quarta-feira, 2 de junho de 2021

Turvo registra mais 30 casos de Covid-19

 


Primeiro caso da variante indiana é confirmado no Paraná


A Secretaria de Estado da Saúde registrou nesta quarta-feira (2) o primeiro caso da cepa B.1.617 no Paraná, popularmente conhecida como variante indiana ou delta, na nova classificação da Organização Mundial da Saúde (OMS). A identificação foi realizada por sequenciamento genômico do vírus SARS-CoV-2, realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) com amostra de um caso confirmado do Paraná.

Uma mulher de 71 anos, residente no município de Apucarana, no Vale do Ivaí, com comorbidades, apresentou os sintomas da doença no dia 19 de abril após contato com casos confirmados. Ela realizou coleta de exame RT-PCR para diagnóstico da Covid-19 no dia 26 de abril. Chegou a ficar hospitalizada e teve alta.

A paciente morava com o marido de 74 anos e o filho de 58. Os três foram diagnosticados com Covid-19. O filho faleceu no dia 17 de maio. A equipe de Vigilância Epidemiológica municipal realiza acompanhamento dos familiares e contatos próximos e abriu investigação epidemiológica sobre o caso.

O Laboratório Central do Estado (Lacen/PR) envia à Fiocruz, semanalmente, amostras de casos confirmados de Covid-19 para monitoramento das cepas circulantes no Estado do Paraná. O critério de seleção é aleatório e levou à identificação desse caso, que não era considerado suspeito de infecção por alguma Variante de Preocupação (VOC).

O Lacen/PR está realizando a busca de amostras confirmadas para Covid-19, com data de coleta 15 dias anteriores e 15 dias posteriores à data de coleta do exame do caso confirmado, em toda a região da 16ª Regional de Saúde, que abrange 17 municípios.

SUSPEITO – O Paraná registra ainda um caso suspeito da cepa B.1.617. Trata-se de um homem de 38 anos, residente em Cascavel, no Oeste do Estado. A amostra foi remetida à Fiocruz e aguarda o resultado o sequenciamento genômico.

Fonte: AEN

Decreto Municipal de Turvo está vigente até as 05h dia 07 de junho

 

















Paraná registra 4.288 novos casos e 161 óbitos pela Covid-19


A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta quarta-feira (02) mais 4.288 casos e 161 mortes pela Covid-19 no Paraná. Os números são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas. Os dados acumulados do monitoramento da doença mostram que o Estado soma 1.097.100 diagnósticos confirmados e 26.641 óbitos.

Os casos divulgados nesta quarta-feira são de janeiro (21), fevereiro (11), março (33), abril (104), maio (2.415) e junho (1.674) e dos seguintes meses de 2020: junho (1), julho (2), setembro (2), novembro (14) e dezembro (11).

INTERNADOS – O informe relata que 2.888 pacientes com diagnóstico confirmado estão internados. São 2.255 em leitos SUS (991 em UTI e 1.264 em enfermaria) e 633 em leitos da rede particular (309 em UTI e 324 em enfermaria).

Há outros 3.093 pacientes internados, sendo 1.129 em leitos UTI e 1.964 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão nas redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

ÓBITOS – A Secretaria da Saúde informa a morte de mais 161 pacientes. São 54 mulheres e 107 homens, com idades que variam de 15 a 97 anos. Os óbitos ocorreram de 9 de abril a 02 de junho de 2021.

Os pacientes que foram a óbito residiam em Londrina (19), Campo Largo (9), Curitiba (7), Maringá (7), Irati (6), Campina Grande do Sul (5), Guarapuava (5), Paranaguá (5), São José dos Pinhais (5), Toledo (5), Pato Branco (4), Prudentópolis (4), Rio Azul (4), Cianorte (3), Ibiporã (3), Jandaia do Sul (3), Ouro Verde do Oeste (3), Rolândia (3), Santa Helena (3), Araucária (2), Campo Mourão (2), Cascavel (2), Colombo (2), Coronel Vivida (2), Foz do Iguaçu (2), Lupionópolis (2), Mandirituba (2) e Pontal do Paraná (2), .

O informe registra, ainda, a morte de uma pessoa em cada um dos seguintes municípios: Altamira do Paraná, Alvorada do Sul, Ampére, Cambará, Cambé, Castro, Cornélio Procópio, Cândido de Abreu, Entre Rios do Oeste, Faxinal, Fazenda Rio Grande, Florestópolis, Flórida, Godoy Moreira, Guaíra, Ipiranga, Ivaiporã, Jataizinho, Mandaguari, Marechal Cândido Rondon, Marialva, Marilândia do Sul, Munhoz de Melo, Nossa Senhora das Graças, Paiçandu, Palmeira, Palotina, Pato Bragado, Pinhais, Pinhão, Piraí do Sul, Porto Amazonas, Quedas do Iguaçu, Rebouças, Santa Cruz de Monte Castelo, Santa Fé, Sertanópolis, Telêmaco Borba, Umuarama e Vitorino,

FORA DO PARANÁ – O monitoramento registra 5.924 casos de residentes de fora do Estado, sendo que 154 pessoas foram a óbito.

Começa no Paraná a colheita da segunda safra de milho



Os produtores de milho no Paraná iniciaram a colheita da segunda safra 2020/21. No entanto, a estiagem prejudicou e a previsão é de redução de 13,4% no volume em comparação ao ciclo anterior. A análise está no Boletim de Conjuntura Agropecuária elaborado pelo Departamento de Economia Rural, da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, referente à semana de 29 de maio a 02 de junho.

A previsão é colher 10,3 milhões de toneladas na safrinha de milho. No ciclo 2019/20, o volume ficou em 11,9 milhões de toneladas. Essa redução de 13,4% se deve, sobretudo, à estiagem que atingiu o Estado desde o ano passado, com chuvas irregulares e, de modo particular, a ausência de precipitação em períodos mais críticos para o desenvolvimento das plantas.

Essa mesma situação de seca severa comprometeu também a qualidade do produto. As informações que chegam ao Deral, vindas dos técnicos que atuam no campo, apontam que apenas 22% da área total de 2,5 milhões de hectares estão em condições boas. Em situação mediana encontram-se 46% da área, enquanto 32% têm condições ruins.

Historicamente, a colheita da safrinha de milho começa no final de maio, avança de forma tímida durante junho, ganha volume em julho e agosto, e finaliza em setembro/outubro.

A expectativa é que as chuvas ocorridas nos últimos dias aumentem a umidade e ajudem a estancar as perdas de produção. Para os produtores, os preços continuam altos, com a saca de 60 quilos negociada em torno de R$ 80,00.

FEIJÃO, SOJA E TRIGO – A última avaliação dos técnicos do Deral indica que o feijão ocupa área de 254 mil hectares, que deve resultar em produção de 310 mil toneladas. A estimativa inicial era de se colher 504 mil toneladas, mas as adversidades climáticas provocaram redução de 38%. Caso se confirme a produção reduzida, ainda assim será superior em 16% ao volume de 268 mil toneladas colhidas em 2020.

O boletim também destaca a informação sobre os custos de produção do cultivo de soja, que sofreram elevação próxima a 32%, em comparação com maio de 2020. Um dos itens que mais pesaram é o fertilizante, responsável por 37% no cálculo. O aumento deve-se à restrição da oferta devido à pandemia e à desvalorização do real frente ao dólar.

A produção do trigo também teve o custo elevado em 37%. Como na soja, os gastos com fertilizantes foram fundamentais. A ele se somou o gasto com operação de máquinas. Ambos foram muito influenciados pela valorização do barril de petróleo, triplicado em relação a maio de 2020.

OUTROS PRODUTOS – O documento também faz uma análise do comportamento na comercialização das cinco principais frutas nas Centrais de Abastecimento do Paraná (Ceasa). Ao abordar a pecuária leiteira, há um alerta para os produtores que precisam ter cautela e profissionalismo no momento em que o custo de produção se eleva rapidamente.

Por fim, analisa os custos na avicultura de corte, em que a alimentação é o fator que tem mais peso, particularmente devido ao aumento nos preços de milho e farelo de soja. O boletim ainda tece comentários a respeito das exportações de carne suína.

Polícia Rodoviária intensifica fiscalização nas estradas estaduais durante o feriado

Os 54 Postos do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) contarão com mais efetivo para intensificar abordagens e testes etilométricos durante o feriado prolongado de Corpus Christi em todas as rodovias estaduais do Paraná. O trabalho visa prevenir acidentes e flagrar motoristas embriagados, que potencializam possibilidade de acidentes com feridos e mortos.

Durante as abordagens serão feitas orientações sobre as restrições estabelecidas no decreto estadual que trata de medidas de combate à pandemia. O principal objetivo da operação é evitar acidentes de trânsito para auxiliar o sistema de saúde, que está sobrecarregado por conta do aumento de pacientes com Covid-19.

Segundo o comandante do BPRv, tenente-coronel Welleton Joserli Selmer, a orientação é que as pessoas sejam mais conscientes e evitem viajar durante o feriado, colaborando com as medidas de enfrentamento à pandemia.

