segunda-feira, 1 de junho de 2020

TCE-PR e CGU orientam devolução de auxílio recebido indevidamente


O Tribunal de Contas do Estado do Paraná está divulgando as orientações da Controladoria-Geral da União para a devolução de valores indevidamente recebidos por pessoas que não possuem o direito legal ao auxílio emergencial criado pelo governo federal em decorrência da pandemia da Covid-19. Levantamento conjunto entre o TCE-PR e CGU apontou que 10.648 servidores, de 388 prefeituras do Paraná, constam como recebedores do benefício.

O valor total supostamente recebido por esse grupo é de R$ 7.319.400,00. O Decreto nº 10.316/20, que instituiu o benefício para desempregados, trabalhadores informais, microempreendedores e autônomos, veda expressamente o pagamento das três parcelas de R$ 600,00 a ocupantes de cargos e servidores públicos, efetivos ou comissionados.

"A partir das conclusões deste levantamento, estamos trabalhando para inibir a realização de novos pagamentos indevidos, estimular a devolução dos valores já recebidos pelos servidores e colaborar com a identificação de possíveis fraudes, por meio da utilização não autorizada de CPFs de servidores por outras pessoas", afirma o coordenador-geral de Fiscalização do TCE-PR, Rafael Ayres.

Em comunicado enviado aos prefeitos, o TCE-PR lembra que os agentes públicos que omitiram essa informação para receber indevidamente o benefício cometeram os crimes de estelionato e falsidade ideológica - já que ao fazer o cadastro, o interessado tinha que declarar que não possuía vínculo de trabalho com órgão público. O Tribunal também alerta que cada município deve analisar as possíveis infrações disciplinares cometidas por seus servidores neste caso.

Abaixo, as orientações divulgadas pelo Ministério da Cidadania e a CGU:

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA DEVOLUÇÃO DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

1) A devolução de valores recebidos indevidamente do Auxílio Emergencial pode ser feita por meio de acesso ao site: devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br

2) Na mencionada página constará o seguinte texto e passo a passo para efetuar a devolução dos valores:

"O Auxílio Emergencial é um benefício financeiro concedido pelo Governo Federal e tem por objetivo fornecer proteção emergencial no enfrentamento à crise causada pela pandemia do Coronavírus (Covid-19), em conformidade com a Lei nº 13.982, de 2 de abril de 2020.

3) Para devolução das parcelas recebidas fora dos critérios para recebimento do auxílio, basta seguir as orientações abaixo:

1. Informar o CPF do beneficiário que irá fazer a devolução;

2. Selecionar a opção de pagamento da GRU - "Banco do Brasil" ou "qualquer Banco".

4) Para pagamento no Banco do Brasil, basta marcar a opção "Não sou um robô" e clicar no botão "Emitir GRU";

5) Para pagamento em qualquer banco, é necessário informar o endereço do beneficiário, conforme informações que serão pedidas após selecionar "Em qualquer Banco", marcar a opção "Não sou um robô" e clicar no botão "Emitir GRU".

6) De posse da GRU, é necessário fazer o pagamento nos diversos canais de atendimento dos bancos: via internet, terminais de autoatendimento, e guichês de caixa das agências, lembrando que a GRU com opção de pagamento no Banco do Brasil, só pode ser para via canais e agências do próprio Banco."

CPF do Beneficiário:

Banco para pagamento:

Banco do Brasil ou Qualquer Banco.

7) A CGU informa que, para aqueles que forem bloqueados, aparecerá uma mensagem no aplicativo, indicando o motivo do bloqueio da parcela e dizendo qual a documentação a ser adicionada. Nesse caso, precisaria ser documento indicando a não mais existência de vínculo municipal/estadual.

8) Nos casos em que o servidor suspeite que o seu CPF e dados pessoais foram utilizados de forma indevida para a obtenção do auxílio emergencial, este deverá formular denúncia por meio do Fala.BR (https://sistema.ouvidorias.gov.br/) e informar essa situação à CGU-Regional/PR, por meio do e-mail cgupr@cgu.gov.br. Este e-mail também poderá ser utilizado para informar a devolução de valores recebidos indevidamente, encaminhando cópia do documento de devolução.

Fonte: TCE/PR

Guarapuava chega a 37 casos confirmados de coronavírus


Paraná tem 4.833 casos e 190 óbitos pela Covid-19


A Secretaria da Saúde divulgou nesta segunda-feira (01) mais um informe atualizado sobre o cenário da Covid-19 no Paraná. São 148 novas confirmações de pessoas contaminadas, chegando ao total acumulado de 4.833 casos no Estado. O informe também registra mais oito óbitos, elevando para 190 o número de falecimentos em decorrência da doença.

Os casos registrados estão em 255 cidades, de todas as regiões do Estado e os óbitos ocorreram em 75 municípios.

ÓBITOS – As oito pessoas que foram a óbito estavam internadas. São seis homens e duas mulheres. Uma paciente de 75 anos, que residia em Palotina faleceu nesta segunda-feira, e a outra morava em São José dos Pinhais, tinha 82 anos, e morreu no domingo (31).

Dois homens que residiam em Curitiba, um de 57 anos, faleceu no sábado (30), e outro, de 64 anos, morreu no domingo (31). Um paciente de 87 anos, que residia em Foz do Iguaçu, foi a óbito em 23 de maio. Os outros três pacientes do sexo masculino faleceram no domingo (31): um morador de Piraquara, 60 anos; morador de Mamborê, 61 anos, e de Toledo, 63 anos. 

INTERNADOS – Estão internados atualmente 335 pacientes com o diagnóstico confirmado para a Covid-19. São 255 pacientes em leitos do SUS (94 em UTI e 161 em leitos enfermaria) e 80 em leitos da rede hospitalar privada (32 em UTI e 48 em leitos enfermaria).

MUNICÍPIOS – 255 cidades paranaenses têm ao menos um caso confirmado de Covid-19, o que representa 64% do total de 399 municípios. Em 75 cidades há registro de óbitos pela doença. Entre as 22 regionais de Saúde, apenas a de Irati (4ª) e a de Guarapuava (5ª) não têm ocorrência de óbito.

As novas confirmações dos municípios de Almirante Tamandaré (2), Andirá (2), Antonina (1), Arapoti (1), Araucária (2), Assaí (1), Assis Chateaubriand (6), Balsa Nova (1), Bituruna (1), Bocaiúva do Sul (1), Cambé (5), Campina Grande do Sul (6), Campo Largo (1), Capanema (1), Carambeí (1), Chopinzinho (1), Cianorte (7), Colombo (6), Cornélio Procópio (10), Curitiba (23), Francisco Beltrão (1), Guarapuava (3), Ibiporã (1), Imbaú (1), Indianópolis (1), Jandaia do Sul (1), Joaquim Távora (1), Laranjeiras do Sul (1), Londrina (7), Mandirituba (5), Maringá (1), Morretes (1), Palotina (1), Paranaguá (1), Paranavaí (1), Pato Branco (3), Pinhais (6), Pinhão (1), Piraquara (3), Ponta Grossa (4), Porecatu (1), Quatro Barras (3), Quedas do Iguaçu (1), Rancho Alegre (1), Rio Negro (1), Rondon (4), Salgado Filho (1), Santo Inácio (1), São José dos Pinhais (1), São Manoel do Paraná (1), São Tomé (1), Telêmaco Borba (1), Toledo (2), Três Barras do Paraná (1), Tuneiras do Oeste (4), Uraí (1).

FORA DO PARANÁ – Não houve aumento nos casos de residentes de fora do Paraná. O monitoramento da Secretaria da Saúde registra 65 confirmações e cinco óbitos de pacientes que foram assistidos no Estado, mas residem em outros locais.

AJUSTES - Um caso confirmado dia 26 de maio em Curitiba foi transferido para São José dos Pinhais; outro dia 30 em Almirante Tamandaré foi transferido para Icaraíma, e um confirmado dia 27 em Curitiba foi transferido para Bocaiúva do Sul.

