domingo, 2 de setembro de 2018

PM decreta luto oficial de três dias e lamenta tragédia ocorrida em Ivaiporã em que três policiais militares morreram



A Polícia Militar do Paraná está combalida diante da tragédia que acometeu a Corporação na manhã deste domingo (02/09) na cidade de Ivaiporã, Centro-Norte do Estado. A Polícia Militar lamenta profundamente a perda de seus entes queridos, e reconhece que antes de eles serem policiais militares, são filhos, maridos, pais e integrantes da sociedade e deixarão um vazio em seus companheiros e familiares. Diante do fato a Corporação decretou luto oficial de três dias.

“Oramos a Deus que conforte os corações destas famílias neste momento que é muito doloroso e triste. A PM está consternada com a perda destes irmãos de farda e com a dor dos familiares, por isso peço a proteção de Deus a todos os integrantes desta Corporação, que diariamente dedicam suas vidas em prol da comunidade, para que situações como esta não voltem a acontecer. Que Deus continue a nos iluminar nesta caminhada árdua em defesa da sociedade”, pede a Comandante-Geral da PM, coronel Audilene Rosa de Paula Dias Rocha.

O Subcomandante-Geral da PM, coronel Arildo Luis Dias, também lamenta a tragédia. “Independente das circunstâncias que envolvam os fatos que levaram às mortes destes policiais, o que dói para nós militares estaduais é a perda de irmãos de farda, principalmente em uma situação desta complexidade”, lamentou. “Este é um fato isolado e não faremos juízo de valor sobre a ocorrência, aguardaremos os devidos trâmites legais, ou seja, faremos os levantamentos necessários para saber qual foi a motivação, e como se deram os fatos que resultaram nesta tragédia que abateu nossa Corporação”, disse.

Logo após o ocorrido, a PM instaurou um Inquérito Policial Militar (IPM) que vai apurar as circunstâncias do fato, bem como a motivação, entre outras questões pertinentes. “Todos os policiais presentes no local serão ouvidos, as armas e viatura utilizadas recolhidas para perícias e outros procedimentos adotados a fim de esclarecer esta tragédia. A Polícia Científica também esteve no local para os procedimentos cabíveis”, afirmou o tenente-coronel Luiz Roberto Costa, Comandante do 2º Comando Regional de Polícia Militar (2º CRPM).

A TRAGÉDIA – As informações iniciais apontam que por volta das 7h20 o soldado Lucas Santos Araújo chegou à Companhia Independente e atirou contra uma viatura composta pelo Subtenente Luiz Antônio Abba e pelo Soldado Robson Alves Medina que sairiam do quartel. O subtenente morreu na hora e o soldado Medina, que também foi atingido, foi socorrido e encaminhado em estado grave à UTI do Hospital local.

Em seguida, também houve a morte do policial soldado Santos (autor destes disparos); no entanto está sendo apurada ainda como esta morte ocorreu. Pouco depois das 10h foi confirmada a morte do soldado Medina no hospital. “Infelizmente, apesar de todos os procedimentos e da agilidade no encaminhamento, ele não resistiu e acabou falecendo na UTI”, conta o tenente-coronel Roberto.

HISTÓRIA – O Subtenente tinha 26 anos de corporação (ingressou em 1991) e 51 anos de idade, era pastor evangélico, casado e deixa esposa e duas filhas adultas. Já o soldado Medina, ingressou na Corporação em 2016, tinha 36 anos de idade e dois de Corporação. Ele era casado, deixa esposa e duas crianças.

O soldado Santos, por sua vez, ingressou na PM em 2016, tinha dois anos de Corporação, 26 anos de idade, era casado e não tinha filhos. De acordo com informações da 6ª Companhia Independente, não possuía em seu histórico registro de transtornos psicológicos e nem de atestado médico, mas respondeu a dois procedimentos disciplinares internos recentemente.

Desde o Comando-Geral, passando pelo 2º Comando Regional da PM até o Comando da 6ª CIPM, todos estão consternados com o fato. “É lamentável ter que lidar com uma situação trágica entre irmãos de farda, algo sem precedentes, que choca toda a sociedade, mas Deus está acima de tudo. A Polícia Militar dará toda a assistência, que estiver ao alcance, às famílias dos policiais militares”, explicou. “O Comandante da 6ª CIPM está pessoalmente, com equipes policiais, acompanhando as famílias e os procedimentos”, conta o tenente-coronel Roberto.

O Comandante do 2º CRPM sintetizou o trágico evento com a mensagem do livro de Eclesiastes, no capítulo 3, que fala acerca do tempo para cada propósito, seja o tempo para nascer, o tempo para morrer, o tempo de chorar, de rir e de prantear.

Por Marcia Santos
Jornalista PMPR

Ocorrência de ameaça e perturbação do trabalho alheio é registrada em Faxinal da Boa Vista


Nesse domingo (02), relatou o solicitante para a Polícia Militar que é vigilante de uma empresa e que presta serviço na empresa "Ibema", ficando responsável por todo o setor residencial e patrimonial, e que dentro deste local denominado "Vila Ibema", possui uma choperia e que no início da madrugada, se depararam com uma briga em via pública, entre clientes saindo da choperia, e que ele e seu companheiro, separaram a briga e os envolvidos tomaram rumo ignorado, retornando assim ao ritmo normal de trabalho. 
Já de manhã, compareceu no posto base dos vigilantes, um homem, o qual passou a perturba-los dizendo que estava na briga e que eles não podiam se envolver, e não ia embora enquanto não conseguisse denunciar os vigilantes, e ameaçou dizendo que esperaria os dois na estrada para "enquadra-los". 
Com a PM no local e em contato com as partes envolvidas, o solicitante demonstrou interesse em representar contra o autor dos fatos, sendo encaminhado as partes até a sede do 3º pelotão para os procedimentos cabíveis.

Fonte: DPM de Turvo

Perita do IML cai em ribanceira depois de atender acidente na BR-277


Uma perita médico-legista de 31 anos caiu em uma ribanceira depois de atender um acidente na rodovia BR-277, na região central do Paraná.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), ela mora em Guarapuava e foi até Laranjeiras do Sul, onde duas pessoas morreram e outras duas ficaram feridas em uma batida frontal.

Na volta para casa, ainda conforme a polícia, a perita bateu em um paredão de pedras e caiu na ribanceira, no quilômetro 413 da BR-277, em Cantagalo.

Ela teve ferimentos e foi encaminhada a um hospital de Guarapuava, mas não teve o estado de saúde divulgado.

Fonte: G1 - PR

Ocorrência de perturbação do sossego alheio é registrada em Turvo


Na noite desse sábado, após várias ligações anônimas de som excessivamente alto no Bairro Chacrinhas, a equipe policial foi até o local, onde de primeiro momento foi orientado a pessoa, o qual se comprometeu a baixar o som. Após alguns minutos a equipe novamente foi acionada por várias ligações relatando os mesmos problemas. No deslocamento, há várias quadras anterior a residência já se ouvia o barulho do volume alto do som. 
Ao chegar no local, observou-se uma movimentação de pessoas correndo para o fundo da residência ficando apenas o proprietário, o qual não soube informar o motivo pelo qual seus companheiros de festa se evadiram de maneira desesperada. Diante da constatação e da reincidência na perturbação foi apreendido o aparelho de som e encaminhado juntamente com a pessoa, até a sede do pelotão para a confecção do termo circunstanciado. 
Durante apreensão do referido aparelho, o cidadão veio a derruba-lo causando danos, vindo também a declarar que já estava quebrado e remendado com fita.

Soldado atira contra policiais e três PMs morreram em Ivaiporã


A Polícia Militar do Paraná, em especial a região norte, está de luto com a tragédia ocorrida em Ivaiporã, na sede da 6ª Companhia Independente de Polícia Militar, que comanda cerca de 15 municípios da região. Por volta das 07 horas, da manhã deste dia 02 setembro, de 2018, o soldado Lucas Santos Araújo, saiu de Pitanga, onde se despediu da esposa, como se estivesse tudo normal, há suspeitas de que na rodovia ele tenha atirado contra o veículo de uma pessoa. 
Ao chegar na companhia, em Ivaiporã, ele entrou na sede para assumir o serviço, momento em que uma viatura estava saindo com três policiais, dirigida pelo soldado Robson Alves Medina; na frente, no banco do passageiro, o subtenente Luis Antônio Abba, que estava deixando o plantão e pegou uma carona com os policiais que estavam indo para o centro da cidade. 
 Ao visualizar a referida viatura, Santos sacou sua arma e passou a disparar tiros. Medina ainda conseguiu acelerar e avançar alguns metros. Um terceiro policial, que estava no banco de trás, pulou do veículo e se protegeu. "Santos também disparou tiros contra outros policiais que saíram para ver o que estava acontecendo; os quais revidaram, mas ninguém se feriu. O Pm que promoveu o ataque, correu para a rua e imagens do sistema de segurança indicam que ele disparou um tiro na altura do próprio queixo e provavelmente praticou o ato extremo", informou o Capitão Elio Boing, comandante da Companhia, já alertando que as informações são um análise prematura que vai depender de outros levantamentos para serem confirmadas. 
 Ele também confirmou que Santos foi alvo de um procedimento simples, por transgressão disciplinar, pela qual recebeu uma punição leve, cujo o subtenente Abba, foi quem analisou o caso, mas não se sabe se esta realmente foi a motivação. "O policial não tinha problemas mais graves, não dava sinais que estava com transtornos psicológicos, inclusive sua família de Pitanga, também informou que ele agia de forma normal e natural, como se estivesse tudo bem" , finalizou Boing. Dos policiais que estavam na viatura, os dois que ocupavam o banco da frente: Abba morreu no local e Medina entrou em óbito quando estava no hospital. 
 A tragédia chocou Ivaiporã e região, a Corporação e principalmente os familiares dos três policiais que morreram, as quais ficaram inconformados com o fato. A notícia ganhou repercussão na imprensa de todo Paraná e até nacional.


Ás informações são do Blog do Berimbau