quinta-feira, 26 de agosto de 2021

Familiares buscam por informações de João Paulo Moreira Bastos


Familiares de João Paulo Moreira Bastos, de 19 anos, estão buscando informações sobre o paradeiro do rapaz. Ele foi visto a última vez no domingo (22 de agosto), e não deu mais notícias aos familiares e amigos desde então.

João Paulo é morador da Colônia Vitória, em Guarapuava.

Quem tiver informações sobre o paradeiro do jovem ou tê-lo visto nas últimas horas, favor entrar em contato com Danieli, no telefone (42) 98809-9883.


Fonte: Gmais

Fraude contábil desviou R$ 5,2 mi em Reserva do Iguaçu


O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) julgou procedente Tomada de Contas Extraordinária instaurada para apurar a constatação, em inspeção realizada pela corte de contas, de que teria havido fraudes contábeis nas contas da Prefeitura de Reserva do Iguaçu (Região Oeste) e endividamento efetivo do município gerado por despesas indevidas. A decisão já foi alvo de recurso.

Devido a essa decisão, o ex-prefeito de Reserva do Iguaçu Emerson Júlio Ribeiro (gestão 2013-2016); o chefe da Seção de Tesouraria da Prefeitura e o secretário de Controle Geral da sua gestão, respectivamente, Max Ani Mendes e Joel de Jesus, foram sancionados à devolução solidária de R$ 5.245.531,92. O escritório de contabilidade Okonoski & Venson Ltda.; e seus sócios Maicon Oarlin Okonoski e Osvaldo Okonoski respondem solidariamente pela restituição de quase metade desse valor (R$ 2.528.265,96).

Todas as pessoas físicas sancionadas à devolução receberam a multa proporcional ao dano de 20% sobre o valor que devem restituir, o qual deve ser calculado, corrigido e atualizado pela Coordenadoria de Monitoramento e Execuções (CMEX) do TCE-PR.

Além disso, Ribeiro, Mendes e Jesus foram inabilitados pelo TCE-PR para o exercício de cargos em comissão no âmbito da administração municipal e estadual do Paraná; e deverão ter seus nomes incluídos na lista de gestores com contas desaprovadas. O escritório Okonoski & Venson Ltda. foi declarado inidôneo pelos danos causados na execução do Contrato nº 76/2014; e, juntamente com seus sócios, foi proibido de contratar com o poder público.

Os conselheiros também determinaram que o município promova a atualização do seu passivo financeiro, com o reconhecimento das obrigações da entidade apuradas em relação à gestão 2013-2016; e elabore um planejamento para o pagamento dessas obrigações.

Os achados de auditoria julgados irregulares são relativos à fraude contábil, caracterizada pela omissão de transações nos registros contábeis; e ao exercício do cargo de contador em desacordo com o disposto no Prejulgado nº 6 do TCE-PR, em violação à regra do concurso público.

Relatório de Fiscalização

O Relatório de Fiscalização nº 1/2019, fruto da inspeção realizada no município pelo TCE-PR, apontou que o setor contábil da prefeitura foi afastado das suas funções de acompanhar e monitorar a execução orçamentária, financeira, contábil e patrimonial. Assim, a contabilidade oficial da prefeitura foi fraudada, com omissões nos registros e transações bancárias efetivadas em benefício do ex-prefeito, que inclusive atribuiu a si a função de contador do município.

A fiscalização indicou que o escritório de contabilidade, contratado para realizar os serviços de consultoria e assessoria técnica contábil especializada, realizava a execução orçamentária e patrimonial do município, inclusive com envios de dados ao TCE-PR. Portanto, houve mais do que mera prestação de assessoria ou consultoria interna, como permite o Prejulgado nº 6 do TCE-PR, pois a empresa assumiu as funções do setor contábil da prefeitura, em violação da regra constitucional do concurso público.

