quarta-feira, 13 de junho de 2018

Paraná detém maior índice de produtividade agrícola


O Paraná vem apresentando na safra 2018 os maiores índices de produtividade do País nas culturas da aveia, centeio, fumo, laranja, milho da primeira safra e triticale, segundo dados do Levantamento Sistemático de Produção Agrícola (LSPA), divulgados na terça-feira (12) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

“Devido aos altos índices de produtividade alcançados, o Paraná mantém a sua relevância na produção agrícola nacional, respondendo por mais de 17% da safra de grãos do País, mesmo ocupando apenas 2,3% do território brasileiro”, disse o diretor-presidente do Ipardes (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social), Julio Suzuki Júnior.

Na avaliação do chefe do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura, Marcelo Garrido, o bom desempenho paranaense na safra 2018 deve-se especialmente ao investimento em tecnologia feito no Estado.

“O clima tem sido menos favorável na safra 2018 em relação a anos anteriores, com falta de chuva no início do plantio do milho, por exemplo”, afirma o técnico. “Mesmo assim, o Estado se manteve no topo da produtividade nacional com vários produtos, graças à alta tecnologia que temos a nosso favor”, diz Garrido.

MÉDIA NACIONAL - O rendimento por hectare na lavoura de laranja alcança 37.085 quilos por hectare no Estado, 36,7% acima da produtividade média brasileira. No caso do milho da primeira safra, a produtividade paranaense de 8.745 quilos por hectare é 73,9% superior ao índice observado no País (5.029 quilos por hectare).

Em relação ao triticale (híbrido de trigo e centeio utilizado principalmente na alimentação animal), fumo, aveia e centeio, os rendimentos médios obtidos no Estado suplantam em 16,5%, 15,6%, 19,1% e 20,4%, respectivamente, as médias registradas no Brasil.

Julio Suzuki Júnior afirma ainda que o Paraná é destaque em produtividade de soja, trigo e feijão, apesar de não liderar o ranking nacional, uma vez que os índices de rendimento do Estado estão muito acima dos resultados da agricultura brasileira.

TONELADAS - Em volume de produção, o milho da primeira safra alcançou 2.887.598 toneladas colhidas em 2018, enquanto a laranja atingiu a produção de 833.660 toneladas.

Nos casos do fumo e da aveia, os volumes colhidos devem alcançar 190.254 e 166.991 toneladas, respectivamente. Na sequência, triticale e centeio, com produções de 28.675 e 6.349 toneladas, completam a lista.

Fonte: AEN

Criança de 03 meses de vida morreu vítima de acidente próximo a Ariranha do Ivaí


O IML de Ivaiporã, confirmou a morte de Mirela dos Santos Camargo, de 3 meses, vítima de acidente. Conforme divulgamos, a batida grave foi registrado neste dia 13 de junho, de 2018, em Ariranha do Ivaí, na rodovia Nelson Petrassi, que da acesso ao município. 
Informações apuradas pelo Blog do Berimbau e Rádio Nova Era, dão conta de que houve batida entre um Chevrolet Cruze, com placas AZV-4978, de Ariranha do Ivaí, conduzido por Osmar Chociai, dono do Mercado Chociai, e um Fiat Uno, dirigido por Érico Camargo, 30 anos. 
Com o impacto, houve danos de grande monta e três pessoas feridas, todas ocupantes do Uno, ou seja, o motorista Érico, a esposa Adriana Cristina dos Santos, 24 anos; e Mirela dos Santos Camargo, de 3 meses. 
Bombeiros e Samu, ambos de Ivaiporã, e Polícia Rodoviária, do Porto Ubá, em Lidianópolis, foram acionados. Todas as vítimas foram socorridas com vida, mas infelizmente a bebê, recém nascida, não sobreviveu. O estado de saúde da mãe, era gravíssimo.

Problemas elétricos afetam abastecimento de água em Turvo


A Sanepar informa que a bomba da captação que abastece o município de Turvo está com problemas elétricos nesta quarta-feira (13). A bomba amanheceu sem fornecimento de energia elétrica e equipes da Sanepar e de engenharia elétrica estão trabalhando para solucionar o problema. Assim que a energia retornar a bomba volta a operar e será retomada a produção normal. A previsão é de que o abastecimento seja normalizado, gradativamente, no período da noite.

Só ficarão sem água os clientes que não têm caixa-d’água no imóvel, conforme recomendação da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). A Sanepar sugere que cada imóvel tenha uma caixa-d’água de pelo menos 500 litros. Assim, é possível ter água por 24 horas, no mínimo.

A orientação é evitar desperdícios. A Sanepar conta com a participação de todos!

O Serviço de Atendimento ao Cliente Sanepar é feito pelo telefone 0800 200 0115, que funciona 24 horas. Ao ligar, tenha em mãos a conta de água ou o número de sua matrícula.

Para consultar esta e outras informações, utilize o aplicativo para celular e tablet Sanepar Mobile ou acesse o site da Sanepar: www.sanepar.com.br

Fonte: Assessoria Sanepar

Jovens de Turvo reivindicam pista de skate ao prefeito

.
De acordo com o prefeito, há dois projetos em andamento no Governo do Estado que podem atender ao pedido dos jovens, e uma terceira alternativa seria a viabilização de uma pista modular, em uma área central da cidade. “É um espaço nobre e que pode também ser utilizado para outras atividades. Como a pista seria modular, sua montagem e desmontagem seria mais prática e ela também poderia ser levada para outras áreas da cidade”, enfatizou Jerônimo.

Conforme a secretária Maria Cristina, a proposta da administração municipal, além do espaço, também é de disponibilizar os skates para os interessados no esporte e também realizar oficinas com atletas já experientes. “Temos muitos adolescentes que estão demonstrando grande interesse nessa prática esportiva.

A reunião desta terça, realizada nas dependências do Centro de Referência de Assistência Social (Cras), foi organizada pelo grupo de jovens ODM e teve a participação do jovem Eduardo Ferreira, de 16 anos, que já vem se destacando no esporte na região.

Nesta quarta, o prefeito volta a manter contato com os jovens, apresentando os projetos que estão em trâmite em Curitiba para que a melhor proposta seja oferecida aos skatistas no município.

Fonte e foto: Prefeitura de Turvo

Campanha de vacinação contra febre aftosa termina sexta-feira


Esta é a última semana da campanha estadual de vacinação contra a febre aftosa. O prazo encerra sexta-feira (15). Nesta primeira etapa, é obrigatória a vacinação e comprovação da vacina de bovinos e bubalinos de zero a 24 meses.

A estimativa é de que 4,2 milhões de cabeças nessa faixa de idade devam ser vacinadas. De acordo com a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), cerca de 90% do rebanho já está vacinado.

Os produtores que não regularizarem a situação no prazo estabelecido recebem um auto de infração, que pode ser revertido em multa. “Para conseguirmos atingir nossa meta, é preciso manter os índices de vacinação suficientes, acima de 97%. Os produtores devem fazer a comprovação da vacinação nas unidades locais até sexta-feira”, diz o gerente de Saúde Animal da Adapar, Rafael Gonçalves Dias.

O calendário foi alterado no final de maio em função da greve dos caminhoneiros, que comprometeu a distribuição e venda de vacinas. Com isso, a Adapar alterou a data final da campanha de 31 de maio para 15 de junho, com base em uma recomendação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

A dose é de 5 ml para todos os animais. Ao comprar a vacina nas casas agropecuárias, o produtor precisa obter a Nota Fiscal de compra e o Comprovante de Vacinação e Atualização Cadastral. O comprovante deve ser entregue nas Unidades Locais da Adapar no prazo determinado. A comprovação também pode ser feita pela internet, na página www.adapar.pr.gov.br.

DOENÇA - A febre aftosa é uma doença infecciosa aguda causada por vírus, uma das mais contagiosas a atingir bovinos, búfalos, ovinos, caprinos e suínos. Causa febre, seguida do aparecimento de vesículas, principalmente na boca e nos cascos, dificultando a movimentação e alimentação dos animais, gerando elevada e rápida perda de peso e queda na produção de leite.

STATUS - Atualmente, o Paraná é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como Área Livre de Febre Aftosa, com Vacinação. Mas o objetivo do poder público é compor um bloco com outros estados para obter o reconhecimento de Área Livre de Febre Aftosa, sem Vacinação, já que a prática é considerada ultrapassada em outros países.

Assim, o Paraná espera atrair mais investimentos e conquistar mais espaço no mercado de carnes internacional. A ideia é substituir a vacina por formas de fiscalização permanente. A previsão da Adapar é que a última campanha de vacinação contra a febre aftosa ocorra em novembro deste ano. O último registro do vírus no Estado é de 2005, sanado em 2006.

Fonte: AEN