reduzida em 35%, para 332,8 mil hectares no Estado. A área da soja, por outro lado, aumentou 4% - para 5,46 milhões de hectares.

“A safra paranaense de grãos será menor, mas dentro dos patamares históricos. Será uma produção respeitável e que contará com preços melhores, o que será bom para os produtores e para o PIB do Estado”, diz o secretário Ortigara.

EFEITO NO PIB – Em 2018, a agropecuária deve contribuir para o crescimento do PIB principalmente pelo seu efeito indireto na economia. “Com mais dinheiro com a venda da safra, o produtor rural deve ajudar a movimentar o comércio e os serviços em especial no Interior do Estado”, diz Suzuki Júnior, do Ipardes.

Fonte: AEN



1º Sargento Aliomar assume o comando do 5º Pelotão da Polícia Ambiental - Força Verde


O 1º Sargento Aliomar assumiu recentemente o comando do 5º Pel/4ª Cia. do BPAmb –FV com sede na Vila COPEL - Salto Segredo, e passa a responder pelo Policiamento Ambiental em 12 municípios da região, além do policiamento aquático nos alagados do Rio Iguaçu (usinas da COPEL), alagados de Santa Clara e Fundão, e alagados de Salto Osório e Santiago (usinas da TRACTEBEL).

O Batalhão de Polícia Ambiental – Força Verde possui 5 Companhias distribuídas no território paranaense, sendo a 1ª em Paranaguá, 2ª em Londrina, 3ª em Maringá, 4ª em Guarapuava e a 5ª em Foz do Iguaçu.




Sanepar investe mais de R$ 96 milhões em obras - Turvo vai receber pela primeira vez sistema de coleta e tratamento de esgoto


Em Campina da Lagoa, Iretama, Juranda, Roncador e Turvo a população vai receber pela primeira vez sistema de coleta e tratamento de esgoto.

Doze municípios do Centro-Sul e do Centro-Oeste do Paraná estão recebendo investimentos de R$ 96.478.554,81 em obras de água e de esgoto, que vão alavancar a meta da Sanepar de universalizar o saneamento no Estado. O anúncio das obras foi feito nessa quinta-feira (15) pelo presidente da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), Mounir Chaowiche, que visitou as regiões.

Chaowiche destaca que os prefeitos das cidades pequenas têm reconhecido que os investimentos feitos pela Sanepar em seus municípios são de tal envergadura que garantem obras nunca imaginadas antes. “Há algum tempo, a Sanepar trabalhava nos pequenos municípios apenas com abastecimento de água. Nós mudamos isso e estamos levando coleta e tratamento de esgoto também para as pequenas populações”, disse.

Em Campina da Lagoa, Iretama, Juranda, Roncador e Turvo será implantado pela primeira vez serviço de coleta e tratamento de esgoto. Somente nesses municípios, serão investidos mais de R$ 60 milhões. Mais de 22 mil pessoas serão diretamente beneficiadas com a implantação de 6.635 novas ligações de esgoto. Pelo menos, 154 km de tubulações serão implantadas para colocar os sistemas em funcionamento.

Em Pitanga, Manoel Ribas e Palmital, as obras são de ampliação do sistema para que mais pessoas tenham acesso ao serviço. Em Pitanga, são mais 13 km de rede que vão atender 550 famílias. Entre os bairros beneficiados, estão Planalto, Vila Municipal e Centro. Em Manoel Ribas, serão assentados mais de 35 mil km de rede coletora para atender mais 1.056 famílias. Em Palmital, cerca de 2.200 pessoas serão beneficiadas com 41 km de rede coletora que vão atender 623 novas ligações.

Em Cantagalo, Rio Bonito do Iguaçu e Nova Laranjeiras, a população será atendida com obras de melhorias e ampliação no sistema de abastecimento de água. Em Cantagalo, foram entregues uma nova estação de tratamento de água, dois reservatórios, rede adutora de água e rede de distribuição. Foram feitas melhorias também no Poço Chemin, que abastece o município. O investimento foi de R$ 2,9 milhões. Na cidade, também está em andamento a ampliação do serviço de coleta e tratamento de esgoto, com investimento de R$ 3,3 milhões na execução de 15 km de redes, estação elevatória de esgoto e 751 ligações prediais.

Em Nova Laranjeiras, a Sanepar anunciou a abertura de pregão eletrônico, já para a próxima semana, para aquisição de uma estação de tratamento de esgoto modular. Os investimentos são de R$ 3,2 milhões e inclui também ampliação de rede coletora. A nova ETE deve minimizar substancialmente o odor resultante do tratamento na região do Residencial Bueno.

“Estou muito, muito feliz. Conseguir R$ 3,2 milhões para nosso município, que é uma cidade pequena, é histórico. Nós priorizamos muito o saneamento, corremos atrás da implantação do sistema de esgoto em Nova Laranjeiras e tivemos todo apoio e parceria da Sanepar e do Estado”, agradeceu o prefeito Lineu Gomes.

Em Rio Bonito do Iguaçu, foi anunciada abertura do edital de licitação de R$ 16,8 milhões para construção de uma nova captação de água no Rio Tapera e de uma nova estação de tratamento. Ainda nessa obra, 9,2 km de adutora vão interligar os sistemas de Rio Bonito do Iguaçu e Laranjeiras do Sul, possibilitando o aumento na capacidade de abastecimento com água tratada da população nos dois municípios. "Também comemoramos a entrega do sistema de abastecimento de água na nossa comunidade rural de Alto do Trevo, beneficiando 35 famílias, além dessa adutora que, com certeza, será uma das maiores obras do Estado aqui na nossa região", destacou o prefeito Ademir Fagundes, o Gaúcho.

"Como disse o prefeito Gaúcho, essa vai ser uma das maiores obras do Estado. Uma obra que não é imediatista, não é para hoje. São quase 10 km de rede de grande porte para abastecer a população de Rio Bonito pelas próximas décadas", ressaltou o presidente Mounir Chaowiche.

O município de Marquinho também já tem recursos assegurados para a ampliação do sistema de abastecimento de água. O investimento é de R$ 660 mil e a previsão é de que as obras iniciem-se em outubro deste ano. Além disso, a Companhia e a prefeitura estão fazendo estudos para implantação do sistema de coleta e tratamento de esgoto na cidade.

Assessoria Sanepar