Além disso, na inspeção o Tribunal verificou que o município não registrou nas contas de natureza típica de controle itens relativos a contratos de empréstimo, de pavimentação e de equipamentos rodoviários; e nem multas e parcelamentos de dívidas.

A Coordenadoria de Gestão Municipal do TCE-PR confirmou os achados do relatório de fiscalização. O Ministério Público de Contas (MPC-PR) concordou com a instrução técnica e manifestou-se pela procedência da Tomada de Contas Extraordinária, com a aplicação das sanções sugeridas.

Decisão

Ao fundamentar o seu voto, o relator do processo, conselheiro Nestor Baptista, afirmou que houve grave dano ao erário, no montante de R$ 5.056.531,92, em razão de despesas não autorizadas em lei; do embaraço imposto aos servidores efetivos da Contabilidade e da Controladoria Interna responsáveis por fornecer confiabilidade aos relatórios contábeis; e da facilitação para que terceiros se enriquecessem ilicitamente.

Baptista ressaltou que o ex-prefeito, com formação na área contábil, assumiu as funções que deveriam ser realizadas pelo setor de contabilidade da prefeitura; e participou ativamente da execução orçamentária e patrimonial, inclusive com a omissão intencional dos registros contábeis das transações bancárias que realizava. Além disso, o ex-gestor afastou os contadores concursados da prefeitura de suas funções, que foram delegadas ao escritório de contabilidade contratado.

O conselheiro destacou que o chefe da Seção de Tesouraria da Prefeitura, responsável por uma das assinaturas eletrônicas necessárias para autorizar pagamentos, anuiu com a prática de transferências bancárias irregulares. Ele frisou que o secretário de Controle Geral, responsável por salvaguardar o patrimônio da entidade, desrespeitou o princípio de segregação de funções na prefeitura.

O relator também salientou que a empresa contratada para prestar serviços de assessoria em contabilidade assumiu as funções do setor contábil do município; e seus sócios atuaram como contadores municipais, descaracterizando o objeto do contrato firmado.

Baptista enfatizou que o Prejulgado nº 6 do TCE-PR expressa que a contratação de consultoria contábil é possível apenas para questões que exijam notória especialização, em que seja demonstrada a singularidade do objeto ou que se trate de demanda de alta complexidade; e que o objeto do contrato não pode envolver o mero acompanhamento da gestão.

O conselheiro afirmou, ainda, que o município não apresentou um planejamento para o pagamento do passivo financeiro, conforme recomendado pelo relatório de inspeção. Assim, ele acatou a sugestão da CGM pela emissão de determinação.

Finalmente, Baptista aplicou aos responsáveis as sanções previstas nos artigos 85, 89 e 96 da Lei Orgânica do TCE-PR (Lei Complementar Estadual nº 113/2005). Ele votou também pela determinação de encaminhamento de cópia integral dos autos ao Ministério Público Estadual e ao Conselho Regional de Contabilidade (CRC-PR).

Os conselheiros aprovaram por unanimidade o voto do relator, na sessão de plenário virtual nº 12/2021 da Segunda Câmara do TCE-PR, concluída em 29 de julho. Em 18 de agosto, Maicon Oarlin Okonoski e Osvaldo Okonoski ingressaram com Embargos de Declaração, contestando pontos do Acórdão nº 1784/21 - Segunda Câmara, veiculado na edição nº 2.600 do Diário Eletrônico do TCE-PR (DETC).

Os Embargos de Declaração serão julgados pelo mesmo colegiado que proferiu a decisão e, enquanto o processo tramita, fica suspensa a execução das sanções de devolução de valores e pagamento de multas impostas na decisão contestada.


Autor: Diretoria de Comunicação Social
Fonte: TCE/PR

Safra de grãos de verão 2021/22 deve ter crescimento de 9% no Paraná


A primeira projeção para a safra de verão 2021/22, divulgada nesta quinta-feira (26) pelo Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, aponta um crescimento de 9% em relação ao mesmo período do ciclo anterior. A previsão é que sejam produzidas 25.509.900 toneladas em 6,2 milhões de hectares contra 23.301.770 em 6,1 milhões de hectares na safra 2020/21.

