terça-feira, 1 de junho de 2021

Aprovada a criação do eixo socioeconômico dos municípios produtores de pinhão


Nesta semana foi votado e aprovado pelo plenário da Assembleia Legislativa do Paraná, já em 2ª discussão, o Projeto de Lei nº 875/2019, de autoria do Deputado Estadual Rodrigo Estacho (PV), que institui no Estado do Paraná o eixo socioeconômico dos municípios produtores de pinhão. O projeto segue agora para a sanção do Governador Ratinho Jr.

O projeto tem como objetivo dar mais visibilidade aos municípios produtores de pinhão, especialmente aqueles de menor porte, além de facilitar a adesão desses municípios em programas governamentais e políticas públicas destinadas à exploração sustentável e correta do pinhão, inclusive com a obtenção de recursos públicos e a possibilidade de firmar parcerias e convênios com outros órgãos.

Segundo o projeto, vinte e um municípios compõe o eixo socioeconômico dos produtores de pinhão, sendo eles: Bituruna, Campo Largo, Clevelância, Coronel Domingos Soares, Cruz Machado, Fernandes Pinheiro, General Carneiro, Guamiranga, Guarapuava, Imbituva, Inácio Martins, Irati, Mallet, Mangueirinha, Palmas, Pinhão, Prudentópolis, Reserva do Iguaçu, Teixeira Soares, Tijucas do Sul e Turvo.

Como o Estado do Paraná é o maior produtor de pinhão do mundo, o Deputado Rodrigo Estacho entende que é muito importante que o Estado desenvolva políticas públicas e aprove projetos que visem estimular a exploração responsável e sustentável do pinhão. Inclusive, a exploração do pinhão é uma grande aliada do setor produtivo, sendo responsável por uma significativa parcela da arrecadação de diversos municípios paranaenses.

Os números da produção paranaense de pinhão impressionam. Somente os vinte e um municípios que compõe o eixo socioeconômico do pinhão são responsáveis pela produção anual de mais de 2.300 toneladas de pinhão (aproximadamente 100 carretas completamente carregadas), sendo o município de Pinhão o campeão, com 400 toneladas ao ano, seguido dos municípios de Turvo e Guarapuava, cada um com cerca de 200 toneladas ao ano.


Fonte: Assessoria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade