terça-feira, 9 de junho de 2020

Adapar orienta sobre mudanças no trânsito de animais


O trânsito de bovinos e bubalinos entre o Paraná, Rio Grande do Sul e os estados do Bloco I do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA) - Acre, Rondônia e regiões do Amazonas e do Mato Grosso está autorizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Com isso, a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) alterou seus manuais de Trânsito Agropecuário e de Normas para Emissão de Guia de Trânsito Animal (GTA), a fim de orientar produtores e técnicos sobre as novas regras.

A medida determinada pelo ofício nº 121/2020 de 3 de junho considera que esses Estados estão em fase de transição para se tornarem Área Livre de Febre Aftosa sem Vacinação, cumprindo os requisitos necessários para o pleito junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), com regramentos e controles sanitários consonantes. O objetivo é minimizar os impactos das restrições sem prejudicar os cuidados sanitários.

MESMO RIGOR - O diretor-presidente da Adapar, Otamir César Martins, explica que essa mudança não prejudica o trabalho do Estado do Paraná pelo reconhecimento nacional e internacional como Área Livre de Febre Aftosa sem Vacinação. “Os procedimentos de controle do trânsito animal pela Adapar seguem com o mesmo rigor”, diz.

PRINCIPAIS MUDANÇAS - Com relação aos bovinos e búfalos, além de ser permitido o ingresso, independente da finalidade, de cargas oriundas de estados e regiões em fase de transição no reconhecimento do pleito de zona livre de febre aftosa sem vacinação, também é permitido o ingresso, independente da classificação, de cargas oriundas de estados livres sem vacinação, que é o caso de Santa Catarina.

“Para as demais origens, é proibido o ingresso para todas as finalidades, exceto aqueles para abate imediato e estabelecimento de pré-embarque, casos em que a carga deve ser lacrada pelo Serviço Veterinário Oficial da origem”, explica o gerente de Trânsito Agropecuário da Adapar Muriel Moreschi.

Além disso, a entrada de bovinos e bubalinos deve acontecer exclusivamente pelos Postos de Fiscalização do Trânsito Agropecuário (PFTAs) considerados como de ingresso, conforme descreve o artigo 9º da Portaria Adapar 289/2019.

Cargas em trânsito deverão respeitar os postos listados no inciso I, artigo 9º da Portaria Adapar 289/2019 para ingresso e saída do estado. “As cargas deverão ser lacradas no ingresso e deslacradas na saída do estado”, completa Moreschi.

OUTRAS CARGAS – Outros animais suscetíveis a febre aftosa, como suínos, ovinos, caprinos e silvestres suscetíveis podem ingressar apenas pelos PFTAs classificados como pontos de ingresso.

Os animais não suscetíveis a febre aftosa, como aves, equinos, silvestres não suscetíveis e peixes podem entrar por qualquer PFTA, independente da classificação, assim como produtos e subprodutos de origem animais. Animais oriundos do Paraná, inclusive os suscetíveis. poderão sair do estado por qualquer PFTA, inclusive os de rechaço.

O resumo das alterações determinadas podem ser acessadas no site da Adapar: www.adapar.pr.gov.br

Box
Uso e comercialização da vacina estão proibidas desde 2019

Desde outubro de 2019, o uso e comercialização da vacina contra febre aftosa estão proibidos no Paraná, após a comprovação da boa qualidade do sistema de vigilância em saúde animal pelo Ministério. A campanha de vacinação foi substituída pela campanha de atualização do rebanho, que neste ano começou em 1º de maio e segue até 30 de novembro.

O Estado continua seguindo os procedimentos para alcance do reconhecimento de área livre sem vacinação pela OIE, previsto para 2021. Entre eles está a realização do inquérito soro-epidemiológico do rebanho bovino do Estado, com amostras de quase 10 mil animais, que será concluído neste mês. O novo status sanitário vai possibilitar abertura de mercados internacionais para os produtores paranaenses.

Fonte: AEN

Guarapuava chega a 58 casos confirmados de coronavírus



Operação fiscaliza pesca ilegal no Rio Ivaí


O Instituto Água e Terra promoveu uma operação de fiscalização no Rio Ivaí para coibir a pesca ilegal durante o período de estiagem no Paraná. A ação contou com o apoio de técnicos dos escritórios regionais do instituto em Maringá, Cianorte, Umuarama, Campo Mourão e Foz de Iguaçu. Foram apreendidos material proibido de pesca e armas de caça.

Desde 27 de maio o instituto restringiu a pesca em diferentes modalidades (Portaria nº 157/20), com o objetivo de proteger as espécies de peixes nos rios afetados pela seca. O retorno da pesca será permitido quando atingirem novamente a cota hídrica para dispersão de cardumes e navegabilidade.

A operação aconteceu na semana passada ao longo do trajeto no Rio Ivaí, de São João do Ivaí até o município de Ivaté. Durante quatro dias de fiscalização os técnicos apreenderam aproximadamente 1,3 mil metro de redes, 15 espinhéis, 20 anzóis de galho, 10 boias loucas, 3 molinetes e 2 espingardas. Foram lavradas duas notificações que poderão gerar autos de infrações.

De acordo com o chefe regional do Instituto Água e Terra de Maringá e coordenador da operação, Antônio Carlos Cavalheiro Moreto, a falta de consciência das pessoas quanto à gravidade da ausência de chuva no Estado ficou evidente na operação. “Estamos passando por uma grave seca em todo o Paraná, com o nível dos rios baixos. Os peixes estão a mercê de captura indiscriminada”, disse, ressaltando que outras operações deverão acontecer até que a situação dos rios seja reestabelecida.

PORTARIA – A Portaria nº 157/20 foi publicada em 27 de maio de 2020 e instituiu que fica proibida a pesca nas bacias dos rios Ivaí, Piquiri, Cinzas, Tibagi, Pirapó, Laranjinha, São Francisco Falso e Verdadeiro, Jordão e todos seus afluentes diretos.

A baixa vazão dos rios facilita a pesca furtiva, a predação e a extração de peixes jovens e adultos reprodutores. A conservação da biodiversidade das espécies de peixes é essencial para a evolução e para a manutenção dos sistemas necessários à sobrevivência e reprodução das diferentes espécies.

EXCEÇÃO – É permitida a pesca artesanal praticada por pescadores filiados à colônia Z-17 de Porto Ubá, no trecho do Rio Ivaí demarcado em aproximadamente 110 quilômetros, entre a ponte da BR-369, que liga São Pedro a São João do Ivaí, até o Porto de Areia de Ivaiporã.

PENALIDADES - Os infratores que desrespeitarem a portaria estão sujeitos às penalidades previstas na Lei Federal nº 9.605/98 e demais dispositivos que regulam a atividade pesqueira. A multa varia de R$ 700,00 por pescador e mais R$ 20,00 por quilo ou unidade de peixe capturado, além da apreensão de materiais de pesca e condução para lavrar boletim de ocorrência.

Os fiscais do Instituto Água e Terra, das polícias Ambiental, Civil e Militar vão promover novas ações para reforçar a fiscalização e garantir que não ocorra descumprimento da portaria.

Fonte: AEN

Paraná tem mais 287 casos e 10 óbitos pela Covid-19


A Secretaria de Estado da Saúde informa mais 287 confirmações e dez óbitos pelo novo coronavírus. Total de pessoas contaminadas é de 7.314 e 253 pacientes mortos pela infecção. Entre todos os 399 municípios paranaenses, 287 têm ao menos uma ocorrência da doença e há mortes registradas nas 22 Regionais de Saúde.

INTERNADOS – 317 pacientes com o diagnóstico confirmado pela Covid-19 estão internados nesta terça-feira (9). Pacientes que estão em leitos SUS são 236 (sendo 85 em UTI e 151 em leitos clínicos/enfermaria) e 81 em leitos da rede privada (sendo 33 em UTI e 48 em leitos clínicos/enfermaria).

ÓBITOS – A secretaria estadual divulga a morte de mais dez pacientes, todos estavam internados. São seis homens e quatro mulheres que morreram entre os dias 9 de maio e 8 de junho, com idades entre 60 e 87 anos.

As informações dos pacientes que morreram em decorrência pela infecção causada pelo novo coronavírus são:

9 de maio: homem, 72, residia em Guarapuava;

2 de maio: homem, 76, residia em Curitiba;

4 de junho: mulher, 84, residia em Campo Magro; homem, 87, residia em Curitiba; mulher, 71, residia em Carambeí;

6 de junho: homem, 60, morava em Cantagalo;

7 de junho: dois homens, um de 72 que morava em Fazenda Rio Grande e outro de 75 que residia em Curitiba;

8 de junho: duas mulheres, uma residia em Cascavel, de 61 anos; outra, de 78 anos, que morava em Curitiba.

FORA DO PARANÁ – O monitoramento da Sesa registra 96 casos que foram atendidos no Paraná, mas residem fora daqui. Sete pessoas foram a óbito.

MUNICÍPIOS – 285 cidades paranaenses têm ao menos um caso confirmado pela Covid-19. Em 88 municípios há registro de óbitos pela doença.

Quantidade de casos novos e municípios:

62 casos confirmados - Cascavel e Londrina;

35 casos confirmados – Curitiba;

14 casos confirmados – Maringá;

13 casos confirmados – Morretes;

7 casos confirmados – Toledo;

6 casos confirmados – Cambé; Cornélio Procópio; Santa Helena;

4 casos confirmados – Apucarana; Campo Largo; Campo Mourão; Clevelândia; São José dos Pinhais;

3 casos confirmados - Fazenda Rio Grande; Rolândia;

2 casos confirmados - Assis Chateaubriand; Centenário do Sul; Colombo; Florestópolis; Ibiporã; Jaguariaíva; Matinhos; Paranaguá; Pinhais; Ponta Grossa; Santa Terezinha de Itaipu; Telêmaco Borba; Tupãssi

1 caso confirmado – Arapongas; Cafelândia; Cambará; Campo Magro; Chopinzinho; Colorado; Coronel Domingos Soares; Foz do Iguaçu; Guarapuava; Itaguajé; Jacarezinho; Medianeira; Nova Esperança; Palmas; Paranavaí; Pato Bragado; Peabiru; Piraí do Sul; Quedas do Iguaçu; Realeza ; Santo Inácio; São Tomé; Terra Roxa; Umuarama.

AJUSTES:

Três casos confirmados na data de 25/5 em Céu Azul foram transferidos para Alta Floresta/MT.

Um caso confirmado na data de 24/4 em Santo Antônio do Caiuá foi excluído por duplicidade de notificação.

16º BPM faz campanha de arrecadação de mantas e cobertores e entrega as Instituições


Por ocasião do mês de junho ser o mês de Aniversário do 16 BPM, foi criada a Campanha 31 Anos 16º BPM. Uma das ações, foi marcada pela solidariedade, com a arrecadação de mantas e cobertores visando a atender aos Hospitais e Casas de Apoio e Caridade. 

Esta campanha teve grande adesão dos Policiais Militares, instituições e voluntários e arrecadou uma quantidade expressiva destes materiais. Segundo o Comando do 16 BPM, Major Cristiano Cubas, o montante arrecadado atenderá as necessidades de 6 Casas de Apoio, dentre eles o Hospital Santa Thereza, SOS, APADEVi e outras. Em data de hoje, as equipes policiais realizaram a entrega simultânea a estas Instituições, demonstrando que mesmo no momento do COVID que enfrentamos, nós do 16 BPM comemoramos nosso aniversário ajudando o próximo.

16º BPM. Nós cuidamos de você.
Asp. PM Patrícia Fernanda Silvério
Comunicação Social 16º BPM











Faleceu em Turvo, a jovem Jaqueline Pereira dos Santos


Faleceu na manhã dessa terça-feira (09), Jaqueline Pereira dos Santos, com 20 anos. 

Segundo informações repassadas ao Blog do Elói, Jaqueline passou por uma cirurgia, teve complicações na sua recuperação e veio a falecer. 

Ela era aluna da Apae e filha do senhor (Zé Lipe). 

Segundo a Funerária Nossa Senhora Aparecida, o velório será na Capela Mortuária a partir das 16h00.

Confira as Ofertas da Terça e Quarta Verde do Suprema Supermercado de Turvo


Morre em Guarapuava o médico Clóvis Gorski, vítima de Covid-19


Faleceu em Guarapuava, na manhã de hoje (9), o médico Clóvis Górski, aos 72 anos. Há semanas ele teve um pré-diagnóstico de Covid-19 e estava internado no Hospital São Vicente. Dr. Clóvis era um dos médicos mais antigos ainda na ativa em Guarapuava. 

Por causa da idade e ser pré-diabético, no início da pandemia evitou atendimento hospitalar. Chegou o mês de maio, ele avisou aos familiares: 

"A cidade precisa de médico e eu vou trabalhar." Foi dirigente regional do Conselho de Medicina. Também foi médico do time de futebol profissional do Batel, o que fazia por amor ao esporte e para ajudar a equipe.

Era natural de Guarani das Missões (RS), sobrinho do falecido médico guarapuavano Frederico Virmond, fundador do Hospital Santa Tereza.

Fonte: Julio Cesar Santos


PM cumpre mandado de prisão no interior de Turvo


Por volta das 20h00 do dia 08 de junho de 2020, a equipe deslocou até a Estrada Rural, Faxinal dos Vidal, durante operação Ostensividade II, a equipe recebeu denúncia sobre um possível Mandado de Prisão em desfavor da pessoa, 28 anos, e que tal pessoa deslocava sentido localidade de Faxinal dos Vidal. 

Sendo abordado já próximo a residência, em Via Publica, a pessoa após consulta via sistema operacional, foi constatado o Mandado de Prisão, emitido pela Vara da Família e Sucessões de Guarapuava, de Natureza Execução de Alimentos, pela inadimplência de R$ 8.013,49 (oito mil e treze reais e quarenta e nove centavos). 

Diante dos fatos, dado voz de prisão ao autor e encaminhado até a 14º SDP.
Publicidade