segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Suspeito de estuprar e engravidar a filha fez outras vítimas, diz a polícia



A Polícia Civil prendeu um homem suspeito de torturar, estuprar e engravidar a própria filha, na manhã desta segunda-feira (9), em Apucarana. Outras três vítimas foram identificadas no decorrer das investigações, duas também são filhas do suspeito. 

R. A. S. T, de 38 anos, foi localizado em uma casa em Califórnia. Ele já havia sido preso pelo mesmo crime e cumpria pena em liberdade condicional mediante uso de tornozeleira eletrônica. No entanto, retirou o equipamento de monitoramento e estava foragido, segundo a polícia. 

De acordo com a delegada Luana Lopes, a filha mais velha do suspeito foi estuprada dos 11 aos 13 anos. Os abusos só cessaram quando a menina engravidou. "Não satisfeito ele ainda torturava ela, amarrava, mordia e batia com fios de metal na filha'", conta.

Para despistar a polícia, o homem registrou uma denúncia falsa na Delegacia da Mulher de Apucarana e tentou incriminar outra pessoa. 

"Um inquérito foi instaurado para investigar a autoria do estupro. Mas no decorrer da investigação a vítima tomou coragem e revelou que o pai era o estuprador e afirmou que ele é pai e o avó da criança", diz Luana. 


A vítima ainda afirmou que os dois irmãos mais novos também eram violentados pelo pai. Foram instaurados mais dois inquéritos para apurar os abusos. Conforme a delegada, o menino e a menina moravam com o pai porque a mãe não tinha condições financeiras. 

"Ele se aproveitou de uma situação de vulnerabilidade, num momento em que a mãe não podia cuidar dos filhos e precisou deixar com o pai", disse a delegada. 

Ainda segundo a polícia, durante as investigações, uma amiga da filha mais velha revelou que também foi violentada sexualmente. A jovem ainda afirmou que começou a usar drogas por incentivo do suspeito.

"Ele estimulava o uso de drogas e depois fornecia entorpecentes para que os jovens fizessem sexo com ele", revela a delegada. 

O suspeito será autuado por estupro de vulnerável, tráfico de drogas, fornecer drogas a crianças e adolescentes e satisfação da lascívia mediante presença de menores.

A identidade do preso não foi divulgada para preservar a identidade das vítimas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário