sábado, 3 de maio de 2014

Motorista despenca na Linha Verde e só não morre por ajuda de “herói” anônimo


Um homem ficou a beira da morte no final da tarde deste sábado (3) após perder o controle do carro em que estava e cair dentro de um rio nas margens da Linha Verde, no Bairro Alto, em Curitiba. Ele só não perdeu a vida porque um “herói” percebeu que ele estava se afogando e segurou a sua cabeça até a chegada do Corpo de Bombeiros.
De acordo com informações do local, a vítima seguia em um veículo Del Rey sentido a Colombo, quando perdeu o controle e caiu dentro deste rio, localizado atrás da hípica de Curitiba e próximo ao Viaduto do Tarumã.
Ele já estava morrendo afogado, quando um homem identificado como Felipe Dávilla pulou no rio e retirou a cabeça dele do rio, possibilitando a respiração até a chegada dos bombeiros.
Retirado, ele foi levado para o Hospital Cajuru, mas já sem riscos. A oportunidade de agradecer ao seu “herói” ainda não chegou, mas deve acontecer nas próximas horas.
Fonte: http://www.bandab.com.br/

Mãe Dináh morre em São Paulo

Corpo é velado no Cemitério da Paz, no Morumbi, e será enterrado às 15h.
Uma previsão famosa é a de que o Corinthians venceria a Libertadores.




                                                    Mãe Dináh em programa do Canal Brasil(Foto: Reprodução/Canal Brasil)
A vidente Benedicta Finazza, conhecida como Mãe Dináh, morreu em São Paulo na madrugada deste sábado (3) aos 83 anos. O corpo é velado desde as 8h no Cemitério da Paz, no Morumbi, e deve ser enterrado às 15h, segundo informações do cemitério.

Mãe Dináh foi internada no Hospital da Luz, na Vila Mariana, Zona Sul de São Paulo, na última quinta-feira (1). O hospital, por meio de sua assessoria de imprensa, aguarda autorização da família para passar as causas da morte.

Mãe Dináh se considerava “sensitiva e intuitiva com percepção extra-sensorial” e possuía registro de terapeuta holística. Entre as previsões mais famosas estão a de que o Corinthians conquistaria o título da Libertadores e a de que o Santos venceria o Paulista, ambos fatos ocorridos em 2012.

Outra premonição atribuída à Mãe Dináh é a de que a banda Mamonas Assassinas sofreria um desastre aéreo. Ela afirmava que quando via o grupo na televisão eles apareciam envolvidos por fumaça preta. Em março de 1996, o avião que levava os artistas se chocou com a Serra da Cantareira.

Em 2009, mãe Dináh deu uma entrevista para Zé do Caixão em que falou sobre a infância, os dons sobrenaturais e previsões, como as mortes do piloto Ayrton Senna e da cantora Elis Regina.

Nascida em São Paulo, mãe Dináh era filha de pai italiano e bisneta pelo lado materno de tupis-guaranis, passou a infância no bairro do Paraíso, Zona Sul de São Paulo. Afirmava ter iniciado as "ações sensitivas" aos 3 anos de idade contando suas visões de fatos que aconteceriam com pessoas da família ou com amigos. Alegava ter premeditado a morte da avó, poucas horas antes de acontecer, aos 7 anos.

Com 13 anos, ela começou a fazer suas primeiras sessões para colegas de escola e vizinhos. Durante seu ritual de trabalho, Mãe Dináh afirmava não usar vela, carta, tarô, búzios ou qualquer jogo ou oráculo, utilizando como método somente olhar para a pessoa ou analisar o nome completo e a data de nascimento
.
Fonte: http://g1.globo.com/

Projeto universitário ajuda deficientes físicos a retomarem a independência

Projeto da Unicentro foi criado há 10 anos e já contabiliza 4,5 mil pacientes.
'Órtese e Prótese' atende a 20 municípios da região central do Paraná.
produção órtese unicentro (Foto: Divulgação / Coorc Unicentro)Projeto já entregou gratuitamente 1.725 órteses, próteses e meios de locomoção auxiliares à população (Foto: Divulgação / Coorc Unicentro)
Um projeto desenvolvido pelo curso de fisioterapia da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), em parceria com o Sistema Único de Saúde (SUS) e com outros cursos da área de saúde da universidade já beneficiou mais de 4,5 mil pacientes que viram a vida mudar repentinamente após acidentes ou por doenças degenerativas. Desde 2003, o projeto "Órtese e Prótese" oferece gratuitamente órteses, próteses e meios de locomoção auxiliares para pessoas que tiveram partes do corpo amputadas ou que perderam os movimentos de algum membro.

Entre os beneficiados está José Altanir Marques, de 43 anos, que participa do projeto desde agosto do ano passado. Ele trabalhava em uma companhia de energia elétrica de Guarapuava quando, em um dia normal de trabalho, recebeu um choque de 34 mil volts. "Perdi o braço direito e a perna direita. Logo depois que recebi alta do hospital eu me inscrevi no projeto. No período entre agosto e dezembro eu fiquei só fazendo fisioterapia e andava só com a cadeira de rodas. Eu ainda estava me questionando se eu ia voltar a andar ou não", revelou ao G1.

