sexta-feira, 26 de março de 2021

16º BPM recebe premiação por ter sido o batalhão que mais apreendeu armas de fogo em todo o Estado do Paraná


No ano de 2020, o 16° Batalhão de Polícia Militar, pertencente ao 4⁰ Comando Regional de Polícia Militar, apreendeu 539 armas de fogo, tal estatística superou as marcas de apreensão dos últimos 10 anos da Unidade, além disso, o 16° BPM figurou como o Batalhão da Polícia Militar do Paraná que mais apreendeu armas de fogo em todo o Estado, seguido do Batalhão de Polícia Ambiental, com área de abrangência em todo o Estado do Paraná (2⁰), e do 6° Batalhão de Polícia Militar, com área de abrangência em Cascavel e região (3⁰).

Estas armas de fogo apreendidas estavam diretamente ligadas ao cometimento de crimes, ou poderiam vir a ser utilizadas para tal fim, tendo em vista o porte/posse de forma irregular por parte de seus proprietários.

Segundo o Comandante do 16° Batalhão, Major QOPM Cristiano M. Cubas de Lima, “essas apreensões se deram em virtude do trabalho contínuo dos policiais militares, através de abordagens, bem como em virtude das inúmeras operações desencadeadas pelo Batalhão. Isto ainda se reveste de grande esforço técnico e profissional dos policiais militares que estão sob o meu comando. Essa expressiva estatística demonstra o comprometimento de todos os policiais do 16° BPM em fazer o melhor para com a comunidade de Guarapuava e demais municípios que servimos.”

Em razão desses vultosos resultados, o 16° Batalhão foi agraciado com um prêmio, na última quarta-feira (17/03), pelo Governo do Estado do Paraná, para demonstrar o reconhecimento à nossa Unidade. Tal premiação monetária será destinada às melhorias das instalações internas do Batalhão, as quais abrangerão todos os nossos policiais militares.

Guarapuava, 26 de março de 2021.


Disque denúncia: 181


POLÍCIA MILITAR DO PARANÁ

“Sua Proteção é nosso o compromisso“



Comunicação Social do 16º BPM.


Asp. Of. PM Yan Lucca Nunes Santos,

Oficial de Comunicação Social - 16º BPM.


Sd. QPM 1-0 Jennifer Agem Amaral de Lara,

Aux. P/5 - 16º BPM.

Motociclista morre em grave acidente no interior de Turvo

 

Na tarde desta sexta-feira (26), um grave acidente de moto aconteceu na Localidade do Carriel, interior de Turvo.


Segundo informações, o motociclista Glauco Pereira, de 46 anos que é morador da Localidade do Faxinal da Boa Vista, morreu no local do acidente.

A Polícia Militar esteve no local, bem como a Polícia Civil e o IML que recolheu o corpo. 


Segundo informou a Funerária SerLuto ao Blog do Elói, o velório será a partir das 13h deste sábado na residência da mãe de Glauco, na Localidade de Faxinal da Boa Vista.





Mais 08 casos de covid-19 é registrado em Turvo



 

Novo lote de Vacinas Coronavac chega em Turvo



Na tarde desta sexta-feira (26), o município de Turvo recebeu novas doses da Coronavac para completar a vacinação dos idosos acima de 70 anos, e mais 160 doses disponíveis para idosos acima de 65 anos.

Fonte: Prefeitura de Turvo 

Produção paranaense de arroz é destaque no Boletim do Deral


O Paraná prevê produzir 148 mil toneladas de arroz na safra 2020/21. O volume está abaixo da necessidade de consumo da população, o que obriga à importação. Esse é um dos temas analisados no Boletim de Conjuntura Agropecuária, elaborado pelo Deral (Departamento de Economia Rural), da Secretaria estadual da Agricultura e do Abastecimento, referente à semana de 20 a 26 de março.

A estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) é que o Brasil produza 11 milhões de toneladas de arroz na safra 2020/21. Isso representa 1,9% a menos que no ciclo anterior. Apesar de os produtores terem sido bem remunerados no ano passado, a redução de área plantada se deve à falta de chuvas no período de implantação das lavouras, além da concorrência com a soja e milho, que tiveram cotações excelentes.

