segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Cândido de Abreu: Bandidos armados de fuzis invadiram agência do Sicredi e fugiram levando dinheiro e reféns.


A "Quadrilha do Fuzil", voltou a agir, desta vez em Cândido de Abreu. Segundo informações, era início da tarde desta segunda-feira, quando o bando, utilizando uma caminhonete Nissan Frontier Prata e um Centra, chegou na cidade. Eles fizeram clientes e funcionários da Cooperativa Sicredi, que presta serviços bancários, como reféns e fugiram pouco depois levando dinheiro. Segundo informações, o carro forte havia acabado de abastecer a agência. Algumas pessoas, foram sequestradas (levadas no Capô), entre elas o vigilante e o gerente da Cooperativa. Imagens feitas por moradores revelam a fuga em um veículo de passeio, cor branca, incendiado no portal de saída da cidade, e na camionete de luxo que também foi incendiada na zona rural. A viatura da Polícia Militar, que era reforço na cidade por causa de um triplo homicídio, ficou com marcas de bala, inclusive com o pneu furado.
Fonte e fotos Blog do Berimbau




Prefeitura de Turvo realiza leilão de bens móveis e inservíveis.


Já está sendo realizado no município de Turvo o leilão de veículos de passeio, utilitários, ônibus, carregadeiras, caminhões e máquinas de costura. Para ver todas as opções, suas devidas características, valores e dar o lance, basta acessar o site www.superbid.net.

Para mais informações, os interessados podem ligar na prefeitura municipal de Turvo no (42) 3642-1145 ou se dirigir diretamente à prefeitura e solicitar para ver os veículos e maquinários ofertados.

Os lances já podem ser feitos e o encerramento do leilão será no dia 27 de outubro.

POLICIAIS FEMININAS PARTICIPAM DO SEGUNDO CHÁ DE ROSAS.


O evento aconteceu na tarde da última sexta-feira (14 Out. 16), na sede do Batalhão. No encontro as policiais receberam orientações do Outubro Rosa e da Campanha contra o Câncer de Mama, além de palestras motivacionais, momentos de descontração e relaxamento, com técnicas de Yoga, curso de auto maquiagem e sorteio de brindes. Além de trocarem informações e terem uma tarde agradável. 

O evento contou com a participação da psicóloga Letícia Santana que promoveu o evento, Jo Baitel, instrutora de Yoga Integral e maquiadoras.
Para a psicóloga Letícia, eventos como este valorizam o trabalho das policiais femininas, bem como incentivam a interação entre as mulheres, esse chá de rosas teve a finalidade de destacar a importância da prevenção do câncer da mama nesse mês do outubro rosa.

Guarapuava, 17 de Outubro de 2016.

Elaborado e postado por: Sd. QPM 1-0 Adriane
Auxiliar de Comunicação Social do 16º BPM.
Foto: CS.

Ocorrência policial em Pitanga: Incêndio criminoso em plantação de aveia.


INCÊNDIO CRIMINOSO
No dia 16 Out. 16, por volta das 14h35min, atendendo solicitação, uma equipe da Polícia Militar deslocou até uma propriedade, localizado na PR 456, Rio Feio, onde o solicitante relatou que uma pessoa havia colocado fogo em sua plantação de aveia, vindo a queimar aproximadamente 10 alqueires. No local foi localizado o suspeito de 21 anos, o qual foi reconhecido por testemunhas, como sendo o autor do fato. Diante do disso a equipe encaminhou o autor até a 45ª DRP para as demais providências cabíveis.

Professores da rede estadual iniciam greve no PR por tempo indeterminado.



Professores e funcionários da rede estadual de ensino do Paraná iniciaram uma paralisação por tempo indeterminado a partir deste segunda-feira (17). Com a paralisação, aproximadamente um milhão de estudantes devem ficar sem aula. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP- Sindicato), a greve deve reunir todo o efetivo da categoria – aproximadamente 40 mil funcionários.

De acordo com o presidente da APP, Hermes Leão, "um dos principais motivos que levou à paralisação da categoria foi o fato de o governador Beto Richa (PSDB) ter voltado atrás no compromisso de pagamento da data-base da categoria para janeiro de 2017".

"O governo do Paraná já debateu conosco, já se comprometeu e não vem sustentando suas promessas, inclusive com a proposta de retirar a nossa data-base. Somos a categoria com os mais baixos salários. Será uma greve forte nas mais de duas mil escolas do Estado do Paraná", reforça Hermes Leão.

A emenda que altera o pagamento dos servidores foi apresentada por Richa na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) no dia 3 de outubro e começou a ser analisada pela comissão de orçamento. No dia 11 de outubro o governo encaminhou para a Alep um oficio parando a tramitação da emenda.

Três dias depois, o deputado estadual Luiz Claudio Romanelli (PSB), que é líder do governo na Assembleia, afirmou que a tramitação fica suspensa até que termine a votação, no Senado Federal, da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241. A medida estabelece um teto para o crescimento das despesas públicas e já foi aprovada em primeiro turno. 

Os professores da rede estadual também exigem a regularização do pagamento de promoções e progressões e reclamam do atraso no auxílio refeição para alguns funcionários. Eles também reivindicam a equiparação dos salários de escolas.

A penúltima greve da categoria foi realizada entre os dias 25 de abril e 9 de junho, no ano passado. Ao todo, foram 46 dias de paralisação.

Apoio às ocupações
Ao G1, Hermes Leão disse que a APP-Sindicato apoia o movimento dos estudantes que ocupam escolas do estado para protestar contra a medida provisória 746 que determina uma reforma no ensino médio no país. "Nós temos essa pauta em comum e reconhecemos o direito legítimo dos estudantes em protestar sobre o assunto", disse o presidente do sindicato.

O presidente do sindicato declarou ainda que a APP-Sindicato repudia o recesso escolar nesta semana anunciado neste domingo (16) pelo chefe da Casa Civil do governo do Paraná, Valdir Rossoni.

Segundo o último balanço divulgado pelo Movimento Ocupa Paraná, divulgado na noite de sábado (15), são 470 escolas e sete universidades ocupadas no Paraná.

As ocupações começaram no dia 3 de outubro. Veja a lista completa no site do movimento estudantil.

Entenda o acordo feito em 2015 entre o governo e os servidores
O pedido de reajuste salarial foi um dos principais entraves da greve, que ficou marcada, inclusive, por causa de um confronto entre a polícia e os servidores no Centro Cívico, em Curitiba. Desde o início, a categoria pedia aumento de 8,17%, por conta da reposição da inflação.

No entanto, a proposta que acabou sendo aprovada pelos professores previa o pagamento de 3,45% referente à inflação entre os meses de maio, quando vencia a data-base da categoria, e dezembro de 2014.

Em janeiro deste ano, os servidores receberam um novo reajuste, com a inflação acumulada em 2015. A mesma medida deveria ser tomada em janeiro de 2017, referente à inflação de 2016, mais 1%.

Fonte: G1 PR