quinta-feira, 20 de julho de 2017

Litro da gasolina pode ficar R$ 0,41 mais caro a partir desta sexta


Com dificuldades em recuperar a arrecadação, o governo decidiu aumentar tributos para arrecadar R$ 10,4 bilhões e cumprir a meta fiscal de déficit primário de R$ 139 bilhões. O Programa de Integração Social (PIS) e a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) sobre a gasolina, o diesel e o etanol subirá para compensar as dificuldades fiscais, segundo nota conjunta, divulgada há pouco, dos ministérios da Fazenda e do Planejamento.
A alíquota subirá de R$ 0,3816 para R$ 0,7925 para o litro da gasolina e de R$ 0,2480 para R$ 0,4615 para o diesel nas refinarias. Para o litro do etanol, a alíquota passará de R$ 0,12 para R$ 0,1309 para o produtor. Para o distribuidor, a alíquota, atualmente zerada, aumentará para R$ 0,1964. A medida entrará em vigor imediatamente por meio de decreto publicado em edição extraordinária do Diário Oficial da União.
O governo também contingenciará [bloqueará] mais R$ 5,9 bilhões de despesas não obrigatórias do Orçamento. Os novos cortes serão detalhados amanhã (21), quando o Ministério do Planejamento divulgará o Relatório Bimestral de Receitas e Despesas. Publicado a cada dois meses, o documento contém previsões sobre a economia e a programação orçamentária do ano. A nova alíquota vai impactar o preço de combustível nas refinarias, mas o eventual repasse do aumento para o consumidor vai depender de cada posto de gasolina.
Garantia da meta fiscal
Em março, o governo tinha contingenciado R$ 42,1 bilhões do Orçamento. Em maio, tinha liberado cerca de R$ 3,1 bilhões. Com a decisão de agora, o volume bloqueado aumentou para R$ 44,9 bilhões. De acordo com a nota conjunta, esse corte adicional será revertido antes do fim do ano com a entrada de recursos extraordinários previstos ao longo do segundo semestre.
Antes de embarcar para a reunião de cúpula do Mercosul, em Mendoza, na Argentina, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que a queda da arrecadação justificou o aumento de tributos.
“Isso ocorreu pela queda da arrecadação e em função da recessão e dos maus resultados, principalmente das empresas e de pessoas financeiras que refletiram nos prejuízos acumulados nos últimos dois anos que estão sendo amortizados. Existem medidas de ajuste fazendo com que o mais fundamental seja preservado: a responsabilidade fiscal, o equilíbrio fiscal”, declarou Meirelles.
Dificuldades nas receitas
No mês passado, a secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, tinha dito que o Orçamento poderia ser reforçado em até R$ 15 bilhões por meio de três fontes de receitas extraordinárias: a devolução ao Tesouro Nacional de precatórios (dívidas de sentenças judiciais) não sacados pelos beneficiários, a ampliação do programa de parcelamento e dívidas de contribuintes com a União e a renegociação de dívidas dos produtores rurais. No entanto, o governo tem enfrentado a frustração de receitas ao longo do ano.
Dessas medidas, apenas a regulamentação dos precatórios foi aprovada até agora. De outro lado, o governo enfrenta dificuldades com a tramitação das medidas provisórias da reoneração da folha de pagamentos, anunciadas no fim de março, e do programa especial de parcelamentos.
Outra dificuldade está no atraso no programa de concessões. Na semana passada, o Tribunal de Contas da União (TCU) emitiu um alerta para que o governo desconsidere, das estimativas de receitas para o segundo semestre, R$ 19,3 bilhões que podem não entrar no caixa do governo ainda este ano.
Fonte: Massa News

POKER ÓLEO LEVE GUARAPUAVA FUTSAL EMPATA EM CASA PELA CHAVE OURO



A Equipe do Cad jogou na última quarta-feira(19), contra o São Lucas de Paranavaí e ficou no empate em 2 a 2.

Numa noite de muito frio em Guarapuava, Cad e Paranavaí entraram em quadra pela segunda rodada do returno do Campeonato Paranaense da Chave Ouro.

Os visitantes saíram na frente com Gian, após o revês os anfitriões buscaram o empate de todas as formas, mas o goleiro Arielton em noite inspirada evitava o empate e assim terminou a primeira etapa com vitória parcial dos visitantes.

No segundo tempo o Cad impôs uma pressão desde o inicio conseguindo o empate com Paraná e a virada com Cesinha, mas a equipe do São Lucas não desistiu e conseguiu o empate com Ruan.

