quinta-feira, 20 de maio de 2021

Durante a pandemia, crianças e adolescentes estão ainda mais vulneráveis as violências sexuais


Em 73% dos casos, o abuso sexual ocorre na casa da própria vítima ou do suspeito.

24,1% dos agressores das crianças são os próprios pais ou padrastos, e 32,2% são amigos ou conhecidos da vítima.

Importante ressaltar que não existe perfil de abusador: embora a grande maioria seja do sexo masculino, mulheres também abusam. Importante ressaltar também que nem sempre o abuso deixa marcas físicas evidentes. É importante atentar a mudanças de comportamento nas vítimas: Alterações de humor, vergonha excessiva, ataques de pânico. Além disso convém observar interesse repentino põe questões sexuais, como palavras e desenhos que se refiram às partes íntimas.

Se desconfiar que uma criança ou adolescente está sendo vítima de violência sexual, denuncie.

Veja mais no vídeo abaixo:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade