segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Turistas da Bélgica visitam Turvo pelo Caminho da Terra Sem Males



Neste sábado (10/11), visitantes da Bélgica estiveram participando de atividades da Gralha Azul – Turismo e Aventura. Foram ao todo dez pessoas numa jornada através do Caminho da Terra Sem Males -Yvy Maraê’y, entre práticas que resgatam os saberes ancestrais e contemplam o presente do Nhandereko, modo de vida Guarani. 

O primeiro momento se deu na Casa Gabriel e Luiza Pilati, com exposição fotográfica e palestra Cultura Indígena Guarani, que apresenta a trajetória histórica e aspectos atuais do cotidiano indígena. Houve também a exibição do curta-metragem “Ara, Lágrima Que Cai”, unindo duas lendas nativas da região numa obra de ficção com embasamento histórico, atuação indígena e introdução de elementos reais da cultura. 

Logo em seguida visitaram o Sítio Arqueológico Marrecas na propriedade do Sr. José Bonetti, com peças arqueológicas autênticas que ele encontrou e conservou. Os itens catalogados e expostos reúnem dois conjuntos de materiais: objetos de cerâmica Tupi-Guarani com cerca de 500 anos e artefatos de pedra lascada de paleoaldeias Itararé-Taquara, com aproximadamente 4 mil anos. 

Após esta viagem ancestral, os belgas tiveram a oportunidade de visitar a aldeia Koe Ju Porã, vivenciando a cultura indígena através de cantos, danças, partilha de alimentos típicos e interagindo na Brincadeira do Xondaro (guerreiro), antiga preparação física. Fizeram também a Trilha das Taquaras (Tape Takua), onde os guias da aldeia explicam sobre as antigas armadilhas de caça e plantas utilizadas na medicina Guarani. Despedindo desta experiência, visitaram o Salto São Francisco, maior queda do Sul do Brasil com 196 metros de altura. 

Um caminho repleto de curiosidades, onde são compartilhadas sabedorias e do qual se leva gratidão e respeito. Hae ve tema (obrigado)!  







Assessoria Gralha Azul




Nenhum comentário:

Postar um comentário