quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Corpo de jovem que levou 14 horas para ser recolhido pelo IML é velado nesta quarta-feira


O corpo de Carlos Ramón Días Del Antonio, de 18 anos, começou a ser devidamente velado na manhã desta quarta-feira (17), em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba. O jovem morreu com uma facada, vítima de uma tentativa de assalto.


"Uma pessoa, depois que falece, eu queria que levasse 20, 30 minutos para ela ser guardada, ser velada, não ficar uma, duas, 14, 16 horas ao relento", diz.

O filho dele foi morto quando voltava para casa, ao lado de uma namorada e uma amiga. Eles foram abordados por outros dois jovens, que estavam com armas de brinquedo. Carlos Ramón tentou reagir e acabou levando uma facada na nuca. Antes de morrer, ele ainda ligou para a família, pedindo ajuda.

"Sou mais um Silva, que tenta, luta para sobreviver um dia após o outro, contando as horas para chegar em casa, ver meus filhos respirando, comendo, rindo. Aí, chega, está ali estendido no chão", diz o pai da vítima, com lágrimas nos olhos.

Pedido de desculpas

Em entrevista à RPC, o secretário de Segurança Pública do Paraná, Wagner Mesquita, pediu desculpas à família do jovem morto. Ele reconheceu o problema da falta de viaturas para atender aos casos de mortes.

"Foi uma situação atípica. O excesso de trabalho do IML e uma sucessão infeliz de acontecimentos, que culminaram no atraso da retirada do corpo do Carlos Ramón. Primeiro de tudo, estamos consternados com a própria família, estamos condoídos com a dor dessa família e pedimos desculpas pelas circunstâncias do acontecido", afirmou Mesquita.

Segundo o secretário, o problema foi pontual e não deve voltar a se repetir. Ele garantiu que a pasta já encerrou uma licitação para alugar mais 30 veículos para todo o Instituto de Criminalística. Dessas, seis seriam viaturas para recolher corpos em Curitiba e na Região Metropolitana.

Ainda de acordo com Mesquita, o novo contrato prevê que a empresa troque as viaturas que tenham problemas, em um prazo de até duas horas. O contrato atual, conforme o secretário, apenas garante o conserto dos carros quebrados.

Adolescente apreendido

Com a ajuda de uma denúncia anônima, a Polícia Civil encontrou um adolescente de 17 anos, suspeito de participar do crime. Em depoimento, o rapaz confessou que estava no assalto, mas indicou o nome de outra pessoa, de 19 anos, que teria matado Carlos Ramón.

Após o depoimento, ele foi liberado. O delegado responsável pelas investigações afirmou que deve pedir a prisão preventiva do suspeito maior de idade. Veja mais clicando aqui.

Fonte: G1 - PR

Nenhum comentário:

Postar um comentário