O Paraná, que já teve produção significativa do produto até meados do século passado, está com volume reduzido atualmente. De acordo com o documento preparado pelos técnicos do Deral, devem ser plantados 21,1 mil hectares, dos quais 18,5 mil de arroz irrigado e 2,6 mil de sequeiro.

A produção prevista é de 148 mil toneladas, repetindo o resultado da safra anterior. Esse volume representa menos de um terço da necessidade de consumo por parte dos paranaenses. Dessa forma, o Estado depende de importações, sobretudo do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina.

Em termos mundiais, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) estima produção de 502,6 milhões de toneladas de arroz beneficiado na safra 2020/21. Entre os maiores produtores estão a China, com 30% do volume, seguida de Índia, Vietnam e Tailândia. O Brasil ocupa o 10º lugar.

FEIJÃO E BATATA - O boletim relata que os produtores já comercializaram 82% das 223 mil toneladas de feijão colhidas na primeira safra. Em relação à segunda safra, estima-se plantio em 251,2 mil hectares, que podem render 491,2 mil toneladas, elevação de 83% se comparado com o ciclo anterior.

A batata de segunda safra está com 93% dos 12,1 mil hectares previstos já plantados, com expectativa de colheita de 345,9 mil toneladas. Do total da área, 10% já estão colhidos. No entanto, para o produtor o preço não está bom, com redução, nesta semana, de 14% em relação à anterior.

FRUTAS E OVOS – O documento traz, também, uma análise sobre o volume de movimentação e os preços praticados nas Centrais de Abastecimento do Paraná (Ceasas) das cinco frutas líderes em comércio: maçã, banana, mamão, laranja e manga. Elas representam quase a metade dos R$ 1,6 bilhão de negócios e das 575,5 mil toneladas de frutas que passam pelas Ceasas.

Sobre os ovos, há relato do crescimento de 41,5% em exportações brasileiras no primeiro bimestre de 2021. O Paraná aparece como o quarto maior exportador, com 899 toneladas que renderam US$ 2,984 milhões.

OUTROS PRODUTOS – O boletim traça, ainda, um panorama sobre a evolução no plantio e colheita de grãos. Sobre o milho, registra o plantio de 89% da área estimada de 2,4 milhões de hectares da segunda safra, e de colheita de 74% dos 362 mil hectares da segunda.

Em relação à soja, a colheita atinge 75% dos 5,58 milhões de hectares semeados, abaixo dos 85% observados no mesmo período do ano passado. Para o trigo, a previsão é de aumento de 2% na área, chegando a 1,14 milhão de hectares.

Na pecuária de corte, a análise é de que 2020 foi positivo para o Brasil, com elevação no preço da arroba nas principais praças produtoras. No Paraná, o aumento foi de 53% comparando-se fevereiro de 2021 com o mesmo mês do ano passado. Também há o registro de retração tanto em faturamento quanto em volume nas exportações de carne de frango.

Fonte: AEN

Paraná poderá produzir 42 milhões de toneladas de grãos


A safra de grãos 2020/2021 do Paraná poderá somar 42 milhões de toneladas, volume 3% superior ao do ciclo passado. A área total, de 10,2 milhões de hectares, é 2% maior. As informações são do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento.

O relatório mensal, divulgado nesta quinta-feira (25), inclui a primeira estimativa da safra de inverno, cuja produção deve ser de 4,5 milhões de toneladas em 1,4 milhão de hectares. Do total, 3,8 milhões de toneladas correspondem à cultura do trigo, volume 21% maior do que na safra passada.

Entre os dados divulgados neste mês, também destacam-se a evolução da colheita da soja (75%) e do milho da primeira safra (74%), culturas impactadas pela seca no início da safra e, posteriormente, pelo excesso de chuvas.

