terça-feira, 14 de maio de 2019

Vem aí o Arraiá da Escola Edite em Turvo


Adolescente está desaparecida em Guarapuava


A equipe policial deu atendimento a uma ocorrência de desaparecimento de pessoa, onde o genitor da adolescente Deisiane Domingues Alves, 14 anos, saiu por volta das 7h30min dessa terça-feira (14) para ir ao colégio e até este momento ainda não retornou.

Conforme informações a mesma nem chegou a entrar no colégio. Relata ainda que a mesma se encontra em tratamento psicológico. Os pais procuraram pela adolescente em amigos e parentes, e tentaram contato via celular sem êxito. Realizado patrulhamento, porém a mesma não foi localizada.

Fonte: PM

Paraná inicia os fóruns sobre o fim da vacinação contra aftosa



O Paraná começou nesta terça-feira (14), em Paranavaí, o primeiro fórum “Paraná livre de febre aftosa sem vacinação”, evento promovido pelo Governo do Estado e parceiros com o objetivo de debater a suspensão da vacina contra febre aftosa no estado.

O secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara; e o gerente de Saúde Animal da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), Rafael Gonçalves Dias, participaram do encontro no Centro de Eventos Armando Trindade Fonseca.

Ortigara destacou que o fórum em Paranavaí marca o início de uma série de eventos para conscientização dos criadores em relação à suspensão da vacinação contra a febre aftosa. “Temos boas condições técnicas para garantir a defesa agropecuária do estado e, com a suspensão, temos a possibilidade concreta de entrar nos melhores mercados de proteínas animais", disse.

Segundo ele, serão promovidos mais cinco fóruns ao longo do mês de maio. O próximo acontece nesta quarta-feira (15), em Cornélio Procópio, depois em Guarapuava (21), Pato Branco (22), Cascavel (23) e Curitiba (29). Além dos produtores, participam entidades e lideranças do setor agropecuário, técnicos, estudantes e representantes do poder público.

Após a campanha de vacinação de maio de 2019, que atinge bovinos e búfalos de até 24 meses, o Paraná deixa de vacinar contra febre aftosa. Em setembro, o Ministério da Agricultura publica um ato normativo que mudará o status do Estado para Área Livre de Febre Aftosa sem Vacinação, e a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) reconhecerá a condição do Paraná em 2021.

Para o gerente de Saúde Animal da Adapar, Rafael Gonçalves Dias, o Paraná está preparado para o diagnóstico rápido da doença, que não se manifesta desde 2005. “Estamos realizando treinamentos, analisando o trânsito de animais e garantindo fortalecimento de barreiras nas divisas do Estado. São 33 postos de fiscalização”, disse. Cargas em trânsito de animais vacinados poderão transitar pelo Paraná desde que passem por pontos de ingresso estabelecidos pela Adapar.

PARCEIROS - Os fóruns são promovidos pela Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Adapar, Emater, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Sistema Faep/Senar, Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores Familiares do Estado do Paraná (Fetaep), e Sistema Ocepar, além de entidades locais que colaboram com recursos físicos, como prefeituras, Sociedades Rurais de Cornélio Procópio e Pato Branco, Fiep, e Unicentro.

EXPORTAÇÕES - Em março deste ano, os técnicos Marta Oliveira Freitas (Adapar) e Fábio Peixoto Mezzadri (Deral/Seab) divulgaram um estudo que mostra que o novo status pode dobrar as exportações de carne suína no Paraná, chegando a 200 mil toneladas ao ano.

Este cenário é previsto se o Estado conquistar apenas 2% do mercado potencial, liderado por China, Japão, México e Coreia do Sul, que pagam mais pelo produto com reconhecida qualidade sanitária, e representam 64% do comércio mundial de carne suína.

Além disso, as cadeias produtivas de carne bovina, de aves e leite também serão beneficiadas com o acesso a mercados que remuneram melhor.


