terça-feira, 3 de outubro de 2017

Polícia investiga abuso sexual contra bebê de quatro meses



Uma bebê de quatro meses está internada, nesta terça-feira (3), no Hospital da Criança João Vargas de Oliveira, em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná. A suspeita é a de que ela tenha sofrido abuso sexual.

Segundo a Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria), que investiga o caso, exames confirmaram que a menina adquiriu tricomoníase, uma infecção sexualmente transmissível. Também foi encontrado sêmen na vagina dela.

A criança está internada desde o dia 25 de setembro, quando fez os testes. Conforme a Nucria, a mãe, de 29 anos, foi à delegacia por outros motivos e acabou mostrando à polícia uma foto da região íntima da menina, que apresentava uma secreção incomum.

Foi, então, que a bebê foi levada para o hospital pela polícia. No momento, o estado dela é estável. Veja a nota enviada pelo hospital no fim da reportagem.

Conforme a Nucria, três pessoas são suspeitas do abuso sexual: o irmão da menina, de 13 anos; o pai dela, de 42 anos, que já foi ouvido e negou o crime; e um outro homem que frequentava a casa da família.

"Segundo as informações que nós temos, a mãe é usuária de drogas e franqueava a entrada de algumas pessoas na residência para uso de substâncias entorpecentes", explica a delegada Ana Paula Cunha Carvalho.

A mulher está presa porque havia um mandado de prisão em aberto contra ela por roubo.

A delegada afirma que as investigações continuam.

"Temos que ouvir ainda esses outros dois suspeitos e, no decorrer das diligências, possivelmente surjam outros nomes. Tudo o que nos for apresentado será levantado. Vamos fazer também o confronto de material genético dos suspeitos com o que o hospital recolheu", acrescentou.

Depois de receber alta, a bebê deve ficar com a avó.

Veja abaixo a íntegra da nota enviada pelo hospital, nesta terça-feira.

"A Prefeitura Municipal de Ponta Grossa informa que na última quinta-feira, 28 de setembro, uma criança de 4 meses deu entrada no Hospital da Criança João Vargas de Oliveira com suspeita de infecção urinária. Após exames médicos, foi constatado que a paciente estava com tricomoníase, uma Doença Sexualmente Transmissível. Desde então, ela foi medicada e sua condição é estável. O Hospital aguarda apenas a liberação da Vara da Infância e Juventude para dar alta à paciente".

Fonte: G1 - PR

Nenhum comentário:

Postar um comentário