segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

TJ-PR manda soltar motorista suspeito de provocar acidente que matou família em Ivaiporã


O motorista suspeito provocar um acidente 
que resultou na morte de três pessoas da mesma família em Ivaiporã, no norte do Paraná, foi solto por determinação da Justiça. O acidente causou a morte do casal e da filha deles, de um ano.

A decisão é de sexta-feira (18) e foi concedida pelo desembargador Antônio Loyola Vieira do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR)

Imagem mostra caminhonete 'rampando' antes de acidente

Claudimir Erico Nardini foi preso em flagrante no dia 13 de dezembro após, segundo a Polícia Militar (PM), provocar o acidente. Um dia depois, na audiência de instrução, foi decretada prisão preventiva.

Conforme informações da PM, Nardini dirigia uma caminhonete em alta velocidade e estava embriagado. O teste do bafômetro realizado no dia do acidente apontou 0,79mg/l de álcool no sangue.

A defesa do empresário afirmou que a manutenção da prisão preventiva seria o cumprimento antecipado da pena. "Estamos aguardando a conclusão do inquérito e a denúncia do Ministério Público para apresentação de defesa preliminar", disse o advogado Omar Yassim.

Entenda o caso

Boletim de Ocorrências da PM detalhou que "o Uno, onde estava a família, subia a rua e, no sentido contrário, descendo, em um local de declive (descida), a caminhonete, em altíssima velocidade, perdeu o contato com o solo. Uma quadra antes, voltou ao chão, novamente rampou e atingiu a parte superior do Uno, vindo a provocar os óbitos. Depois derrapou até bater em um poste e perder uma das rodas. A caminhonete ainda foi derrapando por cerca de 150 metros, até parar no meio da rua”.

Na acórdão que deferiu o pedido de habeas corpus, o desembargador afirmar que "o fato do acusado ter ceifado a vida de três pessoas por ter colidido o seu veículo, embriagado e em alta velocidade, são questões inerentes ao tipo penal e não consiste no modus operandi a evidenciar a periculosidade do agente ou gravidade concreta do delito", diz um trecho do documento.

Mesmo em liberdade, Claudimir Erico Nardini deverá seguir regras impostas pelo Judiciário, como comparecer em juízo para informar e justificar as atividades, está proibido de manter contato ou se aproximar de testemunhas, não pode se ausentar da comarca sem autorização judicial e nem mudar o endereço residencial sem prévia autorização judicial.

O TJ-PR também determinou a suspensão da habilitação para dirigir.

O que dizem os familiares das vítimas

O advogado Luiz Henrique Maciel Branco, que representa dos familiares das vítimas, lamentou a decisão do TJ-PR e informou que os pais do casal e avós da criança estão indignados e espantados com a informação.

"Essa decisão não era esperada para esse momento e, por isso, acreditamos que ela será reformada. Vamos usar todos os recursos cabíveis até que a Justiça seja alcançada. Esse tipo de decisão causa insegurança, medo e outras pessoas podem pensar que esse crime é normal porque a própria Justiça está defendendo um sujeito que matou três pessoas inocentes", concluiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade