sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Polícia Militar reforça o policiamento em todo o Paraná com a Operação Natal 2018


Com o objetivo de evitar o cometimento de crimes e reforçar as atividades de policiamento preventivo por conta da maior circulação de dinheiro e de pessoas com a proximidade das festas natalinas, a PM do Paraná lançou nesta sexta-feira (30/11) a Operação Natal 2018. Serão feitas uma série de ações e operações em Curitiba, Região Metropolitana (RMC) e Interior do estado, concentrando o efetivo nos principais locais de circulação de pessoas, como as áreas comerciais centrais e dos bairros e agências bancárias.

Para a Comandante-Geral da Polícia Militar, coronel Audilene Rosa de Paula Dias Rocha, o objetivo é colocar o maior número de policiais nas ruas para que a população tenha mais tranquilidade. “Neste período a população vai estar mais nas ruas, principalmente à noite, uma vez que os trabalhadores deixam para fazer as compras após o expediente, tendo um movimento acima do normal. O nosso trabalho final é, de fato, garantir o bem-estar, a proteção e a segurança da população e evitar os crimes”, disse a coronel.

Durante a Operação serão utilizados todos os tipos de policiamento ostensivo (a pé e motorizado), realizados pelas modalidades de patrulhamento, policiamento presença e diligências. Para o reforço será empregado o efetivo do serviço administrativo, além do policiamento já existente. A operação iniciou-se às 14 horas desta sexta-feira em todo o estado e segue ininterruptamente até às 14h do dia 24 de dezembro (segunda-feira). Os trabalhos acontecerão diuturnamente, e serão reforçados nos finais de semana e feriados.

“Nós trabalhamos com turnos, usualmente das 9 horas às 23 horas, e para esses turnos de serviço nós temos um acréscimo de 20% em termos de atividade, lembrando que este é o efetivo administrativo que deixam suas atividades (em seus setores) para atenderem a demanda exigida por este período”, explicou o Subcomandante-Geral da PM, coronel Arildo Luis Dias.

CURITIBA – O reforço com o efetivo administrativo do Quartel do Comando Geral será empregado na área Central da Capital, no policiamento a pé, das 13h30 às 19h30, de segunda à sexta-feira. No sábado, será aplicado das 7h30 às 13h, podendo ser feito a pé ou motorizado.

Já os integrantes do setor administrativo da sede do 1º Comando Regional de Polícia Militar (1º CRPM), 12º Batalhão de Polícia Militar (12º BPM), Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran) e do Regimento de Polícia Montada (RPMon), de segunda à sexta-feira, serão empenhados, também na área Central, das 18h às 23h. No sábado, serão aplicados das 7h30 às 13h, podendo ser feito a pé ou motorizado.

O trânsito urbano e rodoviário também recebe reforço de fiscalização pelo Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran) na Capital, pelo Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) nas rodovias estaduais, e pelos Pelotões de Trânsito das unidades de área nos demais municípios do estado.

“Estamos reforçando as operações de trânsito não só no Centro de Curitiba, mas também em outras áreas da cidade. próximo aos locais onde há maior movimentação de veículos e pessoas, estaremos presentes para garantir a segurança e inibir condutas irresponsáveis”, explicou”, disse o Comandante do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran), tenente-coronel Naasson Polak.

RECOBRIMENTO – As unidades especializadas da corporação desempenharão papel de recobrimento de área, somando-se ao trabalho feito pelos Batalhões e Companhias Independentes de cada região do Estado, atuando em missões específicas. Nesse esquema de segurança participam o Batalhão de Operações Especiais (BOPE), com suas seis subunidades; o Batalhão de Polícia Ambiental (BPMA); o Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv); o Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran); o Regimento de Polícia Montada (RPMon); o Batalhão de Patrulha Escolar Comunitária (BPEC); o Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA); a Academia Policial Militar do Guatupê (APMG) e o Batalhão de Polícia de Guarda (BPGd).

“A Polícia Militar está aplicando o efetivo a mais nas ruas tendo em vista as festas natalinas, que alteraram o horário de funcionamento do comércio. O BOPE vem dar apoio nessas áreas para coibir furtos e roubos aos estabelecimentos comerciais”, citou o Comandante do BOPE, tenente-coronel Hudson Leôncio Teixeira.

Fonte: www.pmpr.pr.gov.br

Comunidade Ucraniana de Turvo promove Almoço e sorteio de um Fusca dia 09/12



Painéis de energia solar se tornam mais populares entre brasileiros


Opções de financiamento e consórcio contribuíram para tornar energia limpa mais acessível

O número de instalações de painéis solares no Brasil não para de crescer. Segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), até junho deste ano foram instalados mais de 45 mil painéis de energia fotovoltaica em todo País, número que triplicou em comparação a 2017.

Alguns motivos que chamaram a atenção dos brasileiros para esse tipo de energia foram a redução da conta de luz a médio e longo prazos e também o fator ambiental, já que a energia solar está entre as fontes mais limpas disponíveis atualmente. O que ainda pesa contra a instalação de painéis solares é o custo, que pede um investimento inicial mais alto. Também é importante destacar que, entre as principais vantagens para os consumidores de energia, é o fato de que é possível proteger-se contra uma oscilação de custo da geração elétrica no país, que mantém a maioria dos consumidores expostos a aumentos repentinos nas suas respectivas contas.

De acordo com uma pesquisa divulgada em 2016 no Portal Solar, em que se analisaram os valores de várias empresas de energia solar no Brasil, o custo para obter essa tecnologia varia de acordo com o local e tamanho do telhado. Segundo Thiago Pereira, diretor da Platus Energia Solar em Guarapuava, nos últimos 3 anos os geradores de energia solar fotovoltaica tiveram uma redução de preço muito expressiva, beneficiados por isenções de impostos e concorrência de mercado. Com isso, o prazo de retorno do investimento ficou muito mais atrativo, podendo variar de 4 a 7 anos, sem dúvidas é um ótimo negócio pois o gerador tem vida útil estimada de 25 anos, ou seja, o retorno é certo. Quando tomamos como exemplo um cliente comercial urbano com consumo mensal de energia de R$ 3.000,00, prevemos retorno do investimento em 4 anos, após este período significa que os R$ 3.000,00 poderão ser utilizados para outros fins, colaborando com a saúde financeira da empresa.

Para facilitar esse investimento e garantir um futuro mais sustentável, o Sicredi desenvolveu uma linha de crédito específica para a compra de equipamento de geração de energia elétrica solar, com possibilidades de financiamento ou então consórcio. “As fontes alternativas de energia devem acompanhar a necessidade das pessoas e é uma tendência pensarmos mais em soluções que sigam a tecnologia, preservando o meio ambiente”, afirma Valmir Dzivielevski, Diretor Executivo da cooperativa Sicredi Planalto das Águas PR/SP.

Um bom exemplo da aplicação de fontes alternativas de energia vem de duas agências da cooperativa: Candói, no Paraná e Fernandópolis, na região noroeste de São Paulo, que investiu em um sistema de geração de energia solar, que proporcionará uma economia e o excesso ainda poderá ser revertido para abastecer outras agências da cooperativa. Na opinião do presidente da Sicredi Planalto das Águas PR/SP, Adilson Primo Fiorentin, a busca por outras fontes, que possibilitem a geração de energia limpa e sustentável é uma tendência sem volta. “O mundo precisa disso, pois a sociedade caminha para um maior cuidado com questões ambientais e as empresas, através de seus gestores preocupados com o uso consciente dos recursos naturais, buscam investir em sistemas alternativos. O Sicredi é parceiro dessas boas práticas, que preservam o meio ambiente, estimulam o fortalecimento econômico e proporcionam maior rentabilidade para as empresas”, explicou.

Para quem deseja se planejar e programar a compra do bem sem juros, a opção é o Consórcio Sustentável. Mas se o equipamento precisa ser comprado imediatamente, o caminho é a linha de Crédito Sustentável, com prazos maiores e taxas facilitadas de pagamento. Para Gilson Nogueira Farias, gerente de Desenvolvimento de Crédito da Central Sicredi PR/SP/RJ, esse é um caminho sem volta e que deve ser estimulado. “A sustentabilidade faz parte do DNA cooperativista. Juntos podemos ir além e com ações que garantam o desenvolvimento de todos, de maneira igualitária. Por isso, incentivar e facilitar o acesso a equipamentos de eco eficientes faz todo sentido”, analisou ele.


Michael Bueno

Comunicação e Marketing

Sicredi Planalto das Águas PR/SP

Superintendência Regional – Guarapuava / PR

Vacinação contra aftosa é prorrogada para 10 de dezembro



A Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), prorrogou a etapa de novembro de 2018 da campanha de vacinação contra febre aftosa até dia 10 de dezembro. A Portaria nº 300 de 2018, que informa a extensão do prazo, foi publicada nesta quinta-feira (29).

O principal motivo foi o reduzido estoque de vacina nas revendas do Estado, o que pode comprometer o índice de vacinação. O Ministério da Agricultura informou o envio de 8.081.730 de doses para o Paraná, que somadas ao estoque existente no Estado seriam insuficientes para a vacinação obrigatória nesta etapa, estimada em 9,2 milhões de bovídeos.

Na etapa da campanha de novembro, que iniciou dia 1º, é obrigatória a vacinação e a sua comprovação para bovídeos de todas as idades. Os produtores que não regularizarem a situação no prazo estabelecido são notificados e estão sujeitos às penalidades previstas em lei.

A principal razão para extensão do prazo foi a mudança na formulação da vacina, que, de trivalente, com vírus A, O e C, passou a ser bivalente, apenas com cepas dos vírus A e O, na dose de 5ml.

Nas próximas campanhas em todo o Brasil será usada a mesma vacina bivalente, porém na dose de 2 ml. “Essa mudança fez com que as revendas autorizadas tivessem mais cuidado na formação do estoque, pois vacinas nessa formulação não poderão ser comercializadas nas próximas campanhas”, diz o diretor-presidente da Adapar, Inácio Kroetz.

Até a presente data, 71% dos animais já estão com a vacinação comprovada. Kroetz diz que o prazo vai possibilitar a aquisição de mais vacinas da formulação correta para essa campanha por parte das revendas e o fornecimento aos produtores.

Ao comprar a vacina nas revendas autorizadas, o produtor obtém a Nota Fiscal de compra e as instruções para comprovação da vacinação, que pode ser feita na própria revenda, nos locais de atendimento da Adapar, ou pela internet no site www.adapar.pr.gov.br. É importante também fazer a Atualização Cadastral obrigatória.

A Adapar conta com 135 unidades no Estado e 240 escritórios municipais para atuar na fiscalização. Esse trabalho é feito de forma permanente no Paraná e intensificado nos períodos de campanha.

Na primeira etapa, em maio, a vacinação era obrigatória apenas para animais de até 24 meses de idade. Foram imunizadas 4,2 milhões de cabeças, o que cumpriu com a expectativa da Adapar. A próxima etapa será em maio de 2019.

STATUS – Hoje, o Paraná é reconhecido internacionalmente pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como Área Livre de Febre Aftosa, com Vacinação. O objetivo do Estado do Paraná (governo e setor privado) é obter o reconhecimento de Área Livre de Febre Aftosa sem Vacinação. Com status sanitário diferenciado, fica a expectativa de atrair investimentos e da abertura de mercados nacionais e internacionais, com mais agregação de valor ao produto paranaense. Em agosto, o Governo do Estado oficializou o pedido ao Mapa de integrar o cronograma do Bloco I, compreendido por Acre, Rondônia e partes do Amazonas e Mato Grosso, cujo cronograma é suspensão da vacinação a partir de maio de 2019 e reconhecimento internacional em maio de 2021. O último registro de febre aftosa no Estado é de 2005, sanado em 2006.

Fonte: AEN

Depen inaugura unidades de progressão em Guarapuava e Cascavel



O Departamento Penitenciário do Paraná inaugurou duas novas unidades de progressão nas cidades de Guarapuava e Cascavel. O objetivo é preparar os detentos por meio do trabalho e estudo a voltarem ao convívio social após o cumprimento de pena. O Paraná é pioneiro no projeto que é considerado modelo em tratamento penal no país.

“Esse é um projeto inovador em política penitenciária, pois buscamos viabilizar ferramentas para ressocializar o preso, transformando o indivíduo que muitas vezes entra sem qualquer estudo ou qualificação profissional, em um indivíduo capacitado, devolvendo à sociedade muito melhor do que ele entrou”, diz o diretor do Depen, Francisco Caricati. “Todos os presos que ingressam neste projeto obrigatoriamente precisam trabalhar e estudar”, afirmou.

