terça-feira, 20 de julho de 2021

Paraná registra 2.657 novos casos e 95 óbitos pela Covid-19



A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta terça-feira (20) mais 2.657 casos confirmados e 95 mortes pela Covid-19 no Paraná. Os números são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas.

Os dados acumulados do monitoramento da doença mostram que o Estado soma 1.342.863 casos confirmados e 33.720 óbitos. Há ajustes ao final do texto.

Os casos confirmados divulgados nesta data são de janeiro (14), fevereiro (14), março (244), abril (137), maio (92), junho (202) e julho (1.954) de 2021.

INTERNADOS – O informe relata que 1.474 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados. São 1.148 pacientes em leitos SUS (636 em UTIs e 512 em enfermarias) e 326 em leitos da rede particular (157 em UTIs e 169 em enfermarias).

Há outros 1.836 pacientes internados, 884 em leitos de UTI e 952 em enfermarias, que aguardam resultados de exames. Eles estão nas redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

ÓBITOS – A Secretaria da Saúde informa a morte de mais 95 pacientes. São 45 mulheres e 50 homens, com idades que variam de 22 a 96 anos. Os óbitos ocorreram de 17 de março a 20 de julho de 2021.

Os pacientes que foram a óbito residiam em: Curitiba (19), Colombo (6), Londrina (5), Pato Branco (4), Cascavel (3), Fazenda Rio Grande (3), Foz do Iguaçu (3), Maringá (3), Cambará (2), Campina Grande do Sul (2), Campo Largo (2), Imbituva (2), Jacarezinho (2), Joaquim Távora (2), Laranjeiras do Sul (2), Ponta Grossa (2), Toledo (2), Umuarama (2) e União da Vitória (2).

A Sesa registra ainda a morte de uma pessoa que residia em cada um dos seguintes municípios: Antonina, Arapongas, Araucária, Balsa Nova, Cianorte, Clevelândia, Entre Rios do Oeste, Guaratuba, Ibema, Irati, Ivaiporã, Jaguariaíva, Lapa, Luiziana, Matinhos, Nova Cantu, Primeiro de Maio, Quitandinha, Realeza, Rebouças, Rio Bom, Santa Amélia, Santa Terezinha de Itaipu, Santo Antônio do Sudoeste, São José dos Pinhais, Telêmaco Borba e Vitorino.

FORA DO PARANÁ – O monitoramento registra 7.065 casos e 188 óbitos de residentes de fora do Paraná.

Quarta imperdível Suprema Supermercado de Turvo

 


Turvo registra mais 01 caso de Covid-19

 


Menino de 12 anos morre atropelado na PRC-466, em Pitanga




Um menino de 12 anos morreu na tarde desta terça-feira (20), após ser atropelado por uma carreta na PRC-466, no trevo de Pitanga.

Segundo informações, Wellington de Jesus estava montado em um cavalo, quando foi atravessar a rodovia e acabou caindo do animal no meio da pista, o motorista da carreta tentou desviar, mas não conseguiu e acabou atropelando o menino que morreu na hora.


Em breve mais informações.

Paraná tem 16 cidades com temperaturas negativas

 


Com a predominância da massa de ar frio e seco em todas as regiões paranaenses, os termômetros das estações meteorológicas do Paraná não passaram de um dígito na manhã desta terça-feira (20), com muitos locais amanhecendo com os gramados brancos de geada. Em 16 cidades, as temperaturas foram negativas, chegando à mínima de -7,8ºC, registrada em General Carneiro, no Sul do Estado. As informações são do Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar).

Seis estações apresentaram as menores temperaturas do ano: APPA Antonina (5,1ºC), Lapa (-2,8ºC), Palmas (-2,9ºC), Paranaguá (6,6ºC), Pinhais (-0,9ºC) e União da Vitória (-3,6ºC). Algumas delas superaram, inclusive, o recorde negativo alcançado na segunda-feira (19), quando a temperatura foi a mais baixa do ano em 15 municípios paranaenses.

A formação de nebulosidade no Norte do Paraná na noite de segunda foi o que reteve a queda mais acentuada nos termômetros naquela região. Já na metade Sul do Estado, onde ocorreu a maior parte das temperaturas negativas, o céu mais claro manteve o declínio nos termômetros. A previsão ao longo do dia é de temperaturas mais amenas, com o tempo aberto e sol predominante.