“Desde o dia 28 de maio estamos promovendo uma série de operações nos 54 Postos Rodoviários do BPRv. O trabalho é focado na utilização de etilômetros aos condutores de veículos para coibir a embriaguez ao volante, além de uso de radares móveis para flagrar excesso de velocidade, duas infrações frequentemente cometidas e que podem causar acidentes graves. As abordagens também visam combater infrações e crimes que operam nas rodovias, como o tráfico de drogas”, disse.

Os efetivos operacional e administrativo do batalhão serão direcionados para aumentar a presença da Polícia Militar nas rodovias estaduais, intensificando abordagens a veículos, vistorias e operações com radares móveis. “Vamos aplicar o máximo do efetivo da Capital e Interior. O efetivo da sede do BPRv estará nos Postos Rodoviários do Litoral, por exemplo”, disse o tenente-coronel Selmer.

O planejamento prevê, ainda, abordagens a postos de combustíveis e pontos comerciais às margens das rodovias estaduais para coibir aglomerações e também fazer testes de alcoolemia. “Sabemos que alguns condutores utilizam esses estabelecimentos para adquirir e consumir bebidas alcoólicas antes de dirigir. Por isso, faremos abordagens para evitar que essas pessoas, se estiverem embriagadas, assumam a direção e causem acidentes”, detalhou.

Nas abordagens também será usado o etilômetro passivo, em que o motorista não tem contato físico com o dispositivo para constatar a presença de álcool. “Se o teste for positivo, o condutor fará outro exame com o etilômetro profissional. Caso haja confirmação, ele receberá a notificação por embriaguez ao volante ou o encaminhamento à delegacia, dependendo da quantidade de álcool por litro de ar constatada”, emendou.

AUTUAÇÕES – Segundo o tenente-coronel Selmer, de sexta-feira (28 de maio) até esta terça-feira (01/06), 59 pessoas foram autuadas por embriaguez ao volante nas estradas estaduais durante as fiscalizações. “Isso quer dizer que a Polícia Rodoviária retirou de circulação 59 pessoas potenciais causadoras de acidentes. Vamos continuar com esse trabalho durante e depois do feriado, prevenindo os acidentes”, acrescentou.

Fonte: AEN


PCPR prende integrantes de associação criminosa que aplicava golpes do bilhete premiado


A Polícia Civil do Paraná (PCPR) prendeu quatro integrantes de associação criminosa responsável por aplicar golpes do bilhete premiado nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. As capturas aconteceram nesta quarta-feira (2) em Curitiba, Araucária e São José dos Pinhais, além do município de Passo Fundo, no estado do Rio Grande do Sul.

Os policiais também cumpriram seis mandados de busca e apreensão em endereços relacionados aos suspeitos. Foram apreendidos os bilhetes utilizados nos golpes, celulares e computadores. Um outro indivíduo, que também está envolvido nos golpes, já foi identificado e até o momento não foi localizado.

No momento da ação criminosa, segundo as investigações, um dos integrantes do grupo fingia ser uma pessoa simples que ganhou um bilhete premiado da loteria e conversava com a vítima. Os demais autores ficavam ao redor dando veracidade à estória. Em seguida, o principal suspeito afirmava querer dividir a recompensa e pedia um valor para dar continuidade. Assim que a vítima dava o dinheiro, os indivíduos desapareciam.

Na maioria dos casos, as vítimas eram procuradas em saídas de farmácias ou de instituições bancárias. O grupo criminoso buscava pessoas idosas para aplicar o golpe. A PCPR já identificou ao menos seis vítimas.

Fonte: AEN

Saúde registra três novos óbitos por dengue no Paraná; total chega a 26


O boletim da dengue divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde nesta terça-feira (1º) registra mais três mortes por causa da doença. O Paraná acumula agora 26 óbitos desde agosto do ano passado.

Os novos óbitos foram no mês de maio e são de mulheres residentes nos municípios de Medianeira, no Oeste (86 anos, com comorbidade), Campo Mourão, no Centro-Oeste (80 anos, com comorbidade) e Maringá, no Noroeste (53 anos, sem comorbidade).

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, alerta que a dengue é uma doença grave, que pode ser evitada com a colaboração de todos. “Alertamos a população para ações de combate à doença com a eliminação dos criadouros do mosquito Aedes aegypti, pois os principais focos de transmissão estão nos domicílios e precisamos da participação de todos neste controle”, disse o secretário.

São 20.242 casos confirmados da doença desde o começo desse registro. O boletim indica 1.507 casos novos em relação ao informe anterior.

O total de notificações ultrpassou a marca de 80 mil (80.079) em todo Estado. Destes, 12.424 permanecem em investigação e 35.648 já foram descartados.

Confira o informe completo AQUI.
Publicidade