quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Toalha de motel achada perto de corpo leva polícia a desvendar crime


Um homem de 29 anos foi preso suspeito de matar uma mulher em um motel e abandonar o corpo em uma estrada rural em Mandaguari, no norte do Paraná, na quarta-feira (12).

A polícia chegou até o suspeito porque, próximo ao corpo, foi encontrada uma toalha de um motel de Sarandi, município que fica 20 quilômetros distante de Mandaguari.

O corpo da vítima foi encontrado na estrada Promessa, na área rural de Mandaguari, em um ponto em que frequentemente ocorrem descartes irregulares de entulhos. Moradores de um sítio disseram aos policiais que encontraram o corpo depois dos cães latirem muito.

Após encontrarem a toalha, os policiais foram até o estabelecimento e, ao analisarem imagens de câmeras de segurança, descobriram que a vítima, de 30 anos, chegou ao local por volta das 13h30 e entrou no quarto onde estava o suspeito.

O homem chegou sozinho e de carro. As imagens mostraram que ele saiu do motel levando, segundo a polícia, o corpo da vítima no banco traseiro.

A placa do carro levou os investigadores até a casa do homem, que é empresário. O suspeito foi preso em casa, em Mandaguari. Segundo a polícia, ele estava com a esposa e negou a autoria do crime no início, mas, na delegacia, contou como tudo ocorreu.

Depoimento à Polícia Civil

Em depoimento, o suspeito disse que marcou o programa com a vítima por uma rede social. Ainda de acordo com a polícia, o homem relatou que mulher tentou extorquir dinheiro depois de descobrir que ele é empresário e tinha esposa.

O homem ainda relatou, conforme a Polícia Civil, que a vítima queria mais dinheiro pelo programa ou ela contaria aos familiares dele. Depois disso, o suspeito deu um soco na vítima a asfixiou com a toalha do motel.

O investigador Ronaldo Domingos disse que nenhum funcionário do motel ouviu qualquer discussão. Também não foram encontradas marcas de sangue no quarto.

Investigações

A Polícia Civil informou que as investigações continuam. Material genético foi colhido no corpo da vítima e do suspeito para comprovar se houve relação sexual, a toalha e a bolsa também passarão por perícia.

O suspeito deve ser indiciado por feminicídio e ocultação de cadáver.

O corpo da vítima foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Maringá.

Fonte: G1 - PR


Nenhum comentário:

Postar um comentário