segunda-feira, 31 de agosto de 2020

Saúde registra 1.289 novos casos de coronavírus


A Secretaria de Estado da Saúde confirma nesta segunda-feira (31) 1.289 novos casos de Covid-19 e mais 39 óbitos pela infecção causada pelo novo coronavírus. O Paraná soma 130.500 casos e 3.251 mortes em decorrência da doença. Há ajustes nos casos confirmados detalhados ao final do texto.

INTERNADOS – São 948 pacientes internados com diagnóstico confirmado de Covid-19: 770 estão em leitos SUS (370 em UTI e 400 em leitos clínicos/enfermaria) e 178 em leitos da rede particular (59 em UTI e 119 em leitos clínicos/enfermaria).

Há outros 1.217 pacientes internados, 525 em leitos UTI e 692 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de Covid-19.

ÓBITOS – A secretaria estadual informa a morte de mais 39 pacientes. Todos estavam internados. São 13 mulheres e 26 homens com idades que variam de 6 a 93 anos. Os óbitos ocorreram entre 24 a 31 de agosto.

Os pacientes que faleceram residiam em: Curitiba (9), Arapongas (5), Londrina (3), São José dos Pinhais (3), Ibiporã (2), Pinhais (2), além de um óbito registrado em cada um dos seguintes municípios: Adrianópolis, Araucária, Campo Largo, Colombo, Fazenda Rio Grande, Francisco Beltrão, Guarapuava, Irati, Mauá da Serra, Pato Branco, Quatinguá, Ribeirão do Pinhal, Rolândia, São Manoel do Paraná e Três Barras do Paraná.

FORA DO PARANÁ – O monitoramento da secretaria estadual registra 1.406 casos de pessoas que não moram no Estado. Destas, 39 morreram.

AJUSTES:

Alteração de município

Um caso confirmado no dia 20/08 em Curitiba foi transferido para Fazenda Rio Grande;

Um caso confirmado no dia 20/08 em Guarapuava foi transferido para Curitiba;

Um caso confirmado no dia 29/08 em Paraíso do Norte foi transferido para Guaporema;

Um caso confirmado no dia 15/07 em Cândido de Abreu foi transferido para Curitiba;

Um caso confirmado no dia 16/07 em Cândido de Abreu foi transferido para Reserva;

Um caso confirmado no dia 23/07 em Cândido de Abreu foi transferido para Reserva;

Um caso confirmado no dia 22/07 em Cândido de Abreu foi transferido para Ivaí;

Um caso confirmado no dia 10/08 em Pontal do Paraná foi transferido para Colombo.


Terça Verde do Real do Suprema Supermercado de Turvo


Por causa da pandemia, salário mínimo para 2021 será de R$ 1.067, e fica menor que o previsto


A queda da inflação fez o governo reduzir o reajuste do salário mínimo para o próximo ano. Segundo o projeto do Orçamento de 2021, enviado nesta segunda-feira (31) ao Congresso, o mínimo subirá para R$ 1.067 em 2021. Atualmente é de R$ 1.045.

O projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2021, enviado em abril, fixava o salário mínimo em R$ 1.075 para o próximo ano. O valor, no entanto, pode ser revisto na proposta de Orçamento da União dependendo da evolução dos parâmetros econômicos.

Segundo o Ministério da Economia, a queda da inflação decorrente da retração da atividade econômica impactou o reajuste do mínimo. Em abril, a pasta estimava que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) encerraria 2020 em 3,19%. No projeto do Orçamento, a estimativa foi revisada para 2,09%.

A regra de reajuste do salário mínimo que estabelecia a correção do INPC do ano anterior mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos) de dois anos antes perdeu a validade em 2019. O salário mínimo agora é corrigido apenas pelo INPC, considerando o princípio da Constituição de preservação do poder de compra do mínimo.

PIB
O projeto do Orçamento também reduziu as estimativas de crescimento econômico para o próximo ano na comparação com os parâmetros da LDO. A projeção de crescimento do PIB passou de 3,3% para 3,2% em 2021. A previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), usado como índice oficial de inflação, caiu de 3,65% para 3,24%.

Outros parâmetros foram revisados. Por causa da queda da Selic (juros básicos da economia), a proposta do Orçamento prevê que a taxa encerrará 2021 em 2,13% ao ano, contra projeção de 4,33% ao ano que constava na LDO. O dólar médio chegará a R$ 5,11 em 2021, contra estimativa de R$ 4,29 da LDO.

Fonte: Bem Paraná

Turvo - Boletim Oficial Covid-19



Guarapuava chega a 619 casos confirmados de coronavírus


Pitanga chega a 177 casos confirmados de coronavírus



Beto Gentil é pré-candidato a vereador de Turvo


Beto confirmou que é pré-candidato a vereador pelo Partido PL, ele é morador da localidade Banhado Vermelho há 32 anos. 

Beto atua na área de transporte escolar na região de Faxinal da Boa Vista, há 07 anos.

Eleições 2020: partidos e coligações podem registrar candidatos a partir de segunda-feira (31)


Os registros de candidaturas para as Eleições 2020 podem ser realizados por partidos políticos e coligações a partir da próxima segunda-feira (31), conforme o Calendário Eleitoral modificado pela Emenda Constitucional 107/2020, que institui novas datas eleitorais devido à pandemia da Covid-19. Cada partido poderá apresentar um candidato a prefeito e um a vice-prefeito e candidatos a vereador no limite de uma vez e meia o número de assentos disponíveis na Câmara de Vereadores.

O prazo para o registro das candidaturas vai até 26 de setembro, mas a Justiça Eleitoral recomenda que os partidos façam seus registros com antecedência para evitar acúmulo de pedidos, congestionamento no sistema e também aglomeração nas zonas eleitorais.

“É muito importante que os candidatos se antecipem para conseguir todos os documentos necessários a instruir os registros de candidaturas. Em vez de deixar para a última hora, recomendamos que se antecipem, de modo a evitar percalços nos julgamentos dos pedidos”, alerta a servidora Mônica Turchenski, chefe da 1ª Zona Eleitoral de Curitiba.

ELEIÇÕES 2020 TERÃO NOVO SISTEMA DE REGISTRO DE CANDIDATURAS

Os partidos políticos e as coligações devem apresentar seus pedidos à Justiça Eleitoral até as 8h do dia 26 de setembro pela internet ou até as 19h do mesmo dia presencialmente.

A partir deste ano, o recebimento dos pedidos não será concentrado apenas na 1ª Zona Eleitoral em Curitiba. A análise e julgamento dos pedidos, na capital, serão divididos entre oito zonas eleitorais: 1ª, 2ª, 3ª, 4ª, 145ª, 174ª, 175ª e 176ª.


CONDIÇÕES DE ELEGIBILIDADE

- Possuir nacionalidade brasileira;

- Pleno exercício dos direitos políticos;

- Alistamento e domicílio na respectiva circunscrição eleitoral há pelo menos seis meses;

- Filiação partidária por pelo menos seis meses;

- Idade mínima estabelecida para o cargo eletivo.

REQUERIMENTOS E DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA O REGISTRO DE CANDIDATURA

O envio da ata da convenção partidária e os pedidos de registro de candidaturas pelos partidos políticos à Justiça Eleitoral devem ser feitos através do CANDex, que já pode ser baixado pelo site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Por meio do sistema, as coligações, partidos políticos e candidatos devem preencher e entregar os seguintes documentos:

- DRAP (Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários);

- Documento que atesta a realização da convenção partidária e a escolha de um determinado candidato;

- RRC (Requerimento de Registro de Candidatura);

- RRCI (Requerimento de Registro de Candidatura Individual).

Além disso, no pedido de registro de candidatura, os candidatos também devem apresentar declaração de bens, cópia de documento de identificação, certidões criminais para fins eleitorais, prova de alfabetização e de desincompatibilização de cargo ou função pública (se for o caso) e as propostas que defende.

Plano de retomada do turismo avança para reaquecer setor


Diante de todo o impacto provocado pela pandemia do coronavírus, o setor do turismo está entre os primeiros que sentiram a crise bater à porta e figura no rol dos mais prejudicados. Para deixar tudo pronto e favorecer o reaquecimento desse mercado tão logo seja possível, o Governo do Estado e entidades do setor articularam, assim que surgiram os primeiros reflexos do coronavírus, o Projeto de Retomada do Turismo no Paraná, que caminha a todo vapor.

A principal meta é a possibilitar a recuperação a partir do turismo regional, com viagens até de 200 quilômetros dentro do próprio Estado.

Após a conclusão da Fase 1 do projeto, a 2 foi iniciada imediatamente e a fase 3 já está em andamento. Elas consistem, respectivamente, na costura de parcerias com entidades de classe e instâncias de governança para capacitação e qualificação dos serviços, como hospedagem, alimentação e agenciamento e na retomada dos negócios a partir de encontros de negócio virtuais.

O projeto é uma iniciativa da Paraná Turismo, Invest Paraná e Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, em parceria de instituições representativas dos setores público e privado, que fazem parte do Conselho Paranaense de Turismo (Cepatur) e, ainda, das Instâncias de Governança Regionais (IGR’s) das 14 regiões turísticas do Paraná.

“Durante o isolamento social e o fechamento do comércio, trabalhamos incansavelmente para proporcionar uma retomada do turismo em todas as regiões do Estado. Queremos garantir que os destinos turísticos do Paraná entrem na rota dos paranaenses, dos brasileiros e dos estrangeiros, como foi determinado pelo governador", afirmou o secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes.

Na Fase 1 do projeto foi feito, entre março e abril deste ano, um levantamento de 11 mercados emissores dentro do Estado, principalmente nos segmentos ecoturismo, aventura e rural. Os destinos emissores são: Curitiba, Ponta Grossa, Londrina, Maringá, Umuarama, Campo Mourão, Cascavel, Toledo, Foz do Iguaçu, Pato Branco e Guarapuava. Essas cidades foram escolhidas em função da densidade populacional e da capacidade de renda.

Ainda nessa fase houve a seleção de produtos e empresários envolvidos na emissão e recepção de turistas, que deveriam estar inseridos em três filtros básicos – ter registro ativo no Cadastur, estar em um município que faça parte do Mapa do Turismo Brasileiro e seguindo os protocolos sanitários de prevenção à Covid-19.

De acordo com o diretor de Marketing da Paraná Turismo, Aldo Carvalho, após a seleção dos destinos emissores, foi definido que o turismo de curta distância seria a prioridade, inspirando-se em experiências internacionais. “Começamos um trabalho de construção das fases dos projetos e a primeira coisa que fizemos foi um levantamento de informações, e definimos os mercados emissores e os destinos finais dentro do próprio Estado. Ou seja, um turismo do Paraná para o paranaense”, destacou.

CENÁRIO - A necessidade de refletir sobre um plano de retomada era iminente, uma vez que o setor no Estado vinha em franca ascensão. Até outubro de 2019, o Paraná era o segundo com o maior crescimento turístico do Brasil (5,4%) superando, inclusive, a média nacional (1,5%). Também houve um aumento de 23% de empresas que aderiram ao Cadastur, cadastro de prestadores de serviços turísticos, o que representa 1.183 novas empresas registradas em 2019. Além disso, o Paraná marcou presença em pelo menos 30 eventos do setor.

O turismo movimentou no País cerca de R$ 930 bilhões em 2019, além de gerar, até o início da pandemia, cerca de 25 milhões de empregos no Brasil. Os dados traziam otimismo para 2020. No entanto, em março, o início da pandemia atingiu o turismo em cheio, trazendo duras consequências ao trade de forma praticamente indiscriminada, desde os guias de turismo até as companhias aéreas.

Para Giovanni Bagatini, gerente de Turismo do Serviço Social do Comércio (Sesc/PR) e representante da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomercio-PR), o empreendedorismo no turismo é uma atividade arriscada e necessária para o crescimento e até mesmo para a sobrevivência da economia no País.

“O empresariado do turismo tem passado por grandes dificuldades durante a pandemia, sendo o setor mais impactado. Por isso, penso que é a hora de união e resiliência. Eu particularmente sou otimista e devemos buscar suportar os impactos gerados pelo caos para que possamos voltar, e voltar mais fortes”, definiu.

Bagatini define ainda que é possível considerar um cenário de estabilização da economia entre outubro de 2020 e outubro de 2021, no qual ele cita um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) que estima uma perda de 21,5% para o setor do turismo no biênio. Porém, há regiões no Estado, como Foz do Iguaçu e Morretes, nas quais a taxa de dependência do turismo chega a superar 50% e, portanto, são locais onde o impacto acaba sendo muito maior.

“A colaboração entre todas as lideranças será imprescindível e será imperativo de sucesso para superar essa tempestade, a qual tenho certeza que vamos superar aqui no Paraná”, destacou o gerente.