Fonte: AEN

Conselheiro tutelar é preso em flagrante por pedofilia



A partir de investigação conduzida pela Promotoria de Justiça de São João do Ivaí, no Norte-Central paranaense, um conselheiro tutelar de Godoy Moreira (município da comarca) foi preso em flagrante por pedofilia nesta segunda-feira, 13 de maio. A ação contou com o apoio de policiais militares da 6ª Companhia da Polícia Militar de Ivaiporã.

O réu foi preso durante cumprimento de mandado de busca e apreensão expedido pela Vara Criminal de São João do Ivaí, quando houve apreensão do aparelho celular do investigado, no qual foram encontradas imagens pornográficas de adolescentes, configurando o crime previsto no art. 241-B do Estatuto da Criança e do Adolescente (“adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente”), com pena prevista de reclusão de um a quatro anos e multa.

Pais são presos por agressão e morte de bebê em Toledo


Os pais do bebê de nove meses que morreu no Hospital Universitário de Cascavel em abril deste ano foram presos pela Polícia Civil na manhã de terça-feira (14) em Toledo. 

As investigações dão conta de que a morte não foi acidental, como foi informado inicialmente pelo casal. De acordo com a Polícia, a morte da criança foi provocada após uma discussão entre os dois suspeitos. 

Segundo o delegado, o pai arremessou um objeto de cerâmica contra a mãe que estava perto do bebê, a cabeça da criança foi atingida.

O caso aconteceu em 10 de abril. O menino chegou a ser hospitalizado em Cascavel, mas não resistiu aos ferimentos e morreu depois de seis dias de acompanhamento médico. O bebê teve traumatismo cranioencefálico com perda de massa encefálica. 

A criança era o segundo filho do casal. 

Os pais, de 23 e 20 anos foram presos preventivamente e devem responder por lesão corporal seguida de morte. 

No dia do velório o casal deu entrevista a CATVE e comentou o que teria acontecido.


Fonte: Catve.com

Empregados da Sanepar param atividades em repúdio à MP 868


Em todo o Estado, houve manifestações que discutiram os riscos da aprovação desta MP, que leva à privatização do setor



Milhares de empregados da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), em todo o Estado, reuniram-se no início da tarde de hoje (13) para se posicionar contra a Medida Provisória (MP) 868, que altera o marco regulatório do saneamento. A votação da MP está na pauta da Câmara Federal desta terça-feira (14). Em Curitiba, a manifestação foi na sede, com a participação de diretores da Companhia, de representantes da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental no Paraná (Abes), do Sindicato dos Engenheiros do Paraná (Senge), do Sindicato dos Trabalhadores das Empresas de Saneamento (Saemac) e do Sindicato dos Químicos.

Houve protestos em Londrina, Ponta Grossa, Guarapuava, Apucarana, Cascavel, Foz do Iguaçu, Cornélio Procópio, Telêmaco Borba, Arapongas, Santo Antônio da Platina, Cambé, Umuarama, Paranavaí, Iporã, Cidade Gaúcha, Campo Mourão, Teixeira Soares, União da Vitória, entre outras. Aposentados da Sanepar também participaram das manifestações. Mobilização semelhante ocorreu em todo o País, por empregados de companhias estaduais, seguindo orientação da Abes e da Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento (Aesbe), que questionam a forma como o Governo Federal tem encaminhado a proposta de mudança, sem discussão com o setor.

No fim de semana, governadores de 24 Estados, incluindo Ratinho Júnior, divulgaram abaixo-assinado em que discordam da MP pelo risco que representa à prestação de serviços nos municípios menores e deficitários, o que impediria a universalização do saneamento no País.

O diretor-presidente da Sanepar, Claudio Stabile, alertou que a MP pode levar à extinção das companhias estaduais. “A iniciativa privada está de olho no setor. E a MP coloca em risco a Sanepar, que tem uma grandeza, com mais de 7 mil empregados, com a missão de levar saúde às pessoas. Somos portadores de saúde e é isso o que está em jogo. Temos hoje 100% de atendimento com água tratada e a média de 72,8% de atendimento com serviços de esgoto no Estado e a nossa meta é universalizar entre 6 e 8 anos”, disse Stabile.