As cidades que registraram números abaixo de zero nos termômetros foram Cerro Azul (-0,5ºC), Clevelândia (-0,8ºC), Colombo (-2,7ºC), Francisco Beltrão (-1,3ºC), General Carneiro (-7,8ºC), Guarapuava (-2,5ºC), Inácio Martins (-0,8ºC), Jaguariaíva (-0,3ºC), Lapa (-2,8ºC), Palmas (-2,9ºC), Palotina (-2,2ºC), Pinhais (-0,9ºC), Pinhão (-3,7ºC), Ponta Grossa (-2ºC), Telêmaco Borba (-0,8ºC) e União da Vitória (-3,6ºC). Na Capital, a mínima foi de 0,9ºC.

Segundo a meteorologista do Simepar Lídia Mota, as temperaturas sobem, com os termômetros podendo registrar máximas de 15ºC em Curitiba, 16ºC em Ponta Grossa e 18ºC no Litoral. No Centro-Sul chegam à casa dos 17ºC e nas regiões Oeste e no Norte do Estado, variam entre 18ºC e 20ºC”.

A meteorologista destaca que o frio deve perder intensidade a partir desta quarta-feira (21), com a previsão de tempo estável, sem a previsão de chuvas, pelo menos até a próxima semana. A possibilidade é de baixa umidade relativa do ar no Interior do Estado, que poderá chegar a valores próximos ou abaixo dos 30%. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o índice ideal está entre 50% e 60%.

“A massa de ar seco e frio, que favorecem esse cenário mais gelado, começa a perder força a partir de amanhã, quando as temperaturas começa a se elevar”, explica. “Nesse período também podemos observar alguma variação de nebulosidade entre os Campos Gerais, Centro-Sul e no Leste do Paraná (RMC e Litoral), com a possibilidade de formação de nevoeiros”.

Fonte e foto: AEN

Ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário de Turvo


No mês de fevereiro de 2019 foi dado início às obras da Estação de Tratamento de Esgoto e da rede coletora. Até então, Turvo não contava com nenhum metro de rede de coleta e tratamento sanitário.

A primeira etapa das obras já foi concluída. Sendo instalada a Estação de Tratamento de Esgoto, com capacidade para o tratamento de 5 litros por segundo de dejetos sanitários, e que atenderá todos os imóveis com acesso à rede coletora.

A Estação de Tratamento foi estrategicamente implantada próxima a antiga pedreira, por se tratar de um local de baixa altitude, assim, contribuindo para a captação do esgoto através da rede coletora por meio da gravidade.

Também nesta primeira etapa, foram concluídas mais de 3 km da rede coletora, que já atende 152 imóveis. Representando cerca de 10% da população turvense já dispondo deste serviço de saneamento básico.

E NÃO PARA POR AÍ

No início deste ano de 2021, foi dado início a segunda etapa da obra, que atenderá no total 518 unidades domiciliares. A Segunda etapa, com seus mais de 13 quilômetros de extensão, atenderá trechos das ruas: Avenida Moacir Júlio Silvestri, Rua Vereador Renê Rickli, Rua Floriano Caetano Pinto, Benedito Lisboa de Souza, Tiradentes, José Antunes Moreira, Pedro Horst, Pedro Marcelino Ribeiro, Roberto Rickli Sobrinho, Dr. João Ferreira Neves, EliasRickli, Avenida 12 de Maio, e Av. Maria Bettega.

Esta segunda etapa da obra, tem previsão de término na metade do ano de 2022, e totaliza um investimento de R$ 2.977.000,00.

BENEFÍCIOS DO TRATAMENTO DE ESGOTO

Ao final da segunda etapa, a rede coletora atenderá cerca de 33% da população turvense, que terá tratamento de 100% dos dejetos coletados pela rede.

A coleta e tratamento do esgoto além de proporcionar uma maior facilidade no descarte dos dejetos sanitários da população, que não precisará mais se preocupar com fossas sépticas ou outros meios de descarte. Também oferece maior qualidade de vida, na medida em que os dejetos serão destinados de forma segura, garantindo que não sejam descartados de forma irregular, auxiliando a combater o contágio de doenças e infecções causadas pela contaminação de excrementos humanos.

Os esgotos não tratados contaminam a água, o alimento, as mãos, os utensílios domésticos e o solo, assim como podem ser transportados por insetos (baratas e moscas, por exemplo) e roedores. Causando doenças como a cólera, a hepatite, a leptospirose, as viroses, a febre tifóide, a disenteria, as parasitoses e outras.

Para se ter uma ideia, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, a cada $1 investido em saneamento, há uma redução de $4 em gastos com a saúde. O mesmo relatório da OMS ainda reforça que uma comunidade com esgoto tratado é mais produtiva, com menos dias perdidos de trabalho, além de ter seus imóveis valorizados, o que impacta positivamente na economia.

Além, é claro, dos impactos positivos ao meio ambiente. Os dejetos em fossas sépticas irregulares podem atingir lençóis freáticos, ou no descarte incorreto atingindo até mesmo os rios. Os poluentes presentes nestes dejetos sem tratamento, impactam diretamente na qualidade da água e na sobrevivência da vida aquática.

A decomposição da matéria orgânica por meio natural, por exemplo, causa a diminuição da concentração de oxigênio dissolvido, provocando a morte do ecossistema aquático (peixes e outros organismos), escurecimento da água e provoca cheiros desagradáveis. Também existe a possibilidade de eutrofização pela presença de nutrientes provenientes dos restos alimentares e das fezes. Isso gera um crescimento acelerado de algas que produzem biotoxinas na água.

O SERVIÇO LIMPA-FOSSA

O serviço limpa-fossa, oferecido pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras, hoje conta com uma grande fila de espera para o atendimento, que oferta o serviço com um caminhão próprio e em eventuais necessidades mais um caminhão terceirizado, por vezes não consegue atender de forma ágil toda a população necessitada.

Desta forma, a rede de esgoto também auxiliará na resolução deste problema, na medida em que as casas que já possuem a ligação com o esgoto não precisarão mais do serviço de limpa-fossa. Assim, oferecendo um trabalho mais ágil e eficiente para quem necessita.

Confira os pontos já executados: Clique aqui

Sua casa já possui acesso a rede de esgoto, porém não efetivou sua ligação? Ligue para a Sanepar e receba as orientações: 0800-200-0115.


Fonte e foto: Prefeitura de Turvo

Após ver o filho agredir a esposa, homem tira a própria vida em Guarapuava


No dia 19 de julho, por volta das 02h20min, várias ligações via 190 informavam que uma mulher estava em via pública com seus filhos, pedindo socorro, na Avenida Perimental Norte, Bairro Morro Alto. 

A equipe policial chegando no local, em contato com a mulher (30 anos), esta relatou que mora na Rua Floriano Guiné e que seu esposo (34 anos), veio a lhe agredir fisicamente, ameaçou ela e os filhos de morte. 

A equipe deslocou até a residência que estava com as luzes apagadas, momento em que se ouviu um estampido de um disparo de arma de fogo de dentro para fora. Os policiais adentraram a residência, e localizaram o agressor caído, em visível estado de embriagues, e outro masculino com uma lesão no maxilar, provida de disparo de arma de fogo. 

A pessoa alvejada tratava-se do pai do agressor, um senhor de 58 anos, que veio a tirar a própria vida. 

Diante dos fatos, o agressor foi encaminhado até a 14ª S.D.P. para a lavratura do Flagrante Delito por Violência Doméstica e quanto ao seu pai, foram acionados os Órgãos competentes, os quais compareceram no local e realizaram as devidas providências.

Fonte: PM

141 mil vacinas contra a Covid-19 chegam ao Paraná



Mais 141 mil vacinas contra a Covid-19 chegaram ao Paraná na noite desta segunda-feira (19). São 88.200 doses da CoronaVac/Butantan e 52.800 da Covishield/AstraZeneca. Os imunizantes fazem parte do lote com 453,7 mil vacinas anunciado pelo Ministério da Saúde ao Estado.

As doses devem ser direcionadas para a continuidade da vacinação na população em geral acima de 18 anos. A CoronaVac contempla o esquema vacinal completo, sendo metade para primeira dose e metade para segunda aplicação.

Os imunizantes ficarão armazenados no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar) para conferência e divisão das doses, até que sejam enviados para as 22 Regionais de Saúde.

A previsão é que entre terça-feira (20) e quarta-feira (21) o Paraná recebe mais 312,7 mil novas doses, segundo a previsão do Ministério da Saúde.

Até o momento, o Paraná já recebeu 8.568.170 vacinas, sendo 4.311.230 doses de AstraZeneca, 2.900.600 CoronaVac, 1.031.940 Pfizer e 324.400 Janssen.

Destas, o Estado já aplicou 7 milhões de doses entre primeiras, segundas e únicas.
Publicidade