segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Comunidade se une e faz 'vaquinha' para comprar fuzis para PM em Pitanga


A comunidade de Pitanga, na região central do Paraná, se uniu para reequipar a Polícia Militar (PM) da cidade. Com uma “vaquinha” feita por moradores e empresários locais, quatro novos fuzis foram comprados para a PM.

Desde março de 2018, policiais de Pitanga trabalham sem parte do armamento. Eles tiveram as armas recolhidas para perícia, depois de um confronto com uma quadrilha que explodiu caixas eletrônicos na cidade. Três suspeitos morreram na ação.

Sem previsão para que as armas sejam devolvidas à corporação, a população local decidiu intervir.

“É um dever do governo, mas se não faz, alguém tem que fazer. Então nos prontificamos a ajudar”, afirma o presidente do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg), Cícero Barbosa.

Foram arrecadados cerca de R$ 33 mil, que foram usados para a compra dos fuzis.

De acordo com Barbosa, a aquisição das armas foi feita pela própria PM, já que apenas autoridades policiais podem ter acesso a esse tipo de armamento.

“O Comando da PM entrou em contato com o fornecedor, escolheu as armas e nos entregou os boletos para pagamento”, explica.

Segundo a PM, moradores de Santa Maria do Oeste, Palmital e Boa Ventura de São Roque, que ficam na mesma região, também se mobilizaram para comprar equipamentos para as polícias locais.

“A polícia estando mais bem aparelhada pode prestar um serviço melhor”, diz o diretor do Sindicato Rural de Pitanga, Cleverson Shon.

O que dizem os citados

Sobre as investigações do confronto de março, a Secretaria de Estado da Segurança Pública do Paraná disse que a Polícia Federal (PF) é que está investigando o caso.

Já a PF falou que não comenta investigações em andamento.

Fonte: G1 - PR

Festa em Rio Bonito/Turvo terá animação do Grupo Fogo de Chão

Vídeo:





Rodoviária Municipal de Turvo está sendo reformada


A Rodoviária Municipal de Turvo em breve estará de cara nova. Com área total de 671.90 m², a reforma já iniciou e serão feitas trocas e melhorias nas fundações, estruturas, alvenarias, cobertura, esquadrias, acessórios, vidros, instalações elétricas, instalações hidráulicas, instalações de gás, prevenção contra incêndios, drenagem de águas pluviais, impermeabilizações, revestimentos de paredes e tetos, revestimentos de pisos, pinturas e limpeza final da obra.

Recursos advindos da Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Paraná e também recursos próprios do município, totalizando um valor de R$ 190.796,21.




Fonte: Prefeitura de Turvo
Fotos: Elói Mattos/Blog do Elói 


Vem aí grandiosa festa na Comunidade de Passo Grande



Ipem-PR faz alerta para compra de materiais escolares



O Instituto de Pesos e Medidas do Paraná (Ipem-PR) alerta pais e responsáveis para que fiquem atentos para a compra do material escolar. É fundamental observar se os produtos possuem o Selo de Identificação da Conformidade, que atesta que eles atendem requisitos de segurança previstos nos regulamentos do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia – Inmetro.

“A presença do Selo do Inmetro nos artigos escolares tem o objetivo de evitar acidentes que possam colocar em risco a segurança de crianças. Além disso, deve constar a faixa etária ao qual se destina o produto”, explica o gerente de Fiscalização do IPEM-PR, Roberto Tamari.

O Inmetro, através da Portaria n°262 de 2012, determinou 25 produtos que devem seguir as normas estabelecidas neste regulamento, incluindo os itens importados. A justificativa é a presença de substâncias tóxicas de materiais que possam ser levados à boca ou com o risco de serem ingeridas e/ou inaladas, com bordas cortantes, ou a presença de pontas perigosas.

FISCALIZAÇÃO - O Ipem-PR iniciou nesta segunda-feira (07) em todo o Estado, junto aos postos de revenda e fabricantes, a coleta de materiais escolares como cadernos, cola branca, giz, massas para moldear, corretivos líquidos, tintas guache, papel A-4 para testes nos laboratórios do Instituto em Curitiba, Londrina, Maringá, Cascavel e Guarapuava. Um dos objetivos é verificar questões formais desses produtos, a fim de garantir ao consumidor que está adquirindo exatamente aquilo que está pagando.

De acordo com o gerente de Pré-embalados do Ipem-PR, Sérgio Camargo, ação visa também verificar se a quantidade declarada na embalagem pelos fabricantes corresponde à quantidade real.

Confira o que observar na compra do material escolar:

- O Selo de Identificação da Conformidade deve ser afixado na embalagem ou diretamente no produto.
- No caso de material vendido a granel, como lápis, borrachas, apontadores ou canetas, a embalagem expositora com o selo do Inmetro deve estar próxima ao produto
- Não compre artigos escolares em comércio informal, pois não há garantia de procedência. Tais produtos podem não atender às condições mínimas de segurança.
- Guarde a nota fiscal. Ela é sua comprovação de origem do produto.
- Caso encontre produtos sem o selo no mercado formal denuncie à Ouvidoria do Ipem-PR: 0800 645 01 02, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h, ou pelo site www.ipem.pr.gov.br, no link “Ouvidoria”.
- Em casos de acidentes de consumo envolvendo um artigo escolar ou qualquer outro produto ou serviço, relate ao Sistema Inmetro de Monitoramento de Acidentes de Consumo – Sinmac (http://www.inmetro.gov.br/sinmac).

Confira a lista dos produtos regulamentados pelo Inmetro:

ApontadorBorracha e ponteira de borracha
Caneta esferográfica/roller/gel
Caneta hidrográfica (hidrocor)
Giz de cera
Lápis (preto ou grafite)
Lápis de cor
Lapiseira
Marcador de texto
Cola (líquida ou sólida)
Corretor adesivo
Corretor em tinta
Compasso
Curva francesa
Esquadro
Normógrafo
Régua
Transferidor
Estojo
Massa de modelar
Massa plástica
Merendeira/lancheira com ou sem seus acessórios
Pasta com aba elástica
Tesoura de ponta redonda
Tinta (guache, nanquim, pintura a dedo plástica, aquarela)

Fonte: AEN

Menino de 07 anos morre após acidente na BR-158



A reportagem da Rádio Voz acompanhou no final da tarde deste domingo (6/1/19) trabalho de socorristas do SAMU e Corpo de Bombeiros de Coronel Vivida e de policiais rodoviários federais, no atendimento a um gravíssimo acidente na rodovia BR-158, bairro São Cristóvão, perímetro urbano de Coronel Vivida.

O motorista de um Astra, placa de Pato Branco, perdeu o controle do carro, saiu da pista, capotou diversas vezes, só parando depois de uns 50 metros.

Cinco pessoas estavam no interior de veículo: João Carlos Nora, 50 anos de idade, o motorista; e, Lucas Antonio Ribeiro Belo, de 20 anos; Vanderson Siqueira Ribeiro da Silva, 24 anos, e o filho dele, o pequeno Kauan, de apenas 7 anos; ainda estava no carro um adolescente de 15 anos de idade.

Infelizmente o menino Kauan, morreu. Ele foi ejetado do carro a uma distância de 30 metros; literalmente voou e foi projetado contra uma cerca de arame farpado e um pedaço de tronco de árvore, onde ele bateu com tanta violência a cabeça que “desnucou” avaliou doutor Rafael Martins, plantonista na UPA. Ainda segundo o médico a criança já chegou à unidade, sem vida.

Apesar da gravidade do acidente os demais ocupantes sofreram ferimentos considerados leves e médios. Lucas Antonio Ribeiro Belo, fraturou o pulso esquerdo e foi levado a Pato Branco.

Eles voltavam de uma área de lazer, onde passaram o domingo e naa saída da curva, entrando na cidade, o motorista tentou uma ultrapassagem e perdeu o controle de direção, resultando no acidente.

João Carlos Nora, 50 anos, saiu preso da UPA e foi levado pelos policiais rodoviários federais para ser autuado em flagrante por embriaguez ao volante, em Pato Branco. No teste do bafômetro, constatou-se 0,54 de alcoolemia.

Casa é destruída por incêndio em Guarapuava; ex-marido é suspeito de atear fogo


No dia 07 jan. 19, às 03h30min, na Rua dos Nutricionistas, Bairro Morro Alto, a PM prestou apoio ao Corpo de Bombeiros, os quais combateram um incêndio em uma residência que consumiu grande parte do imóvel. A vítima, 24 anos, relatou que suspeita que seu ex-marido, tenha propositadamente provocado o incêndio, pois o mesmo já havia ameaçado do fato.

Fonte: 16º BPM

Homem é preso por posse irregular de arma de fogo em Santa Maria do Oeste


No dia 06 jan. 19, às 22h30min, foi recebida uma ligação do posto de saúde municipal dando conta que tinha dado entrada uma pessoa com ferimentos decorrente de coronha de arma de fogo. 
A vítima relatou que seu agressor chegou com uma garrucha e sem motivo lhe desferiu um golpe na cabeça e estaria em sua residência. A equipe deslocou até o local identificando o agressor e localizado uma garrucha de dois canos sem marcas ou numeração aparente. 
Dada voz de prisão ao autor e encaminhado à delegacia de Pitanga. 

Fonte: 16º BPM

Corpo de homem que desapareceu após enxurrada é encontrado



O corpo do homem que desapareceu após ser arrastado pela enxurrada em Londrina, no norte do Paraná, foi encontrado no início da manhã deste domingo (6). De acordo com o Corpo de Bombeiros, o corpo estava cerca de 800 metros da onde ele desapareceu.

Conforme os bombeiros, Noé de Almeida Santos, de 53 anos, foi levado pela correnteza do córrego Bom Retiro após pular na água. O soldador Danilo Gracindo filmou o momento que Noé dos Santos pulou no córrego. Assista ao vídeo acima.

Após pular no córrego, que havia transbordado por causa da enxurrada, a vítima tenta se agarrar na margem, não consegue e é levado pela correnteza.

“Como a chuva estava muito forte, fiquei dentro do carro esperando ela diminuir. Então vi ele passando. Ele era acostumado a pular nesse ponto, mas sempre conseguia se agarrar e nada acontecia. Dessa vez, ele pulou e foi levado pela enxurrada”, lamenta.

Os parentes de Nóe Santos contam que ele era acostumado a pular nesse ponto do córrego, para ele era uma brincadeira.

“Antigamente, a gente brincava, pulava no córrego quando chovia. Ele continuou fazendo isso até nesse sábado. Mas, dessa vez, ele pulou e não conseguiu voltar. Uma brincadeira que terminou dessa forma. É muito triste”, diz o irmão da vítima, Anderson de Almeida Santos.

Para os bombeiros, essa situação reforça os alertas para não brincar em córregos ou rios durante temporais.

“Nessa época do ano que há pancadas de chuva muito fortes e isoladas, temos que ter uma atenção maior com fundo de vale, em regiões onde há córregos, principalmente em lugares que recebem muita água. É preciso redobrar a atenção porque o rio pode subir de uma vez e pegar alguém de surpresa”, explica o sargento Gustavo Elvira.

Fonte: G1 - PR