“Estamos dentro de uma estiagem terrível, estamos a poucos dias de começar a semear soja no Paraná, já começamos a plantar feijão, então há a tentativa de renovar a vida”, disse o secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara. Ele destacou que há expectativa de crescimento na área de soja e em milho, ainda que ocorra uma redução em feijão, os três principais produtos dessa safra.

O chefe do Deral, Salatiel Turra, também fez uma análise do momento vivido pela agricultura paranaense. “Ainda estamos com problemas climáticos, ainda tem efeitos de uma geada bastante preocupante e da estiagem, o que pode ser preocupação a partir de 11 de setembro quando abre a temporada para o plantio da soja primeira safra”, disse. “Os preços estão animadores no momento, mas o período para tomada de decisão é muito curto, então quem tinha se programado para plantar soja deve plantar soja”.

SOJA – Entre os principais grãos produzidos no Estado na safra de verão, também chamada de primeira safra, a soja deve render 20.954.700 toneladas. Esse volume representa aumento de 6% em relação à primeira safra do ciclo 2020/21, quando foram colhidas 19.768.900 toneladas. A área reservada pelos produtores para o plantio é de 5.616.770 hectares, acréscimo de 1% em relação ao período anterior.

“É a maior área da história”, acentuou o economista do Deral, Marcelo Garrido. “A soja vive um bom momento de preço há muitos anos e apresenta maior liquidez entre os produtos agrícolas, incentivada principalmente por muita exportação”. Segundo o economista, o que impulsiona o produtor é a segurança da cultura. “É a cultura que apresenta menos volatilidade de preço, é uma safra em que o produtor se garante, por isso continua apostando na soja.”

MILHO - Ainda que as estimativas de perdas da segunda safra, que é a mais importante em termos de rendimento no Estado, tenham sido elevadas de 8,5 milhões de toneladas para 8,7 milhões, em decorrência do clima e de pragas, os produtores não desanimaram. A cultura é a que tem maior previsão de aumento para a primeira safra 2021/22.

Pela estimativa do Deral, devem ser produzidas 4.116.200 toneladas, volume 32% superior às 3.115.200 toneladas do mesmo período no ciclo anterior. Em termos de área, os produtores ampliaram de 372,5 mil hectares para 422 mil hectares (+13%).

As chuvas dos últimos dias e as previstas até este sábado (28), sobretudo nas regiões Oeste do Paraná e nos núcleos de Guarapuava e Ponta Grossa, devem fazer o plantio ganhar ritmo forte nos próximos dias. Além disso, os preços estão muito bons, com valores em torno de R$ 90 a saca, e animam os produtores. “Não há razão para não comercializar antecipadamente boa parte da safra que está plantando para se calçar financeiramente”, afirmou o técnico.

FEIJÃO – A previsão é que o segundo maior aumento porcentual em produção seja no feijão. Enquanto a primeira safra 2020/21 rendeu 257 mil toneladas, na atual deve chegar a 284,6 mil toneladas, o que representa acréscimo de 11%. O resultado é expressivo levando-se em conta o decréscimo de 6% na área a ser plantada, que cai de 152,6 mil hectares para 143,9 mil.

“Talvez este seja um dos anos de mais incerteza climática, porque a transição outono/inverno/primavera já há alguns anos apresenta uma escassez no regime de chuvas, mas neste ano é demais, o que leva uma inquietação para o produtor”, afirmou o agrônomo Carlos Alberto Salvador.

Além de maior sensibilidade às adversidades climáticas, o feijão tem preço bastante volátil para o produtor, que ainda enxerga a remuneração mais segura proporcionada pelo milho e soja. “O produtor menor continua no feijão, mas o mediano já tem condições de optar entre soja e milho e está havendo migração para essas duas culturas”, disse Salvador.

ARROZ – O Paraná já foi um grande produtor de arroz, mas hoje perdeu um pouco do espaço. Mesmo assim, está previsto aumento de 2% na produção do arroz sequeiro, saindo de 5,2 mil toneladas para 5,3 mil, com praticamente a mesma área de 2,6 mil hectares.

A previsão para o arroz irrigado é de redução expressiva de 4%, caindo de 150,6 mil toneladas para 144,5 mil toneladas. Ainda que a área plantada deva ser 2% superior aos 18,5 mil hectares da safra 2020/21. Para este ciclo, a estimativa é de que a cultura se esparrame por 18,9 mil hectares. “Produzimos no Paraná menos de um terço das nossas necessidades”, disse o economista Methodio Groxko.

Deral prevê produção de 5,9 milhões de toneladas de milho na segunda safra 2020/21


O Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, reduziu novamente a previsão de produção de milho da segunda safra 2020/21. A nova estimativa é de que sejam produzidos 5,9 milhões de toneladas, queda de 186 mil toneladas em relação ao que se previa em julho.

Se fosse uma safra normal e seguisse a previsão inicial, os produtores estariam colhendo 14,6 milhões de toneladas. A redução é consequência da longa estiagem enfrentada pelo Paraná, das duas geadas mais fortes deste ano e da incidência de pragas, sobretudo a cigarrinha, que provoca a doença conhecida como enfezamento.

“A perda no campo é de 8,7 milhões de toneladas e isso está impactando o mercado em termos de abastecimento”, disse o técnico do Deral, Edmar Gervásio. Segundo ele, o Estado pode precisar buscar fora em torno de 5 milhões de toneladas, o que já começa a ocorrer com milho vindo até do Nordeste do País e de países como Paraguai e Argentina.

TRIGO – Entre as culturas de inverno, o Deral reduziu também a estimativa de produção do trigo. Em julho, projetava-se 3,9 milhões de toneladas. Agora, foi rebaixado para 3,7 milhões, mas ainda assim superior à anterior, de 3,2 milhões de toneladas. Também houve correção de área, passando de 1.136 mil hectares para 1.213 mil. “A produção chegaria a 4 milhões de toneladas se não tivessem perdas”, disse o agrônomo Carlos Hugo Godinho.

Por enquanto, as perdas são de 7% em relação ao potencial, principalmente por causa das geadas no Oeste e pela manutenção da seca no Norte do Estado. No entanto, há previsão de chuvas para os próximos dias. “Caso se confirmem, dão condição bastante favorável para não perder mais, e aquelas que ainda têm possibilidades, de se desenvolverem muito bem”, afirmou Godinho.

CEVADA – Ainda em relação às culturas de inverno, apesar das duas geadas mais fortes, ainda se mantém a previsão de colheita de 355 mil toneladas, o que representa aumento de 31% em relação ao ano passado. “Vamos manter safra cheia nos núcleos de Guarapuava e Ponta Grossa”, confirmou o agrônomo Rogério Nogueira.

Segundo ele, em Ponta Grossa a qualidade do produto é muito boa, com 87% em desenvolvimento, ainda que as geadas tenham atingido áreas mais baixas. “Ainda não está quantificada a perda, mas podemos ter prejuízo de 5%”, disse Nogueira. Em Guarapuava, cuja produção corresponde a 60% da área do Estado, a cevada está boa e deve ter safra cheia.

CAFÉ – O Estado tem área de 35 mil hectares com cafeicultura e previsão de colher próximo de 870 mil sacas. Por enquanto, 89% da safra já estão colhidos e 19%, comercializados. Segundo o agrônomo Paulo Sergio Franzini, a venda está um pouco abaixo do percentual médio das últimas safras. “Isso se justifica por conta do atraso na colheita, e pela recuperação dos preços, o que leva os cafeicultores a segurar um pouco para comercializar”, disse.

