terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

Em 3 anos de economia, Câmara de Vereadores de Turvo é construída e teve sua 1ª Sessão Ordinária

Desde que assumiu como presidente em 2017, Eraldo Mattos tinha como meta, economizar nos gastos para construção da tão sonhada câmara, e após 37 anos, teve sua 1ª sessão em sede própria



Nesta segunda feira dia 03 de fevereiro de 2020, deu-se inicio aos trabalhos da Câmara Municipal de Turvo, com a primeira sessão realizada nas novas dependências do Poder Legislativo, onde inclusive se prestou uma homenagem a todos os vereadores que passaram por esta casa de leis, em razão da comemoração dos 37 anos de existência da Câmara Municipal de Turvo, a sessão foi repleta de elogios a todos os senhores vereadores pela construção do prédio próprio da Câmara o que foi possível através da economia dos recursos, e também o presidente Eraldo Mattos nos repassou o funcionamento desses repasses e como eles são utilizados e também uma prestação de contas da obra:

Todos os anos é aprovado o orçamento de todo o município para o próximo ano, onde do montante geral de verbas do município o Poder Legislativo tem direito a 7%, somente de alguns tributos ou impostos não é de todo o orçamento, para se ter uma ideia para este ano de 2020, o nosso orçamento total para a Câmara é de três milhões de reais para o ano todo, enquanto que do município é de quase 50 milhões tendo ainda o fundo de previdência que fica com pouco mais de dez milhões. 

Desse total do Poder Legislativo, é utilizado para todas as despesas da Câmara, como pagamento dos vereadores, funcionários, manutenção de equipamentos, viagens a trabalho, aquisição de material de expediente e outros serviços, compra de todo o necessário para o funcionamento da Câmara, e ao final de cada ano o que sobra desse valor é devolvido para o município para que seja feito algum projeto especifico, agora com a construção da sede própria não foi possível se devolver muito, mas assim mesmo foram devolvidos 110 mil reais para auxiliar o prefeito em alguns projetos, principalmente na construção daquelas residências, onde as pessoas corriam riscos de desabamento. 

Após a conclusão das obras da sede própria com certeza as sobras serão maiores e poderemos pensar em algum projeto a ser realizado com essas sobras. 

Todo o dinheiro empregado na construção da sede própria, provem de economias do próprio Poder Legislativo, o que se chegou ao que a população pode observar que hoje é uma realidade, a sede própria da Câmara Municipal, com um prédio bastante funcional, tendo um plenário grande onde pode abrigar mais de duzentas pessoas, sete salas administrativas, mais sala de reuniões, banheiros adaptados e a ultima parte a ser concluída em breve, que terá oito gabinetes para os vereadores, cozinha, copa, sala de arquivos, estacionamento, todo o paisagismo externo, com calçadas, grades nos muros, arborização e ainda com uma sala de duzentos e setenta metros quadrados que será utilizada pela prefeitura para abrigar partes da secretaria de Educação, ou outros eventos que eles acharem necessários, além do que o plenário poderá ser cedido, mediante solicitação por oficio, para os mais diversos eventos ou reuniões, espaço amplo, totalmente climatizado com som de qualidade, sem que seja necessário o pagamento de aluguel, como hoje é feito quando se tem alguma reunião para maiores públicos. 

Inclusive quero aproveitar este espaço, para fazer uma pequena prestação de contas dessa obra, obviamente que todos os valores gastos estão disponíveis no portal de transparência da Câmara, mas para aqueles que não tem acesso, podemos passar: na primeira etapa da obra foi construída toda a estrutura pré-moldada, onde foi vencedora empresa de nosso município, que é a Esmetur esquadrilhas metálicas, com valor de R$ 295.700,00, e nesse contrato foi aditivado o valor de 73.500,00, onde foi feito uma laje no plenário, onde acabou gerando uma sala de duzentos e setenta metros e servirá para utilização da prefeitura. 

Na segunda etapa foi vencedora a empresa Engespar Engenharia da cidade de Jardim Alegre com o valor de R$ 368.624,48, onde também foram aditivados serviços extras que ocorreram durante a obra no valor de R$ 91.789,00. E agora na terceira e ultima etapa a licitação ainda esta em andamento, já com as propostas devidamente abertas e aguardando apenas os prazos de recurso, onde a empresa Engespar fez o menor preço em R$ 506.438,97, mas houve recurso por parte da empresa Phibo Engenharia com o preço de R$ 536.626,69, o que estando ainda em fase de recursos será definido pela parte jurídica e a comissão de licitação e nesse mês de fevereiro ainda se dará inicio a obra. Lembrando então Osni o valor total da obra ficaria em um milhão de reais ou um milhão e quarenta mil reais, já totalmente pronta, lembrando que a obra toda tem um total de 994 metros quadrados, o que daria em torno de 1.340,00, por metro quadrado, o que esta muito abaixo do valor de mercado, também lembramos que a empresa Engespar, trouxe apenas um mestre de obras de fora e todos os demais funcionários foram aqui de Turvo, o que, se ela vencer, irá ocorrer novamente e mesmo que seja outra empresa, estaremos solicitando para isso seja uma condição, ou seja que seja feita com mão-de-obra local.

Clique na imagem para ampliar:
 

 
 
 

 


Mais fotos serão publicadas no link: www.facebook.com/blogdoeloi



Nenhum comentário:

Postar um comentário