sexta-feira, 24 de março de 2017

Floresta preservada garante avanços para Palmital, no Centro do Estado


Uma área com 452 hectares de mata nativa fechada dentro da pequena cidade de Palmital, na região Central do Estado, garante ganhos ambientais e financeiros para os seus 15 mil habitantes. Criada em 2013, através de uma parceria do município com o Governo do Estado, por meio do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), a Estação Ecológica de Palmital mudou a relação da população local com o meio ambiente.

Sob a orientação do IAP, Palmital criou a Unidade de Conservação que colabora com o meio ambiente e, além disso, trouxe recursos oriundos do ICMS Ecológico, que é destinado a municípios que tenham áreas de florestas preservadas ou mananciais. O recurso pode ser aplicado em qualquer outra área, como saúde, educação. 

“Muitos municípios desconhecem o ICMS Ecológico e iniciamos o trabalho de divulgação, mostrando o potencial florestal que eles têm e que pode gerar recurso para a sociedade, conseguimos com que os prefeitos e secretários municipais entendessem que a floresta pode ajudá-los”, diz o chefe regional do IAP de Pitanga, Marcos Zeschotko. “Além disso, a preservação ajuda o trabalho do IAP na conscientização da população de criar um amor à questão ambiental e de proteção à fauna e flora”, afirma.

INVESTIMENTO LOCAL - Após a criação da Estação Ecológica, a prefeitura realizou, com recursos do próprio ICMS Ecológico, investimentos no local, para obter mais ganho ambiental na área, o que influencia diretamente na tábua de avaliação do local para o repasse do incentivo fiscal.

Foram abertas trilhas para facilitar a locomoção dentro da mata e impedir a caça, instalada estrutura para um caseiro que cuida do local 24 horas, além da construção de estrutura mínima para abrigar pesquisadores. Com isso, a arrecadação do município tem crescido ano após ano garantindo melhorias nas questões ambientais e sociais da cidade. 

MUITO IMPORTANTE - Para a secretária de Meio Ambiente, Agricultura, Obras e Urbanismo de Pitanga, Rosilda Gomes da Silva, o recurso é uma grande ajuda para a cidade. “O ICMS Ecológico hoje representa tudo em questão ambiental, nós usamos esse dinheiro para a Estação Ecológica em si e para todo o trabalho desenvolvido dentro da nossa cidade. É muito importante, ainda mais para as prefeituras que hoje enfrentam dificuldades”, explicou. 


Fonte: www.aen.pr.gov.br



Nenhum comentário:

Postar um comentário