sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Sem chuvas, população precisa fazer uso inteligente da água

Além da estiagem, elevação inesperada das temperaturas colabora para o aumento no consumo

A falta de chuvas nas últimas semanas está causando a diminuição do volume de água de mananciais superficiais (rios) e subterrâneos (poços) em diversas regiões do Estado. Na região de Guarapuava, os mananciais que abastecem os municípios de Laranjeiras do Sul, Pitanga e Marquinho já sentem as consequências da estiagem.

O Rio do Leão, principal manancial de abastecimento de Laranjeiras do Sul, e o seu afluente, Rio Virtuoso (ou Simões), apresentam níveis abaixo do normal para o período. O Rio Ernesto, que abastece Pitanga, está com a vazão reduzida a menos da metade. Os poços que abastecem o distrito de Poema, no município de Nova Tebas, estão com vazão reduzida em 30%. E o Arroio Liso, que abastece o município de Marquinho, também teve redução da vazão para menos da metade e a Companhia está captando 100% do manancial.

“Estamos operando normalmente todos os sistemas de abastecimento da região. Em alguns, como Guarapuava, o bom volume dos mananciais atende a demanda mesmo com semanas de estiagem. Porém, nesses municípios citados, os mananciais estão mais comprometidos pelas semanas sem chuva. E isso exige de todos nós o consumo consciente e o uso racional da água”, ressalta o gerente da Sanepar na região, Evandro Dalmolin.

Junto à estiagem soma-se o calor intenso. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) publicou, na segunda-feira (09), alerta laranja devido à onda de calor que chegou ao Paraná. O órgão diz que a previsão para até a próxima semana é de até 5º C acima da média para esta época. “Se a estiagem se prolongar e o calor intenso permanecer, podem ocorrer faltas de água pontuais ou redução de pressão na rede nesses municípios. Quando há períodos longos sem chuva, é muito importante que a população economize a água e priorize o consumo com atividades essenciais”, orienta o gerente.

Uso consciente – A previsão do Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar) aponta possibilidade de pancadas de chuva na região a partir da terceira semana de setembro. Em situações assim, é imprescindível que todos colaborem e adotem hábitos de uso racional da água. A orientação é para que as pessoas priorizem o consumo humano, no uso para alimentação e higiene pessoal. Serviços menos essenciais, como lavagem de carros e calçadas, devem ser adiados.

Outra recomendação é reaproveitar a água do tanque e da máquina de lavar roupas, reutilizando-a na limpeza, na rega de plantas, na lavagem de calçados e tapetes e até mesmo no vaso sanitário. Pequenas ações de economia, como reduzir o tempo no chuveiro, fechar as torneiras ao lavar louça, escovar os dentes e fazer a barba, também representam muito na economia de água.

Dicas para reduzir o consumo de água

– Reduza a lavagem diária de roupa. Acumule e use a capacidade máxima da máquina de lavar.

– A água do último enxágue do tanque ou da máquina pode servir para regar plantas, ensaboar tapetes, tênis e outras peças.

– A água do tanque ou da máquina em que foi lavada a roupa serve para lavar calçadas e pisos. Lavar calçadas com a mangueira é desperdiçar água tratada. Para “varrer” a sujeira, use a vassoura.

– Feche a cuba da pia, deixando um pouco de água. Ensaboe toda a louça e enxágue com água limpa. Não deixe a torneira aberta durante todo o tempo.

– Lave o carro usando balde: isso economiza até 300 litros de água.

– Reduzir o tempo do banho faz muita diferença na conta: cinco minutos de chuveiro consomem de 70 a 100 litros de água.

– Feche a torneira enquanto escova os dentes, ensaboa as mãos ou faz a barba. Uma torneira aberta representa 20 litros de água por minuto indo pelo ralo.

– Verifique se há torneiras pingando ou vazamento em vaso sanitário e nas demais instalações da rede interna.

FOTOS

(1) Rio do Leão, no período de chuvas: estiagem prolongada exige uso consciente da água tratada

(2) Em Pitanga, Rio Ernesto está com a vazão reduzida a menos da metade devido à estiagem

Assessoria Sanepar

Nenhum comentário:

Postar um comentário