segunda-feira, 23 de março de 2020

Corpos de dez vítimas de acidente com ônibus em Minas Gerais serão velados no norte do Paraná


Dez corpos das onze vítimas que morreram após um acidente na BR-365, em Minas Gerais no domingo (22), serão velados em Porecatu, Florestópolis, Ibiporã e em Londrina, no norte do Paraná. Mesmo com recomendação de evitar aglomerações, as famílias decidiram realizar os velórios. Os corpos devem ser liberados do Instituto Médico-Legal (IML) nesta segunda-feira (23).

A batida entre um ônibus e um caminhão ocorreu no município de Pirapora. A colisão deixou onze mortos e 17 feridos, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Sobre o acidente, em nota, a PRF informou que, segundo levantamento preliminar, o ônibus invadiu parte da pista no sentido contrário quando colidiu contra o caminhão, que transportava repolhos.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, no ônibus foi detectado que o diagrama do tacógrafo estava vencido, não sendo possível verificar há quanto tempo o motorista estava na direção do veículo. A PRF reforça que não é possível apontar a culpa a nenhum dos veículos.

Vítimas

Os mortos estavam entre os 25 passageiros e 2 motoristas do ônibus. Todos eram homens, que seguiam de Salvador, na Bahia, para Porecatu. Eles estavam na Bahia trabalhando.

Mesmo com a recomendação para evitar aglomerações, cinco corpos serão velados coletivamente no Centro Social de Porecatu. Outros três corpos também serão velados juntos em Florestópolis.

Nestes dois casos, haverá controle de entrada das pessoas e será distribuído álcool gel.

Uma das vítimas será velada em Santa Catarina.

O que diz a empresa

A empresa TRANS DPM informou, por meio de nota, que ao tomar conhecimento do acidente envolvendo um de seus veículos, imediatamente enviou representantes da empresa ao município de Pirapora para prestar assistência às vítimas e ajudar as autoridades a esclarecer os fatos.

Mulher enterra filha viva de ponta cabeça após ela acusar padrasto de abuso sexual


Uma mulher de 29 anos está presa desde a noite de sábado (21), em Brasilândia, no leste de Mato Grosso do Sul, por matar a própria filha. Segundo a Polícia Civil, a mãe contou que matou a menina de 10 anos porque ela acusava o padrasto de abuso sexual.

O irmão da vítima, de 13 anos, foi apreendido. Ele confessou que ajudou a mãe a matar a irmã e que ela foi enterrada viva. "Ela pedia por socorro dentro do buraco”, disse o menino à polícia.

A polícia soube do caso pela própria mãe. Depois de ir três vezes ao local do crime para constatar se a filha estava morta, a mulher procurou a delegacia de Polícia Civil e disse que a menina havia desaparecido após ter sido deixada por ela em uma praça com o irmão. Horas depois, ligou para a Polícia Militar e contou que havia matado a criança e queria se entregar.

Os policiais então foram ao encontro da mulher, ela falou sobre o que havia acontecido e levou os militares ao local do crime: um buraco perto do lixão do município. Lá, foi encontrado o cadáver da menina, enterrado de cabeça para baixo.

A Polícia Civil e o Conselho Tutelar foram informados e em conversa com o irmão da vítima, ele confessou que havia ajudado a mãe. Ele tinha arranhões nas pernas, o que fez com que fosse levantada suspeita sobre o envolvimento dele.

O adolescente contou aos policiais que a mãe derrubou a filha no chão e passou a enforcá-la com fio elétrico. Na versão do garoto, a irmã pedia por socorro para que não fosse morta. Em seguida, eles encontraram um buraco no chão e colocaram a vítima ainda viva, enterrando em seguida, ficando apenas os pés para fora.

Conforme a Polícia Civil, o médico legista observou, no exame necroscópico, que a vítima apresentava várias lesões pelo corpo, indicando possível ocorrência de tortura. A causa da morte foi asfixia mecânica por compressão do tórax, compatível com o relato do adolescente.

O garoto revelou ainda que a mãe ficou enfurecida porque a irmã havia dito que estava sendo abusada sexualmente pelo padrasto e prometeu matá-la caso continuasse falando sobre o assunto. Em seguida, ela chamou ambos para sair de carro e parou em uma estrada fora da cidade, onde iniciou as agressões e matou a filha.

A mulher manifestou o direito de falar apenas em juízo. Informalmente, disse aos policiais ter matado a filha em um momento de raiva, negando que a motivação fosse a revelação do abuso sexual praticado pelo padrasto.

A Polícia Civil identificou uma testemunha que relatou que a menina havia mencionado, no final do ano passado, ter sido vítima de abuso por parte do padrasto e que não poderia revelar os professores ou para a polícia por medo de apanhar da mãe.

A mulher foi autuada em flagrante por homicídio qualificado pelo motivo torpe, meio cruel, recurso que dificultou a defesa da vítima, crime praticado para ocultar outro crime; ocultação de cadáver e corrupção de menor. Ela foi encaminhada para o Presídio Feminino de Três Lagoas. Ela já tinha passagens por tráfico de drogas e furto.

A Polícia Civil pediu a prisão preventiva do padrasto da vítima, de 47 anos. Ele é apontado como suspeito de estupro de vulnerável e investigado por eventual participação no homicídio e ocultação de cadáver da vítima.

O adolescente foi apreendido e será recambiado para uma Unidade Educacional de Internação.

Paraná tem mais seis casos de coronavírus confirmados


A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) confirmou mais seis casos de coronavírus no Paraná nesta segunda-feira (23). Os pacientes são de Curitiba (3), Cianorte (2) e Cascavel (1).

As seis mulheres têm entre 28 e 53 anos com viagens para São Paulo, Emirados Árabes e/ou contato com caso confirmado.

O Paraná tem agora 60 casos confirmados, 1.518 em investigação e 159 oficialmente descartados. O Estado aguarda a normalização do sistema do Ministério da Saúde para poder negativar aproximadamente 600 resultados emitidos pelo Laboratório Central do Estado (Lacen). A plataforma apresenta instabilidade há cerca de uma semana.

FAKE NEWS – A Sesa reforça que as informações oficiais são sempre divulgadas no site e redes sociais da Saúde e do Governo do Estado.

“Pedimos à população que não compartilhe notícias e informações não oficiais para evitarmos a divulgação de fakenews e posteriormente a instalação de pânico desnecessário. A informação de qualidade e oficial é uma forma de garantir a melhor e mais adequada orientação aos paranaenses”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Comunicado do Hospital Bom Pastor de Turvo




Comunicado do Conselho Tutelar de Turvo


O Conselho Tutelar de Comunica que a partir do dia 23 de março, os atendimentos serão realizados por meio telefônico e Whatsapp, conforme o Decreto Municipal nº 23/2020, com o intuito de evitar aglomerações e contágio do Coronavírus.

Telefone de plantão: (42) 9 9139-3054.

Use o aplicativo da prefeitura municipal para fazer agendamentos e solicitações.



Comunicado da Câmara de Vereadores do Município de Turvo


A Câmara Municipal de Turvo vem por meio deste comunicado e em atenção ao decreto municipal 27/2020, de situação de emergência no município, bem como ao decreto legislativo nº 01/2020, comunicar de que ficam suspensas as sessões ordinárias das próximas semanas, bem como permanecerá fechada as dependências do Poder Legislativo de Turvo.
Durante esse período e para assim podermos estar colaborando com a prevenção e o cuidado com a nossa população, apelando a todos para que permaneçam em suas casas durante este período, pois o melhor remédio ainda é prevenir, ao final rogamos a Deus para que proteja a todos e o fazemos nas palavras do salmo 91. 1-6, “Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará. Direi do Senhor: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza, e nele confiarei. Porque ele te livrará do laço do passarinheiro, e da peste perniciosa. Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas te confiarás; a sua verdade será o teu escudo e broquel. Não terás medo do terror de noite nem da seta que voa de dia, Nem da peste que anda na escuridão, nem da mortandade que assola ao meio-dia”.

Eraldo Mattos
Presidente

Incêndio destrói carro em Guarapuava


No dia 22 de março, às 17h30min. Na Rua XV de Novembro, Alto da XV, a equipe policial foi acionada para prestar apoio ao Corpo de Bombeiros Militar, para controlar o trânsito, haja vista se tratar de um incêndio a um veículo. 

No local a equipe realizou o balizamento da via, sendo identificado o proprietário o qual relatou que conduzia o veículo Citroen Xsara Picasso, cor prata, qual percebeu o início do incêndio, abandonando-o logo e em seguida acionou o Corpo de Bombeiros, porém o veículo acabou por queimar quase que completamente. 

A equipe da Polícia Civil se fez presente no local, não houve interesse na apreensão do veículo. Tendo em vista o veículo estar estacionado com a chegada da equipe, foi prestado apoio e orientado o proprietário.

Fonte: PM

Acidente de Trânsito no Distrito da Palmeirinha


Por volta das 16h30 no Distrito da Palmeirinha, a equipe policial deslocou à Rua Felipe Karan, esquina com a Rua XV de Novembro, onde teria ocorrido um acidente de trânsito, auto x moto. 

No local foi identificado um veículo Ford/ Ecoesport, com licenciamento pendente, conduzido por um senhor de 55 anos, habilitado na categoria E, em situação normal e uma motocicleta Factor 150, sem débitos pendentes, conduzida por um jovem de 23 anos, habilitado na categoria AB, em situação normal. 

A motocicleta trafegava sentido PR466/centro, pela Rua Felipe Karam, quando envolveu-se em acidente com automóvel que trafegava pela mesma via, sentido contrário, quando este fazia conversão para acessar a Rua XV de Novembro. 

O condutor recebeu atendimento médico no local, por uma equipe do SAMU e o condutor do carro não se feriu. 

A motocicleta foi liberada no local, para um condutor habilitado. O veículo com danos no para lama dianteiro esquerdo, para choque dianteiro, capô e farol esquerdo, foi recolhido ao pátio do 16ºBPM.

Fonte: PM