Turvo - Boletim Oficial Covid - 19


Hospital Regional de Ivaiporã começa a receber pacientes


O Hospital Regional de Ivaiporã, no Vale do Ivaí, começou a atender a população nesta segunda-feira (01). Inicialmente, a estrutura vai funcionar voltada especialmente para pacientes diagnosticados com a Covid-19. São até 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e até 60 leitos de enfermaria.

Previsto para ser inaugurado apenas em dezembro, a hospital teve as obras antecipadas pelo Governo do Estado para se integrar à força-tarefa de combate à pandemia de Covid-19. “É uma força-tarefa para o enfrentamento ao vírus, algo que só é possível com a união de todos, com o objetivo de salvar vidas”, afirmou o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

Além de Ivaiporã, foram antecipadas as obras também do Hospital Regional de Telêmaco Borba (Campos Gerais) e de Guarapuava (Centro-Sul). "Essas unidades hospitalares já estavam programadas antes da pandemia. Agora foram antecipadas para dar uma resposta eficiente neste momento de crise na saúde”, acrescentou Ratinho Junior. O governador diz que a medida faz parte da política de descentralização do atendimento à saúde no Paraná, com o fortalecimento de todas as regiões.

AUMENTO SIGNIFICATIVO - Administrado pela Rede de Assistência à Saúde Metropolitana, o centro médico tem atualmente 250 funcionários. Número que pode ser ampliado de acordo com a necessidade. Além de Ivaiporã, o hospital vai reforçar o atendimento em todo o Vale do Ivaí, região que compreende 16 municípios.

“É um aumento significativo de UTIs e enfermarias que vem suprir um vazio assistencial, especialmente em alta complexidade”, explicou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

EQUIPAMENTOS – O complexo médico terminou de ser equipado pelo Governo do Estado na quarta-feira (27). De acordo com a Secretaria da Saúde, foram instalados cardioversores, eletrocardiógrafos, monitores e oxímetros.

Já os leitos de UTI ganharam ventiladores pulmonares e monitores com vários parâmetros. A perspectiva é que nos próximos meses o Hospital Regional de Ivaiporã receba mais equipamentos, condição necessária para a ampliação dos atendimentos – o centro médico pode receber até 98 quartos de enfermaria quando atingir a capacidade completa.

ESPERA DE 50 ANOS - “É um ganho fantástico para a saúde pública do Paraná. Um hospital de retaguarda que não vai atender somente essa região, mas ficar à disposição de todo o Estado. O início do funcionamento diminui também a apreensão da população em relação a leitos”, explicou Conrado Ferri, diretor-geral da Rede de Assistência à Saúde Metropolitana.

“Este hospital é duradouro, não é uma estrutura que vai ser desmontada com o fim da pandemia. A unidade é uma reivindicação de 50 anos da região”, acrescentou o prefeito do município, Miguel Amaral.

MAIS HOSPITAIS – Além do complexo de Ivaiporã, dois outros hospitais regionais vão entrar em operação nos próximos dias. A expectativa é que ainda esta semana o centro médico de Telêmaco Borba seja aberto para atendimentos à população. Já o de Guarapuava deve começar a funcionar até o fim deste mês.

Em Telêmaco Borba haverá a disponibilidade de 50 leitos, sendo 10 de UTI adulto e 40 de enfermaria. Até o final da pandemia, o atendimento será exclusivo para pacientes da Covid-19. O hospital irá atender também pacientes de Curiúva, Imbaú, Ortigueira, Reserva, Tibagi e Ventania. Em Guarapuava a ativação inicial será de 10 leitos de e UTI adulto e 40 leitos de enfermaria clínica.

