quarta-feira, 18 de agosto de 2021

Copel alerta para desligamentos em função de queimadas; ocorrências aumentaram 30%



A severa estiagem que atinge o Paraná tem aumentado o risco de incêndios – as queimadas próximas da fiação elétrica também cresceram. De janeiro a julho deste ano, a Copel registrou 116 desligamentos provocados por queimadas nas redes de distribuição, uma quantidade 30% maior que a observada no mesmo período em 2020.

O último mês de julho foi o que concentrou o maior número de ocorrências: foram 33 situações, o dobro dos atendimentos no mesmo mês do ano anterior. O fogo próximo à rede pode prejudicar o abastecimento mesmo que não entre em contato direto com os fios, por conta do fenômeno de ionização do ar, que induz o curto-circuito e traz risco, inclusive, de rompimento dos cabos. Por isso, em algumas situações o desligamento também é voluntário como medida de segurança, a pedido do Corpo de Bombeiros.

Foi o que aconteceu na quarta-feira passada, às margens da PR-323 em Umuarama, no Noroeste do Estado. Ao detectar um incêndio sob a rede que atende o município de Cruzeiro do Oeste, os bombeiros entraram em contato com a Copel, que conseguiu transferir o abastecimento a mais de 10 mil unidades consumidoras e desativar a rede para que o combate às chamas pudesse ser feito com segurança.

Em 2020, duas ocorrências nos meses de agosto e setembro causaram o desligamento de linhas de transmissão operadas pela Copel, no Paraná e no estado de São Paulo.

O Corpo de Bombeiros orienta a população que, ao presenciar um incêndio ambiental, acione imediatamente a Central de Operações, pelo telefone 193. Nesta época de vegetação seca, o fogo descontrolado pode se alastrar rapidamente, causando danos irreversíveis à fauna e à flora.

Além das condições climáticas ou naturais, uma parcela significativa dos incêndios é causada pela ação humana. É fundamental que se aumente os cuidados neste período, evitado queimadas de vegetação e de lixo, bitucas de cigarro lançadas no mato, fogueiras e balões. A fabricação, venda, transporte ou soltura de balões são atividades proibidas por lei. No Paraná existe ainda a previsão de penalidades para os causadores de incêndios ambientais, proporcionais à área atingida e aos danos causados.

Confira o Mega Saldão do Cliente Suprema Supermercado de Turvo

 


Turvo vacina pessoas que receberam a 1ª dose da vacina Astrazeneca




 

Mais 7.040 casos e 91 óbitos em decorrência da Covid-19 são confirmados no Paraná


A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou nesta quarta-feira (18) mais 7.040 casos e 91 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os números são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas. Há ajustes ao final do texto.

Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 1.423.026 casos e 36.471 mortes em decorrência da doença.

Os casos divulgados nesta data são de janeiro (212), fevereiro (136), março (406), abril (320), maio (963), junho (697), julho (674), e agosto (2.797), de 2021, e dos seguintes meses de 2020: abril (1), junho (8), julho (14), agosto (13), setembro (9), outubro (8), novembro (43) e dezembro (739).

INTERNADOS – De acordo com o boletim, 1.090 pacientes com diagnóstico confirmado estão internados. São 771 em leitos SUS (448 em UTI e 323 em leitos clínicos/enfermaria) e 319 em leitos da rede particular (146 em UTI e 173 em leitos clínicos/enfermaria).

Há outros 1.547 pacientes internados, 734 em leitos UTI e 813 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo novo coronavírus.

ÓBITOS – A Sesa informa a morte de mais 91 pacientes. São 39 mulheres e 52 homens, com idades que variam de 31 a 94 anos. Os óbitos ocorreram de 11 de abril a 18 de agosto de 2021.

Os pacientes que morreram residiam em Curitiba (50), Cascavel (5), Prudentópolis (4), Pinhais (3), Londrina (3), Colombo (3), Araucária (3), Ponta Grossa (2), Ibiporã (2) e Almirante Tamandaré (2).

O boletim registra, ainda, a morte de uma pessoa que residia em cada um dos seguintes municípios: Terra Rica, São José dos Pinhais, Sarandi, Pontal do Paraná, Pitanga, Pinhalão, Nova Laranjeiras, Marechal Cândido Rondon, Loanda, Francisco Beltrão, Diamante D'Oeste, Cornélio Procópio, Campo Largo e Cambé.

FORA DO PARANÁ – O monitoramento contabiliza 6.632 casos de não residentes no Estado. Deste, 216 pessoas morreram.

Confira o informe completo clicando AQUI.

Turvo registra mais 01 caso de Covid-19

 


Faleceu José Lemes

Faleceu na manhã desta quarta-feira (18) em Guarapuava, José Lemes, aos 68 anos.

Seu corpo será velado em sua residência, na Localidade do Faxinal dos Vidal, em Turvo.

O sepultamento será nesta quinta-feira, em horário a ser designado.


Informou Funerária SerLuto de Turvo.

Ladrão mata vaca leiteira, leva pernil e paleta em Boa Ventura de São Roque

No dia 17 de agosto, por volta das 18h00 compareceu no DPM de Boa Ventura de São Roque, uma pessoa relatando que por volta das 17h00 no sitio onde mora, encontrou sua vaca leiteira da raça Holandesa malhada preta e branca com aproximadamente 4 anos de idade morta, e que havia sido retirado o pernil e duas paletas da vaca.

A vítima acredita que sua vaca tenha sido morta na madrugada do dia 15/08 para o dia 16/08.

Diante dos fatos o mesmo foi orientado.

Fonte: PM

Turvenses que receberam auxilio emergencial indevido comprovaram devolução do dinheiro



Graças à fiscalização realizada de forma conjunta pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) e pela Controladoria-Geral da União (CGU), cerca de R$ 9 milhões retornaram ao tesouro nacional. O valor corresponde a 75% dos aproximadamente R$ 12 milhões recebidos de forma indevida por servidores, agentes políticos, aposentados e pensionistas de 388 municípios e do Estado do Paraná a título do auxílio emergencial pago pelo governo federal em 2020.

O benefício teve como objetivo fornecer proteção emergencial a pessoas de baixa renda afetadas pelo agravamento da atual crise econômica em função da pandemia da Covid-19. No entanto, os dois órgãos de controle identificaram que 10.648 funcionários públicos lotados nesses entes haviam recebido o benefício de maneira possivelmente irregular.

Após a emissão de nota técnica conjunta da CGU e do TCE-PR sobre o assunto, todas as referidas administrações foram comunicadas a respeito do teor do documento. Seguindo determinação da Corte, elas então notificaram seus servidores para que devolvessem valores recebidos indevidamente por meio de sistema online disponibilizado pelo Ministério da Cidadania ou que informassem à CGU a possível utilização de seus dados pessoais por terceiros para fins de obtenção indevida do benefício.

Ainda segundo a nota, "as condutas de solicitação e recebimento do auxílio emergencial, mediante a inserção ou declaração de informações falsas, podem tipificar os crimes de falsidade ideológica e estelionato, além de configurarem possíveis infrações disciplinares a serem analisadas no âmbito do respectivo município".

Resultados

Diante disso, 180 municípios responderam ao TCE-PR, informando a notificação de seus funcionários; a instauração de procedimentos administrativos para apurar a conduta de determinados servidores; a comprovação da devolução de valores por outros; e a demonstração de que muitos deles receberam o auxílio emergencial de forma automática por estarem cadastrados como beneficiários de outros programas de transferência de renda do governo federal, como o Bolsa Família.

Foi comunicada ainda a tomada de medidas mais drásticas, diante da verificação de efetivas irregularidades. No Município de Cascavel (Região Oeste), por exemplo, oito servidores comissionados foram exonerados. O mesmo ocorreu em Cidade Gaúcha (Região Noroeste). Em outras localidades, servidores optaram pelo registro de boletins de ocorrência junto à Polícia Civil para noticiar possíveis fraudes.

Por sua vez, a Prefeitura de Prudentópolis (Região Central) desligou de forma imediata 47 estagiários que incorreram na referida ilegalidade. Já em Quatro Barras (Região Metropolitana de Curitiba), a administração local optou por suspender o contrato de trabalho de um servidor irregularmente beneficiado e descontar os valores indevidamente recebidos diretamente na folha de pagamento de outros três.

Em 23 municípios, todos os servidores notificados comprovaram a devolução do dinheiro. São eles: Ariranha do Ivaí, Brasilândia do Sul, Cândido de Abreu, Chopinzinho, Cruz Machado, Diamante do Oeste, Doutor Camargo, Espigão Alto do Iguaçu, Fernandes Pinheiro, Flor da Serra do Sul, Goioxim, Guaíra, Joaquim Távora, Ivaí, Lindoeste, Marumbi, Nova América da Colina, Nova Fátima, Nova Prata do Iguaçu, Pato Bragado, Pérola do Oeste, São João do Triunfo e Turvo.


Fonte: TCE/PR

Venha ser UniFCV - Conheça o curso de Graduação EAD em Engenharia de Produção


A UniFCV tem a oportunidade perfeita para você que sonha em ser engenheiro(a). Oferecemos as melhores condições, com metodologia multidisciplinar, corpo docente qualificado e sistema virtual de ensino equipado com tecnologia de ponta. Curtiu? Então, conheça o curso de Graduação EAD em Engenharia de Produção.

Com duração de 5 anos, esse curso conta com uma matriz curricular que engloba: Ciências Exatas e da Computação; Gestão Financeira e Econômica; Gestão de Pessoas e Qualidade; além de Produção. Desse modo, o profissional que escolhe seguir essa carreira é capacitado para:

garantir a eficiência dos processos produtivos;

atuar no desenvolvimento organizacional de empresas;

operar na área de Engenharia do Trabalho;

trabalhar no setor agropecuário.

Toda empresa anseia otimizar a sua produção. Exatamente por isso, o mercado de trabalho está sempre aquecido e precisando de profissionais qualificados. A média salarial de um Engenheiro de Produção é de R$ 7.516,00.

Faça Engenharia de Produção na UniFCV e tenha acesso a melhor formação. Nosso objetivo é formar profissionais autônomos, criativos e capazes de lidar com os desafios do mundo empresarial. Matricule-se e faça a mudança acontecer.

Quer saber mais? Entre em contato (42) 9 9128-1476. 

Curta nossa página e fique por dentro das novidades:

Projete o seu futuro de sucesso. Venha ser UniFCV.
Publicidade