Placar final no Joaquinzão: Poker Óleo Leve Guarapuava Futsal 2 x 2 Paranavaí.

O próximo jogo do Cad será quarta-feira(26), às 19hs na cidade de Marechal Cândido Rondon contra o Copagril, partida válida pelo Campeonato Paranaense da Chave Ouro.

ASSESSORIA CAD

Prefeitura de Turvo e câmara de vereadores convida a todos para audiências públicas do PPA


A Prefeitura Municipal de Turvo e câmara de vereadores convida você, cidadão turvense, para ser parceiro e corresponsável pelo plano de governo que vai melhorar a qualidade de vida de todos.
As audiências públicas do Plano Plurianual Participativo acontecerá nos seguintes dias:

SAUDADE SANTA ANITA
20/07 às 19h, no salão paroquial

FAXINAL DA BOA VISTA
21/07 às 19h, no salão ucraniano

CACHOEIRA OS TURCOS
25/07 às 19h, no salão paroquial

PASSA QUATRO
26/07 às 19h, no salão paroquial

Fonte: Prefeitura de Turvo

Acidente com caminhão mata motorista na BR-376


Um caminhoneiro de 62 anos morreu em um acidente de trânsito na BR-376, próximo a Tibagi, na região dos Campos Gerais do Paraná, na madrugada desta quinta-feira (20).

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a vítima perdeu o controle da direção e o caminhão acabou tombando.

O veículo estava carregado com carne; a mercadoria ficou espalhada pela pista.

O corpo do motorista foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Ponta Grossa, também nos Campos Gerais.

Fonte: G1 - PR

Faleceu aos 42 anos em Turvo, Gelson Zander


Faleceu nessa quinta-feira, 20 de julho, no Hospital São Vicente em Guarapuava, Gelson  Zander, com 42 anos de idade. Seu corpo será velado no Salão da Comunidade Luterana de Turvo a partir de meio dia. 

Gelson era motorista de caminhão, ficou doente, passou por várias cirurgias na cabeça, estava acamado e hoje veio a falecer.

Informações repassadas ao blog por um familiar.

À família enlutada as nossas sinceras condolências.

Sicredi é líder nacional em consórcio de serviços

De acordo com dados do BC, cerca de 50% do mercado brasileiro de consórcio nesta modalidade pertence à instituição financeira cooperativa.


Cada dia mais os brasileiros têm procurado por uma nova modalidade de consórcio: a de serviços. Segundo a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (ABAC), os destinos mais comuns das cartas de crédito nesta categoria de consórcio são reformas, saúde e estética, eventos, viagens, tratamentos odontológicos e cursos de educação. 

O consórcio de serviços apresenta constante incremento desde 2008, quando foi homologado pelo Banco Central do Brasil (BC). Não por acaso, o setor de serviços representa 73% do PIB nacional, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o que evidencia o contínuo potencial de crescimento desta modalidade de consórcio. Atualmente, segundo ranking do BC, o Sicredi – instituição financeira cooperativa com mais de 3,5 milhões de associados e atuação em 21 estados brasileiros – é líder em consórcio de serviços, com mais de 50% do mercado nacional neste segmento.

Diferentemente dos segmentos de móveis e imóveis, nos quais o consorciado precisa adquirir bens destas modalidades, o de serviços abre uma ampla gama de possibilidades aos associados do Sicredi – a única exigência é que seja apresentada uma nota fiscal de prestação de serviços, independente do serviço prestado.

No Sicredi, o consórcio de serviços é ofertado aos associados em créditos de R$ 5 mil a R$ 24 mil no prazo de 36 meses, com parcelas mensais a partir de R$ 168,47. 

“O consórcio é uma opção válida para quem não precisa do montante a curto prazo ou para aqueles que não têm disciplina para guardar dinheiro. A inexistência de juros torna o produto financeiramente mais atrativo. Por isso em todas as modalidades existem sempre muitos interessados”, explica Fernando Di Diego, gerente de Produto e Mercado de Consórcios do Sicredi.

Este ano, o Sicredi atingiu a marca de R$ 10 bilhões em carteira de créditos ativos de consórcio, cerca R$ 300 milhões são relativos ao segmento de serviços. O crescimento na comercialização de cotas no primeiro trimestre do ano, em relação ao mesmo período do ano passado, foi de 24,5%. São mais de 171 mil cotas ativas, nos segmentos de automóveis, imóveis, caminhões, tratores, implementos agrícolas, motocicletas e serviços, bens náuticos e sustentável. 

Sobre o Sicredi 

O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,5 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 21 estados*, com 1.500 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br.

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Assessoria Sicredi