Há mais de dois anos, entidades do setor têm tentado apresentar propostas para o Governo Federal, sem êxito, segundo o presidente da Abes no Paraná, Luiz Henrique Bucco. “A MP causa transtornos à estrutura do saneamento no Brasil. Os municípios mais carentes é que vão sofrer. E a Abes sempre vai fazer a defesa do saneamento.”

Para o presidente do Saemac, Gerti José Nunes, a luta pelo saneamento público envolve a empresa, trabalhadores e população. “Não são só os trabalhadores que serão prejudicados com esta MP, mas também a população, os usuários. A água é um bem público, de que toda a população necessita. Neste momento, devemos estar juntos na defesa do saneamento.”

ILEGALIDADE – O diretor jurídico da Sanepar, Andrei de Oliveira Rech, explicou que a MP altera a titularidade dos serviços, que é das prefeituras. “De maneira impositiva, esta MP obriga os prefeitos a abrirem licitação. Esta possibilidade hoje já existe com a atual legislação, mas a MP torna isso obrigatório. Saneamento público não é brincadeira. Há décadas, temos dedicado nossos serviços à população e, em situações de emergência, a Sanepar já precisou socorrer empresas privadas aqui no Estado porque temos conhecimento e experiência e para não deixar populações sem água.”

A Associação dos Advogados Empregados da Sanepar também divulgou nota de repúdio ao texto final aprovado pela Comissão Mista do Congresso Nacional para a MP 868, especialmente por excluir a figura jurídica dos contratos de programa. Isso obrigaria a privatização dos serviços e provocaria o sucateamento das companhias estaduais, com severos reflexos para a saúde da população, em especial a mais carente, atualmente atendida indistintamente por estas empresas.

“As mudanças pretendidas pelo Governo Federal para o marco regulatório do saneamento são um retrocesso que impede a universalização e gera insegurança jurídica, escancarando a intenção de tornar a água uma mercadoria. Água é um direito e não mercadoria”, conclui a nota.

Na manhã desta segunda-feira, a Abes também promoveu um ato contra a MP 868 no Instituto de Engenheiros do Paraná. Foi transmitido um vídeo com mensagem do presidente da Abes nacional, Roberval Tavares de Souza, que falou da importância de resistir a esta tentativa de privatizar o setor, via MP. O envio de mensagem para deputados e senadores pode ser feito por este link http://abes-dn.org.br/?p=25536.

Quatro caminhões se envolvem em acidente na BR-376; adolescente morre


Quatro caminhões se envolveram em um acidente na BR-376, em Guaratuba, nesta terça-feira (14), de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Um adolescente de 16 anos que, conforme a PRF estava em um dos veículos, morreu. Um motorista foi levado em estado grave ao hospital.

A batida aconteceu no km 667 da rodovia, no sentido sul, por volta das 6h30.

Segundo a PRF, um dos veículos descia a Serra do Mar e atingiu a traseira de uma caminhão-furgão que carregava empadas.

Com a colisão, o caminhão-furgão entrou embaixo da traseira de outra carreta. O adolescente e o motorista que ficou gravemente ferido estavam no caminhão-furgão, de acordo com a PRF.

A carreta que causou a primeira batida estava sem freio e, conforme a PRF, continuou descendo a Serra do Mar. Então, acertou a traseira do quarto caminhão.

Por volta das 7h15, uma faixa sentido Santa Catarina estava liberada. Há congestionamento no local, mas a PRF não informou qual é o tamanho da fila.

Fonte: G1 - Paraná

Faleceu em Turvo, Noé Lopes Sobrinho (Noé do Cartório)


Faleceu na noite dessa segunda-feira (13), o senhor Noé Lopes Sobrinho, com 92 anos. Seu corpo está sendo velado na capela mortuária.  O sepultamento será hoje, em horário a ser designado. 

O senhor Noé foi o 1º Cartorário de Turvo. 

Informou Funerária Nossa Senhora Aparecida de Turvo.