A geada afetou bastante a cultura, que é perene e pode demorar mais para se recuperar. Pelos dados preliminares, 20% das lavouras não foram atingidas. Das 80% prejudicadas, 40% foram de forma leve, com queima de folhas laterais e ponteiros; 25% também tiveram os ramos atingidos; e para 15% os danos foram severos, com queima também do tronco.

A Câmara Setorial do Café do Paraná tem feito reuniões para discutir medidas que possam ajudar os cafeicultores. “O Paraná já foi o grande produtor nacional de café e hoje, mesmo não tendo uma área territorial expressiva, é uma cultura muito importante do ponto de vista socioeconômico para dezenas de municípios”, afirmou Franzini. “Analisamos alternativas de políticas públicas para pelo menos manter os produtores na atividade, pois se sair é difícil retornar.”

MANDIOCA – O levantamento de previsão da safra de verão para a mandioca será apresentado em setembro, mas o plantio já começou. No ano passado, o produtor teve problemas tanto na produção quanto na comercialização, sobretudo em razão das mudanças de hábitos e dos isolamentos provocados pela pandemia, que levaram à quase paralisação das indústrias de fécula.

Segundo o economista Methodio Groxko, uma preocupação adicional, sobretudo na região Noroeste do Estado, é o preço do arrendamento de terras. Como a mandioca concorre com o milho e a soja, o preço teve grande elevação. “O produtor de mandioca não está conseguindo mais manter a cultura nessas regiões, principalmente em Paranavaí, e está havendo deslocamento para São Paulo e Mato Grosso”, disse.

BOLETIM – O Deral também divulgou nesta quinta-feira (26) o Boletim Semanal de Conjuntura Agropecuária. Além de acrescentar informações em relação às previsões para a safra de inverno 2020/21 e a de verão 2021/22, ele fala de outros produtos agropecuários paranaenses.

Entre os destaques, há uma análise sobre o papel da floricultura no valor de produção agropecuária. Também é abordada a situação da apicultura, que teve crescimento de 34,5% este ano. O Paraná mantém-se como o terceiro maior exportador. O boletim trata ainda da situação da cultura da cebola no Paraná e da evolução dos preços de carne bovina.



 

Turvo registra mais 02 casos de Covid-19

 


Paraná registra 2.519 novos casos e 103 mortes por Covid-19


A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou nesta quinta-feira (26) mais 2.519 casos e 103 mortes pela Covid-19 no Paraná. Os números são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas. Há ajustes ao final do texto. Os dados acumulados do monitoramento mostram que o Paraná soma 1.443.521 casos e 37.062 mortes em decorrência da doença.

Os casos confirmados divulgados nesta data são de janeiro (20), fevereiro (23), março (62), abril (24), maio (95), junho (47), julho (23) e agosto (2.221) de 2021, e de novembro (2) e dezembro (2) de 2020.

INTERNADOS – São 1.074 pacientes com diagnóstico confirmado internados. Destes, 760 em leitos SUS (433 em UTI e 327 em clínicos/enfermaria) e 314 em leitos da rede particular (147 em UTI e 167 em clínicos/enfermaria).

Há outros 1.470 pacientes internados, 697 em leitos UTI e 773 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos da doença.

MORTES – A Sesa informa a morte de mais 103 pacientes. São 44 mulheres e 59 homens, com idades que variam de 9 a 95 anos. Os óbitos ocorreram entre 25 de agosto de 2020 e 26 de agosto de 2021.

Os pacientes que morreram residiam em Curitiba (32), Fazenda Rio Grande (8), Colombo (5), São José dos Pinhais (4), Ponta Grossa (4), Londrina (4), Cascavel (4), Tuneiras do Oeste (3), Toledo (3), Piraquara (2), Maringá (2), Bela Vista do Paraíso (2) e Araucária (2).

O boletim registra ainda a morte de uma pessoa que residia em cada um dos seguintes municípios: Tomazina, Sarandi, Santana do Itararé, Rolândia, Pinhais, Pato Branco, Paranavaí, Palmeira, Palmas, Nova Prata do Iguaçu, Mariópolis, Mandirituba, Lapa, Japurá, Itaperuçu, Guaratuba, Foz do Iguaçu, Floresta, Corbélia, Cidade Gaúcha, Cianorte, Campo Mourão, Campo Largo, Cambé, Bocaiúva do Sul, Assaí, Arapongas e Almirante Tamandaré.

FORA DO PARANÁ – O monitoramento registra 6.673 casos de não residentes no Estado – 219 pessoas morreram.

Confira o informe completo AQUI.

PR-466 - POLICIAIS MILITARES DO 16º BPM APREENDEM 15 MIL CARTEIRAS DE CIGARROS CONTRABANDEADOS E RECUPERAM VEÍCULO ROUBADO


Por volta das 05h20min do dia 26 de agosto de 2021 na Rodovia 466, as equipes PM do 16º BPM levantaram informações de que um veículo Hyundai/Creta, na cor branca, estaria carregado com ilícitos e deslocava pela PR 466, sentido Guarapuava, juntamente com um veículo batedor, que seria um Fiat/Uno também na cor branca, porém não foram informadas as placas de nenhum dos veículos.

Desta forma, foi organizada uma operação e durante abordagem dos veículos foi identificado o condutor do Hyundai/Creta, homem de 25 anos, o qual não possui CNH. Durante revista veicular, foi possível identificar que o carro estava carregado de cigarros contrabandeados, somando aproximadamente 1500 pacotes de cigarro, totalizando 15 mil carteiras, conforme relato do próprio condutor e foi localizado um rádio comunicador “HT”.

Ao consultar o chassi do Hyundai/Creta, foi possível verificar que o veículo estava com a placa trocada, sendo que sua verdadeira placa consta alerta de roubo realizado em 02/08/2021, na cidade de Curitiba/PR. Os ocupantes do Fiat/Uno foram identificados, homem 56 anos (motorista), sua filha de 17 anos e seu genro 21 anos. Em busca veicular no Fiat/Uno, foi localizado um rádio comunicador “HT”, o qual estava ligado na mesma frequência do rádio localizado no Hyundai/Creta, ficando evidente que estavam realizando a função de batedores da carga ilegal.

Diante dos fatos, foi dada voz de prisão aos envolvidos e voz de apreensão à adolescente, sendo eles encaminhados, juntamente aos veículos, carga e objetos apreendidos, à delegacia de Polícia Federal de Guarapuava para os procedimentos cabíveis.

Fonte e foto: PM

Microempreendedores Individuais (MEI) tem até o dia 31/08 para regularizarem suas dívidas


Os Microempreendedores Individuais (MEI) que estão devendo impostos, poderão regularizar suas dívidas até o dia 31 de agosto de 2021. A situação pode ser resolvida pelo pagamento dos débitos, utilizando o Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS), ou através do parcelamento. Tanto a emissão do DAS para pagamento, como a realização do parcelamento, pode ser efetuada diretamente no Portal do Simples Nacional, ou pelo App MEI. A Sala do Empreendedor, também estará auxiliando na emissão do DAS.

A partir de setembro, a Receita Federal encaminhará os débitos apurados nas Declarações Anuais Simplificadas para o Microempreendedor Individual (DASN-Simei) não regularizados para inscrição em Dívida Ativa. Essa dívida será cobrada na justiça com juros e outros encargos previstos em lei.

Regularizando sua situação até 31 de agosto, o MEI evitará a cobrança judicial da dívida inscrita e outras consequências como: deixar de ser segurado do INSS, perdendo assim os benefícios previdenciários, tais como aposentadoria, auxílio doença, dentre outros; ter seu Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) cancelado; ser excluído dos regimes Simples Nacional e Simei pela Receita Federal, Estados e Municípios; ter dificuldade na obtenção de financiamentos e empréstimos; entre outras.

