quarta-feira, 27 de novembro de 2019

Grupo está realizando viagem tropeira de Guarapuava até a Lapa


Um grupo de seis amigos de Guarapuava está realizando uma aventura de mais de 260 km de distância, que começou no sábado, 23 de novembro, e deve durar cerca de 7 dias. A ideia foi sair da cidade natal deles e fazer uma tradicional tropeada até a Lapa, repetindo o mesmo caminho usado nos séculos passados pelos tropeiros que ajudaram a fundar as duas cidades.

Quem está à frente desse projeto é Leonardo Rauen, funcionário da Prefeitura de Guarapuava, que teve antepassados tropeiros e mantém até os dias de hoje a tradição. “Essa ideia surgiu no ano passado quando fizemos uma tropeada parecida com essa que iremos fazer, só que mais curta, entre Guarapuava e o município de Campina do Simão (100km de distância). Durante essa tropeada pensamos em fazer outra seguindo o caminho original que os tropeiros faziam nos séculos passados, com isso já veio a Lapa na cabeça. Coincidentemente neste ano de 2019 Guarapuava está completando 200 anos e a Lapa 250, então é um momento oportuno para homenagear as duas cidades. Vai ser um grande desafio, e vamos fazer de forma tradicional, vamos usar só mulas e burros, não vamos ter a ajuda de nenhum carro de apoio, vamos levar todo o material nas bruacas (bolsas de couros). Cada tropeiro viajará com 3 animais, um montado, outro levando a bruaca e mais um de reserva”, conta Leonardo.


Depois de saírem de Guarapuava, os tropeiros vão passar pelas cidades de Inácio Martins, Rio Azul, São João do Triunfo, São Mateus do Sul e finalmente Lapa, com previsão de chegada no domingo, dia 1º de dezembro. Durante a semana de viagem a ideia é parar durante a noite em algumas fazendas pelo caminho para hidratar os animais, se alimentar e dormir, assim como os tropeiros faziam. “Nos últimos dias percorremos o percurso de carro e conversamos com fazendeiros que têm propriedades no caminho. Explicamos o nosso objetivo e pedimos a permissão para um pouso em um capão, uma água para os animais. Fomos sempre muito bem recebidos”, diz Felipe.

Na Lapa os tropeiros contam com o apoio de Hilario Rodrigues, tradicional morador do Feixo, que inclusive, tem um museu em sua propriedade sobre os tropeiros. 

Leonardo também promete filmar boa parte da viagem e depois disponibilizar em forma de documentário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário