sexta-feira, 29 de março de 2019

Venda de pinhão está liberada a partir de segunda-feira


O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) destaca que a colheita, a venda, o transporte e o armazenamento do pinhão estão liberados a partir de segunda-feira, 1º de abril. As normas e instruções são estabelecidas com o objetivo de conciliar a geração de renda e proteger a reprodução da araucária, árvore símbolo do Paraná e ameaçada de extinção.

Mesmo sendo colhido na data permitida, a regulamentação proíbe, em qualquer data, o consumo e a venda das sementes verdes, quando o pinhão apresenta cor esbranquiçada e alto teor de umidade. Nesse estado, as pinhas podem conter fungos e ser prejudicial à saúde.

A recomendação é que a semente seja colhida de pinhas que já caíram, evitando também o risco de queda ao subir numa araucária. “É importante respeitar a data estabelecida para maior probabilidade da semente estar madura, garantindo a perpetuidade da espécie e alimentação da fauna”, explica o chefe do Departamento de Fiscalização Ambiental do IAP, Ivo Good.

Também não é permitida a venda de pinhões trazidos de outros Estados, sendo obrigatório que respeitar as normas locais.

MULTA - De acordo com as normas ambientais, a pessoa que for flagrada na venda, transporte ou no armazenamento do pinhão antes de 1º de abril está sujeita a responder a processos administrativo e criminal, além de receber auto de infração ambiental e multa de R$ 300,00 para cada 60 quilos de pinhão.

DENÚNCIAS - Denúncias sobre a venda irregular de pinhão e demais infrações ambientais, podem ser feitas no link “Fale Conosco”, no site do IAP (http://www.iap.pr.gov.br), pelo telefone do IAP Curitiba: (41) 3213-3700 ou regionais do IAP e Polícia Ambiental.

Homem processa bar por tamanho de caipirinha e é condenado por má-fé


Um homem foi condenado pela Justiça após entrar com uma ação contra um bar, pois estava insatisfeito com o tamanho de uma caipirinha. O caso aconteceu em Curitiba. De acordo com o juiz do caso, o autor da ação agiu de má-fé.

O economista Ronaldo Valdívia alegou que em junho de 2018 pediu um drinque chamado "Caipirão" em um bar. Segundo ele, o anúncio dizia que a bebida tinha 600 mililitros, mas quando o pedido chegou, a quantia no copo era menor do que a anunciada.

Na ação, Ronaldo diz que reclamou com os atendentes e teve que pedir outra bebida. Ele alegou no processo que teve a honra e dignidade afetadas, além de desejos e vontades cassados. Imagens de Ronaldo com a bebida na mão foram anexadas ao processo.

Má-fé

O juiz Telmo Zainko, do Juizado Especial de Curitiba, entendeu que o autor da ação agiu de má-fé e o condenou ao pagamento de multa.

Na sentença, o juiz cita que nas imagens anexadas ao processo um homem aparece de maneira contente e descontraída. Para o juiz, quem teve o direito violado não se apresentaria desta forma em uma fotografia.

Ainda na decisão, o magistrado acrescenta que o autor da ação bebeu o drinque até o fim, pediu mais duas cervejas e ainda ganhou desconto de R$ 25 na conta. O juiz cita que o fato não havia sido comunicado por Ronaldo no processo.

Diante dos fatos, o juiz inverteu a sentença contra o autor. Na decisão, Telmo Zanko diz que o Juizado Especial tem como objetivo uma Justiça mais rápida e simples.

No entanto, segundo o juiz, os Juizados têm enfrentado problemas de demandas judiciais causadas por "uma verdadeira avalanche de pedidos de indenizações por danos morais totalmente descabidos".

A sentença condenou o economista ao pagamento de multa de 10% do valor da ação, que é de R$ 10 mil. Ele também foi condenado ao pagamento de honorários, calculados em 20% o valor da causa. No total, o pagamento da condenação soma R$ 3 mil.

O outro lado

Por meio de nota, a defesa de Ronaldo Valdívia disse que vai se manifestar apenas quando houver uma decisão definitiva, já que cabe recurso.

O Grupo Bossa, responsável pelo bar, afirmou que "durante seus mais de 10 anos de funcionamento, o compromisso com a qualidade, respeito e bom atendimento aos nossos clientes é nossa prioridade, de maneira que, sob nenhuma hipótese, seria conivente ou propagaria qualquer tipo de conduta que pudesse ferir os direitos dos nossos consumidores – o que foi confirmado pela sentença da ação em questão". Continue lendo...

Fonte: G1 - PR

Produção paranaense de grãos deve atingir 37 milhões de toneladas


A safra de grãos 2018/19 do Paraná deve atingir 37,1 milhões de toneladas, de acordo com o relatório mais recente do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento. Apesar das quebras em algumas culturas na primeira safra, especialmente soja e feijão, ocasionadas pelo clima, a expectativa atual é de que a produção do Paraná na safra 18/19 seja 5% superior à safra 17/18, que foi de 34,5 milhões de toneladas.

“O contexto é de perspectivas positivas para o milho, cuja produtividade está com um bom potencial. Também vale destacar a estimativa de produção, maior do que na safra anterior”, diz o secretário de Estado da Agricultura Norberto Ortigara. “A expectativa para o feijão da segunda safra também é positiva, embora seja uma cultura suscetível a variações climáticas, e consequentemente os preços se tornam muito voláteis”, observa. “Há possibilidade de recuperação no outono/inverno, colocando aí talvez como a segunda maior safra da história do Paraná”.

De acordo com o chefe do Deral, Salatiel Turra, no início da safra os agricultores tiveram dificuldade devido à escassez de chuvas, que resultou em baixa produtividade nas maiores regiões produtoras de soja, principalmente no Oeste do Paraná. Depois, com o decorrer do ciclo da soja, a chuva dificultou a entrada das colhedoras em algumas regiões. “De uma forma geral, o plantio do milho da segunda safra está adiantado, na comparação com o ano passado, porém, em algumas regiões pontuais, as chuvas das últimas semanas atrapalharam os trabalhos”, explica Turra.

FEIJÃO – A primeira safra do feijão, já absorvida pelo mercado, teve uma redução de 23% na estimativa de produção, que no início era de cerca de 320 mil toneladas, e agora está em 246,8 mil toneladas. Essa redução pode ser explicada pelos problemas climáticos do período, como a seca, calor excessivo, e posteriormente a chuva e o frio, que causaram a perda de aproximadamente 74 mil toneladas.

Na segunda safra, o feijão apresenta boas perspectivas. A totalidade da área está plantada e com boas condições de campo. Este ano, a área aumentou cerca de 7%, em comparação com o ano passado, e chegou a 228,4 mil hectares. Já a produção está estimada em 436,1 mil toneladas, cerca de 57% superior ao obtido em 2018.

Estima-se que a produção seja satisfatória, sem previsão de quebras, embora a cultura seja especialmente sensível às variações climáticas. Os preços também estão positivos para o produtor.

Em março de 2018, a saca de 60 kg feijão-preto era comercializada a R$ 108,00 e agora a R$ 154,00 - um aumento de 43%. O crescimento foi ainda maior nos preços do feijão-carioca, quase 240%, passando de R$ 82,00 no ano passado para R$ 276,00 agora, reflexo da quebra nas principais regiões produtoras, como o Paraná, Goiás e Minas Gerais, segundo o economista do Deral Marcelo Garrido.

O aumento do preço do feijão, embora seja bom para o produtor, tem impacto direto na cesta básica, o que pode ser percebido no mercado brasileiro desde dezembro de 2018. Agora, com o fim das férias escolares, a demanda pelo produto voltou a aumentar.

SOJA – Cerca de 80% da área de 5,4 milhões de hectares cultivados nesta safra já está colhida. “Mesmo com problemas climáticos nas principais regiões produtoras, a colheita está dentro da média na comparação com o ano passado”, explica Garrido. Na comparação com o boletim do Deral do mês passado, houve redução na estimativa de produtividade da soja, depois da reavaliação de campo do Deral, passando de 16% para 18%.

No início da safra, a produção era estimada em 19,6 milhões de toneladas, e agora a expectativa é de 16,1 milhões. “Fatores climáticos como a seca e o excesso de calor desde o início de setembro, quando começou o plantio, ajudam a explicar esses números”, diz.

Na avaliação do Deral, o preço da saca de 60 kg da soja está satisfatório para os produtores, e se manteve próximo aos R$ 68,00, enquanto que em março do ano passado a saca era comercializada a R$ 69,00. Há tendência de variação nos preços, dependendo das relações comerciais e variações de mercado dos EUA, um dos principais produtores mundiais junto com o Brasil. Apesar da quebra da safra e redução de produção, os resultados ainda apontam para uma safra grande e satisfatória para o Paraná.

MILHO – A colheita do milho da primeira safra está quase finalizada. A produção, embora esteja um pouco abaixo do esperado, mostrou um desempenho melhor do que a soja. Os dados do Deral apontam aumento da disponibilidade do grão no Estado - a produção, de 3,1 milhões de toneladas, foi 7% maior do que na safra passada.

Comparativamente com o potencial inicial, a safra teve redução de 5%, pois a expectativa do Deral era que essa cultura atingisse 3,3 milhões de toneladas em condições de clima normais. A área do milho registrou aumento de 8%, passando de 330,7 mil hectares para 357,6 mil hectares.

O milho da segunda safra tem área estimada em 2,2 milhões de hectares, um crescimento de 6% em relação à safra 17/18, quando era de 2,1 milhões de hectares. O Deral estima a produção de 13 milhões de toneladas, 42% a mais do que na safra anterior, quando atingiu 9,1 milhões de toneladas.

A previsão é reflexo da boa condição climática neste momento do ano, e por isso espera-se que a produção possa até superar a expectativa inicial, de acordo com o técnico do Deral Edmar Gervásio. “Esse aumento percentual é significativo, principalmente porque a safra passada teve uma perda de produção em torno de 23%. Então, esses 42% representam uma recuperação do volume produzido no Paraná, além de um ganho de produtividade e área”, explica.

Os preços ao produtor nesta cultura continuam bons. A saca de 60 kg está sendo comercializada por R$ 30,00, 23% superior ao custo variável. “O cenário não indica que haverá grandes oscilações nos preços, e o mercado brasileiro terá um bom abastecimento do cereal”, completa.

TRIGO - A partir do mês que vem, os produtores devem começar a plantar o trigo. Os preços estão em torno de R$ 48,00 a saca de 60 kg, valor 37% acima dos praticados no mesmo período do ano passado. Os custos de produção também aumentaram, mas em escala menor, 18%, chegando a praticamente R$ 45,00 a saca. Os preços mínimos estabelecidos pelo governo federal também foram reajustados, passando de R$ 36,17 para R$ 40,57.

Essas informações são todas positivas para o produtor, e poderiam gerar um aumento da área plantada. No entanto, os números apontam uma redução de 6%, de 1,10 milhão de hectares para 1,04 milhão. “O desânimo momentâneo dos produtores brasileiros pode ser explicado por duas frustrações de safra consecutivas nos últimos anos e pelo recente aumento da competitividade argentina”, diz o engenheiro agrônomo do Deral Carlos Hugo Winckler Godinho.

O plantio deve se estender até julho, possibilitando que os produtores revejam seu planejamento, ou seja, há bastante indecisão ainda. Caso se confirme a área atual, a produção pode superar 3,3 milhões de toneladas, suficiente para abastecer todos moinhos paranaenses ao longo do ano safra.

Fonte: AEN

Pesca no Rio Piquiri está liberada a partir deste sábado


A atividade estava proibida desde 20 de fevereiro como medida de precaução em razão da mortandade de peixes. Análises apontaram que um agrotóxico despejado irregularmente foi a causa do problema e que a qualidade das águas está dentro da normalidade.

O Instituto Ambiental do Paraná (IAP), por meio da portaria nº 52/2019, libera a pesca comercial e amadora no Rio Piquiri a partir deste sábado (30). A atividade estava proibida desde 20 de fevereiro como medida de precaução e prevenção em razão da mortandade de peixes.

A liberação compreende para toda Bacia do Rio Piquiri e seus afluentes. Com 660 quilômetros, o rio nasce na Serra de São João, entre Turvo e Guarapuava, e segue até desaguar no Rio Paraná, entre Terra Roxa e Altônia.

Além de liberar a pesca, a portaria tem o objetivo de regulamentar a atividade na região do Rio Piquiri. “Essa portaria reuniu vários elementos favoráveis, tanto para as pessoas que vão pescar, garantindo a segurança delas, quanto à segurança ambiental dos peixes”, explica o chefe regional do IAP de Toledo, Taciano Cesar Freire Maranhão.

Para descobrir a causa da mortandade, foram realizados exames toxicológicos nos peixes mortos e coleta da água. A conclusão foi que um agrotóxico despejado de maneira irregular foi o motivo da mortandade elevada de peixes. Há suspeitas de que o problema começou nas imediações da confluência do Rio Cantu com o Piquiri.

De acordo com os estudos já concluídos, a mortandade de peixes foi um caso isolado e não contínuo. Os rios já se encontram em estado normal, conforme Relatórios de Ensaios n° 599/2019, e dentro dos padrões estabelecidos pela Resolução Conama n° 357, de 17 de março de 2005.

“O IAP vai continuar fazendo os trabalhos de monitoramento da qualidade da água, fisioquímica e toxicológica”, afirma Maranhão. “A população pode consumir os peixes tranquilamente, pois não há indícios de contaminação e nem poluição”, continua.

PROIBIDO – Será proibido o uso dos seguintes petrechos, aparelhos e métodos de pesca: redes e tarrafas, ambas de arrasto de qualquer natureza; redes de emalhar, espinhel que estejam dispostos no ambiente; armadilhas tipo tapagem, pari, covo, cercada ou quaisquer aparelhos fixos com função de aprisionar os peixes; o uso de cevas permanentes que incluem grãos inteiros ou triturados de origem vegetal por meio de fermentação.

São considerados de uso proibido aparelhos, petrechos e métodos não mencionados na Portaria.

PERMITIDO - Fica permitido o uso de linha de mão, caniço simples, caniço com molinete ou carretilha, isca natural ou isca artificial com ou sem garateia, nas modalidades arremesso e corrico.

Fica estabelecida em 10 quilos a cota por pescador, mais um exemplar para pesca, durante o período de estadia no local.

As espécies permitidas para a pesca devem estar de acordo com a Instrução Normativa do Ibama nº 26, de 2 de setembro de 2009.

PENALIDADES – O exercício da pesca em desacordo com o estabelecido nesta portaria sujeitará o infrator às penalidades previstas na Lei de Crimes Ambientais nº 9.605/1998 e no Decreto nº 6.514/2008. Estão previstas multa de R$ 700,00 a R$ 100 mil e apreensão do material de pesca. A multa pode ser ainda maior para quem pescar a espécie Piracanjuba – proibida pelo Ibama, por meio da Lei nº 445/2014.

A Portaria nº 52/2019 entra em vigor, ficando revogada a Portaria nº 25 de 20 de fevereiro de 2019.

Cresol CAD Futsal estreia no Paranaense neste sábado no Joaquinzão


Pés no chão, degrau por degrau. Assim segue o lema e o trabalho da diretoria do CAD também em 2019, os representantes Guarapuavanos seguem levando as cores da cidade por mais uma temporada no certame estadual, após bons resultados em amistosos chegou a hora “que a bola vai rolar pra valer”, a estreia no Paranaense Chave Prata será neste sábado (30/03) às 20 horas em casa contra a equipe do Norte Futsal de Francisco Beltrão, a partida será válida pela segunda rodada da competição, os visitantes já estrearam na primeira rodada com um empate contra a equipe do Mariópolis, como a equipe Guarapuavana folgou logo na primeira rodada será a estreia do Deportivo na competição. Os ingressos estão à venda na Casa Esporte, a partir de R$ 5,00.

O jogo de sábado:

Apenas um desfalque será certo para está partida, o ala Evaldo perdeu a sua mãe recentemente e por força maior está liberado pela diretoria para tratar de assuntos particulares, a diretoria deverá dar acompanhamento psicológico para o atleta, fora o Evaldo. Força máxima para o técnico PH utilizar, a diretoria Guarapuavana conseguiu inscrever todos os atletas, inclusive os de transferência Interestadual, Willian Cunha, Rafa Gaúcho, Ceará e Júnior que dependiam de liberação de documentação da CBFS (confederação Brasileira de Futebol de Salão).

Expectativa do técnico: 

Time treinou muito, já se organizamos bastante fisicamente, técnica e tudo oque tinha que ser feito para iniciar bem, time chega com mais de 45 dias de pré-temporada, se cada um fizer oque treinamos e a sua parte dentro de quadra, as coisas vão acontecer... A não ser que o outro time esteja muito inspirado e seja muito superior, nosso grupo está motivado, vai ser um ótimo começo de temporada.

Dia a dia e oque esperar de 2019?

Após a montagem de um bom elenco para a temporada 2019, a diretoria espera o clamor público nestas batalhas em casa, levando em consideração as boas apresentações nos amistosos preparatórios, a promessa é de muita entrega e luta dentro de quadra para alcançar os objetivos almejados no ano, cercados de incertezas em 2018 a diretoria conseguiu manter o projeto vivo e chegar em 2019 com um planejamento e visão de quais caminhos percorrer.

O retorno para a Chave Ouro é a principal meta do clube no ano, por outro lado o tópico financeiro é o assunto mais delicado e vivido do clube, visto pelas dividas que o clube ainda tem pendentes e acordadas, bem como a manutenção da folha salarial que alcançam os 35.000,00 mensais com encargos, a arrecadação de patrocinadores de R$ 17.000,00 obrigam a diretoria a fazer ações promocionais e pedir o apelo do torcedor no ginásio para equilibrar o déficit mensal que o clube irá enfrentar.

Como o torcedor pode ajudar?

1° Comprando os ingressos e comparecendo aos jogos, os ingressos em 2019, terão preços fixos de R$ 5,00 (ingresso meio, que tem direito estudantes, mulheres e crianças) e R$ 10,00 o ingresso inteiro, além de dar o incentivo com o ingresso ainda pode se divertir com uma ótima opção de lazer e ser o 6° jogador, empurrando nosso time e transformando o Joaquinzão em um caldeirão.

2° Com o plano de sócio torcedor, que dá várias vantagens, bem como a lembrança da camisa oficial, passaporte para entrada livre em todos os jogos em casa e vantagens no comércio local, bem como descontos em lojas parceiras.

3° Comprando as ações promocionais do clube, temos disponível e sendo comercializado o show de prêmios, com mais de R$ 35.000,00 em premiação, tendo como principal um ARGO zero km, está ação é desenvolvida em parceria com a ACPAC (Associação Casa de Passagem e Apoio a Pessoa com Câncer), o lucro da operação será repartido entre as entidades, a cartela custa R$ 25,00 e o sorteio será no dia 10/05/19. 

Assessoria CAD

PM encontra arma em veículo e dois são presos em Turvo


No dia 28 março, a equipe policial realizava a Operação Saturação na localidade Rio do Salto, área rural, quando foi repassado via radio que um veiculo I/VW PASSAT, estaria deslocando do Jardim Vitória para a localidade de Rio do Salto, transportando arma de fogo e entorpecentes. 

Realizado patrulhamentos e visualizado um veiculo com características semelhantes, sendo que o condutor ao avistar a viatura empreendeu fuga, momento em que iniciou-se o acompanhamento tático, onde apos cerca de 500 metros foi possível realizar a abordagem. 

Os ocupantes, 18 anos, (condutor) o qual não possui CNH, e 19 anos, (passageiro). Durante buscas foi encontrado no console central do veiculo um revolver marca taurus, cal. 32, municiado com 6 cartuchos intactos, marca CBC. 

Indagado quem seria o proprietário da arma nenhum dos dois assumiu a propriedade. Foi ainda deslocado ate a residência dos mesmos, porem nada de ilícito foi encontrado. Diante dos fatos o veiculo foi recolhido ao pátio do pelotão do Turvo por débitos de licenciamento, a arma e os autores conduzidos ate a 14ª SDP.

Pelotão Choque de Guarapuava faz doação de alimentos à Comunidade Bethânia


Na tarde dessa quinta-feira (28), a Equipe Choque esteve na Comunidade Bethânia para fazer a entrega de aproximadamente 350 kg de alimentos arrecadados durante o evento 1° CHOQUE RUN.

O administrador do local Thomas Magela Azevedo Cunha recebeu a equipe CHOQUE apresentando toda a estrutura e explicando sobre as atividades desenvolvidas pelos acolhidos nesta Casa de Restauração que é mantida exclusivamente com doações.

Missionários que fazem parte da instituição, orientam os 20 acolhidos que dividem entre si as atividades diárias para a manutenção dos diversos setores do local, como jardinagem, criações de animais, preparação das refeições e organização do ambiente, além disso participam dos momentos de oração na capela, tendo como maior objetivo restaurar a vida dos acolhidos, os restituindo aos seus lares para um convívio familiar saudável.

Com esse gesto de doação finaliza-se o evento do 1° Choque RUN em comemoração aos 10 anos de criação do Pelotão de Choque que aproximaram a PM da comunidade. 

O 2° Tenente Chaves agradece a todos que colaboraram para que esse momento se tornasse possível. 

Fonte e fotos : 16º BPM




Projeto ReflorestAção é desenvolvido por escoteira em Turvo



Nos último 5 meses a Escoteira Sarah Marques Rickli do Grupo Escoteiro Acaé 304/PR, desenvolveu com parceria da Secretaria do Meio Ambiente de Turvo, um projeto que visa conscientizar sobre os problemas que o desmatamento traz ao Planeta.

Usando dados oficiais do quanto o ser humano tem devastado nosso meio ambiente, com uma maior ênfase no Brasil e no nosso Estado do Paraná.

A proposta é um reflorestamento heterogênico, ou seja, com várias espécies de árvores nativas de nossa região.

Esse projeto teve sua primeira atividade prática no Acampamigos, onde a escoteira Sarah, distribuiu mais de 150 “bombas verdes”, como são chamadas as bolinhas que tem uma mistura de terra, material orgânico, sementes nativas e água.

Nas Escolas Municipais Elias Abrahao e Frida Rickli Naiverth, os alunos das séries finais do período da tarde, tiveram palestras e ganharam da escoteira uma “bomba verde” para ser lançada em locais onde possa florescer novas árvores. A turma do 5º ano da Escola Elias Abrahao fez, com o auxilio da Escoteira Sarah e da Escoteira Marina Marques Prestes Rickli as suas “bombas verdes”.

Com o desenvolvimento desse Projeto a Escoteira Sarah Marques Rickli finaliza o projeto Lis de Ouro, uma condecoração do Movimento Escoteiro.

Com informações de Luciana Marques







Sicredi lança Relatório de Sustentabilidade 2018

A publicação demonstra como o desempenho da instituição financeira cooperativa tem impacto sob o ponto de vista dos Objetivos e Desenvolvimento Sustentável (ODS)

O Sicredi – instituição financeira cooperativa com mais de 4 milhões de associados e presente em 22 estados e no Distrito Federal – acaba de publicar a edição referente a 2018 do Relatório de Sustentabilidade. O documento reafirma o compromisso do Sicredi com a atuação responsável, cooperativa e sustentável de seus negócios e com o desenvolvimento econômico, social e ambiental das regiões onde atua.

O relatório integra a Política de Sustentabilidade e Responsabilidade Socioambiental do Sicredi e segue as diretrizes internacionais da GRI Standards, mostrando onde o desempenho da instituição tem impacto, sob o ponto de vista dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). O documento direciona a estratégia do Sicredi e reforça os princípios do cooperativismo como promotores do tema sustentabilidade. 

Pela primeira vez, o Relatório de Sustentabilidade do Sicredi incluiu dados de emissão de gases de efeito estufa por colaborador. A informação será utilizada como base para definir, a partir de 2019, ações para diminuir os impactos ambientais, garantindo a qualidade, transparência e eficácia da gestão da instituição.

Entre os destaques da publicação, está a jornada de transformação digital iniciada pelo Sicredi, que inclui o lançamento do Woop Sicredi no ano passado, plataforma que oferece uma experiência de cooperativa de crédito 100% digital. Mais do que uma conta on-line, o Woop Sicredi permite que o usuário se associe e acompanhe o cotidiano de sua cooperativa de crédito pelo celular, vivendo os princípios e valores do cooperativismo.

Também foram evidenciadas no relatório as ações realizadas para difusão dos princípios e valores do cooperativismo. Um exemplo é o Programa Pertencer, que estimula a participação na governança das cooperativas e leva aos associados mais conhecimento sobre a importância de valores como democracia, transparência e ética. Apenas no ano passado, quase 415 mil pessoas participaram das assembleias. Outro importante programa com resultados relevantes é A União Faz a Vida, que tem como objetivo contribuir para a educação de crianças e adolescentes por meio de uma metodologia de ensino que promove os valores da cooperação e cidadania. Em 2018, 257 mil crianças e adolescentes foram impactadas, um aumento de 25,5% em relação a 2017.

Os relatos apresentados sobre diversidade dão conta de que algumas cooperativas de crédito filiadas ao Sicredi implementaram Comitês Mulher e Comitês Jovem, que incentivam a participação desses públicos nas estruturas de governança e nas comunidades. Como resultado, o Sicredi recebeu o prêmio Athena Award 2018, concedido pelo Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito (Woccu, em sua sigla em inglês) às instituições financeiras que contribuíram para o desenvolvimento de lideranças femininas no cooperativismo de crédito, em 2018.

Em 2018, outros dois projetos do Sicredi também foram reconhecidos pelo Woccu, por meio dos programas World Young Credit Union People e Growth Award, que premiam as três instituições financeiras com maior crescimento na base de associados. No âmbito nacional, o Sicredi também conquistou o primeiro lugar na categoria Cooperativas Financeiras das 150 Melhores Empresas para Trabalhar, além de figurar novamente entre as Melhores Empresas para Começar a Carreira, ambos os rankings da revista Você S/A.

Além disso, o Sicredi é referência em cooperativismo de crédito: no ano passado, foi assinado um acordo de cooperação com a Federação de Cooperativas de Poupança e Crédito do Nepal, por intermédio do Woccu. Esse acordo visa prestar assistência ao desenvolvimento das cooperativas do país asiático, aproveitando o conhecimento e a vivência do Sicredi, no modelo sistêmico de atuação.

Essas e outras informações e resultados alcançados pela instituição ao longo de 2018 podem ser conferidos no Relatório de Sustentabilidade, disponível no link https://www.sicredi.com.br/html/conheca-o-sicredi/relatorios/.



Sobre o Sicredi

O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br)

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Iapar lança nova cultivar de feijão mais rentável



O secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, participou nesta quinta-feira (28) em Ponta Grossa do lançamento da cultivar de feijão-preto IPR Urutau, elaborada pelo Instituto Agronômico do Paraná (Iapar).

A principal característica dessa cultivar é o potencial de rendimento, que pode ultrapassar a marca de 4,5 toneladas por hectare, segundo Vania Moda Cirino, especialista em melhoramento genético vegetal do Iapar que trabalhou no desenvolvimento do material. O evento também contou com a presença do presidente do Iapar, Natalino Avance de Souza, parceiros multiplicadores, produtores, técnicos e secretários municipais.

Ao longo dos seus 48 anos, o Iapar já entregou para a sociedade cerca de 200 cultivares de diversos produtos agrícolas, sendo 38 de vários grupos de feijão. “É uma cultivar que promete bons resultados porque foi exaustivamente testada no Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Mato Grosso do Sul, com média de desempenho excepcional a campo nos testes de pesquisa. Talvez seja a melhor cultivar de feijão que o Iapar já tenha criado”, disse Ortigara.

A nova cultivar tem ciclo semiprecoce e, em média, chega à colheita em 84 dias após a emergência. Os grãos de IPR Urutau têm alto teor de proteína e são de rápido preparo – cozinham em cerca de 19 minutos. Destaca-se ainda pelo bom comportamento frente as principais doenças que atingem lavouras de feijão e pelo porte ereto, característica que proporciona mais eficiência na operação de colheita. Foram 12 anos dedicados para o resultado, entre o início do trabalho em laboratório até a fase entrega das sementes para os parceiros multiplicadores.

A cultivar deve colaborar muito na melhora da produção e redução de custos pra os agricultores, além de abastecer a demanda de consumo do Brasil, que pode reduzir a importação de outros países.

A variedade recebeu esse nome para fazer referência à rapidez de desenvolvimento do feijão, já que Urutau é um pássaro ágil. O diretor de pesquisa do Iapar, Rafael Fuentes Llanillo, explica que a nova cultivar supera as melhores variedades de feijão em cerca de 12%.

Segundo ele, é fruto de um cruzamento feito em 2006 entre quatro variedades, buscando principalmente o ciclo mais curto e resistência a doenças, além da qualidade para o cozimento. “Existe um sistema de multiplicação dessa semente, onde ela sai da mão do pesquisador e é entregue a parceiros multiplicadores que têm contrato com o Iapar e a Secretaria. Já na safra 19/20 ela estará à disposição dos produtores”, afirmou.

AEN

Polícia prende seis pessoas por crime sexual na internet



A Polícia Civil do Paraná prendeu nesta quinta-feira (28) seis pessoas em flagrante durante a “Operação Luz na Infância 4”, força-tarefa coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública para combater crimes de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes na internet. Policiais civis do Distrito Federal e de 26 Estados também participaram da ação.

No Paraná, cerca de 65 policiais civis cumpriram nove mandados de busca e apreensão, em oito cidades. Os alvos estavam localizados em Curitiba, Arapongas, Cambé, Cascavel, Campo Mourão, Foz do Iguaçu, Paranavaí e São José dos Pinhais. Com exceção de Foz do Iguaçu, com dois mandados, nas demais cidades foram executados um mandado de busca e apreensão em cada uma.

No decorrer da operação, a Polícia apreendeu diversos materiais ilegais, como fotos e vídeos de crianças e adolescentes em situação de exploração sexual. Seis homens, com idades entre 23 e 53 anos, que estavam em posse desses materiais, foram presos em flagrante.

Segundo o delegado coordenador da operação no Paraná, José Barreto de Macedo Júnior, as investigações prosseguirão para encontrar outros envolvidos que tenham compartilhado o material ou até mesmo abusado sexualmente de crianças.

“A partir desse momento as investigações continuam para apurar o envolvimento de demais pessoas com o crime”, afirmou o delegado. E não só isso, acrescentou Macedo, “porque também encontramos crianças, geralmente parentes dos alvos, nas residências, as quais serão encaminhadas para unidade especializada nesse tipo de crime para serem ouvidas por um psicólogo, com o intuito de averiguar se além do armazenamento do material pornográfico infantil, também não ouve abuso”.

Os alvos foram identificados pela Diretoria de Inteligência da Secretaria de Operações Integradas, do Ministério da Justiça, com base em informações coletadas em ambientes virtuais, que apresentavam indícios suficientes de autoria e material criminoso.

Esse conhecimento produzido foi repassado às polícias civis – em especial às delegacias de proteção à criança e ao adolescente, e de repressão a crimes informáticos – que instauraram inquéritos e solicitaram aos juízes locais mandados de busca e apreensão.

As ações simultâneas mobilizam um efetivo de mais de 1,5 mil policiais em todo o país. A ação desencadeada é decorrente de cooperação mútua entre a Diretoria de Inteligência e a Diretoria de Operações, ambas vinculadas à Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça. Houve também colaboração da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, por meio da Adidância da Polícia de Imigração e Alfândega em Brasília (adido da polícia na embaixada), oferecendo cursos e capacitações que subsidiaram as quatro fases da Operação Luz na Infância.

PARANÁ - A Polícia Civil do Paraná já havia promovido uma operação independente nos mesmos moldes, com investigações exclusivas da corporação, no dia 19. Na ocasião, foram presas cinco pessoas. Isso dá um total de 11 presos em menos de dez dias por crimes relacionados à pedofilia na internet, no Estado.


AEN