Um dos espaços inaugurados é a Penitenciária Estadual de Guarapuava – Unidade de Progressão (PEG-UP), com capacidade para custodiar 220 homens em regime fechado que irão trabalhar e estudar em tempo integral. A unidade foi instalada no espaço que antes era destinado ao regime semiaberto.

Em Cascavel, o projeto irá ocupar duas galerias da Penitenciária Industrial e irá atender 143 presos. Nas duas cidades, o Depen instalou ainda um Escritório Social e um Posto Avançado de Monitoração Eletrônica com o objetivo de ofertar atendimento e apoio aos usuários da tornozeleira eletrônica.

“O objetivo maior é que a inclusão social do reeducando aconteça de modo efetivo, o que significa um ganho para o sistema que vai cumprir a sua função social para a sociedade”, diz o supervisor do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e do Sistema de Execução de Medidas Socioeducativas do Tribunal de Justiça do Paraná, desembargador Ruy Muggiati.

PROJETO – Resultado de uma parceria do Governo do Estado com o Tribunal de Justiça, a unidade de progressão faz parte das ações do projeto "Cidadania nos Presídios" do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Além de Guarapuava e Cascavel, a iniciativa já foi instalada também nas cidades de Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, Foz do Iguaçu e Ponta Grossa.

As cidades de Londrina, Maringá, Paranavaí, Cruzeiro do Oeste e Francisco Beltrão recebem o projeto nas próximas semanas.


Fonte: AEN

Gepatria recomenda que Câmara Municipal de Nova Tebas abra processo de cassação do mandato de vereador preso na Operação Antagônico


O núcleo de Guarapuava (Centro-Sul paranaense) do Grupo Especializado na Proteção ao Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa (Gepatria) entregou nesta sexta-feira, 30 de novembro, recomendação administrativa para que seja iniciado processo de perda do mandato por quebra de decoro parlamentar contra vereador de Nova Tebas preso na Operação Antagônico.

Entregue aos vereadores integrantes da Mesa da Câmara Municipal de Nova Tebas, o documento foi acompanhado (com autorização judicial) das provas obtidas na operação, que resultaram em denúncia criminal contra o vereador por prática de concussão (ato de exigir vantagem indevida em razão da função), cometida por seis vezes contra o prefeito da cidade.

Na recomendação, o Ministério Público do Paraná observa que a Lei Orgânica do Município de Nova Tebas estabelece como dever da Mesa provocar o início de comissão processante contra vereador a partir do recebimento de provas de conduta incompatível com o decoro parlamentar. O documento lembra ainda que, no processamento, devem ser assegurados ao acusado o contraditório e a ampla defesa, que garantem ao vereador o direito de apresentar a sua versão dos fatos.

De acordo com o MPPR, há urgência na adoção de medidas porque, embora afastado das funções por ter sua prisão decretada, o vereador continua recebendo o subsídio mensal de R$ 4 mil enquanto não houver decisão sobre seu mandato. O vereador está preso preventivamente desde 10 de novembro, por decisão do Juízo Criminal da Comarca de Manoel Ribas, mantida pelo Tribunal de Justiça do Paraná em análise de habeas corpus impetrado pela defesa.

Fonte: www.mppr.mp.br

MPF pede a cassação do mandato de Francischini (PSL) por divulgar 'notícias falsas' no dia das eleições



A Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) do Ministério Público Federal (MPF) pediu a cassação do mandato e a inelegibilidade por oito anos do deputado estadual eleito Fernando Francischini (PSL).

A ação, assinada pela produradora regional eleitoral Eloisa Helena Machado, defende que Francischini divulgou "notícias falsas acerca de lisura do pleito eleitoral" e teve "promoção pessoal e partidária no dia da eleição".

O que motivou a ação foi um vídeo postado na página do Facebook de Francischini em 7 de outubro, dia do primeiro turno das eleições, em que o deputado disse que urnas eletrônicas estavam fraudadas.

A postagem foi feita enquanto as votações aconteciam em todo Brasil. Segundo o MPF, o vídeo teve 6 milhões de visualizações.

Fernando Francischini é atualmente deputado federal e foi eleito deputado estadual com a maior votação da história do Paraná, com 427 mil votos.


A ação afirma que "outra mentira disseminada no vídeo é de que as urnas do Colégio Positivo foram apreendidas". Segundo o MPF, não houve apreensão, mas substituição de urnas que apresentaram problemas.

"Além disso, com o vídeo, conseguiu, claramente, fazer autopromoção e propaganda pessoal e partidária, justamente no dia das eleições, quando há vedação expressa a qualquer tipo de propaganda, configurando até mesmo crime eleitoral", diz a ação.

De acordo com o pedido de cassação, o vídeo "levou, a essas milhares de pessoas, notícias falaciosas, e criou um estado de ânimo bastante beligerante, como também era a intenção do seu autor".

O que diz o deputado

Francischini se posicionou sobre o pedido em sua conta no Twitter. "O dia que eu, deputado federal, for cassado por cumprir meu dever de fiscalizar as urnas eletrônicas e os políticos bandidos continuarem impunes, a democracia virará pó".

Ele afirmou que "imunidade parlamentar constitucional serve para isso".

O pedido de cassação afirma, no entanto, "que a imunidade parlamentar não pode ser aplicada integralmente nos casos eleitorais em que o parlamentar também é candidato, sob pena de ferir a isonomia com os outros candidatos".

Cabe agora ao Tribunal Regional Eleitoral analisar a denúncia.

Fonte: G1 - PR

Homem é preso após xingar médico, policiais e ameaçar investigador em Pitanga


No dia 29/11/2018 por volta das 03h15min na Rua Dr. João Gonçalves Padilha centro, por solicitação via 190 do medico plantonista do hospital São Vicente de Paulo relatou que um homem compareceu no hospital para ser atendido e que após atendimento começou a xingar e ameaçar a equipe medica e atendentes,[ ...] . 
Já na delegacia os xingamentos e ameaças continuaram tanto contra a equipe PM, como também contra o investigador de plantão, inclusive foi repetitivo que iria fazer uma "casinha" para o investigador, que na primeira oportunidade iria lhe matar. 
A equipe deu voz de prisão e fez a entrega do autor na 45 DRP.

Fonte: 16º BPM

Economize comprando no Mercado Coagrotur em Turvo e concorra a vários prêmios


O Mercado Coagrotur fica situado nas margens da PR-466 e está aberto a população em geral, cada vez mais forte, sempre ampliando com novidades e com produtos de qualidade, coloniais e pão fresco todos os dias. 

Também disponibiliza variados gêneros alimentícios, produtos de higiene e limpeza, bebidas, hortifruti e também carnes congeladas. 

Para as compras à vista tem descontos especiais e toda semana tem produtos em promoção.

Em breve vem muitas novidades em produtos coloniais.

Aceita todos os cartões de crédito, débito e faz entrega a domicilio. 

Amplo estacionamento, ótimo atendimento e de fácil acesso. 

O Mercado Coagrotur fica situado às margens da Rodovia PRC-466, entrada para o Parque Industrial. Fone (42) 3642-1196.

Ao fazer suas compras você ainda concorre a vários prêmios que serão sorteados no dia 24/12:

01 - CHAPÉU GAÚCHO

01 - BATERIA ZETTA 60 AMPERES

01 – BATEDEIRA BRITÂNIA 

01 – SANDUICHEIRA FAMA

01 – JOGO P/ CHURRASCO

02 - APARELHOS CERCA ELÉTRICA 

01 – JOGO DE TOALHA 

02 - TÉRMICAS 

01 – CAIXA TÉRMICA 34 LITROS

01 – CESTA DE NATAL








Paranaenses devem se vacinar contra a febre amarela



Em função da chegada das altas temperaturas, a Secretaria de Estado da Saúde alerta a população sobre a necessidade de tomar a vacina contra a febre amarela por conta do período de maior incidência da doença, entre dezembro e maio, e das viagens de fim de ano. Além do calor, a intensificação das chuvas e a aglomeração de pessoas em locais próximos a matas, cachoeiras e parques favorecem a transmissão do vírus e a reprodução dos mosquitos.

“Estamos em alerta. Nossa obrigação como agentes da saúde é proteger e orientar a população, organizando ações efetivas de imunização e controle de vetores”, disse o secretário de Estado da Saúde, Antônio Carlos Nardi. “Contamos com o apoio de equipes preparadas e vacinas da mais alta qualidade. Todos aqueles que fazem parte do público-alvo devem se imunizar. Estamos garantindo a saúde não apenas neste período de fim de ano, mas durante toda uma geração”, destaca.

A febre amarela é uma doença infecciosa causada por vírus, que se manifesta por febre, dor no corpo e fraqueza, e com alto risco de morte em suas formas graves. A doença não é contagiosa e não há transmissão direta de pessoa a pessoa, apenas pela picada de mosquitos infectados com o vírus.

VACINAÇÃO – As doses da vacina já estão disponíveis nas unidades de saúde de todos os municípios do Paraná. Desde junho, 36 municípios da região litorânea, Curitiba e Região Metropolitana foram incluídos pelo Ministério da Saúde como área de recomendação de vacinação. Com isso, todos os municípios paranaenses passaram a ser considerados como áreas em que a vacina contra febre amarela deve ser aplicada em quem tem idade entre 9 meses e 59 anos. A imunização ocorre dez dias após a aplicação da dose.

“Alertamos os 399 municípios do Paraná, mas principalmente a população. A população é que deve procurar as unidades de saúde e as salas de vacinação, primeiramente para verificar se o Certificado de Regulação de Vacina está em dia e, se necessário, se imunizar contra a febre amarela. A vacina é a forma mais eficiente e segura de prevenir doenças”, acrescenta o secretário.

O diretor do Centro Estadual de Epidemiologia, João Luís Crivellaro, explica que apenas uma dose da vacina é indicada para a prevenção, mesmo que já tenha passado 10 anos da aplicação. “É muito importante estar atento ao preenchimento correto da carteira de vacinação. Um esquema vacinal completo previne doenças e garante a segurança de todos”, fala.

ESCOLAS – Com aprovação da Lei Estadual 19534/18, no ato da rematrícula é obrigatória a apresentação do Certificado de Declaração de Vacinação, emitido pelas Unidades Básicas ou privadas de Saúde do Paraná. A regra é válida para estudantes menores de 18 anos. A vacina contra a febre amarela é uma das que precisa estar em dia.

A ausência da Declaração de Vacinação não impossibilita a matrícula ou rematrícula, mas os pais ou responsáveis devem regularizar a situação em um prazo máximo de até 30 dias.

CUIDADOS – A superintendente de Vigilância em Saúde, Júlia Cordellini, explica sobre os riscos e as principais formas de prevenção contra o mosquito transmissor, o Aedes aegypt, que é o mesmo vetor da dengue, zika e chikungunya e, também, da febre amarela.

“É preciso que fique claro que o transmissor da febre amarela é o mosquito, não os macacos. A população, em especial aquelas que moram próximas a áreas rurais ou de matas, deve ficar atenta, pois a morte de macacos é um sinalizador da presença do vírus na região. Além disso, para uma proteção efetiva, é imprescindível tomar a vacina contra a doença”, fala a superintendente. Segundo último período epidemiológico nacional, de julho/2017 a junho/2018, foram notificados 7.518 mil casos humanos, com 1.376 mil confirmados. Desses, foram a óbito 483 pessoas, 99% na região Sudeste do Brasil.

No Paraná, entre julho/2017 a junho/2018, foram notificados 157 casos suspeitos de febre amarela. De todas as notificações, 137 foram descartados e 16 permanecem em investigação. Foram confirmados dois casos, ambos importados da região de São Paulo.

NOTIFICAÇÃO – Em caso de morte de macacos e alta ocorrência de infestação de mosquitos, a Secretaria da Saúde orienta que a população notifique a situação no Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde, pelo telefone 0800-643-8484, ou vá até a Unidade de Saúde mais próxima.

Para mais informações, acesse AQUI.

Fonte: AEN

Gaúcho Espetinhos estará presente no Duelo de Laço no CTG em Turvo


Neste final de semana tem Duelo de Laço no CTG Rincão do Pinhal em Turvo.

Durante o evento haverá praça de alimentação, e o Gaúcho Espetinhos preparou uma grande variedade de espetinhos de carne e batata frita no cone. Ao passear com sua família pelo parque do evento, chegue até o Trailer do Espetinhos e se delicie com os espetinhos do Gaúcho.