terça-feira, 14 de setembro de 2021

Com melhora dos indicadores, Paraná altera medidas restritivas contra a Covid-19


A diminuição do número de casos confirmados de Covid-19 e da ocupação de leitos hospitalares permitiu ao Governo do Estado alterar as medidas restritivas de combate ao vírus. Entre outras ações, o decreto nº 8.705/2021, assinado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior nesta terça-feira (14), permite a livre circulação no período da madrugada e também revoga a proibição de venda de bebida alcoólica no mesmo período.

O documento é válido até 1º de outubro e, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), pode ser alterado em razão do cenário epidemiológico ou da situação vacinal.

Ainda segundo com a normativa, eventos poderão receber até mil pessoas (hoje o limite é de 400), desde que respeitem o limite de capacidade de 50% para locais fechados e 60% para locais abertos. Contudo, os participantes precisam estar com o esquema vacinal completo contra a doença ou apresentar exame RT-PCR negativo, com no máximo 48 horas de antecedência.

Também fica permitida o consumo de bebidas e comidas em eventos. Para tanto, é necessário usar máscara cobrindo o nariz e a boca durante todo o momento, exceto para ingestão momentânea de comida ou bebida.

Permanece proibida a realização presencial dos eventos, de qualquer tipo, que possuam uma ou mais das seguintes características: em local fechado que não tenha sistema de climatização com renovação do ar e Plano de Manutenção, Operação e Controle atualizados; que demandem a permanência do público em pé durante sua realização; com duração superior a 6 horas; que não consigam garantir o controle de público no local ou que possam atrair presença de público superior àquele determinado nesta norma, como exposições e festivais; de caráter internacional; realizados em locais não autorizados para esse fim; e que não atendam os critérios previstos nesta legislação e demais normativas vigentes.

Caberá à Sesa editar, por meio de ato normativo próprio, um cronograma de flexibilização das normas restritivas empregadas no controle da pandemia, de acordo com o avanço da vacinação, de forma gradativa e escalonada, condicionado à avaliação dos indicadores de monitoramento dos casos de Covid-19 no Paraná.

NÚMEROS – De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Sesa nesta terça-feira (14), o Paraná soma 1.474.961 casos e 37.944 óbitos pela Covid-19. A média móvel de casos, porém, é 56,6% menos do que há 14 dias. A redução de mortes no mesmo período ficou em 50%.

Já a ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusivos para tratamento da doença está em 55%, enquanto taxa de ocupação dos leitos de enfermaria é de 39%.

Também nesta terça-feira, o Estado ultrapassou a marca de 8 milhões de pessoas vacinadas com a primeira dose (D1) ou dose única (DU) do imunizante contra a Covid-19. Em números absolutos, 8.011.769 doses foram aplicadas na população adulta, entre D1 e DU.

A estimativa do Ministério da Saúde é que o Paraná tenha 8.720.953 pessoas elencadas como população vacinável – acima de 18 anos. Sendo assim, o Estado atingiu agora 91,8% deste grupo com ao menos uma dose. Os dados são do Vacinômetro nacional, com informações da base do Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Desde o início da campanha no Estado, 11.785.711 doses foram aplicadas, sendo 7.689.951 D1, 321.818 DU e 3.773.942 segundas doses (D2), dos quatro imunizantes disponíveis: AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer.

A estimativa da Sesa é fechar setembro com 100% da população adulta vacinada com a primeira dose ou dose única.



Prudentopolitanos morrem em acidente na BR-277, em Prudentópolis.


Por volta das 13h40min, desta terça-feira (14), aconteceu um acidente envolvendo uma caminhonete Ford Ranger na cor preta e uma carreta na BR-277, na Localidade de Marcondes, área rural do município de Prudentópolis.

O acidente resultou em duas vítimas fatais. O Senhor Luis Barbosa morreu no local do acidente.

O jovem Afonso Iaczuk, 33 anos, conhecido popularmente pela alcunha de Afonsinho, foi socorrido mas infelizmente entrou em óbito a caminho do hospital.

De acordo com as primeiras informações, uma carreta plancha deslizou na pista, em uma curva e fez um “L”, colidindo com a caminhonete Ford Ranger em que as vítimas estavam.

A pista estava molhada no momento do acidente.

O corpo do Sr Luís foi recolhido e encaminhado ao IML de Guarapuava.

Familiares das vítimas postaram nas suas redes sociais a respeito do acontecido, de acordo com eles, os locais e horários dos velórios serão divulgados mais tarde.





Oferta Especial Dia do Cliente Supremamais Supermercado de Turvo

 



Saúde confirma mais 26 casos e nove óbitos pela variante delta no Paraná


A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) confirmou nesta terça-feira (14) mais 26 casos e nove mortes pela variante delta e suas sublinhagens. Agora, o Paraná soma 162 casos e 38 óbitos. Os dados foram repassados no relatório de circulação de linhagens Sars-CoV-2 (vírus responsável pela Covid-19), por sequenciamento genômico, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Os novos casos foram registrados em Antonina, Morretes, Paranaguá, Campina Grande do Sul, Curitiba, Quatro Barras, São José dos Pinhais, Cascavel, Alto Paraíso, Cianorte, Loanda, Londrina, Rolândia e Toledo.

As mortes foram registradas nos municípios de Campina Grande do Sul, Curitiba, São José dos Pinhais e Cascavel – seis mulheres e três homens com idades que variam de 5 a 80 anos.

Até agora, 926 amostras foram sequenciadas: 391 aguardam resultado e, dentre os sequenciamentos, 492 indicaram a variante P.1.

PROTOCOLO – Assim que o relatório é enviado pela Fiocruz, a Sesa entra em contato com as Regionais de Saúde, que por sua vez comunicam os municípios de residência (ou de notificação) dos casos confirmados para iniciarem a investigação epidemiológica. Este processo inclui dados desde o início dos sintomas, a realização do exame, se houve internação e se o caso é considerado como cura ou óbito.

SUBLINHAGENS – Sublinhagens de variantes são fenômenos que fazem parte da evolução viral natural e estão associadas à taxa de replicação da doença. Quanto mais o vírus se multiplica, mais rápido ocorrem os processos de evolução. O vírus Sars-CoV-2 sofre mutações esperadas dentro do processo evolutivo de qualquer vírus RNA. Quando isso acontece, caracteriza-se como uma nova variante do vírus.




Polícia Civil prende 10 pessoas durante operação contra o tráfico de drogas sintéticas


A Polícia Civil do Paraná (PCPR) prendeu 10 pessoas, de 23 a 28 anos, suspeitas de envolvimento no tráfico de drogas sintéticas e associação ao tráfico, nesta terça-feira (14). A operação aconteceu em Curitiba, Guarapuava e Londrina.

Dos 14 mandados de prisão, até o momento foram cumpridos 10. Ao todo, quatro pessoas foram detidas em Guarapuava, na região Centro-Sul, cinco na Capital e uma em Londrina, no Norte do Estado.

As investigações foram iniciadas neste ano. Entre os alvos estão gerentes de casas noturnas e jovens responsáveis pela distribuição de drogas sintéticas em Guarapuava e Curitiba.

Foram apreendidos celulares e outros equipamentos de informática. Além disso, com um dos suspeitos foram encontradas munições. Na residência de um outro, a PCPR ainda apreendeu compridos que foram encaminhados a perícia.

Os presos serão encaminhados para a cadeia pública de Guarapuava.

Fonte: AEN


Boletim da dengue registra 50 novos casos no Paraná


O boletim semanal da dengue, divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) nesta terça-feira (14), registra 50 novos casos da doença no Paraná. Há ainda, 1.374 casos em investigação, sem nenhum óbito neste período. Até agora, são 77 casos confirmados da doença, desde o início do atual período epidemiológico em agosto deste ano.

Em duas semanas, 169 municípios registraram notificações de dengue, que passaram de 1.410 para 2.652 – um aumento de 88,09%.

Os novos casos foram confirmados em Foz do Iguaçu (21), Medianeira (6), Maringá (5), Londrina (2), Cambé (2), Assaí (2), Umuarama (2), Pérola (2), Uraí (1), Jataizinho (1), Paiçandu (1), Nova Esperança (1), São Jorge do Patrocínio (1), Cafelândia (1), Paranaguá (1) e Guaratuba (1).

“Com a proximidade de uma nova estação, mais quente e chuvosa, os cuidados devem ser redobrados. Não podemos deixar de nos preocupar com essa doença e mantê-la longe de nossas casas. O cuidado e ajuda de cada um são fundamentais para travarmos essa luta”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

CAPACITAÇÃO – Durante esta semana, uma capacitação para os Agentes de Combate a Endemias (ACE) é realizada na 9ª Regional de Saúde, de Foz do Iguaçu, no município de São Miguel do Iguaçu. O curso tem por objetivo orientar esses profissionais sobre as ações de campo de controle vetorial do Aedes aegypti, mosquito responsável pela transmissão de dengue, Zika vírus, febre chikungunya, dentre outras arboviroses.

HISTÓRICO – A Sesa monitora os dados da dengue desde 1991. O ano de 2007 marcou a primeira grande epidemia da doença no Paraná. Foram mais de 50 mil casos notificados, cerca de 26 mil deles confirmados e sete mortes.

A série histórica da doença aponta que o penúltimo período epidemiológico, de 2019/2020, foi o de maior registro de casos, finalizado com 227.724 confirmações e 177 óbitos.

No dia 3 de agosto, o informe da dengue número 43, que encerrou o período epidemiológico 2020/2021, totalizou 27.889 casos confirmados e 32 óbitos no Paraná. Os dados foram contabilizados desde o dia 1º de agosto do ano passado.

Confira o boletim completo AQUI.



Sanepar prorroga até 30 de novembro adesão a parcelamento de débitos


Como mais uma ação para mitigar o impacto da Covid-19 às famílias mais vulneráveis, a Sanepar prorrogou até 30 de novembro o prazo de adesão ao programa de parcelamento de débitos para os clientes. As negociações das contas em atraso, com vencimento até junho de 2021, são feitas via Programa de Recuperação de Crédito Cliente Particular (Reclip). Esses débitos podem ser parcelados em até 60 meses, sem multa e sem valor de entrada. A taxa de juros foi reduzida de 0,46% para 0,1% ao mês.

Para fazer a adesão, o cliente tem como opções o site da Sanepar, o telefone 0800 200 0115, o e-mail corporativo ou ir às Centrais de Relacionamento, nas cidades onde estão abertas. Depois de negociada a dívida, o parcelamento será incluído nas faturas subsequentes. Todas as parcelas serão lançadas diretamente nas faturas conforme a negociação, não havendo pagamento em dinheiro em nenhuma situação.

Outro diferencial do Replic é que não há exigência de taxa mínima. Independente do valor do débito, da categoria do cliente (residencial, comercial ou industrial), da sua faixa de consumo e do valor final da parcela após a negociação, a dívida poderá ser paga em até 60 meses. A exceção é com imóveis alugados. Nesse caso, o número de parcelas não pode ultrapassar o tempo de vigência do contrato.

Débitos gerados a partir de julho poderão ser negociados, de acordo com as regras gerais da Sanepar. Não serão inclusas no programa as dívidas em discussão judicial.

TARIFA SOCIAL – As contas de água e esgoto para clientes cadastrados na Tarifa Social podem ser pagas até 14 de dezembro deste ano. Ou seja, o prazo de pagamento foi estendido por 90 dias a partir de 16 de setembro de 2021.

SEM CORTE – A Sanepar não tem cortado o fornecimento de água por falta de pagamento de nenhum cliente, desde o início da pandemia do coronavírus.

Todas essas medidas – o parcelamento de débitos, a prorrogação de contas da Tarifa Social e a manutenção das ligações inadimplentes – dão continuidade às ações sociais da Companhia para minimizar o impacto causado pela Covid-19 às famílias paranaenses.



Retorno do horário de verão ganha apoio de entidades do setor elétrico


Um documento elaborado por entidades ligadas ao setor elétrico defende o retorno do horário de verão como medida emergencial para enfrentar a crise energética. As associações pregam ainda que, no longo prazo, o governo deve priorizar o incentivo à eficiência energética para reduzir o risco de novas crises.