NÃO CANCELE, REMARQUE! – Como parte do projeto de retomada foi lançada a campanha Não cancele, remarque!, que tem como objetivo principal evitar a falência de empresas e o desemprego.

O intuito é que os turistas que já haviam comprado pacotes, passagens aéreas e outros produtos turísticos que estavam datados para um período coincidente com a pandemia sejam conscientizados a não cancelar as reservas feitas, e sim que as remarquem. Isso faz com que as empresas turísticas não tenham que devolver o valor que o turista pagou, desonerando o capital de giro, que ficou prejudicado pela falta de movimentação do mercado durante a pandemia.

SONDAGEM DOS IMPACTOS DA COVID-19 – Durante o período da pandemia, a Paraná Turismo também fez pesquisas de sondagem desenvolvidas pelo Conselho Paranaense de Turismo (Cepatur) sobre os impactos da Covid-19. Os levantamentos foram realizados entre turistas, órgãos oficiais de turismo, e os setores de meios de hospedagem, alimentos e bebidas, eventos, agências de turismo e transportadoras turísticas.

As pesquisas serviram de base para que fosse traçado um cenário do turismo local antes e durante a pandemia da Covid-19, para obter dados suficientes para a execução do projeto de retomada de uma forma assertiva e eficaz. Todas as sondagens podem ser acessadas AQUI.

Fonte: AEN

Mulher é espancada em via pública em Santa Maria do Oeste


No dia 31 de agosto, por volta das 00h14min, a equipe policial  atendendo solicitação do plantão do Hospital São Vicente de Paulo, a qual relatava ter dado entrada na casa hospitalar com lesão corporal, uma feminina vitima de agressão.

Em contato com a vitima, a qual apresentava fratura no braço direito, corte na cabeça e escoriações e hematomas no corpo, passou a relatar que, por volta das 21h00, caminhava em via pública, no município de Santa Maria do Oeste, juntamente com a amiga, quando, um veiculo de cor branca, conduzido por um homem parou próximo a solicitante desceu de posse de uma ripa, do veiculo desceram também, outra pessoa do sexo feminino, qual a solicitante não soube relatar o nome, proferindo ameaças, momento em que sua amiga saiu correndo, então o homem desferiu um golpe com a ripa, o qual fraturou o braço direito da solicitante, a mulher a pegou pelos cabelos a derrubando no chão onde a chutaram, a qual foi socorrida por dois masculinos que passavam no momento e impediram que a agressão continua-se. 

Em ato continuo a solicitante ligou para sua nora, a qual moradora do município de Pitanga, deslocou a Santa Maria do Oeste e trouxe a vitima ate o Hospital São Vicente de Paulo para atendimento medico, diante dos fatos foi a solicitante orientada e repassada via fone a situação a equipe policial de Santa Maria do Oeste.

Fonte: PM

PRF atende colisão frontal entre dois veículos com dois óbitos em Irati

Os dois motoristas entraram em óbito no local do acidente


Neste domingo (30) por volta das 19h30, a equipe PRF foi acionada para verificar um acidente na BR-153/PR no km 343.

No local, a equipe constatou que o veículo VW/Gol 1 .6 Power na cor preta com placas de Irati/PR, seguia sentido Irati, colidiu frontalmente com o VW/Gol GLI 1.8 na cor verde, com placa(s) do município de Reboucas/PR. 

Ambos condutores foram a óbito no local, sendo que o condutor do Gol preto 34 anos e do Gol verde 30 anos).

Os três passageiros de VW Gol na cor preta de Rebouças foram encaminhados em estado grave para a Santa Casa de Irati, sendo duas mulheres (28 e 40 anos) e uma criança de 2 anos, que após primeiro atendimento na Santa Casa, foi removida para Curitiba.

A criança não estava presa à cadeirinha.

A pista permaneceu totalmente interditada até 20h30, sendo liberado no sistema siga e pare até 23h50 e após este horário, liberação total.

Equipes do IML e perícia técnica foram ao local e após os levantamentos, conduziram os dois corpos ao IML em Ponta Grossa.

Ambos os veículos foram recolhidos ao Pátio contratado da PRF por ausência de responsável.

A Polícia Civil realizará inquérito para apurar as responsabilidades no acidente.

Informações e imagens:
PRF