“Apesar das dificuldades devido aos fatores climáticos, os produtores de soja estão bem remunerados”, diz o chefe do Deral, Salatiel Turra. O atraso no início do plantio do milho chegou a preocupar os produtores quanto ao abastecimento, e também o setor de proteína animal, pois o grão é o principal insumo dessa cadeia.

SOJA – A colheita de soja no Paraná avançou significativamente neste mês de março e atingiu 75% da área, mas ainda está atrasada comparativamente às safras anteriores, causando atraso no plantio do milho. A cultura sofreu impacto da estiagem no início do plantio e, mais tarde, das chuvas excessivas. No mesmo período do ano passado, o estado tinha 85% da área de soja colhida.

Com a reavaliação realizada pelos técnicos do Deral, estima-se a produção de 20,1 milhões de toneladas. No último mês, foram feitos ajustes principalmente nos números da região Oeste. A perspectiva, no início do ciclo, era de cerca de 20,6 milhões de toneladas. “De modo geral, esta safra ainda é considerada boa. O volume está dentro da média esperada para o Paraná, sendo 3% inferior ao produzido na safra 19/20”, explica o economista do Deral, Marcelo Garrido.

O preço da saca de 60 kg ficou próximo de R$ 153 nesta semana. No mesmo período do ano passado, os produtores recebiam, em média, R$ 70 pelo produto. A ocorrência de doenças em algumas lavouras e o reajuste no preço dos insumos, com a alta do dólar, geraram aumento nos custos de produção. Por outro lado, o câmbio favoreceu as exportações. Já o índice de comercialização segue um padrão semelhante ao da safra 2019/20, de 53% neste período.

Nos próximos dias, o clima deve ser benéfico para o andamento da colheita. A produtividade teve uma pequena redução em relação ao ano passado, de 3.700 kg/hectare para 3.600 kg/hectare. Quanto à qualidade, 82% das lavouras estão em boas condições, 17% médias e 1% ruim. Para a segunda safra, o Deral estima a produção de 108 mil toneladas de soja em 38 mil hectares, concentrados principalmente no Oeste do Estado. A colheita da segunda safra deve iniciar em abril.

MILHO PRIMEIRA SAFRA – A colheita do milho da primeira safra evoluiu para 74% da área de 363 mil hectares nesta semana. Espera-se a produção de 3 milhões de toneladas, volume 14% inferior ao do ciclo 19/2020. “Essa redução segue uma tendência dos outros estados do Sul e do País como um todo. O Brasil soma um volume de 23 milhões de toneladas”, explica o técnico Edmar Gervásio.

MILHO SEGUNDA SAFRA – O plantio da segunda safra atingiu 88% e 94% das lavouras estão em boas condições. O volume produzido deve ser de 13,4 milhões de toneladas, 12% maior do que o do ciclo 19/20. A estimativa para a área é de 2,4 milhões de hectares, um recorde para o Estado, com crescimento de 3% em relação à safra anterior.

Apenas no último mês, a área plantada teve um ajuste positivo de aproximadamente 12 mil hectares. Os preços estão satisfatórios para os produtores. A saca de 60 kg foi comercializada por R$ 78,68 nesta semana, em média. “A tendência é de que os preços continuem elevados ao longo do ano”, diz Gervásio.

FEIJÃO PRIMEIRA SAFRA – Com área de 152 mil hectares, semelhante ao do ciclo passado, o Paraná produziu 255,4 mil toneladas de feijão na primeira safra. O recuo foi de 19% em relação à safra anterior e se deve à estiagem que impactou as lavouras no ano passado e às chuvas em excesso em janeiro deste ano. A comercialização atingiu 87% nesta semana.

“As outras 32 mil toneladas que ainda estão nas mãos dos agricultores são principalmente de feijão-preto, que representou 70% da primeira safra e tem preços melhores”, explica o engenheiro agrônomo do Deral, Carlos Alberto Salvador. Segundo ele, geralmente a produção de feijão preto e feijão-cores é bem equilibrada no Paraná, próximo de 50% para cada. Porém, os bons preços do feijão-preto alteraram a proporção neste ano.

