sexta-feira, 10 de setembro de 2021

Ibema oferece vagas para curso profissional gratuito em parceria com Sesi

Programa Indústria Parceira da Educação capacita jovens e adultos em módulos no formato EAD. Inscrições estão abertas até 8 de outubro


Além de ser um importante mecanismo de desenvolvimento profissional e de evolução para a região, a educação corporativa eleva a produtividade, aumenta a empregabilidade e a própria autoestima dos trabalhadores. Pensando nisso, a Ibema mantém cursos constantes em sua unidade fabril de Turvo, no interior do Paraná, onde trabalham cerca de 490 funcionários.

Além de apoiar jovens e adultos que desejam concluir a Educação Básica por meio da Educação de Jovens e Adultos (EJA), a empresa junta-se agora ao programa Indústria Parceira da Educação, promovido pelo Sesi Paraná. Com isso, o aluno fará o curso EJA de conclusão do Ensino Fundamental II e Ensino Médio e mais a Qualificação Profissional – Almoxarife, na modalidade a distância. Podem participar colaboradores da companhia e seus dependentes maiores de 18 anos, além de toda a comunidade da região.

“Acreditamos que a educação é um importante instrumento de transformação das pessoas e da sociedade”, destaca a supervisora de RH, Camila Brizola. “Queremos contribuir para o aumento de competitividade do setor industrial, por meio da formação de profissionais cada vez mais qualificados.”

Saiba como participar

As aulas de EJA são realizadas a distância, na forma de disciplinas (módulos), cursadas uma de cada vez, com duração variada, de duas semanas a três meses. Dessa forma, os novos alunos podem ingressar quando um novo módulo/disciplina estiver iniciando. Ao final do curso, o aluno recebe os certificados de Conclusão de escolaridade (Ensino Fundamental ou Ensino Médio) em Educação de Jovens e Adultos – EJA, pelo Sesi, e de Qualificação Profissional em Almoxarife, pelo Senai.

SERVIÇO

Curso EJA - Ensino Fundamental II e Ensino Médio + Qualificação Profissional – Almoxarife

Curso a distância

Inscrições até 8 de outubro pelo telefone (42) 3642-8168 ou pelo e-mail erica.cordeiro@ibema.com.br.

Gratuito.

Sobre a Ibema: Gerar valor de maneira sustentável por meio da fabricação e distribuição de produtos que conquistem a preferência dos clientes, contribuindo com iniciativas que favoreçam toda a cadeia, com a dedicação e preocupação de garantir o melhor resultado para a empresa e seus clientes. Esta é a missão da Ibema, fabricante de papelcartão, que permeia a sua atuação com base no conceito de foco do cliente. A empresa, fundada em 1955, é hoje um dos players mais competitivos da América Latina. Sua estrutura é composta por sede administrativa localizada em Curitiba, centro de distribuição direta em Araucária com área útil de 12 mil m2 e fábricas instaladas nos municípios de Turvo, no Paraná, e em Embu das Artes, em São Paulo, que juntas possuem capacidade de produção anual de 160 mil toneladas. Em seu portfólio, estão os melhores produtos, reconhecidos pela qualidade e performance na indústria gráfica. A empresa, que atualmente conta com aproximadamente 700 colaboradores, possui unidades certificadas pela ISO 9001, pela ISO 14001 e pelo FSC (Forest Stewardship Council). Para mais informações sobre produtos e serviços, acesse o nosso site, disponível também nos idiomas espanhol e inglês: www.ibema.com.br.

MPPR denuncia policiais por violência, submissão de adolescente a constrangimento e outros crimes praticados em Colégio Militar de Imbituva


O Ministério Público do Paraná, por meio da Promotoria de Justiça de Imbituva, no Sudeste do estado, denunciou dois policiais militares aposentados pelos crimes de ameaça, vias de fato, violência arbitrária, submissão de adolescente a constrangimento, corrupção passiva e prevaricação. Os fatos que levaram ao ajuizamento da ação penal ocorreram no Colégio Cívico-Militar de Imbituva, onde os denunciados atuavam como monitor e diretor militar.

Na denúncia, protocolada nesta quinta-feira, 9 de setembro, a Promotoria de Justiça relata que, no dia 6 de agosto deste ano, durante o turno escolar, o agente militar que atuava como monitor na instituição de ensino interrompeu uma aula que estava sendo ministrada e retirou um adolescente de sala. A razão seria repreender o aluno por ter desenhado uma folha de maconha e escrito a frase “vida loca” em sua carteira escolar. O monitor teria ameaçado o estudante, afirmando “que já tinha matado vários e que ele não iria fazer diferença”, e ainda o agredido fisicamente, com um soco na nuca. Ao retornarem para a sala de aula, o policial ainda teria submetido a vítima a constrangimento, obrigando-a a limpar a carteira escolar na presença dos demais colegas de classe e da professora.

Tentativa de evitar a punição – Após os fatos, tanto o monitor como o diretor militar do Colégio, também policial, teriam procurado a equipe de psicólogos, pedagogos e assistentes sociais que atuam no Município solicitando que o ocorrido não fosse levado ao conhecimento do Ministério Público. Os agentes policiais também teriam pedido à secretária de Assistência Social para que “amenizasse” o relato sobre os crimes à Promotoria de Justiça.

Além de não ter adotado, portanto, as medidas necessárias quando tomou conhecimento acerca da conduta do monitor, o diretor do Colégio Militar ainda teria atuado para evitar a punição de seu subordinado. Assim, somado aos crimes de corrupção passiva e prevaricação, o diretor também teria incorrido no crime de ameaça, uma vez que, em conversa com a secretária da Assistência Social de Imbituva, teria afirmado que “ficou sabendo que já teve um caso de uma criança da Casa Lar tacar fogo no carro do conselho, que Deus o livre se fizer isso com meu carro, ainda bem que não tenho porte de arma”, insinuando que o adolescente poderia morrer, com um tiro, caso ele tivesse uma arma.

A ação penal tramita na Vara da Auditoria Militar.

Fonte: MPPR

CastraPet atende 116 animais no município de Boa Ventura de São Roque


O Programa Permanente de Esterilização de Cães e Gatos (CastraPet Paraná) se despede do município de Boa Ventura de São Roque, no Centro do Estado, nessa sexta-feira (10), com 116 cães e gatos castrados gratuitamente em dois dias de ação. Foram destinados ao município R$ 25 mil.

O CastraPet é uma iniciativa da Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest), em parceria com os municípios, que fazem o cadastro das famílias beneficiadas.

“O programa foi pensado para desenfrear a reprodução da população de animais abandonados, que podem transmitir doenças, ser vítimas de maus-tratos, bem como ajudar famílias e protetores de animais que não têm como pagar por esse serviço”, diz o secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes.

O secretário municipal de Agricultura de Desenvolvimento, Junior Cezar Rodrigues do Sacramento, que apoiou a ação, já quer o programa novamente na cidade. “Tivemos senhores e senhoras com mais de 65 anos trazendo seus animais. Muito bom ver a população preocupada com a saúde de seus pets”, afirma.

Nesse segundo ciclo do programa, R$ 2,5 milhões provenientes do Fundo Estadual do Meio Ambiente e de emendas parlamentares serão utilizados para beneficiar 80 municípios. O primeiro ciclo atendeu 15 mil animais em 45 municípios, com investimento de R$ 2,4 milhões.

COMO PARTICIPAR – Para o município receber o CastraPet é preciso entrar com pedido junto à Sedest ou aos deputados estaduais para liberação de recurso. Ao ser contemplada, a cidade define pontos para cadastro dos animais, dentro do número de vagas disponibilizadas. A prefeitura também estabelece a prioridade de atendimento, seja para animais de famílias de baixa renda, de protetores ou/e de rua.

CIRURGIAS – As cirurgias são feitas dentro do castramóvel, veículo equipado para garantir a segurança dos pets durante os procedimentos. É preciso que os tutores respeitem o jejum absoluto (comida e água) dos animais por oito horas antes da castração. A medida é necessária para que se recuperem bem da anestesia.

Após a castração, as famílias recebem gratuitamente a medicação pós-operatória e aplicação de microchip eletrônico de identificação animal, além de todas as orientações para cuidados após o procedimento.

SAÚDE ÚNICA – O Programa CastraPet Paraná foi pensado dentro da política de saúde única da Secretaria, visando o bem-estar animal e humano e trabalhando na prevenção de zoonoses envolvendo o meio ambiente. Além de prevenir doenças, como câncer, outro objetivo do programa é evitar o nascimento desenfreado de cães e gatos, o que pode provocar maus-tratos, como abandono dos animais.

ARAPONGAS – Neste domingo (12) a ação se inicia no município de Arapongas, no Norte, e se estende até quarta-feira (15). Na região, a estimativa é castrar 231 animais já cadastrados pela prefeitura.



Vem aí a 13ª Festa do Porco no Rolete na Comunidade Luterana de Turvo




 

Turvo vacina pessoas com 18 anos ou mais nesta segunda-feira (13)



Na próxima segunda-feira (13), na UBS Iracy de Campos, a partir das 9h, a vacinação contra a Covid-19 continua para pessoas com 18 anos ou mais.

Você que ainda não se vacinou, não perca mais essa oportunidade.

Lembrando, para receber sua dose é necessário portar a carteirinha de vacinação e o cartão SUS ou CPF.



Vagas disponíveis na Agência do Trabalhador de Turvo


A Agência do Trabalhador de Turvo possui as seguintes vagas abertas:

07 vagas para embalador.
Requisitos: ensino fundamental completo; Disponibilidade em trabalhar em escala de revezamento de turnos.

02 vagas para pedreiro.
Requisitos: ensino fundamental completo; Experiência como Pedreiro.

02 vagas para ajudante de reflorestamento.
Requisitos: ensino fundamental completo; Disponibilidade em trabalhar fora da empresa.

Os interessados devem cadastrar seu currículo na Agência do Trabalhador, que fica localizada na R. Elias Rickli, 403, Centro.

Em Guarapuava, suspeito de aplicar golpes ao exigir pagamento para falsas vagas de emprego é preso


Um homem suspeito de enganar dezenas de pessoas com falso recrutamento para supostas vagas de emprego foi preso em Guarapuava, na região central do Paraná, segundo a Polícia Civil. As investigações apontam que ele exigia pagamento para o recrutamento.

Mais de 300 pessoas procuraram a delegacia na quinta-feira (9) após a prisão do rapaz, que tem 29 anos.

A polícia informou que as vítimas relataram pagar R$ 650 de forma antecipada para a realização de exames e emissão de documentos que eram necessários para o recrutamento.

A prisão do suspeito aconteceu após denúncias anônimas. Cerca de 50 carteiras de trabalho foram encontradas em um escritório administrativo da suposta empresa, que fica no Centro de Guarapuava.

Além disso, segundo a Polícia Civil, o homem contratou três pessoas, sendo uma faxineira e duas pessoas que trabalhavam no administrativo da empresa.

Os funcionários também foram vítimas do golpe e pagaram para serem contratadas. A polícia disse que os trabalhadores não tinham conhecimento da farsa.

O suspeito deve responder por estelionato.

A Polícia Civil orienta para que pessoas que procuram emprego suspeitem de empresas que exijam algum tipo de pagamento para a seleção. Veja mais clicando AQUI.


Fonte: G1 - PR
Foto: William Batista/RPC Guarapuava
Publicidade