sexta-feira, 25 de maio de 2018

Defesa Civil distribui adesivos para identificar cargas especiais


A Defesa Civil do Paraná começou a distribuir nesta sexta-feira (25) os adesivos para identificação dos caminhões que trafegam com cargas especiais nas rodovias do Paraná. O material foi entregue às secretarias estaduais, coordenadorias e ao setor produtivo para que seja enviado por todo Paraná.

A medida segue o acordo feito pelo Governo do Paraná e lideranças do movimento dos caminhoneiros, que liberou a circulação dos veículos que transportam insumos hospitalares, produtos químicos, ração animal, alimentos para hospitais e penitenciárias, leite, combustível para os serviços de segurança e de urgência e emergência, além de cargas vivas.

“Estamos fazendo um força-tarefa para distribuir esse material o mais rápido possível por todo o Paraná”, afirmou o chefe da Casa Militar do Governo do Estado, coronel Maurício Tortato. Segundo ele, o Governo ficará em alerta e no caso de demandas prioritárias dará maior atenção. “Os motoristas que farão o transporte dos itens foram orientados a se identificar nos bloqueios. Eles também devem liberar a verificação dos produtos caso seja necessário”, afirmou.

Tortato disse que foi liberada a confecção e impressão de adesivos ao setor produtivo, conforme o padrão estabelecido pela Defesa Civil, caso seja necessário. “Colocamos essa possibilidade para atender a demanda, mas é preciso que a Defesa Civil seja informada e que o material siga o nosso padrão”, disse o chefe da Casa Militar.

O anúncio da distribuição dos adesivos foi feito durante coletiva de imprensa nesta sexta-feira (25) na sede da Defesa Civil, em Curitiba, e contou com a presença do subcomandante da Polícia Militar, coronel Arildo Luís Dias; do secretário estadual de Segurança Pública, Júlio Reis; e o capitão da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Giovanni Bruel.

De acordo com o secretário Júlio Reis existem cerca de 240 pontos de bloqueio parcial nas rodovias estaduais e federais do Paraná. O secretário afirmou que desde o início do movimento as forças de segurança estaduais estão pautadas pelo diálogo e pela administração pacífica das ocorrências.

“As forças de segurança estão em prontidão e cada caso será analisado em especial”, afirmou Reis. “Conforme orientação do Governo do Estado, estamos administrando as situações pontuais pautados no diálogo e evitando conflito e o uso da força”, acrescentou.

GRUPO DE TRABALHO – O acordo seguiu a orientação da governadora Cida Borghetti, que solicitou ao chefe da Casa Militar, coronel Maurício Tortato, que criasse um grupo de trabalho para tratar de assuntos relacionados ao funcionamento de serviços essenciais durante o movimento de paralisação dos caminhoneiros.

De acordo com coronel Maurício Tortato, o objetivo desse grupo é estabelecer estratégias e manter o diálogo para minimizar e diminuir os passivos sociais que possam decorrer desse movimento.

“O poder público atuará de maneira pontual, sem descaracterizar a manifestação, com o apoio da Procuradoria-Geral do Estado, na busca de soluções”, afirmou. Segundo ele, o Governo do Estado respeita o movimento, mas chama a atenção para pontos específicos considerados prioritários e essenciais para a vida em sociedade.


Fonte: AEN

Nenhum comentário:

Postar um comentário