Após passar por uma avaliação, José começou a receber treinamentos para fortificar a musculatura da perna, procedimento que faz parte da preparação do corpo para receber a prótese. Ele também passou a receber acompanhamento psicológico, que analisou uma possível existência de traumas ocasionados pelo acidente e pelas amputações. "Consultei três meses com ela e recebi alta. Cheguei de cadeiras de rodas e saí andando. Hoje tenho apenas a prótese da perna, mas estou na fila de espera para receber a prótese do braço. Além disso, todas as terças e quintas-feiras eu faço atividades físicas na Unicentro. Eles me ensinaram a andar novamente, aprendi a viver uma nova vida. Era um milagre eu estar vivo, era para eu ter perdido a vida", explicou.
Conforme a coordenação do projeto, o caso do José está entre as patologias mais atendidas pelo "Órteses e Próteses", que são as relacionadas a complicações decorrentes do parto - as paralisias celebrais - e as amputações de membros inferiores ocasionados por traumas, diabetes ou vasculopatias. O programa da Unicentro atende atualmente a 20 municípios pertencentes a 5ª Regional de Saúde do Paraná, que abrange a região central do estado, e já entregou 1.725 órteses, próteses e meios de locomoção.

Veja mais no link
http://g1.globo.com/pr/campos-gerais-sul/noticia/2014/05/projeto-universitario-ajuda-deficientes-fisicos-retomarem-independencia.html

Taça da Copa chega a Curitiba, Pelas mãos de Carlos Alberto Torres...

Capitão da Seleção Brasileira no título da Copa de 1970 apresenta troféu na capital paranaense. "Em julho espero que o Thiago Silva tenha a mesma honra que eu"

Capitão do tri, Carlos Alberto Torres beija a Taça da Copa em Curitiba (Foto: Monique Silva)Capitão do tri, Carlos Alberto Torres beija a Taça da Copa em Curitiba (Foto: Monique Silva)
Os olhos estavam todos voltados para ela. O objeto mais cobiçado do futebol está em Curitiba, uma das sedes da Copa do Mundo 2014. A taça chegou à capital paranaense na manhã deste sábado pelas mãos de Carlos Alberto Torres, capitão da Seleção Brasileira no título da Copa de 1970. O troféu original da Fifa fica na cidade até as 21h no Park Cultural, localizado no estacionamento do Park Shopping Barigüi.
Lançado em setembro do ano passado, o tour já percorreu 89 países antes de chegar ao Brasil. A taça desembarcou no Rio de Janeiro, passou por Porto Alegre, Belo Horizonte, Salvador e Cuiabá antes de chegar à capital paranaense. A próxima parada é em Florianópolis, onde o objeto ficará exposto no Centro Sul Convention Center durante o domingo. Pesando 6,175 quilos e feita de ouro maciço de 18 quilates, a taça ainda passará por 20 capitais brasileira até chegar a São Paulo, onde a turnê será encerrada no dia 1º de junho.
- Tenho a honra de receber e mostrar ao povo brasileiro a beleza dessa taça que tem um simbolismo enorme. Eu, que já joguei uma Copa do Mundo e tive a sorte de ser campeão, ainda mais como capitão, recebi o troféu e sou privilegiado - falou o "Capita".
O capitão do tri "se recusou" a levantar a taça e mandou um recado para o zagueiro da Seleção Brasileira.
- Em todo lugar que vou as pessoas me pedem para eu levantá-la. E eu digo que já levantei uma. Agora a honra vai ser do Thiago Silva de erguê-la. Me recuso. Em julho espero que o nosso amigo Thiago Silva tenha a mesma honra que eu já tive - brincou, antes de beijar o troféu.
Em Curitiba, a taça contou com a recepção de dois ex-craques do futebol paranaense, Dirceu Krüger e Nilson Borges, ídolos pelo Coritiba e Atlético-PR, respectivamente.
No evento, o professor Alexandre Gonçalves, idealizador do projeto social "Jogue Tênis" foi homenageado. Natural de São Paulo, o professor oferece aulas gratuitas às quartas e sextas-feiras para crianças de cinco a 13 anos em Curitiba.
- Estou muito orgulhoso de estar aqui, não tenho palavras. É uma satisfação imensa estar ao lado do Carlos Alberto Torres. Fico feliz com esse reconhecimento.

Logo na chegada, os torcedores passam por um corredor onde estão expostas as bolas de cada edição da Copa do Mundo desde 1970, realizada no México. Em seguida, eles assistem a um vídeo sobre a história do evento antes de chegar ao principal momento do tour, o encontro com a taça. Protegida por uma redoma de vidro, o troféu só pode ser tocado por campeões mundiais e chefes de estado.
Fonte: http://globoesporte.globo.com/pr

TURVO 32 ANOS DE 9 A 12 DE MAIO.....