quinta-feira, 19 de abril de 2018

Embargo à exportação de frango brasileiro pela UE atinge oito frigoríficos do Paraná


O embargo à exportação de frango brasileiro pela União Europeia atinge diretamente oito frigoríficos do Paraná.

A lista anunciada nesta quinta-feira (19) relaciona 20 unidades produtoras no país que estão proibidas de vender produtos de origem animal, especialmente frango, ao bloco econômico.

Confira os frigoríficos paranaenses proibidos de exportar frango para a União Europeia:

BRF, em Ponta Grossa

BRF, em Toledo

SHB Comércio e Indústria de Alimentos S.A./ unidade da BRF, em Francisco Beltrão

Copagril, em Marechal Cândido Rondon

Copacol, em Cafelândia

Coopavel, em Cascavel

Avenorte, em Cianorte

Lar Cooperativa Agroindustrial, em Matelândia

Segundo a Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, o Paraná é o maior produtor de frango do país, responsável por um terço da produção nacional. É também o que mais exporta este tipo de carne: de cada 3 quilos de frango que saem do Brasil, um é produzido em frigoríficos paranaenses.


Controle de qualidade

A decisão aprovada por um comitê da comissão europeia, em Bruxelas, na Bélgica, é final e começa a valer 15 dias depois da publicação.

O motivo do embargo, segundo o comitê, é a deficiência no sistema de controle de qualidade de carne destes frigoríficos.

A pressão europeia sobre o setor vem desde março de 2017, quando a Polícia Federal deflagrou a operação Carne Fraca e aumentou em março de 2018, quando foi descoberto um suposto esquema entre laboratórios e frigoríficos para fraudar laudos de testes de qualidade.

Prejuízos

De acordo com a Associação Brasileira de Proteína Animal, o prejuízo com o embargo pode passar de R$ 1 bilhão de reais por ano.

Em conversa com produtores de aves em Campo Mourão, no centro-oeste do Paraná, nesta quinta, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, disse que a restrição imposta pela União Europeia pode impactar até 35% das exportações.

"Todos os frigoríficos que estão exportando não exportam só para a Europa, tem mercado interno, tem mercado na Ásia, tem mercado no México, tem mercado em vários lugares do mundo. Então, nós temos um problema, mas que não é o fim do mundo”, declarou o ministro.

Reflexos

Devido à proibição da exportação de frango pela UE, a BRF anunciou que dará férias coletivas de 30 dias a cerca de 2 mil funcionários da linha de abate de aves do frigorífico de Toledo, no oeste do Paraná, a partir do dia 2 de julho.

Em nota, A Lar, de Matelândia, destacou que ainda é cedo para falar de possíveis reflexos provocados pelo anúncio da restrição, por isso prefere não se manifestar.

O G1 entrou em contato com os outro seis frigoríficos que estão proibidos de exportar para a União Européia. Nenhum quis comentar o embargo.

Fonte: G1 - PR

Nenhum comentário:

Postar um comentário