FEIJÃO SEGUNDA SAFRA – Cerca de 99% da área de 251 mil hectares está plantada e

Polícia apreende 4,7 toneladas de maconha em carga de sementes


Mais de 4,7 toneladas de maconha foram apreendidas por policiais militares do Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRv) durante uma abordagem de rotina. A apreensão, que é a maior do ano, começou por volta de 12h30 de quinta-feira (25) na cidade de Iporã, no Noroeste do Paraná, e resultou na prisão de um homem. A droga estava escondida em uma carga de sementes de chia.

De acordo com as informações repassadas pelo BPRv, a equipe abordou um caminhão durante em fiscalização no Posto Rodoviário de Iporã, na PR-323. Aos militares estaduais, o motorista, de 29 anos, teria informado que havia carregado o veículo com sementes de chia em Sete Quedas (MS) e que levaria até a cidade de Mogi Guaçu (SP).

A equipe policial desconfiou do nervosismo do motorista e iniciou uma busca minuciosa na carga. Ao retirar alguns sacos de sementes foi possível localizar 418 fardos de maconha, que, após pesagem, totalizaram 4.760 quilos da droga.

Para o comandante do BPRv, tenente-coronel Wellenton Joserli Selmer, a apreensão é resultado do trabalho operacional feito pelas equipes nos 56 postos rodoviários em cerca de 13 mil quilômetros de rodovias estaduais que cortam o Paraná. “Esse direcionamento operacional resulta em grandes apreensões e ele é muito importante nas regiões de fronteiras, pois sabemos que é um passadouro de drogas para todo o País”, explicou.

“Esse ano já conseguimos dobrar as apreensões em relação ao mesmo período do ano passado e o nosso número de ocorrências é 10 vezes maior também”, informou. “O investimento em segurança das rodovias é muito importante, pois a droga que nós apreendemos ali deixa de ser vendida nos centros urbanos não só do Paraná como do Brasil”.

ANO PASSADO – Nos 12 meses de 2020, o Batalhão Rodoviário aumentou a apreensão de armas, drogas e produtos contrabandeados nas estradas que cortam o Paraná. Só as apreensões feitas nas estradas somaram 43 toneladas de maconha, um aumento de 168% em relação ao ano anterior, que registrou quase 16 toneladas. Em todo o Paraná, e não apenas nas estradas, as apreensões desta droga pelas forças de segurança chegaram a 283,5 toneladas,

Além da maconha, o Batalhão de Polícia Rodoviária também apreendeu 88 quilos de cocaína nas estradas estaduais – 537,7% a mais que em 2019, quando foram 13,8 quilos. Já de crack foram 85,8 quilos. Também foram apreendidos 7,9 quilos de haxixe, contra 2,5 quilos em 2019, um aumento de 216,2%.


Fonte: AEN

Idosos a partir de 70 anos começam a ser vacinados contra a Covid-19 em Turvo


Na manhã desta sexta-feira (26) foi o dia de imunização dos idosos com idade superior a 70 anos. A vacinação ocorreu na sede do Município e também nas comunidades do interior.

A segunda dose da vacina será aplicada no dia 20/04.

É com muita alegria que realizamos essa importante tarefa. A cada vacina aplicada é uma dose de esperança para cada um de nós. Esperamos que em breve, todos estejamos vacinados contra a covid-19.

Fonte: Prefeitura de Turvo 

Ossada humana é encontrada no interior de Prudentópolis


No dia 25 de março, às 10h00, a equipe policial deslocou até a localidade de Barra Vermelha, em Prudentópolis onde moradores teriam encontrado uma ossada que poderia ser humana.

No local em contato com o solicitante, o qual encaminhou a equipe até uma fossa desativada, onde foi verificado tratar-se de uma ossada humana.

Foi entrado em contato com a Polícia Civil, Criminalística e IML, isolado o local. Compareceram o perito criminal, motorista do IML e o investigador da Polícia Civil de Prudentópolis.

Fonte: PM
Publicidade