O horário de verão foi extinto em 2019 pelo presidente Jair Bolsonaro, sob o argumento de que já não garantia grande economia de energia enquanto causava transtornos para trabalhadores, principalmente aqueles que dependem do transporte público ainda de madrugada.

Com o agravamento da crise energética, porém, vem crescendo no últimos meses o apoio ao retorno do programa, que adia em uma hora o fim do dia, garantindo melhor uso de iluminação natural em um horário de grande demanda por eletricidade.

Entidades do turismo, como CNTur e Feturismo, o setor de restaurantes e, depois, os shoppings já se manifestaram a favor. Nesta segunda, o apoio foi reforçado por Idec (Instituto de Defesa do Consumidor), ICS (Instituto Clima e Sociedade), Iei (International Energy Intiative), Mitsidi Projetos e Hospitais Saudáveis. “O ganho é pequeno, mas nesse momento precisamos contar megawatt por megawatt”, disse o ex-diretor do ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), Luiz Eduardo Barata, que vem trabalhando com o ICS e o Idec na avaliação da crise e da atuação do governo para enfrentá-la.

O grupo de entidades diz que o horário de verão economizaria entre 2% e 3% do consumo no início da noite, reduzindo a necessidade de acionar térmicas mais caras que hoje pressionam a conta de luz.

Barata lembra que o próprio ONS foi contrário ao fim do horário de verão, mas prevaleceu o argumento de que a economia vinha se reduzindo na medida em que o pico do consumo no verão se deslocou para o meio da tarde, quando uma quantidade maior de aparelhos de ar condicionado estão ligados.

“Um dos argumentos é que economizávamos R$ 400 milhões e passamos a economizar R$ 100 milhões”, disse Barata. “Mas agora, se a gente economizar R$ 1 milhão está bom.” Ele frisa que a decisão deve ser rápida, já que a implantação do programa demanda ajustes em diversas atividades econômicas.

As entidades divulgaram um documento no qual propõem maior atenção do governo a iniciativas de eficiência energética, como uma medida estrutural para melhorar a segurança do setor elétrico brasileiro. A avaliação é que o Brasil está atrasado em relação a países desenvolvidos no tema.

Para elas, sucessivos governos vêm sendo negligentes com a questão, que só vem à tona em meio a crises de abastecimento. Para a coordenadora do ICS, Kamyla Borges, os programas do tipo deveriam ser unificados sob uma gestão, para garantir maior efetividade.

As entidades pedem ainda uma atualização dos padrões de eficiência em ar condicionado e geladeiras, com campanha para que o consumidor compre equipamentos mais eficientes.

Caso a periodicidade de atualização tivesse sido mantida, diz o ICS, o Brasil estaria economizando cerca de 1.100 MW médios, quase a capacidade da térmica GNA 1, no norte fluminense, cujas operações devem ser antecipadas para ajudar a combater a crise.

A título de comparação, o programa de redução voluntária do consumo por grandes empresas vai economizar 237 MW em setembro, volume total das ofertas aprovadas nesta segunda pelo CMSE (Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico).

“A eficiência energética deveria ser vista também como política industrial, porque traz produtividade para a indústria e traz competitividade para a economia brasileira”, diz Borges.




Mulher dá golpe de martelo na cabeça de montador de móveis que a assediou



Uma mulher desferiu um golpe de martelo na cabeça de um montador de móveis que ela havia contratado após este cometer seguidos atos de assédio. A situação ocorreu no município de Apucarana, Norte do Paraná, no último sábado (11).

A mulher, que não teve a identidade revelada, teria, de acordo com a Polícia Militar (PM), contratado o montador para fazer um serviço em sua residência. Ela o deixou sozinho na casa e, quando voltou, passou a sofrer seguidos atos de assédio do homem, dentre os quais uma série de "cantadas" e até mesmo sendo segurada pelo braço, quando negou os "elogios" do montador.

Para se desvencilhar do assediador, ela alcançou um martelo e desferiu um golpe na cabeça dele, fazendo-o desmaiar, e correu. Quando voltou à residência, percebeu que ele já não estava mais lá. O homem quebrou uma janela da casa para fugir e ainda não foi encontrado. A polícia constatou que ele é um usuário de drogas.



UniFCV - Está esperando o que para alavancar a sua carreira e ser destaque no mercado de trabalho?

 
Faça sua especialização na UniFCV, com formação a partir de 4 meses e 100% online.

Contamos com o melhor ambiente virtual de aprendizagem, metodologia inovadora e qualidade aprovada!

A UniFCV atualiza você para o sucesso.

Para conhecer os cursos entre no link: 
https://unifcv.edu.br/ead/pos-graduacao/ e se inscreva pelo telefone (42) 99128-1476.

Curta nossa página e fique por dentro das novidades:


UniFCV de Turvo, uma formação que transforma.

IDR-Paraná prepara retorno das Caminhadas na Natureza


O IDR-Paraná (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná), as prefeituras, a Anda Brasil, e o Ecobooking vão retomar as Caminhadas na Natureza e, para isso, foi criado um protocolo sanitário dirigido a empreendedores, caminhantes e ao pessoal que organiza as atividades para evitar o contágio pelo coronavírus. O primeiro circuito a ser retomado deve ser o de Mandirituba, na Região Metropolitana de Curitiba, no dia 24 outubro.

As Caminhadas na Natureza deram um grande impulso à atividade turística no meio rural. Em 2019, quando o coronavírus ainda não tinha chegado ao Brasil, cerca de 70 mil pessoas percorreram os 159 circuitos oficiais de turismo rural no Estado, movimentando a economia de diversas comunidades. Em março do ano passado, com o agravamento da pandemia, as caminhadas foram suspensas.

De acordo com Terezinha Busanello, coordenadora estadual de Turismo Rural do IDR-Paraná, logo no início da pandemia muitas propriedades tiveram que evitar a entrada de turistas. Com isso, as famílias perderam uma importante fonte de renda, já que os participantes das caminhadas consumiam produtos nas propriedades ao longo do percurso.

"Em agosto do ano passado alguns circuitos foram retomados, mas com pequenos grupos. As propriedades com idosos (grupo de risco) permanecem fechadas à visitação. Atualmente cerca de 80% dos estabelecimentos estão recebendo turistas em grupos de 10 a 20 pessoas", afirmou.

Ela disse ainda que mesmo antes da criação de um protocolo de enfrentamento da Covid, os produtores foram orientados sobre medidas de prevenção contra a disseminação da doença.

Foka Eline Jeannette Scheffer, de Curitiba, era uma frequentadora assídua das Caminhadas. Para ela a expectativa da volta dos passeios na área rural é grande.

"Antes da pandemia, eu participava de alguma caminhada todo fim de semana. É uma atividade interessante por vários aspectos. É um lazer, uma forma de encontrar amigos, fazer novas amizades, ver paisagens rurais e ter acesso mais direto a produtos da agricultura familiar. Está todo mundo ansioso para a volta das Caminhadas", afirmou.

No município de Jussara, no Noroeste, o grupo de caminhantes "Pé na Estrada" chegou a reunir mais de 40 pessoas. No entanto, a pandemia limitou os passeios e o número caiu pela metade. Ainda assim, semanalmente percorre alguma trilha na região.

Zenaide Campo Castilholi participa ativamente do grupo e espera o retorno das atividades. "Para mim a caminhada significa muita coisa. É saúde. É você estar no meio da natureza, poder tomar um banho de cachoeira. Conhecer novos lugares. Eu acho que as caminhadas vão voltar sim, mas a gente precisa tomar cuidado", afirmou.

No município de Verê, no Sudoeste, as Caminhadas na Natureza chegaram a reunir 800 participantes no circuito Águas do Verê. Rosangela Regonato, da secretaria municipal de Turismo, disse que a organização do evento está analisando a possibilidade de retorno. Segundo ela, como os caminhantes ficaram muito tempo sem a atividade, é natural que uma caminhada atraia mais gente.

"A preocupação é que para colocar em prática o protocolo de segurança vamos precisar de muita gente trabalhando na organização da Caminhada. Então, ainda estamos analisando", ressaltou. A secretaria já tem a previsão de realizar a caminhada no dia 24 de outubro, mas aguarda a redução do registro de casos de coronavírus na região.

PROTOCOLO – Para que as Caminhadas sejam seguras, o protocolo definido pelo IDR-Paraná e outras instituições inclui várias medidas que já estão sendo divulgadas entre os organizadores, caminhantes e produtores rurais envolvidos na atividade. São regras referentes a como fazer os deslocamentos evitando-se a lotação máxima do veículo e sempre com as janelas abertas. Todos os participantes precisam usar máscara e gel nas mãos antes de entrar no veículo. Os caminhantes devem estar com a cobertura vacinal completa para participar da atividade.

O protocolo orienta ainda que os apertos de mãos sejam evitados e o respeito ao distanciamento mínimo de 1,5 metro entre as pessoas. Os organizadores devem priorizar reuniões ao ar livre. Todos os envolvidos presencialmente na organização do evento precisam estar com a cobertura vacinal completa contra a Covid 19. Os caminhantes devem ser divididos em pequenos grupos e orienta-se que eles não entrem nas casas dos produtores.

Qualquer pessoa que for manipular algum material deve higienizar as mãos antes e depois com álcool gel. O espaço que for receber os caminhantes para almoço ou café deve ter mesas posicionadas com, no mínimo, dois metros de distância uma da outra. Os organizadores precisam medir a temperatura corporal, antes do início das atividades.

Se alguém apresentar sintomas de gripe deve avisar a organização do evento, afastar-se de suas atividades e procurar um médico. Ao fazer sua inscrição, o caminhante terá acesso ao protocolo.


Homem é preso por lesão corporal, ameaça e dano no Distrito da Palmeirinha


Por volta das 16h10min desta segunda-feira (13), na Rua Prof. Evaristo Carneiro, Distrito da Palmeirinha, a equipe de Rádio Patrulha foi acionada para atender uma Ocorrência de Lesão Corporal. 

No local, a equipe entrou em contato com uma mulher de 22 anos, a qual relatou que seu convivente, 29 anos, foi até a residência de um homem de 60 anos de idade, danificou os vidros das janelas e Lesionou o homem, informou ainda que a vítima foi encaminhada por terceiros até a Urgência para receber cuidados médicos. 

A solicitante afirmou para a equipe que o autor falou que para ela faria pior, iria colocá-la em um caixão. O autor fugiu do local e posteriormente retornou para a residência da solicitante, onde localizou o homem, a equipe retornou até a residência da vítima, a qual relatou que o autor foi até a sua casa e começou a atirar pedras, danificando os vidros das janelas, quando ele saiu para ver o que estava acontecendo, aquele arremessou uma pedra em direção da sua cabeça. O homem de 60 anos colocou o braço para proteger seu rosto, sendo que a pedra atingiu seu braço esquerdo e também sua cabeça e caiu no chão e posteriormente foi conduzido até a UPA Primavera, segundo a vítima, a pedrada resultou em Lesão no braço esquerdo ( saturado com confecção de 7 pontos cirúrgicos) e Lesão na cabeça (saturado com confecção de 5 pontos cirúrgicos); e com a queda Lesionou a face direita. 

Ambas as vítimas manifestaram interesse na representação, foi dada voz de prisão ao autor e conduzidas as partes até a 14º SDP para os procedimentos cabíveis.

Fonte: PM

Caminhão cai em ribanceira e deixa um morto na Serra da Esperança


Um caminhão caiu em uma ribanceira e deixou um morto na madrugada desta terça feira (14 de setembro) na Serra da Esperança, na BR 277, em Guarapuava.

O acidente foi registrado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) às 04h30. De acordo com as primeiras informações da PRF, ao tombamento ocorreu no quilômetro 307,5 da rodovia e o caminhão seguia no sentido Guarapuava/Curitiba.

O caminhão, um Truck Iveco, está em local de difícil acesso. A vítima ainda não foi identificada.

A ocorrência está em atendimento (às 0915) pela PRF. Não há informações sobre as circunstâncias do acidente.

Fonte: Gmais
Publicidade