quarta-feira, 18 de dezembro de 2019

Auto de Natal de Turvo é encenado por mais de 100 atores


Após doze anos desde a última exibição, o Auto de Natal de Turvo ganhou nova edição em 2019. Escrita e dirigida por Mercedes Pilati, com canções do mineiro Waldemar Euzébio Pereira, a obra retrata o episódio bíblico do nascimento de Jesus adaptado às culturas que compõem a identidade local. Entre ervateiros, lavadeiras, tropeiros e muitos outros grupos do folclore turvense, mais de cem pessoas da comunidade deram vida aos personagens desta história. 

As figuras dos povos originários que habitaram este território em seu princípio também foram representadas no teatro. Lucas Takatuzi, que interpretou o Rei Indígena, relata uma experiência de diversão e comunhão ao se unir com outras pessoas para construir este momento artístico. “Foi inovador ver tantas pessoas trabalhando juntas com um só propósito de representar a cultura do nosso município", acrescenta.

Além dos atores, a apresentação teatral contou com o corpo de músicos, que teve a participação de diversos turvenses nos vocais e instrumentos como a sanfona e elementos de percussão. "Eu nunca tinha visto um Auto de Natal como este, trazendo esta cultura tão bonita que faz parte da região", conta a musicista Thaysa Max. O criador das canções, Waldemar Euzébio, também esteve presente, tanto no arranjo das melodias quanto na interpretação do Rei Negro, encantando novamente a obra com seus versos.

O Auto de Natal de Turvo é uma tradição municipal que renasce e emerge, nas palavras do compositor, com a "esperança renovada". A comunidade está convidada a participar nas seguintes edições desta celebração, uma de várias oportunidades que surgem para fazer brilhar a arte popular.
Texto: Camila Maciel
Fotos: Blog do Elói
Clique na imagem para ampliar:
































Nenhum comentário:

Postar um comentário