quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Carli Filho é condenado a nove anos e quatros meses de prisão, mas não vai para a cadeia agora



O ex-deputado Luiz Fernando Ribas Carli Filho foi condenado a nove anos e quatro meses em regime fechado por homicídio com dolo eventual, quando assume intenção de matar, como pedia a acusação, pela morte de dois jovens no acidente provocado por ele em maio de 2009, no bairro Mossunguê, em Curitiba. Apesar da condenação, ele não deverá ir imediatamente para a cadeia, porque poderá recorrer à segunda instância em liberdade. Esgotados os recursos, a possibilidade é que Carli fique apenas parte da pena preso, já que são previstas progressões nela.

A detenção de Carli pode acontecer após os recursos serem esgotados ou por meio de pedidos de prisão temporária ou preventiva, caso o réu traga algum risco de comportamento ou fuga. O juiz Daniel Avelar explicou durante a sentença que, enquanto responde em liberdade, foi aplicada uma medida cautelar para que Carli Filho se apresente todos os meses na comarca de Guarapuava, cidade onde mora.

Segundo o promotor Rodrigo Chemim, do Ministério Público, que fez parte da acusação, a condenação é histórica. “É um marco divisório da Justiça deste país. Uma conclusão democrática e um basta na violência no trânsito. O que queremos mostrar é que o hábito de beber e dirigir não pode ser uma banalidade”, disse.

O julgamento ocorreu após nove anos, uma vez que a defesa do ex-deputado chegou a apresentar 33 recursos, o último deles ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, na tentativa de tirar o júri de Curitiba. Carli Filho está sendo julgado por ter provocado a morte de Gilmar Rafael Yared, de 26 anos, e Carlos Murilo de Almeida, de 20 anos, na noite de 7 de maio de 2009, em um acidente de trânsito no bairro Mossunguê, em Curitiba. O ex-deputado estava dirigindo embriagado e a 173 km/hm, de acordo com a acusação.

O júri foi formado por cinco mulheres e dois homens.

Fonte e foto: Banda B

Nenhum comentário:

Postar um comentário