Se o microempreendedor não regularizar sua situação, o envio dos débitos à Dívida Ativa será da seguinte forma:

- Dívida previdenciária (INSS) e demais tributos federais serão encaminhados à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) para inscrição em Dívida Ativa da União, com acréscimo de 20% a título de encargos; e

- Dívida relativa a ISS e/ou ICMS será transferida ao Município ou ao Estado, conforme o caso, para inscrição em Dívida Ativa Municipal e/ou Estadual, com acréscimo de encargos de acordo com a legislação de cada ente.

Para mais informações, procure a Sala do Empreendedor de Turvo, ou entre em contato pelo telefone e WhatsApp: 3642-2294.

Obra da Ponte da Integração Brasil-Paraguai atinge 67% de execução em agosto


A obra da Ponte da Integração Brasil – Paraguai, em Foz do Iguaçu, Oeste do Paraná, atingiu 67% de execução neste mês de agosto. Essa informação e mais detalhes estão disponíveis no boletim informativo da obra, publicado mensalmente no portal do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) e encaminhado como uma newsletter para quem se inscrever.

Na margem brasileira, em Foz do Iguaçu, foi realizado o tensionamento dos primeiros estais, que são compostos por um conjunto de cabos de aço que sustentarão o tabuleiro da ponte sobre o Rio Paraná. Até o final da obra, serão 116 estais tensionados, variando de 66 a 263 metros de extensão.

Também foi executada a pré-montagem de mais duas aduelas metálicas de um total de 37 que serão posicionadas no vão central, e instalados tubos forma no mastro principal brasileiro, que deve atingir 175 metros de altura, de sua fundação ao topo, até o final de agosto.

Na margem paraguaia, em Presidente Franco, foi finalizada a câmara de transição do mastro principal e iniciada a câmara de estais, que terá 34 metros de altura. Até o final do mês o mastro deve atingir 151 metros. E no vão central foram posicionadas e solidarizadas lajes pré-moldadas sobre a aduela metálica 5.1.

ESTRUTURA – A ponte terá 760 metros de comprimento e um vão-livre de 470 metros – o maior da América Latina. Serão duas pistas simples com 3,6 metros de largura, acostamento de três metros e calçada de 1,7 metro nas laterais. Sua estrutura será maior que a primeira ponte de ligação ao Paraguai, a Ponte Internacional da Amizade, e se localiza a cerca de 10 quilômetros de distância desta. A nova ponte é resultado de parceria entre o Governo do Paraná, Itaipu Binacional e o Governo Federal, cabendo ao DER/PR administrar a execução da obra.

PERIMETRAL LESTE – Na rodovia de acesso entre a ponte e a BR-277, os serviços estão concentrados na execução do viaduto da BR-469, com posicionamento de 38 estacas raiz, e no viaduto no acesso à Ponte Tancredo Neves, com início da superestrutura no encontro 01 e continuidade da mesoestrutura no encontro 02.

INVESTIMENTOS – As obras da Ponte da Integração e da Rodovia Perimetral Leste integram um pacote de investimentos de mais de R$ 1 bilhão da Itaipu Binacional para o Oeste do Paraná. O objetivo é acelerar o desenvolvimento da região, contribuindo para fazer do Paraná o maior hub logístico da América Latina. Os compromissos foram firmados junto ao Governo do Estado, responsável pela gestão das obras.



Caminhonete é alvejada por disparos de arma de fogo em Palmital


No dia 25 agosto às 13h20min, relatou o solicitante para a equipe policial que administra uma propriedade, na Estrada do Rio Palmeira BR 158, Zona Rural, que indivíduos fizeram disparo de arma de fogo contra o veículo Triton L200, de cor prata que estava estacionado na beira da estrada, causando diversos danos na lataria e vidros laterais, vidro traseiro e para-brisa dianteiro, com pistola de calibre 9mm.

Foram encontrados estojos próximo à caminhonete. Informa ainda que após os disparos avistou dois homens conhecidos uma certa distância, observando a propriedade. O solicitante relatou que podem ser os autores, pois já tem uma desavença devido a divisão da área. 

A Equipe deslocou até a propriedade dos homens porém não encontravam-se. A vítima foi orientada quanto aos procedimentos.

Fonte: PM
Foto: Portal Douglas Souza

Remessa com 366.300 doses de vacinas contra a Covid-19 chega nesta quinta-feira ao Paraná


As 366.300 doses da vacina contra a Covid-19 referentes à 43ª pauta de distribuição do Ministério da Saúde chegam ao Paraná nesta quinta-feira (26). A primeira parte, com 190.800 imunizantes da CoronaVac, fruto da parceria entre a farmacêutica Sinovac e o Instituto Butantan, tem previsão de desembarque no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, às 10h20 (voo G3 1126). Já o lote composto por 175.500 vacinas produzidas pela Pfizer vem no voo LA 4721, com aterrissagem estimada para as 19h10.

Na sequência, as doses serão encaminhadas para o Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), em Curitiba, para averiguação e armazenamento. A expectativa da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) é iniciar a distribuição para as 22 regionais de saúde nesta sexta-feira (27).

De acordo com o Plano Nacional de Imunização (PNI), 30.420 vacinas da Pfizer são destinadas para aplicação de primeira dose (D1) e 145.080 para segunda (D2), além do percentual separado para reserva técnica. Já os imunizantes da CoronaVac, devido ao prazo de três semanas entre a aplicação das doses, serão divididos igualmente entre D1 e D2.

Segundo o Vacinômetro nacional, painel administrado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), foram entregues ao Paraná até o momento 11.671.460 vacinas contra a Covid-19, além de outras 760. 950 em processo de distribuição, totalizando 12.432.420 doses.

Desse montante, foram aplicadas até o momento 10.198.501 doses, entre primeira (7.139.695) e segunda/dose única (3.058.806).

ESTUDO – O Ministério da Saúde confirmou também que Toledo, na Região Oeste será a primeira cidade do Brasil a receber um estudo da Pfizer sobre a imunização de toda a população a partir dos 12 anos. Para a pesquisa, há uma remessa exclusiva de 35.173 doses do imunizante para completar a aplicação da primeira dose tanto na população adulta, acima de 18 anos, como em adolescentes de 12 a 17 anos.

O estudo é de natureza observacional e busca analisar o comportamento do Sars-Cov-2. O cronograma do município prevê que toda a remessa adicional seja administrada na população a partir de 12 anos até a próxima terça-feira (31).

Tio tenta abusar da sobrinha em Pitanga


No dia 25 de agosto, um homem que trabalha como pedreiro relatou para a equipe policial, que o tio da vítima também trabalha na mesma obra, que nesta data levou a filha para o trabalho e que por volta das 16h00, que o representante estava do outro lado da obra, e deu falta da filha, que em um cômodo da casa (banheiro sem portas) que o pai avistou o tio com as calças baixadas e a vítima também, que o autor estava tentando penetrar na vítima, que o pai ao ver a situação tirou o autor de cima da vítima e bateu no autor.

Fonte: PM

Homem é encontrado morto e com carro queimado em Guarapuava


No dia 25 agosto às 8h26min, relatou o solicitante que teria visualizado, as margens da estrada rural que dá acesso à BR 277, localidade Ponte Velha do Jordão, em Guarapuava um veículo GM/ Kadett, completamente queimado e um homem em óbito próximo ao carro. 
A equipe policial deslocou até o local, sendo constatado o fato, de imediato acionado o IML e a polícia científica, sendo identificada a vítima, 29 anos, e o veículo Kadet, de propriedade da vítima. Foi isolado o local até o término dos procedimentos.

Fonte: PM
Publicidade