quinta-feira, 17 de março de 2016

PM DE TURVO RECUPERA CELULAR FURTADO NO CENTRO DA CIDADE.

OCORRÊNCIA ATENDIDA PELA POLÍCIA MILITAR DE TURVO, CONFORME RELATÓRIO ENVIADO A IMPRENSA:


FURTO DE CELULAR 14:30 (CENTRO-TURVO)

COMPARECEU NO DESTACAMENTO POLICIAL MILITAR A SOLICITANTE DE 31 ANOS RELATANDO QUE ESTAVA EM SEU ESTABELECIMENTO COMERCIAL QUANDO CHEGOU UM JOVEM DO SEXO MASCULINO E PEDIU PARA PROVAR UMA CAMISETA QUE POSTERIOR A SAÍDA DESTE JOVEM A MESMA SENTIU A FALTA DE SEU APARELHO CELULAR MOTOROLA MOTO E, SENDO QUE APÓS A SAÍDA DO JOVEM NINGUÉM MAIS HAVIA ENTRADO NA LOJA. A MESMA RELATOU QUE ESTE JOVEM ESTAVA TRAJANDO CALÇÃO E CAMISETA PRETA, BONÉ PRETO E MOCHILA PRETA NAS COSTAS. DIANTE DAS INFORMAÇÕES FOI FEITO PATRULHAMENTO E LOGRADO ÊXITO NA ABORDAGEM DE UM INDIVIDUO DE 24 ANOS E EM REVISTA A MOCHILA PRETA DO MESMO FOI LOCALIZADO O CELULAR MOTOROLA MOTO E, DESLOCADO ATÉ A LOJA DA VITIMA A QUAL RECONHECEU O JOVEM COMO SENDO O AUTOR DO FURTO E RECONHECEU SEU APARELHO CELULAR. ATO CONTINUA FOI ENCAMINHADAS AMBAS AS PARTES PARA 14ª SDP (DELEGACIA) PARA PROCEDIMENTOS.

Colheita do pinhão será permitida somente a partir de 1º de abril

Foto: Mauro Scharnik/IAP

Com o fim do verão e a queda das temperaturas, é tradicional o início do consumo do pinhão, principalmente no sul do país. É nessa época que as araucárias começam a amadurecer as pinhas para a reprodução da espécie. Por isso, o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) alerta que a colheita e a comercialização do fruto é permitida no Estado somente a partir de 1º de abril. 

As normas e as instruções para a colheita, transporte e comercialização do fruto estão estabelecidas na portaria do IAP nº 046/2015. O objetivo da regulamentação é garantir o consumo sustentável de forma a garantir a reprodução da araucária, árvore ameaçada de extinção e símbolo do Paraná. 

“É importante respeitar a maturação natural da pinha, pois além de ser nesse período que ocorre a reprodução da araucária, uma árvore extremamente importante para a nossa biodiversidade, o fruto serve como alimento para diversas espécies da fauna”, explica o presidente do IAP, Luiz Tarcísio Mossato Pinto. 

A portaria do IAP ainda proíbe, independentemente da data, a comercialização das pinhas verdes, quando o pinhão apresenta a cor esbranquiçada e alto teor de umidade. Nesse estado as pinhas podem conter fungos e ser prejudicial à saúde. 

De acordo com as normas ambientais, a pessoa que for flagrada vendendo, transportando ou até mesmo armazenando o fruto antes desta data estará sujeita a responder um processo administrativo e a processo criminal, além de receber auto de infração ambiental e multa de R$ 300,00 para cada 60 quilos da semente. 

“Já estamos recebendo denúncias nos regionais do IAP e na Polícia Ambiental de situações de comercialização do pinhão em algumas regiões do Estado e programando ações de fiscalização para garantir o cumprimento das normas. Porém, mais importante que isso é que as pessoas tenham consciência da importância em respeitar a época de maturação do fruto e não consumam pinhão imaturo”, afirmou o chefe do Departamento de Fiscalização do IAP, Ivo Good. 

Denúncias sobre a venda irregular de pinhão e demais infrações ambientais podem ser feitas no link “Fale Conosco” no site do IAP (www.iap.pr.gov.br), diretamente nos Escritórios Regionais do órgão ou junto à Polícia Ambiental. 

PINHEIROS - Além do fruto, também está proibido o abate dos pinheiros nativos adultos portadores de pinhas nos meses de abril, maio e junho. Estão excluídos dessa proibição apenas os pinheiros autorizados por motivo de riscos pessoais e/ou materiais, de interesse social e/ou utilidade pública, para construções em áreas urbanas consolidadas e árvores oriundas de reflorestamento.

Fonte: www.aen.pr.gov.br

Três suspeitos de executar policial e a namorada são mortos em confronto em Ponta Grossa.

Com informações do site  A Rede de Ponta Grossa


Um novo suspeito de envolvimento na morte do cabo José Osni Pigatto foi morto em uma troca de tiros com a Polícia Militar. O confronto com a PM aconteceu no Residencial Costa Rica no início da tarde de hoje (17). O suspeito morto é considerado o chefe da quadrilha, segundo informações da PM. Outros dois integrantes do grupo foram presos, sendo um deles uma adolescente de 15 anos. A moça atuava como chamariz da quadrilha, ao abordar as vítimas e levá-las até o local do crime.

Armas de fogo foram apreendidas com o grupo. Em uma investigação paralela, a equipe de reportagem do Portal aRede obteve detalhes do crime. O grupo abordou o policial que transitava em sua caminhonete com a namorada. Eles renderam o casal e seguiram em direção ao Alagados. Os dois foram amarrados com cadarços de tênis até que, por volta de 3 horas, o policial conseguiu se soltar das cortas e tentou fugir para um matagal.

O cabo Pigatto voltou para resgatar a namorada e foi capturado e amarrado pelos bandidos novamente. Então, o líder da quadrilha, identificado como Willian Correia de Almeida, 23 anos, disparou primeiro contra o policial e depois matou a mulher.

Primeiro confronto

As diligências para localizar os suspeitos da morte do cabo Pigatto iniciaram hoje pela manhã. Uma denúncia anônima levou os policiais até o Núcleo Pimentel, onde localizaram dois dos suspeitos. Os dois foram mortos em uma troca de tiros com policiais do Setor de Inteligência do 1º Batalhão de Polícia Militar. Um dos mortos foi identificado como Mateus Gomes.

“Existe a suspeita de que eles tenham matado o cabo Pigatto. Eles tinham passagens de ônibus para Guaíra e carregavam o dinheiro da venda da caminhonete”, explica o comandante Edmauro Assunção. Além da morte do cabo Pigatto, o grupo é suspeito de diversos crimes na cidade, como o roubo na casa de um Guarda Municipal de Ponta Grossa.

O crime

O cabo José Osni Pigatto e a namorada Luci de Fátima Galvão Buleke foram encontrados mortos na estrada que dá acesso a região do Alagados, no início da tarde de quarta-feira (16), por volta das 14h30.

O comandante do 1º BPM, major Edmauro Assunção, revelou novos detalhes do duplo assassinato e reforçou a hipótese de latrocínio – roubo seguido de morte. “Eles (Pigatto e Luci) não foram machucados. Ela também não sofreu violência sexual. O Pigatto teve as mãos amarradas para trás com o cadarço do tênis dela. Depois ficou de joelho e levou os tiros na cabeça. Ela também foi morta da mesma forma”, relata. Edmauro disse que a ‘morte de um irmão de farda’ teve impacto significativo em toda a tropa, e que não serão medidos esforços para a identificação, localização e prisão dos envolvidos.

Prisão da quadrilha

Três integrantes do grupo criminoso foram presos durante as diligências realizadas pela Polícia Militar. Uma adolescente, de 15 anos de idade, atuava como chamariz nos crimes. Ela conduzia os alvos dos crimes até o local onde o restante da quadrilha estava.

Andrew Luiz Macedo também foi preso com a arma do crime. Já Júlio Cezar Pereira da Silva Santos foi o responsável por vender o veículo do policial militar em Guaíra. Todos foram encaminhados para a 13º Subdivisão Policial

Sepultamento

O cabo José Osni Pigatto foi sepultado hoje (17) no Cemitério Santo Antônio, no Jardim Carvalho, às 16 horas.








Morre em Turvo, Maria Joana dos Santos.



Morreu na manhã dessa quinta-feira, 17 de março, a senhora Maria Joana dos Santos, com 79 anos de idade, seu corpo está sendo velado na Capela Mortuária e seu sepultamento será nesta sexta as 10h00.

Informações repassadas ao blog pela Funerária SerLuto de Turvo.

A família enlutada as nossas condolências.

Dois foragidos da 14ª SDP são recapturados em Guarapuava.


A primeira prisão ocorreu por volta das 00h23, no bairro Morro Alto. Em patrulhamento, os PMs avistaram um homem em atitude suspeita e durante a abordagem foi verificado que ela foragido e que exista um mandado de prisão contra ele. Ele recebeu voz de prisão e foi encaminhado à 14ª SDP.

Os policias chegaram ao segundo foragido por volta das 02h16. Ele estava recebendo atendimento médico e um hospital no momento do flagrante da polícia. O rapaz, de 19 anos, também era foragido da Justiça e tinha um mandado de prisão em aberto. Após receber alta médica, ele foi encaminhado á 14ª SDP.

Os nomes dos foragidos recapturados não foram divulgados.


Fonte: Palmital Notícias com Rede Sul.

Policial e namorada são encontrados mortos em matagal.

Do G1 PR (Foto: Paulo Silva/RS Polícia)



Um policial militar e a namorada foram encontrados mortos nas proximidades da Represa dos Alagados, em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná, na tarde de quinta-feira (16). Segundo a Polícia Civil, eles estavam amarrados e com marcas de tiros.

José Osni Pigatto, de 52 anos, era cabo da Polícia Militar (PM) e, apesar de trabalhar em Castro, também nos Campos Gerais, morava em Ponta Grossa.

Conforme a polícia, na noite de terça-feira (15), ele estava com a namorada, Luci de Fátima Galvão Bulek, de 55 anos. O casal conversava em um caminhonete, estacionada no bairro Jardim Carvalho, quando foi assaltado e sequestrado por ladrões armados.

As investigações começaram quando o filho de uma das vítimas procurou a polícia. Ele relatou que a seguradora havia entrado em contrato informando que a caminhonete do casal tinha sido localizada em Guaíra, na região oeste do Paraná.

Graças a um GPS instalado no veículo, a polícia descobriu que, antes de chegar ao oeste, a caminhonete saiu do Jardim Carvalho e depois seguiu para as proximidades da Ponte Preta, na Represa dos Alagados, onde os dois corpos foram encontrados.

Segundo a polícia, os assassinos tentaram esconder os corpos do casal com galhos e em mata fechada, a aproximadamente 15 quilômetros da Ponte Preta.

A polícia segue investigando o caso e trabalha com a hipótese de latrocínio. Porém, não descarta a hipótese de execução, já que uma das vítimas era PM.

Velórios e enterros
O velório de Luci ocorre na Capela São Francisco em Ponta Grossa; o cemitério e o horário do enterro ainda não haviam sido definidos até a publicação desta reportagem.

O corpo de José está sendo velado na Capela da Saudade, em Ponta Grossa. Ele deve ser enterrado no Cemitério Santo Antônio, em horário ainda não definido.

Três suspeitos de executar policial e a namorada são mortos em confronto em Ponta Grossa.

Polícia Civil de Guarapuava prende 18 pessoas nos últimos 30 dias


Criada recentemente pela superintendência e Delegado Chefe da 14. SDP, Rubens Miranda Júnior, a Seção de Capturas tem como objetivo principal, cumprir mandados de prisão na região de Guarapuava e em casos específicos, em outras regiões do Brasil, prestar apoio em diversas operações policiais e investigar casos de Latrocínio. De acordo com o Delegado Chefe, a criação desta Seção, era uma demanda antiga da cidade. Nos últimos trinta dias, a equipe prendeu as seguintes pessoas:


M.F. - Pensão Alimentícia
I.J.P. - Pensão Alimentícia
R.P.P. - Pensão Alimentícia
J.J.C. - Pensão Alimentícia
E.L.M. - Latrocínio
L.S.C. - Pensão Alimentícia
J.C.W. - Pensão Alimentícia
D.S. - Furto Qualificado – Foragido há 3 anos de Curitiba
V.P.S. - Pensão Alimentícia
O.B.O. - Pensão Alimentícia
A.K.S – Corrupção de Menores
J.A.N – Pensão Alimentícia
C.M.N. - Homicídio Qualificado
D.L. - Pensão Alimentícia
A.S.O. - Roubo Agravado e Associação Criminosa
V.C.G.A. - Homicídio Simples
M.R.D. - Homicídio Qualificado, Ocultação de cadáver e Posse Irregular de Arma de Fogo – Foragido há 15 anos de Ipiranga e Maringá
I.R.D. - Posse Irregular de Arma de Fogo e Omissão na Cautela de Arma de Fogo

De acordo com os investigadores, os resultados alcançados até agora se devem aos esforços da equipe e demonstra a importância da criação da Seção de Capturas em nossa cidade. “Muitas vezes uma prisão leva dias e até meses para acontecer, são várias diligências empregadas”, ressaltam os investigadores.

Denúncias sobre crimes, pessoas com mandados de prisão e foragidos podem ser feitas através do telefone 197.


Vagas de Emprego em Guarapuava.

Do Jornal Correio do Cidadão

A Agência do Trabalhador divulgou as vagas de emprego desta quinta-feira (17). Interessados devem se deslocar até a sede do setor público (rua Vicente Machado, 1558, Centro) para se candidatar. Mais informações pelo número: 3623 2200.
Açougueiro
Com experiência
Ajudante de açougue
Com experiência
Atendente Comercial
Com experiência
Auxiliar Contábil
Com e experiência e CNH A
Auxiliar de produção
Com experiência em laminação
Borracheiro
Com experiência
Centrador de toras
Com experiência
Chefe de cozinha
Com experiência
Confeiteiro
Com experiência
Consultor de vendas
Com experiência
Controlador de qualidade
Com experiência
Costureiro
Com experiência
Cozinheiro
Com experiência
Estofador
Com experiência
Impressor
Com experiência
Instalador de alarmes e portões eletrônicos
Com experiência
Jardineiro
Com experiência
Jornalista
Com ou Sem experiência
Latoeiro de veículos
Com experiência
Lavador de veículos
Com experiência
Marceneiro
Com experiência
Mecânico de automóvel
Com experiência
Mecânico de máquinas pesadas
Com experiência
Mecânico para motocicleta
Com experiência
Operador de empilhadeira
Com experiência
Operador de Fresadora
Com experiência
Operador de máquina intercostal
Com experiência
Operador de pá carregadeira
Com experiência
Operador de pavimentadora
Com experiência
Pintor industrial
Com experiência
Professor de música
Com experiência
Representante Comercial
Com experiência
Serralheiro em alumínio
Com experiência
Supervisor de Recursos Humanos
Com experiência
Supervisor de vendas
Com experiência
Trabalhador rural
Com experiência
Vendedor pracista
Com experiência
Vendedor pracista
Com experiência no ramo de vidraçaria

Fiscalização do TCE visitará 100 municípios do Paraná neste ano.


Ao longo de 2016, servidores do Tribunal de Contas viajarão a 100 municípios do Paraná para fiscalizar temas essenciais da administração pública, como educação e saúde. O trabalho será concentrado no Plano Anual de Fiscalização (PAF) 2016, lançado no início de março pelo presidente da corte, conselheiro Ivan Bonilha.

Na última sexta-feira (11 de março), a Coordenadoria-Geral (CG) do TCE-PR reuniu os 40 analistas e técnicos de controle que atuarão nas auditorias, para a apresentação das diretrizes e definição de equipes. A previsão é de que as visitas sejam iniciadas em abril. Os nomes dos municípios não serão divulgados previamente, para não atrapalhar o trabalho. Algumas prefeituras serão incluídas em mais de uma auditoria temática.

O PAF 2016 vai fiscalizar cinco áreas da administração municipal: saúde (análise dos repasses de dinheiro público a hospitais privados no atendimento de média e alta complexidade); educação (universalização do acesso à pré-escola para crianças a partir de quatro anos); despesa com pessoal (folha de pagamento e regimes próprios de previdência social); estrutura e governança dos sistemas de TI; e financiamentos repassados por organismos internacionais de crédito a municípios paranaenses.

Também foram incluídas no PAF fiscalizações determinadas em acórdãos dos órgãos colegiados do TCE-PR (Primeira e Segunda Câmaras e Tribunal Pleno). A fiscalização dos órgãos da administração estadual continuará sendo executada pelas Inspetorias de Controle Externo (ICEs) do Tribunal.

Inovações

O presidente destaca uma série de inovações introduzidas pelo TCE-PR em seu plano de fiscalização deste ano. "Vamos concentrar nosso esforço na verificação de áreas essências do atendimento à população", afirma Bonilha. Além do foco em temas estratégicos, o PAF 2016 também terá coordenação centralizada (pela CG), integração de equipes multidisciplinares (advogados, contadores, administradores, engenheiros e outros profissionais) e ampliará o uso de indicadores de desempenho para avaliar a gestão pública.

Outra inovação do PAF deste ano é a possiblidade de o Tribunal de Contas firmar Termo de Ajustamento de Gestão (TAG) com os administradores municipais. Já utilizado pelo Ministério Público (com o nome de Termo de Ajustamento de Conduta, TAC), e por outros tribunais de contas, esse mecanismo permitirá a correção mais rápida das falhas verificadas pelos técnicos na fiscalização. "O TAG dará mais efetividade ao trabalho do Tribunal", prevê a coordenadora-geral, Bárbara Marcelino Pereira.

A incorporação do TAG às ações do Tribunal de Contas está prevista em projeto de lei complementar enviado por Bonilha à Assembleia do Paraná, e atualmente em análise pelo Legislativo. Segundo o diretor de Auditorias e coordenador estrutural do PAF 2016, Alexandre Faila Coelho, o TCE planeja monitorar a efetiva implantação das ações pactuadas no TAG. Também deverá promover a tramitação de processos, em separado, para a responsabilização de gestores e servidores acusados de desvios ou má utilização de dinheiro público verificados nas auditorias.

Com a visita a 100 cidades, o TCE-PR marcará presença em um quarto das 399 administrações municipais do Paraná. A coordenadora operacional do PAF 2016, Denise Gomel, informa que a meta é, no período de quatro anos (equivalente a uma gestão de prefeito e vereadores), enviar equipes de fiscalização a todos os municípios do Estado. A decisão segue orientação da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon).

Fonte: Olho Aberto