quinta-feira, 23 de abril de 2020

Homem tira a própria vida no interior de Santa Maria do Oeste


Por volta das 12h30 dessa quinta-feira (23), Polícia Militar foi acionada via 190, onde uma denúncia anônima dava conta que na localidade de São Manoel, em Santa Maria do Oeste, alguns adolescentes teriam visualizado um homem conhecido como José Melo de Oliveira, o qual estaria pendurado em uma árvore e estava morto. 

Diante disso a equipe policial deslocou até o local e constatou que o corpo de José, de 57 anos estava enrolado com uma corda ao pescoço causando enforcamento. A equipe de enfermagem da localidade constatou o óbito. 

Sendo acionados a Polícia Civil e o IML para as averiguações.

Paraná registra mais 19 casos de coronavírus e total sobe para 1.082


O informe divulgado nesta quinta-feira (23) inclui também mais 62 pacientes recuperados, totalizando 564 – 52% das pessoas que contraíram o novo coronavírus se curaram e foram liberadas do isolamento com segurança.

A Secretaria de Estado da Saúde confirmou nesta quinta-feira (23) 19 novos casos de Covid-19 no Paraná e mais dois óbitos. O número de confirmações sobe para 1.082 e as mortes para 60. O boletim inclui também mais 62 pacientes recuperados, totalizando 564 – 52% das pessoas que contraíram o novo coronavírus se recuperaram e foram liberadas do isolamento com segurança.

Os 19 novos casos foram registrados em Curitiba (9), Ponta Grossa (3), Cascavel (2), Santo Antônio do Caiuá (1), Apucarana (1), Londrina (1), Siqueira Campos (1) e Guaíra (1).

Os óbitos ocorreram nos municípios de Siqueira Campos e Santo Antônio do Caiuá. São dois homens estavam internados tinham 54 e 92 anos, respectivamente.

São 112 municípios paranaenses com casos confirmados do novo coronavírus. A quantidade de pacientes que residem fora do Paraná segue a mesma: 14 confirmados e dois óbitos, conforme detalhamento no Informe Epidemiológico.

Confira o informe completo clicando aqui.

Aproveite a Sexta e Sábado Filé do Supermercado Suprema de Turvo



Guarapuava - Boletim atualizado


Turvo - Boletim Oficial Covid-19


Governador sanciona lei que proíbe corte de luz, água e gás


O fornecimento de luz, água e gás não poderá ser interrompido no Paraná enquanto durar a pandemia de coronavírus no Estado. Além disso, fica proibida a cobrança de taxas adicionais por parte dos planos de saúde para o atendimento de pacientes com Covid-19, bem como estabelecimentos de saúde da rede privada recusarem pessoas suspeitas de terem contraído a doença.

A medida atende projeto de lei número 167/2020, assinado por todos os deputados estaduais. A lei foi sancionada pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior nesta quinta-feira (23), no Palácio Iguaçu.

Ratinho Junior destacou que a lei atende especialmente a população mais vulnerável do Estado, sem esquecer também dos pequenos e médios varejistas.

Ele explicou que estão enquadrados no benefício famílias com renda de até três salários mínimos (R$ 3.135) ou até meio salário mínimo por pessoa (R$ 522,50); pessoas com mais de 60 anos; com coronavírus, doenças graves ou infectocontagiosas; com deficiência; trabalhadores informais; comerciantes enquadrados como micros e pequenas empresas, além de microempreendedores individuais.

Ratinho Junior destacou, ainda, que o Estado vai regulamentar o pagamento parcelado das dívidas geradas durante o período. “É uma medida muito importante que só reforça a preocupação do Governo com a área social, principalmente com as famílias mais humildes. O Estado tem se dedicado muito a amenizar o impacto de toda essa questão econômica decorrente da pandemia”, afirmou Ratinho Junior.

PARCERIA – Para ele, a nova lei, sancionada nesta quinta-feira (23), demonstra o trabalho em conjunto de todos os Poderes do Paraná em busca de alternativas viáveis à população no enfrentamento ao coronavírus. “A Assembleia Legislativa tem nos ajudado muito neste momento, apoiando no planejamento e na execução das ações. União para fazer com que a questão seja menos difícil para todos os paranaenses”, disse o governador.

Autor do projeto de lei que mais tarde foi encampado por todos os demais parlamentares, Fernando Francischini ressaltou que a medida contribui com outras ações adotadas pelo Executivo. O deputado mencionou que tanto Sanepar quanto a Copel já tinham a orientação por parte do Governo de não restringir neste momento de pandemia o fornecimento de água e luz para as pessoas com mais dificuldades.

“Nessas horas de dificuldade é que precisamos cuidar das pessoas que mais precisam do Estado. E o Governo, ao fazer valer essa lei, mostra toda sua sensibilidade”, afirmou Francischini. “Milhões de paranaenses terão mais segurança com essa proteção legal”, completou.

Ele mencionou, ainda, as outras ações do Estado de forte impacto para a sociedade, como a distribuição da merenda escolar, apoio a caminhoneiros e repasse de cestas básicas, entre outras intervenções pontuais.

COMÉRCIO E INDÚSTRIAS – Ainda com base na lei, os estabelecimentos comerciais e industriais passarão a ter a obrigação de esterilizar equipamentos, especialmente balcões, máquinas de pagamento, comandas, carrinhos e cestas de compras, visando a prevenção de doenças contagiosas.

Quem não cumprir as determinações estará sujeito à multa de até 500 UPF/PR (Unidade Padrão Fiscal do Paraná). Com base na UPF/PR de abril de 2020, os valores ultrapassam R$ 50 mil.

PRESENÇAS – Participaram do ato o chefe da Casa Civil, Guto Silva; o presidente da Assembleia Legislativa, Ademar Traiano; e os deputados estaduais Hussein Bakri (líder do Governo) e Luiz Cláudio Romanelli.

Fonte: AEN

Hospital Regional de Pitanga começa a ser construído



O Hospital Regional de Pitanga é um grandioso projeto que a área para a construção compreende uma extensão de 30 mil metros quadrados.
Estão previstos mais de 8 mil metros quadrados de área construída para abrigar mais de 100 leitos de alta complexidade, incluindo leitos de UTI neonatal e adulta.

A grandiosa estrutura irá atender as cidades de Pitanga, Altamira do Paraná, Boa Ventura de São Roque, Campina do Simão, Iretama, Laranjal, Manoel Ribas, Mato Rico, Nova Tebas, Palmital, Roncador, Turvo e Santa Maria do Oeste.

Um grandioso projeto que visa aumentar a qualidade de vida da população da região Central do Paraná, além de diminuir distâncias para tratamentos de alta complexidade, facilitando assim a saúde de qualidade para todos.

Fonte: Prefeitura de Pitanga

Chegam ao Brasil 500 mil testes para diagnóstico da covid-19


O primeiro lote com 500 mil testes para diagnóstico de covid-19, comprados pelo Ministério da Saúde via Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), chegou ontem (22) ao Brasil. A distribuição aos estados começa ainda nesta semana.

Foram adquiridos 10 milhões de testes RT-PCR (biologia molecular), que identificam o coronavírus logo no início, ou seja, no período em que ainda está agindo no organismo. O restante dos testes, produzidos pelo laboratório Seegene, da Coreia do Sul, chegará de forma escalonada, sendo cerca de 500 mil por semana.

A aquisição faz parte do esforço do Ministério da Saúde em ampliar a testagem para o coronavírus na rede pública de saúde. De acordo com a pasta, já foram distribuídos mais de 2,5 milhões de testes para diagnóstico de covid-19 em todo o país. Deste total, 524.536 mil são testes RT-PCR e 2 milhões são testes rápidos (sorologia). Estes últimos detectam a presença de anticorpos no organismo e são realizados entre o sétimo e décimo dia do surgimento dos sintomas da doença.

Para o ministro da Saúde, Nelson Teich, a partir da testagem é possível avaliar a evolução da doença no Brasil e conduzir as ações de enfrentamento. “É preciso que sejamos rápidos o bastante para fazer o diagnóstico e tomar uma atitude”, disse em comunicado do ministério.

De acordo com a pasta, até a próxima semana está prevista a distribuição de cerca de 3 milhões de testes que já chegaram ao Brasil e estão seguindo os trâmites legais para a distribuição. São 984 mil testes RT-PCR, oriundos de compras da Fiocruz (184,2 mil) e OPAS (500 mil), além da doação de 300 mil testes da Petrobras. Já em relação aos testes rápidos, são mais 2 milhões de unidades doadas pela mineradora Vale que chegaram ao Brasil nos últimos dias.

Estado divulga edital do Compra Direta de alimentos


A Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento divulgou nesta quarta-feira (22) o Edital de Chamada Pública de Credenciamento para o programa Compra Direta Paraná. Por meio dele, serão adquiridos, de forma emergencial, gêneros alimentícios da agricultura familiar destinados à rede socioassistencial, restaurantes populares, cozinhas comunitárias, bancos de alimentos e hospitais filantrópicos, entre outros.

Também serão atendidos Centros de Referência em Assistência Social (Cras) e Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas), que poderão disponibilizar os alimentos na forma de cestas básicas diretamente à população vulnerável.

“Tão importante quanto manter o sistema de saúde em pleno funcionamento é garantir a produção, o abastecimento e a segurança alimentar”, afirmou o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara. “O Compra Direta é um movimento positivo, pois mantemos a economia pulsando nas pequenas propriedades rurais e damos atenção qualificada às pessoas mais vulneráveis”.

Para este programa serão destinados R$ 20 milhões, provenientes do Fundo Estadual de Combate à Pobreza. O limite é de até R$ 20 mil por agricultor ao ano. A grande variedade da produção existente na agricultura familiar será contemplada, possibilitando o fornecimento e a substituição de itens em decorrência de problemas climáticos, logísticos ou de sazonalidade.

MAIS SAÚDE - As compras governamentais de alimentos fortalecem circuitos locais e regionais, além das redes de comercialização. Também valorizam a biodiversidade e a produção orgânica, incentivam hábitos alimentares saudáveis e estimulam o cooperativismo e o associativismo.

“Como resultado, há ampliação da geração da renda e fortalecimento do desenvolvimento local e regional, e, especialmente neste momento em que vivemos a pandemia da Covid-19, ajuda a fortalecer a imunidade e a melhoria das condições de saúde”, disse a diretora do Departamento de Segurança Alimentar e Nutricional (Desan), Márcia Stolarski.

“Esta nova política pública implantada em momento de emergência está associada a atitudes de valorização do bem-estar das pessoas, começando pelos cuidados com a qualidade de vida, por meio do acesso a alimentos saudáveis para a população mais vulnerável”, acrescentou a diretora.

AGILIDADE - Para que o processo seja mais ágil, a Secretaria da Agricultura e a Celepar (Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná) desenvolveram o Sistema Compra Direta Paraná. Ele possibilita a operacionalização de uma única chamada pública para aquisição de mais de 70 itens e para atendimento a todas as entidades beneficiárias.

Na mesma plataforma será possível registrar todas as etapas do processo, que inclui cadastro dos agricultores, apresentação das propostas de fornecimento por associações e cooperativas da agricultura familiar, classificação das organizações, habilitação e controle da execução de cada um dos contratos.

O Compra Direta Paraná é exclusivo para as organizações que possuem Declaração de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (DAP Jurídica) e que tenham mais de 50% dos agricultores familiares associados no Paraná. A contratação será feita por até seis meses.

PREÇO DERAL - O preço de referência para aquisição é o estabelecido pelo Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria da Agricultura, sem necessidade de disputa pelo menor valor.

Para alimentos orgânicos haverá acréscimo de até 30%. As propostas podem ser apresentadas até às 17 horas de 27 de abril e a divulgação dos fornecedores vencedores em cada um dos municípios será feita no dia 30, com um dia de prazo de recursos.

Na sequência, o projeto final de venda deverá ser assinado pelo presidente da organização e protocolado no Núcleo Regional correspondente até 5 de maio, para providências de contratação. O início da entrega dos produtos está previsto para ocorrer a partir de 18 de maio.

Tutorial para Cooperativas e Associações da Agricultura Familiar elaborarem projetos de venda da Chamada Pública.