Acidente na BR-277 mata suplente de deputado e outras duas pessoas


Um grave acidente entre seis veículos deixou três mortos na tarde desta segunda-feira (1) na BR-277, em Teixeira Soares, nos Campos Gerais do Paraná. A colisão, que ainda deixou outras duas pessoas gravemente feridas, aconteceu no km-299. Uma das vítimas fatais é Phelipe Mansur, de 38 anos, superintendente de Governança de Ratinho Junior e suplente de deputado estadual pelo PSDB do Paraná. Ele era apontado como líder das pesquisas para a Prefeitura de Foz do Iguaçu.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), as três vítimas fatais eram homens e estavam em um veículo Nissan Sentra, com placas de Curitiba. Duas morreram no local e uma em um hospital em Irati. “Chovia muito na hora do acidente e um veículo, na pista sentido Curitiba, rodou e atingiu os que vinham no sentido contrário”, disse a agente Silvane, da PRF.

O acidente envolveu, além do Setran, outros cinco veículos: um Ônix, de Teixeira Soares (PR), um caminhão VW 24.250, de Barueri (SP), um Peugeot 207, de Curitiba (PR), um Voyage, de Cascavel, (PR) e uma Montana, de Irati (PR). A PRF não informou em qual veículo estavam as vítimas gravemente feridas.

O local está com trânsito em alternância de fluxo, no sistema pare e siga.

Fonte: Banda B

Acidente grave mata duas pessoas e interdita a BR-277


Um acidente envolvendo um caminhão e quatro carros na BR-277, em Teixeira Soares, na região dos Campos Gerais do Paraná, resultou na morte de duas pessoas. Ainda não foram divulgadas as idades das vítimas e nem a quantidade de feridos, já que o acidente envolveu pelo menos cinco motoristas.

Segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal), o acidente aconteceu no quilômetro 229 da rodovia e a pista está totalmente interditada. Também não há previsão para liberação da pista.

Solicitando ajuda da população, a PRF ainda pede que, para quem transita na região do Paraná, tenha cuidado redobrado. Caso alguém necessite transitar pela BR-277, é aconselhável usar a BR-373, por Prudentópolis, como desvio.

Por fim, foi informado que equipes do IML (Instituto Médico Legal) e IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) estão indo ao local do acidente, próximo a ponte do Rio Imbituvinha.

Sicredi realiza pesquisa pioneira sobre os benefícios do cooperativismo de crédito no Brasil


O Sicredi, em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), anuncia uma pesquisa inédita sobre os “Benefícios Econômicos do Cooperativismo de Crédito na Economia Brasileira”. O estudo, que avaliou dados econômicos de todas as cidades brasileiras com e sem cooperativas de crédito entre 1994 e 2017 e cruzou informações do Instituto Brasileiro de Geografia (IBGE), chegou à conclusão que o cooperativismo incrementa o Produto Interno Bruto (PIB) per capita dos municípios em 5,6%, cria 6,2% mais vagas de trabalho formal e aumenta o número de estabelecimentos comerciais em 15,7%, estimulando, portanto, o empreendedorismo local.

A pesquisa encomendada à Fipe pelo Sicredi, instituição pioneira do cooperativismo de crédito no Brasil, utilizou a metodologia de Diferenças-em-Diferenças, principal método científico para avaliações de impacto de políticas públicas no mundo. Os resultados estimados pelo Sicredi a partir do estudo, consideraram o bom desempenho econômico de 1,4 mil municípios que passaram a contar com uma ou mais cooperativas durante o período de pesquisa. Os cálculos do Sicredi, com base no estudo da Fipe, mostram um impacto agregado nestas cidades de mais de R$ 48 bilhões em um ano. Ainda, as cooperativas de crédito foram responsáveis pela criação de 79 mil novas empresas e pela geração de 278 mil empregos.

Manfred Alfonso Dasenbrock, presidente da SicrediPar e coordenador do Conselho Especializado de Crédito (CECO) da OCB afirma que com base na pesquisa da Fipe, um dos principais fatores que permitem que a cooperativa de crédito alavanque o desenvolvimento econômico local é a possibilidade de oferecer crédito com taxas de juros mais baixas, adequadas à realidade dos seus associados. Conforme dados do Banco Central do Brasil, a taxa de juros cobradas pelas cooperativas de crédito são sensivelmente menores. Por exemplo, em 2019 a diferença de taxa de juros para microempresas foi de 20 pontos percentuais se comparada aos bancos tradicionais.

Mesmo oferecendo crédito a públicos menos assistidos pelo sistema financeiro tradicional, como micro e pequenas empresas, segundo o Banco Central, o índice de ativos problemáticos de uma cooperativa de crédito, que considera, por exemplo, a inadimplência, ainda é menor que o índice dos bancos tradicionais. No Relatório de Estabilidade Financeira de 2019, o Banco Central apontou uma diferença expressiva nos ativos problemáticos, que chegaram a 5,9% nas cooperativas de crédito do Brasil, enquanto as instituições financeiras tradicionais tiveram 7,4%.

Para Dasenbrock, a participação dos associados nas decisões de uma cooperativa de crédito é o grande diferencial do modelo de negócio. “O associado é, de fato, o dono do negócio e, por isso, precisa estar presente nas discussões a respeito dos rumos da sua cooperativa. No Sicredi, o relacionamento mais próximo com os associados contribui para sermos muito mais eficientes em reconhecer a capacidade de pagamento no uso do crédito, por exemplo, e com isso consigamos apoiar o desenvolvimento das pessoas e comunidades”, explica.

Multiplicador do Crédito Cooperativo

A pesquisa da Fipe também calculou o Multiplicador do Crédito Cooperativo, um coeficiente que indica o impacto do crédito concedido pelas cooperativas no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro – cada R$ 1,00 concedido em crédito gera R$ 2,45 no PIB da economia e a cada R$ 35,8 mil concedidos pelas cooperativas, uma nova vaga de emprego é criada no país.

De acordo com a Fipe, a inclusão financeira de famílias, pequenos produtores e empresas forma um ciclo virtuoso que fomenta o empreendedorismo local, reduz desigualdades econômicas e aumenta a competitividade e a eficiência no sistema financeiro nacional. A Fipe concluiu ainda que os princípios e a disseminação das cooperativas de crédito se mostram convergentes com objetivos maiores no campo das políticas públicas, tendo em vista o seu potencial impacto na redução das desigualdades econômicas e inter-regionais, bem como no aumento da concorrência e da eficiência no âmbito do Sistema Financeiro Nacional.

O cooperativismo de crédito é um modelo de negócio presente em 118 países, segundo relatório do Conselho Mundial de Cooperativas de Crédito (Woccu 2018), reunindo mais de 274 milhões de associados e ultrapassando a marca dos US$ 2,19 trilhões em ativos. No Brasil, de acordo com o Banco Central, o cooperativismo de crédito está presente em quase metade (47%) das cidades e representa 2,7% dos ativos totais do Sistema Financeiro Nacional (SFN). Já são mais de 9,9 milhões de associados a 925 cooperativas de crédito com uma carteira de R$ 123 bilhões em depósitos e R$ 137 bilhões em crédito – aproximadamente R$ 250 bilhões em ativos totais.


Sobre o Sicredi

O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.800 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br).

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Mulher morre em capotamento na PR 170, em Guarapuava


Um grave acidente de trânsito foi registrado na manhã desta segunda-feira (1° junho) na PR 170, em Guarapuava.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o capotamento ocorreu por volta das 7h54, nas proximidades da "igrejinha".

Devido à violência do impacto, uma mulher (de aproximadamente 46 anos) não resistiu aos ferimentos e faleceu no local; um homem (de aproximadamente 50 anos) se feriu, mas estava consciente e foi orientado. 

Um agente dos Bombeiros relatou que o veículo vinha de Caçador/SC e que o motorista acabou perdendo o controle da direção.

Após sair da pista, que estava molhada, o automóvel bateu em um barranco e capotou. O corpo da vítima foi encaminhado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Guarapuava para identificação.



Polícia Militar de Turvo realiza Operação Ostensividade II na Rodovia João Maria de Jesus


Na tarde desse domingo (31), a equipe da Polícia Militar de Turvo, realizou a Operação Ostensividade II, na Rodovia Municipal João Maria de Jesus, que liga a região de Faxinal da Boa Vista. 

Foram realizadas as abordagens a veículos e motocicletas para verificação de irregularidades em geral. 

RESULTADOS: 

05 veículos abordados; 

04 motocicletas abordadas; 

01 motocicleta apreendida; 

04 notificações confeccionadas. 

Á Polícia Militar orienta que irá aumentar a fiscalização de motocicletas, principalmente quanto ao uso do capacete de segurança, assim como, as motocicletas que estão com alteração no escapamento. 

A orientação é que utilizem o capacete e regularizem os escapamentos para evitar multas.


Aproveite a Semana dos Preços Baixos do Suprema Supermercado de Turvo



Homem é encontrado morto em residência no interior de Pitanga


Por volta das 10h15min do dia 31 e maio de 2020, compareceu na sede da 3ª Cia, um homem de 46 anos, o qual relatou que um homem de 47 anos, passou a noite no sitio do seu sobrinho, e que nesta manhã o homem foi encontrado morto, no sofá da sala, onde, teria passado a noite. 

A equipe policial acompanhou o solicitante até o Sitio Concordia na Localidade Olho D’ Água, onde, foi constatado o fato, sendo, que o homem de 47 anos não apresentava sinais vitais, o qual estava deitado em um sofá, e próximo sua boca havia sinais de vômito. 

Questionado o sobrinho do solicitante acerca dos fatos, o qual informou que em data anterior, estava em sua propriedade, juntamente com um homem de 28 anos, e que por volta das 18h30mim, chegou ao sitio, a vítima, o qual estava embriagado, e trouxe consigo uma garrafa de pinga, relatou ainda, que, o homem jantou com eles, e pelo fato de estar embriagado, o colocou para dormir no sofá da sala da residência, sendo que pela manhã, ao acordarem, notaram que o homem estava morto. 

Diante dos fatos foi preservado o local, arrolado testemunhas e acionado os órgãos competentes para demais providências.

Fonte: PM

Pai e filha morrem após trem atingir carro em Ipiranga


Pai e filha morreram em um acidente na estrada rural da localidade de Santana, em Ipiranga, na tarde de domingo, 31. Segundo informações, o veículo Fiat Uno teria desligado em cima da linha férrea. Em seguida, ele foi atingido por um trem, que arrastou o carro.

A composição tinha 115 vagões e estava carregada com soja. O trem saiu de Londrina em direção a cidade de Rio Negro, na Região Metropolitana de Curitiba, segundo o portal G-1. Já o Uno era ocupado por quatro pessoas. A condutora Elaine de Fátima Lovato Schimidt, 32, e seu pai, João Batista Lovato, de 62 anos, morreram no local. Isabel Lovato Vandoski, de 60 anos, não necessitou de atendimento médico. Ela disse a Polícia Militar que o carro falhou ao fazer a travessia. Conforme informações do portal G-1, Isabel afirmou que todos os ocupantes do automóvel ficaram sem reação. Por isso, somente ela desceu e tentou empurrar o Uno, mas não conseguiu retirá-lo do local.

Já Jeferson Schimidt, de 34 anos, sofreu ferimentos leves e foi levado para o hospital de Ipiranga. Bombeiros de Ponta Grossa auxiliaram no resgate das vítimas. O trem ficou parado na linha férrea impossibilitando a passagem de veículos.

Os corpos de pai e filha foram encaminhados ao Instituto Médico-Legal (IML) de Ponta Grossa. João Batista residia na localidade de Santana, em Ipiranga. Já Elaine morava em Imbituva. Os dois estão sendo velados na Capela Municipal de Ipiranga e serão sepultados nesta segunda-feira, 1, no Cemitério Municipal de Ipiranga.

Em nota, a Concessionária Rumo lamentou o acidente e informou que a condutora do carro tentou atravessar a linha férrea no momento que o trem se aproximava. No documento, a empresa diz que o maquinista realizou os procedimentos de segurança, como acionar a buzina e os freios de emergência, mas não conseguiu evitar a batida. A concessionária também disse que a travessia é sinalizada e que na linha férrea os motoristas devem parar e aguardar a passagem do trem.

Foto: Márcio Lopes/Portal A Rede
Fonte: Rádio Najuá
Publicidade