quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Eleitores de Nova Fátima e Primeiro de Maio escolhem prefeito e vice neste domingo



De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), o comparecimento do eleitor e o atendimento às convocações para mesários são obrigatórios nas eleições suplementares.

O eleitor que deixar de comparecer às urnas deverá justificar a ausência em qualquer cartório eleitoral até 5 de outubro.

Em Nova Fátima, o candidato mais votado em outubro de 2016, Dr. José Ali Mehanna (PSB), teve a candidatura indeferida por se enquadrar na Lei da Ficha Limpa.

O novo pleito de Primeiro de Maio foi determinado após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) manter decisão do TRE-PR que considerou inelegível Mário Casanova (PP), o candidato mais votado na eleição de outubro.

A candidatura de Casanova foi impugnada porque ele foi condenado em uma ação de improbidade administrativa e porque se filiou ao partido fora do prazo previsto em lei.

Segundo o TRE-PR, os candidatos que levaram à anulação do pleito de outubro de 2016 não puderam participar da nova eleição.

Nova Fátima

Mais de 6,9 mil eleitores de Nova Fátima estão habilitados para votar no pleito suplementar.

Disputam a prefeitura Roberto Carlos Messias (PTB), conhecido como Carlão Messias, Mário Sérgio dos Santos (PPS), conhecido como Marinho dos Santos, Sidney Roque da Silva (Pode), conhecido como Professor Ney Roque, e José Ricardo Ceruli Marinho (DEM), conhecido como Zé Ricardo.

Primeiro de Maio

Em Primeiro de Maio, mais de 8,5 mil eleitores devem voltar às urnas neste domingo.

Eles vão escolher entre quatro candidatos: Bruna Casanova (PP), Eziquiel de Araújo (Pode) conhecido como Eziquiel do Banco, Elizeu de Souza (PPS), conhecido como Ligeirinho, e Paulo Fernandes Júnior (PSDB), conhecido como Paulinho da Informática.

Veja o calendário das eleições suplementares nas duas cidades:

6 de agosto: eleições

11 de agosto, até as 19h: prazo limite para a prestação de contas das candidaturas

até 25 de agosto: diplomação dos prefeitos e vices eleitos.

Fonte: G1 - PR

Colisão envolvendo Padre de Pitanga é registrada em Manoel Ribas


A competente equipe do Corpo de Bombeiros, de Manoel Ribas, foi acionado para atender um acidente envolvendo dois veículos modelo Uno.

A colisão aconteceu na manhã desta quinta-feira, dia 03 de Agosto, de 2017, no trevo da cidade, da PR 466 que dá saída para Ivaiporã.

Segundo o Sargento Márcio, da Defesa Civil, a equipe de socorristas foi para o local, mas ficou apurado, que apesar dos danos, não houve feridos.

Um dos condutores, seria o Padre Antônio da Igreja Ucraniana.

As fotos foram empresas pelo empresário Rafael Rodrigues, de Borrazópolis, da Serralheria R S Rodrigues.
Padre Antônio é da Igreja Ucraniana, ele trazia a imagem da Nossa Senhora Aparecida que faz visita em Manoel Ribas.

Fonte: Blog do Jonei Farias

Caminhoneiro é sequestrado, mantido em cárcere e abandonado na PR-466 em Guarapuava

(Foto: Ilustrativa)

Cercado por dois homens na cidade de Carambeí, um caminhoneiro de 59 anos foi mantido em cárcere privado no interior da cabine de uma carreta na tarde dessa terça feira (1º).

Segundo a vítima, ele estava em um posto de combustível quando foi rendido pelos assaltantes. Em seguida, eles seguiram com a carreta, que estava carregada com diversos produtos de frango, sentido Guarapuava. A carga foi carregada em Rio Verde (GO) e teria como destino Itajaí, em Santa Catarina.

Ainda segundo a vítima, ao chegarem em um posto, o sistema de rastreamento do caminhão foi desativado. Somente após isso fugiram e colocaram uma touca na cabeça da vítima para não saber para onde iriam. Em seguida, foram rumo a Guarapuava e pararam na PR 466, próximo à Palmeirinha, no clarear do dia - por volta das 6h30. Foi quando um dos autores e a vítima desceram e os demais seguiram destino.

O suspeito ligou para seus comparsas o buscarem na PR 466, por volta das 10h30 da manhã dessa quarta (02) e os mesmos soltaram o caminheiro por volta das 11h. A vítima foi pedir ajuda na rodovia, e entrou em contato com representantes da empresa e com o dono do caminhão para relatar o fato, e foi informado que o GPS do caminhão havia sido desligado por volta das 02h da madrugada de quarta (02).

Além do caminhão, que estava com a câmara fria carregada, foi roubado também da vítima um aparelho celular, dinheiro, uma carteira com sua CNH e uma mala com diversas roupas e calçados.

Paraná vai colher 40 milhões de toneladas de grãos


Em nova reavaliação de safra, a Secretaria da Agricultura e Abastecimento estima que a safra agrícola 2016/17 poderá superar 40 milhões de toneladas, entre as três safras plantadas no Paraná. O relatório do Departamento de Economia Rural (Deral), que acompanha mensalmente a evolução das lavouras, já registrou as perdas iniciais na safra de trigo, devido à geada recente, seca durante a evolução da cultura e, ainda, menor área de plantio.

De acordo com o secretário Norberto Ortigara, ainda há riscos pela frente. “Estamos praticamente na metade do inverno, sendo assim, poderão ocorrer novas perdas para os cereais de inverno como aveia, cevada, centeio, trigo e triticale”, explicou. Para o trigo, principal cereal de inverno no Paraná, as geadas ocorridas no mês de junho não causaram prejuízos às lavouras. Já as de julho causaram alguns danos que começam a ser contabilizados.

“Podemos considerar essa situação como normal no período de inverno”, observou Ortigara. É importante ressaltar que as grandes lavouras já escaparam do período mais vulnerável. No entanto, o alerta permanece para o trigo e outros grãos de inverno, cujas plantas estão suscetíveis às quedas drásticas de temperaturas que poderão ocorrer até o fim da estação. “Mesmo assim, o Paraná mais uma vez colhe uma grande safra”, comemora o secretário.

SAFRA DE VERÃO - Para o diretor do Deral, Francisco Carlos Simioni, a safra de grãos de verão foi encerrada no Paraná, consolidando-se com um volume de 25 milhões de toneladas, um aumento de 24% sobre a safra do ano passado. A segunda safra de grãos, em andamento, está com expectativa de aumento de 30% sobre o mesmo período do ano passado, devendo atingir 14 milhões de toneladas puxada pelo milho segunda safra.

“Nossas atenções estão concentradas na cevada e no trigo, que representam cerca de 81,5% da área cultivada no inverno e 88,3% da produção esperada. Até agora estamos bem, mesmo convivendo com frentes frias no final de abril, nos primeiros dez dias de junho e na segunda quinzena de julho com ocorrências de geadas”, explica Simioni.

Apesar do frio, chuva e agora seca, esse ano os produtores têm driblado as variações abruptas do clima. “De maneira geral, as estimativas feitas pelo Deral continuam apontando que o Paraná vem de uma sequência de boas safras, beneficiado pelo clima, como ocorreu nas demais regiões produtoras de grãos do mundo na safra 2016/2017”, observou Simioni.

TRIGO - O trigo plantado no Paraná já registra perdas de 6% na produção devido às geadas recentes e período de seca que atingiu as lavouras do Oeste e Centro do Estado. Fora isso, houve redução de área ocupada pela cultura, que este ano foi 13% menor.

A expectativa inicial do Deral era colher três milhões de toneladas de trigo e agora foi reavaliada para 2,8 milhões de toneladas, uma perda de 200 mil toneladas do grão.

O engenheiro agrônomo do Deral, Carlos Hugo Godinho, prevê novas perdas com a previsão com a ocorrência de, pelo menos, mais duas geadas até o final do inverno, conforme estão prevendo os especialistas em clima. Além disso, essas perdas serão melhores dimensionadas à medida que as plantas crescem e revelam com mais intensidade os danos ocorridos. Segundo Godinho, 56% da área plantada (955.835 hectares) ainda está exposta a risco de geadas.

O mercado esboçou uma reação tímida a esse cenário e o produtor ainda está com o produto cotado abaixo do custo de produção. O preço de venda está estimado em R$ 36 a saca, enquanto o custo foi de R$ 38 a saca para o produtor plantar. A preocupação é que o período ainda é de entressafra e quando for de colheita, a tendência é de caírem os preços pagos ao produtor.

MILHO - Com metade da segunda safra de milho já colhida, é possível prever um grande volume do grão este ano no Estado. As duas safras devem totalizar 18,5 milhões de toneladas, cerca de cinco milhões acima da colheita obtida no ano passado.

A primeira safra, já encerrada, rendeu 4,9 milhões de toneladas, um aumento de 47% sobre igual período no ano passado. A segunda safra, com a colheita em curso, deverá atingir 13,7 milhões de toneladas, um aumento de 35% sobre o mesmo período do ano passado. Apesar de um bom volume, a segunda safra de milho apresenta uma perda de 3% em relação ao potencial produtivo estimado pelo Deral, que apontava para uma colheita de 14,2 milhões de toneladas.

De acordo com o analista e administrador Edmar Gervásio, a primeira safra de milho do Paraná contribuiu com 47% a mais no volume e 24% a mais na área plantada. A segunda safra contribuiu com 35% a mais no volume e 10% na área plantada.

A produção de milho paranaense atende ao mercado interno no suprimento das cadeias produtivas de suínos e aves. Mas, este ano, a tendência é aumentar o ritmo de exportações que podem atingir entre três e quatro milhões de toneladas, ressaltou Gervásio.

Com maior oferta, os preços pagos aos produtores caíram de R$ 30 a saca, há um ano, para cerca de R$ 18 a saca, atualmente – uma queda de 48%. De acordo com o técnico, os preços retornaram próximos à média histórica, de R$ 20 a saca, devido ao excesso de oferta do grão.

FEIJÃO - A segunda safra de feijão já está totalmente colhida e atingiu um volume de 339 mil toneladas, 14% maior que a produção obtida no mesmo período do ano passado. Apesar disso, as lavouras apresentavam um potencial produtivo estimado pelo Deral, de 455 mil toneladas.

Segundo o economista Methódio Groxco, houve uma perda de 25% sobre o potencial produtivo em decorrência das primeiras geadas que atingiram as lavouras de feijão no Sudoeste do Estado, no mês de abril. Além disso, ocorreram chuvas em excesso entre os meses de maio e junho que também prejudicaram as lavouras.

Segundo Groxco, a comercialização do feijão este ano está mais lenta porque o mercado está com muita oferta, com grandes volumes do grão vindos de outros estados e também da Argentina. Além disso, no período de férias reduz-se o consumo de feijão, o que vem provocando queda nos preços pagos ao produtor.

No mês de julho, o feijão de cor está com queda de 42% e o feijão preto, com 70% de redução.

SOJA - A safra de soja se consolidou com um volume de 19,6 milhões de toneladas, 19% a mais que no ano passado. A comercialização está mais lenta que no ano anterior por causa da queda nos preços. Segundo o economista Marcelo Garrido, em 2016, nesse mesmo período, o produtor vendeu a soja por R$ 75 a saca. Este ano, está cotada a R$ 60 a saca, uma redução de 20% devido ao excesso de oferta no mercado e também por causa do câmbio, que não está muito atraente. Diante disso, o produtor está retendo o produto o quanto pode, explica Garrido.


TURVO: Venha contribuir com o plano de governo de 2018-2021



A Prefeitura Municipal de Turvo e a Câmara de Vereadores convida você, cidadão turvense para ser parceiro e corresponsável pelo plano de governo que vai melhorar a qualidade de vida de todos.

A audiência pública será no dia 03 de agosto às 19 horas, no Salão paroquial, ao lado da Prefeitura.

Contamos com sua presença!

Ônibus tomba na BR-277, em Palmeira, e deixa mortos e feridos




Um ônibus de turismo com 37 passageiros tombou na BR-277 em Palmeira, nos Campos Gerais do Paraná, na madrugada desta quinta-feira (3), de acordo com os bombeiros. Segundo o Corpo de Bombeiros, duas pessoas morreram e 15 ficaram feridas.

Dos feridos, conforme os bombeiros, três correm risco de vida. As vítimas foram encaminhadas para hospitais de Palmeira, de Irati, na região central do estado, e de Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba.

Os passageiros que morreram, no local do acidente, tinham 48 e 67 anos, de acordo a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O veículo, segundo a PRF, seguia de Foz do Iguaçu, no oeste, para a capital paranaense.

A PRF informou que o trecho onde o ônibus tombou é de reta, com três faixas. O motorista foi submetido ao teste do bafômetro, conforme a PRF, e o resultado deu negativo.

Sete ambulâncias prestaram socorro aos feridos. O acidente aconteceu por volta das 2h30, e o ônibus ficou fora da pista. O atendimento da ocorrência encerrou por volta das 4h30.

De acordo com a PRF, chovia na hora do acidente. O ônibus tombou no km 198 na rodovia, perto da localidade de Vieiras.

Fonte: G1 - PR