domingo, 10 de novembro de 2013

Mais de duas mil vagas de emprego estão disponíveis na região norte

A Agência do Trabalhador de Maringá, no norte do Paraná, está com 904 empregos disponíveis para empresas privadas da cidade. O cargo para auxiliar de linha de produção é o que mais oferece oportunidade, com 416 vagas abertas. No entanto, há 56 vagas para soldador, 36 para pedreiros, 29 para serventes de obras e  18 para pessoas com algum tipo de deficiência.
Em Londrina, também na região norte, há 669 vagas abertas e destas, 50 são para portadores de necessidades especiais disponíveis pela Secretaria Municipal de Trabalho, Emprego e Renda. O cargo que oferece mais vagas é o de operador de telemarketing, com 190 oportunidades, seguido por operador de caixa com 45 vagas.
Já em Paranavaí, na região noroeste do estado, há 431 oportunidades, sendo 17 para pessoas com deficiência. São 196 vagas para o cargo de auxiliar de linha de produção , 30 para servente de pedreiro e 32 para vendedores internos.
Os interessados que queiram se candidatar a uma das vagas oferecidas em Maringá devem comparecer à Agência do Trabalhador, na Avenida Joubert de Carvalho, nº 675, no centro, das 8h às 17h. Em Londrina, a pessoa interessada pode procurar uma das sedes  da Agência do Trabalhador localizadas localizadas nas ruas Prefeito Hugo Cabral, n° 301, com atendimento das 8h às 18h, ou no Terminal Urbano, na rua Benjamin Constant, com atendimento das 8h às 14h. Em Paranavaí, a Agência do Trabalhador fica localizada Rua Marechal Cândido Rondon, 1701. E o atendimento é realizado das 8h às 16h.
Para todas as vagas é necessário levar a carteira de trabalho e os documentos pessoais como RG, CPF, título de eleitor.
fonte http://g1.globo.com/








Paróquias serão orientadas a não venderem bebidas alcoolicas em suas festas | Central Cultura

Paróquias serão orientadas a não venderem bebidas alcoolicas em suas festas | Central Cultura
Foi deliberado na 18ª Assembleia Diocesana de Pastoral, que aconteceu em Guarapuava nos dias 08 à 10 de novembro,  que todas as paróquias da Diocese serão orientadas a não comercializarem bebidas alcoólicas em suas festas. A "festa sem álcool" foi um dos temas debatidos pelos Grupos de Trabalho nesta Assembleia e a maioria das pessoas, 96%, posicionaram-se contra as bebidas alcoólicas nas festas. Das 328 pessoas que votaram, 315  são favoráveis ao banimento "do álcool". 

Membro da coordenação do grupo de jovens da Paróquia Imaculada Auxiliadora, de Porto Barreiro, Alessandra Poleze, de 16 anos de idade, é contra a venda de bebidas alcoólicas nas festas da igreja. "Temos que dar o exemplo. Não podemos incentivar nossos jovens a beberem". Ela aponta que muitos problemas se originam do álcool, como brigas e dependência de drogas.
André Ricardo Pereira, 27 anos, da Paróquia Imaculada Conceição, de Santa Maria do Oeste, também é contra a venda desse tipo de bebida nas festas. "Isso prejudica a imagem da igreja. Não podemos ser co-participantes de atos contra a vida. Os malefícios causados pelo álcool, as consequencias do alcoolismo prejudicam a vida, a família e a sociedade", argumentou.
Na opinião do padre Sercio Ribeiro Catafesta, primeiro pároco na Diocese a instituir a festa sem álcool, quando ainda estava na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, no Bairro Primavera, a paróquia que deixar de lado esta orientação não estará em comunhão com a Igreja na Diocese de Guarapuava, haja vista que este foi um tema deliberado em Assembleia. Padre Sercio contou que quando tomou a decisão de não colocar bebidas alcoólicas nas festas encontrou dificuldades, foi criticado e ameaçado. "No início chegamos a enfrentar a concorrência de ambulantes que se fixavam com barracas nas proximidades da igreja para vender esse tipo de bebida". Sercio também desabafou: "os que mais criticam a retirada das bebidas alcoólicas das festas são os que menos ajudam". O padre também lembrou que mesmo as festas da Paróquia Nossa Senhora de Fátima sendo "sem álcool" uma nova igreja foi construída e a paróquia toda revitalizada.