sexta-feira, 26 de julho de 2019

Professor é afastado após denúncias de assédio sexual a alunas e professoras


Em Campina da Lagoa, Centro-Ocidental do estado, uma nova situação de assédio sexual praticada por professor da rede pública tornou-se objeto de ação civil pública por ato de improbidade administrativa proposta pelo Ministério Público do Paraná, por meio da Promotoria de Justiça da Comarca. Nessa semana a Justiça concedeu liminar favorável ao MPPR e afastou o servidor das funções.

Com a ação de improbidade, a Promotoria busca a responsabilização cível do professor. No mérito do processo, se condenado, ele pode ser sancionado a penas como a perda da função pública e o pagamento de multa. O Ministério Público também deve apresentar denúncia criminal em face do docente.

Palestras – Em junho deste ano o MPPR obteve liminar de afastamento de outro professor de Campina da Lagoa por assédio sexual. As duas situações são resultado de investigação realizada pela Promotoria de Justiça a partir de notícias de abusos sexuais supostamente praticados contra alunas e professoras por professores que atuam em duas escolas estaduais.

A apuração incluiu um trabalho de conscientização a respeito de assédio, com a realização de palestras nas escolas por agentes do Ministério Público. Muitas vítimas buscaram a instituição para denunciar situações de violência depois desses eventos.

Os processos contra os servidores tramitam no Juízo da Vara da Fazenda Pública de Campina da Lagoa, sob sigilo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário